Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


terça-feira, 3 de dezembro de 2019

Certezas incertas

Amigos e amigas.
A humanidade é prenhe de "sofistas de esquina e de botequim". Aquelas pessoas que só lêem as manchetes dos jornais e revistas, ouvem os anúncios noticiosos dos telejornais e, no máximo, lêem as resenhas de livros e se arvoram em opinar, comentar, explicar e esmiuçar a superfície dos assuntos. Normalmente e de preferência, "regado a umas birita".

Em geral, não passam de bufos papagaios que repetem quase ipsis litteris o que seus feitores impõem em suas cabecinhas. A gama de pessoas que se encaixam nesse perfil é enorme e não tem a ver com nada (raça, classe social, etc) além de seus comodismo, alienação e baixa estima. Elas se encaixam no primeiro refrão da canção "Tá na hora", do Raul: "E onde é que está a vida? Onde é que está a experiência? Já te entregam tudo pronto, sempre em nome da Ciência, sempre em troca da vivência". Jamais seguem, como eu me esforço em seguir, a última parte da sentença de Buda que abre a página inicial do meu Palavra Livre.

E, nesse estado de coisas, tudo funciona bem ao gosto dos grandes parasitas: cheio de entraves, remoinhos, meias verdades, algaravias, dissimulações, imoralidades,..., tudo visando a imbecilização coletiva. E eles fazem tudo isso com tanta força que a maioria de seus hospedeiros os defende mesmo no que for impossível. Temas como o holocausto, o aquecimento global e o heliocentrismo são dogmas inatacáveis para essa turba de infelizes, apesar de haver um monte de impossibilidades neles. Ela aceita idiotices do tipo "Não faz diferença se foram 6 milhões ou 6 mil" (holocausto) ou "Ah, vá ! A nasa não precisa fazer uma coisa dessas (mentir)?" (heliocentrismo) ou, apenas "Quem é você? Eles são especialistas." (aquecimento global).

Aqueles "sofistas" citados inicialmente têm "soluções fenomenais" para qualquer coisa. Quando se questiona a impossibilidade da água parada em estado líquido ter sua superfície curvada (como se afirma serem os oceanos), eles decretam: "Tem a gravidade!". Quando se questiona como que a Terra se move a 800 mil km/h pelo espaço e não se consegue detectar tal deslocamento, dizem: "A gravidade não permite!" Se se questiona o por quê da atmosfera não ser sugada pelo vácuo sideral, novamente apelam: "A gravidade é fod...!" Se eles ao menos lessem um pouco do assunto "Gravidade",... Não sabem (muito menos fazem questão de saber) de fatos estranhos às suas mentalidades comprometidas pela estupidificação. Exemplos:

- Não existe sequer uma foto da Terra de corpo inteiro (todas são photoshop) e as coordenadas geográficas (latitude/longitude) ao sul do Equador não repetem o padrão das ao norte do Equador. Elas não se estreitam quanto mais ao sul, mas, sim, se alargam (o que levou o "físico stand up do sistema" DeGrasse Tyson a afirmar que a Terra tinha um formato de pêra).

- Não existiam 6 milhões de judeus na Europa inteira em 1939, início da 2ª Guerra, Hitler só dominou metade dela e cerca de dois milhões deles fugiram da zona de conflito até 1941, indo principalmente para a Rússia, o Egito e os EUA e perto de um milhão dos detentos judeus sobreviveram.

- Ozônio é um gás atmosférico transitório que só existe naturalmente na presença dos raios UVc emitidos pelo Sol. Portanto, só existe ozônio na atmosfera de dia e ele forma uma região em torno do Sol. Além disto, gases não formam camadas e muito menos podem ter "buracos" neles.

Só essas colocações acima já serviriam para abalar essas certezas incertas dos "sofistas de esquina e botequim" e tirá-los desse estado de torpor etílico e oligofrênico. Isto se houvesse vontade da parte deles para racionalizar e permissão dos que financiam e perpetram tamanhas idiotices. Eu estou longe de ser um sofista em qualquer acepção ou nível do termo. Sou um questionador que só afirma fatos comprovados (do tipo "a água molha") porque sou bem consciente da minha respectiva insignificância (apesar de ser orgulhoso do meu imenso universo interior) e, mais uma vez, coloquei resumidamente neste post algumas de minhas inquietações a respeito de alguns assuntos.

Todas as "explicações" que já encontrei para as dúvidas postadas não serviram para "matar minha sede", mas não desistirei e vou insistir em renová-las até, quem sabe, elucidá-las de um jeito ou de outro. E só para cutucar um pouquinho mais, deixo esses vídeos dos terraplanistas mostrando o Sol e a Lua transitando entre as nuvens. Os radicais pró-nasa juram que não passa de ilusão de ótica, mas é outra "explicação" que merece risos e/ou desprezo.
FAB29




sexta-feira, 22 de novembro de 2019

Degradação protegida

Amigos e amigas.
O maior dos crimes da humanidade é a pedofilia, que remonta desde a Grécia antiga e o Império Romano. Tenta-se atualmente tratá-la como doença, um "transtorno de preferência sexual", mas o código penal e o Estatuto da Criança e do Adolescente a enquadram como crime, até mesmo adquirir imagens de pornografia com crianças e adolescentes.

Em vários países, atualmente se debate sobre os "níveis de pedofilia". Exemplo foi o estupro que ocorreu com uma menina de 11 anos na França em 2017. O degenerado de 28 anos está sendo processado por "atentado ao pudor" porque nesse país "evoluído" não existe uma legislação que prevê a idade mínima de consentimento para sexo entre menores e adultos.

Na Inglaterra, houve o caso Rotherham, onde mais de 1400 crianças sofreram abusos sexuais durante 10 anos sob o beneplácito das autoridades do condado de South Yorkshire. Outras 2500 crianças estão em "planos de proteção a menores" do governo inglês por estarem "sob sério risco de abusos". Mas a polícia inglesa já admite "dezenas de milhares" de vítimas de pedofilia por ano.

Seguem abaixo um vídeo brasileiro e mais algumas reportagens e artigos que coletei sobre o assunto. Mais um exemplo da degradação da humanidade está neste meu post.


A Interpol (Organização de Cooperação Policial Internacional) anunciou nesta quinta-feira (23) o desmantelamento de uma rede internacional de pedofilia que utilizava a chamada dark web, na qual a identificação dos usuários é mais difícil. Nove pessoas foram detidas na Tailândia, Austrália e nos Estados Unidos.
A investigação Blackwrist foi lançada em 2017, depois da descoberta de material de pornografia infantil em um site da dark web que contava com cerca de 63 mil usuários inscritos. Para acessar o site em sigilo, eles usavam programas criptografados. Os endereços na dark web não podem ser encontrados por ferramentas comuns de busca: é preciso ter previamente o link específico para poder acessá-los.
Investigadores de diversos países analisaram o conteúdo do site, inclusive imagens de abusos cometidos contra 11 meninos, todos menores de 13 anos. Os endereços de IP dos computadores que publicaram as imagens vinham dos três países nos quais ocorreram as prisões.
Além disso, o departamento de luta contra a cibercriminalidade da Bulgária desativou o servidor do site, no qual “novos conteúdos eram adicionados a cada semana, durante vários anos”, afirmou a polícia internacional.
Abusos a bebê de 15 meses
Entre os nove suspeitos detidos, está o principal administrador do site, Montri Salangam, que morava na Tailândia e foi identificado como o autor de vários abusos contra os 11 meninos. O sobrinho do homem está entre as vítimas.
Outro webmaster, Ruecha Tokputza, 31 anos, residente da Austrália, foi preso com milhares de imagens de pedofilia infantil, filmadas na Tailândia e na Austrália. Nas imagens, ele com frequência aparecia como o principal agressor das crianças – entre elas um bebê de apenas 15 meses.
Os dois homens haviam sido detidos em 2018 e já foram condenados a 146 anos e 40 anos de prisão, respectivamente, nos seus países de residência. A imprensa australiana relata que Tokputza admitiu as 50 acusações que pesam contra ele. “Você é o pior pesadelo das crianças. Você é o horror de todos os pais. Você é uma ameaça para a sociedade”, disse o juiz Liesl Chapman, no julgamento.
As identidades dos demais presos na operação não foram divulgadas. “Várias” ocorreram nos Estados Unidos, de “pessoas que ocupavam cargos de confiança, assim como um homem que abusou do seu meio-irmão de dois anos”, declarou Eric McLoughlin, diretor regional do Ministério da Segurança Interior americano, em Bangcoc, citado pela Interpol.
A investigação mobilizou quase 60 países integrantes da Interpol e ainda pode se prolongar por anos, já que as ramificações e a amplitude da rede são imensas, indicou a organização policial. Além das 50 crianças “salvas”, os investigadores tentam identificar cerca de 100 outras que podem ter sido vítimas de abusos da rede. Novas prisões são esperadas. (Extraído daqui )

O já famoso caso abaixo é um bom exemplo de qual destino deveria ter os estupradores, sejam favelados ou bilionários.

Jeffrey Epstein, o bilionário americano acusado de ter dirigido durante anos uma trama pedófila para explorar sexualmente menores, suicidou-se em sua cela numa prisão de Nova York. Há mais de duas semanas, Epstein, de 66 anos, foi achado inconsciente após tentar tirar a própria vida em outra ocasião. Repetiu a tentativa neste sábado. Segundo The New York Times, Epstein, que poderia pegar uma pena de até 45 anos de prisão, foi encontrado às 7h30 da manhã enforcado.
O investidor nova-iorquino estava detido na mesma prisão de segurança máxima em que esteve enclausurado durante mais de dois anos o narcotraficante mexicano Joaquín El Chapo Guzmán, o Centro Correcional Metropolitano de Nova York. Segundo a ABC News, Epstein estava sob vigilância especial por risco de suicídio. Durante recente vista a um tribunal, os advogados de Epstein advertiram o juiz que supervisiona o caso de que seu cliente recebia ameaças e que temia por sua segurança. O magistrado negou a liberdade sob fiança até a realização do julgamento. Segundo argumentou, Epstein representava um perigo para a comunidade, além de existir elevado risco de fuga. [Extraído daqui]

segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Apascentamento

Amigos e amigas.
Creio que muitos se lembram destes três dos mais célebres justiceiros do Cinema: Clint Eastwood ("Magnum 44" - Policial "Dirty" Harry Callaham - 1973); Charles Bronson (da franquia "Desejo de matar" - anos 70 e 80); e Sylvester Stallone (Tenente Marion "Cobra" Cobretti, de 1986 - "Você é a doença e eu sou a cura!").

Estes e todos os posteriores (culminando no "Justiceiro", da Marvel, um "anti-herói sociopata") correspondiam aos desejos inerentes e refreados de todos aqueles que ansiavam por uma "justiça pelas próprias mãos", já que a oficial nunca dava conta da violência dos degenerados e do seu aumento contínuo (inclusive, sendo cúmplice ou fomentadora dessa e outras iniquidades). Essa catarse proporcionada por esses personagens sempre trombou brutalmente com o politicamente correto, exortador da benevolência, da passividade, do desarmamento, do 'Paz e Amor', "Faça Amor, não faça a Guerra", etc.
Resultado de imagem para paz e guerra
Salve-se se puder !
A necessidade dos supremacistas de manter sua boiada humana apascentada, passiva, inerte mental e emocionalmente fez com que, gradativamente, a "agenda dos super-heróis" (como Capitão América, Super-Homem, Homem-Aranha e tantos outros que controlam a violência de seus ataques mesmo nas mais brutais situações contra os mais nefastos assassinos, até salvando as vidas destes da sanha vingativa da turba) se tornasse a tônica dos filmes, revistas, novelas, etc. Urgia perpetrar na mentalidade do povinho a idéia de que o Estado é o único apto a cuidar das Leis e da Justiça, que 'violência gera violência', que 'não se combate fogo com fogo', que 'pena de morte não é solução', etc.

Para tanto, há décadas que qualquer reação mais veemente do povo aos ataques de degenerados (estupradores, traficantes, sequestradores,...) é punida com rigor ao menos similar ao imposto ao infrator. O cidadão é coagido a só se defender ficando nas cordas, acuado, suportando, sendo massacrado, espoliado, ou então, de outra maneira, seria condenado a alguma pena ou multa.

Desta maneira, com a massificação diuturna desse medo de perder o tão pouco que tem em todos os sentidos, a humanidade cada vez mais aceita seu papel de hospedeira e escrava, feliz e satisfeita com sua "prisão sem muros de Huxley", cada vez mais alienada e anestesiada por "facilidades e entretenimentos" cedidos por seus escravagistas. Muitos representantes dela não só defendem um exacerbado pacifismo como procuram analisar para descobrir "o que levou o indivíduo a se tornar um mal pra sociedade". Invariavelmente, a maioria chega à conclusão de que a culpa é da própria sociedade, na figura do "homem branco intolerante, racista, sexista, homofóbico, xenófobo, antissemita,...". Portanto, a inversão "agressor/vítima" tornou-se regra na sociedade contemporânea especialmente contra a raça branca.

Neste post, compartilhei uma dezena de casos no mínimo esdrúxulos que o câncer politicamente correto imputou a situações anódinas, triviais, e as transformou em um terato, uma quimera, um horror que não pode ser ignorado. O item 6 é um epitome do que já escrevi.

Está sobrando para nós um emaranhado imenso de mentiras, falsidades, opressões, distorções, supressões, alienações, algaravias e tudo o que mais houver de nocivo e estupidificante. Desde simplicidades, como imposições gramaticais patéticas ("risco de morte"), passando por distorções de cláusulas pétreas ("Somos inocentes até prova em contrário") até impossibilidades (heliocentrismo e holocausto) são regurgitadas e impostas diuturnamente na desmentalidade da boiada que, de tanto ver, ler e ouvir massivamente tais podridões, as assimila e passa a vê-las com absoluta normalidade, a ponto de achincalhar ou pior quem as contesta.

Parece que o "Cada um por si e Deus contra todos" será a lei pétrea da turba daqui a poucas décadas. "Bobagens" como amizade, bem querer, respeito, simplicidade, boa vizinhança e união não passarão de termos fugazes e etéreos na memória dos mais antigos que nem isso deixarão ao partirem. E o amálgama social que restar nessa Terra Devastada será definitivamente o Paraíso dos Parasitas.
FAB29

quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Justiça e preconceitos

Amigos e amigas.
Vejam essas duas reportagens abaixo. O assunto é o mesmo: violência. O tratamento dado a cada caso é que causa, no mínimo, revolta.
Mais detalhes aqui.

O que um pastor e uma dupla gay têm em comum? O pastor, depois que sua filha sofreu tentativa de estupro num posto de saúde, foi denunciado por uma agente do Conselho Tutelar que é parente do agente tarado do posto de saúde, sob a alegação de tortura.
O pastor foi preso em condições desumanas, sem nenhum defensor para ajudar. A dupla gay foi presa por maltratar e estuprar um menino, mas contou com quatro defensores públicos para ajudar.
AMAZONAS, Brasil, 28 de março de 2011 — Um pastor brasileiro da região do Amazonas ficou mentalmente doente depois de ser preso acusado de bater em suas duas filhas, de acordo com reportagens dos meios de comunicação locais. Até recentemente, conforme noticiaram as reportagens, o pastor estava algemado a uma cama de hospital presidiário, onde ele era forçado até mesmo a fazer necessidade em frente dos funcionários.
  
Jeremias Rocha permaneceu preso durante meses por bater em suas filhas, na total ausência de de evidências ou até mesmo uma condenação

Jeremias Albuquerque Rocha, que acabou de completar 26 anos, era um atuante pastor evangélico na cidade de Carauari até maio do ano passado, quando uma agente do conselho tutelar o denunciou por bater em suas filhas, pelo que ele foi acusado de “tortura”.
Apesar de que nenhuma evidência física tivesse sido apresentada ao juiz, Rocha foi colocado em detenção preventiva, numa cela de prisão tão cheia de presos que ele era forçado a ficar de pé o dia inteiro, e tinha de dormir agachado no chão, que estava coberto de papelão.
Passaram-se meses sem nenhuma solução. Em nenhum momento se apresentou algum relatório médico documentando qualquer marca física [no caso de suas filhas] nem houve nenhum exame físico confirmando ferimentos — provas que a lei exige. Em agosto, Rocha havia, conforme as reportagens, começado a chorar e desmaiar dentro de sua cela. Quando foi levado a um hospital próximo e diagnosticado com doença mental, o juiz Jânio Tutomu Takeda se recusou a acreditar no diagnóstico, afirmando que Rocha estava “fingindo”, e ordenou que ele fosse algemado à cama do hospital.
E, para complementar esta 'pérola' de vilania:
Em 7 de março de 2012, a Band noticiou sobre um menino de 5 anos que sofria agressões e estupro de uma dupla homossexual em São Paulo. A faxineira da casa percebeu que o menino estava com febre e como a dupla gay não estava, a mulher o levou para casa. Durante o banho do garoto, ele contou que estava com muita dor. O menino contou para a faxineira que sofria maus tratos e abuso sexual.
A mulher levou o menino para o hospital, onde o garoto deu entrada com desidratação, desnutrição, broncopneumonia e tinha marcas de agressão pelo corpo.
A ocorrência foi registrada no 13º DP e o Conselho Tutelar foi acionado. Contudo, o governo do Estado de São Paulo interveio fortemente no caso, designando quatro defensores públicos para defender a dupla gay. O acompanhamento do caso por quatro defensores públicos espantou até o delegado, que disse:
“Em trinta e quatro anos de polícia, esse é o primeiro caso na minha carreira que eu vejo que a Defensoria Pública vem acompanhar dois indivíduos que estão sendo investigados e com quatro integrantes”.
Primeiramente, quero fazer umas ponderações:
- Chamar alguém bem branco de "leite azedo", "Gasparzinho", "heroína" ou coisa parecida é só tiração de sarro que não merece sequer atenção. Chamar um negro de "apagão", "petróleo", "creolina" ou coisa assim é racismo e chamar um homossexual de "fruta", "bicha", "queima-rosca" ou similar é homofobia, ambos com direito a processo, multa e, até, prisão;
- Chamar um magrelo de "cegonha" ou "girafão"; um gordo, de "baleia" ou "hipopótamo"; um baixinho, de "jóquei de chiuhaua" ou "fiofó de cobra"; um fanhoso, de "pato" ou "marreco"; uma loira, de "anta" ou "burra" (não esquecendo que "Manuel" e "Joaquim" também já viraram quase sinônimos de "asno"), tudo normal, sem problemas! Ouve-se isso o tempo todo, inclusive na TV. Chamar um negro de "macaco", "tiziu" ou "mutum" ou chamar um homossexual de "veado", "pirilampo" ou "mariposa", de novo: processo, multa e prisão.
- Na Avenida Paulista, é proibido qualquer tipo de passeata (Marcha para Jesus, Direitos Humanos, etc). Exceções ainda são a Parada Gay e a Marcha da Maconha.
Eu não tenho preconceito contra ninguém! Tenho, sim, minha idiossincrasia, minha escala de valores e meus níveis de tolerância. Respeito os de todos e exijo que os meus também sejam respeitados. Isto posto, preciso demonstrar meu desacordo com esse 'tratamento diferenciado' que é dado aos gays, judeus e negros. Por que eles são 'quase intocáveis'? Ao contrário dos outros, eles não podem ser contestados, sacaneados, segregados, repelidos, mal quistos ou qualquer coisa que não os agrade sem que isso renda horrores ao infeliz que ousar fazer isso ?

Um negro com uma camiseta estampada "100% Black!!" é visto com admiração e aplaudido. Um branco com uma, estampada "Superwhite!!" será tachado de neonazista e similares !
Definitivamente: já que parece não haver leis que punam especificamente o preconceito contra brancos, orientais, loiras, portugueses, gaúchos, etc (visto que não é visto como preconceito), não deveria haver tal privilégio para os gays, judeus e negros! Eles não são melhores que os outros, não são superiores em nada, suas coragem, capacidade, moral, inteligência, etc, estão, NO MÁXIMO, no mesmo nível que as dos outros! É claro que eles precisam ser respeitados em suas dignidades, liberdades e opções de viver. MAS O MESMO TEM DE VALER para todos os outros!
Portanto, o "casal" gay precisaria ser punido de qualquer jeito, COM ABSOLUTO RIGOR! A atitude do status quo de blindá-los é tão criminoso quanto o ato que cometeram. Seviciar qualquer pessoa é hediondo; seviciar uma criança, é, na menor das hipóteses, prisão perpétua (que nem existe neste país). Já no caso do pastor, restaria apenas à família pedir indenização, que iria, ridiculamente, reduzir as terríveis sequelas da injustiça cometida com seu parente.

"A Justiça é cega" no sentido de NÃO ENXERGAR distinções de cor, credo, classe social ou qualquer outra coisa quando precisar punir um iníquo. Mas, para todo o horror e exasperação, ela tem sido LITERALMENTE cega há muito e muito tempo! Nos últimos anos, prenhe de precedentes eméticos.
FAB29

quarta-feira, 23 de outubro de 2019

Motivos e desdobramentos

Amigos e amigas.
Há muito tenho para mim (muitos coadunam com isto) que o famigerado "11 de Setembro" foi uma armação do governo norte americano para ele usar como desculpa quando fosse encetar uma fase mais aguda de seu imperialismo.

O artigo abaixo é de um ano após o "ataque terrorista". Vê-se nele que tal esquema foi levado a sério pela potência ianque-sionista. Para "inibir" o terrorismo, os EUA militarizaram o mundo e começaram a 'desalojar' ditadores. O primeiro "país-vítima" da sanha estadunidense foi o Afeganistão e os 'tenebrosos talibãs'! A "limpa" vem aumentando: passou pelo Iraque, Egito, Síria, Líbia,... Pelo jeito, o último na mira é o Irã, pátria do "nefasto" Ahmadinejad, o "Hitler do séc. 21".
Uma década de horrores e não se vislumbra um fim aceitável.
FAB29


Uma rede militar global
Juan Carlos Galindo – 02/07/2002

A presença militar dos EUA no mundo aumentou uns 20 por cento desde os atentados de 11 de Setembro. Cerca de 300 mil soldados presentes em mais de 140 países velam pelos interesses da única potência mundial.
Alemanha e Japão, sem perdão
Os EUA aproveitaram a cobertura da operação militar conhecida como "Liberdade duradoura" para instalar bases no Uzbequistão (1000 soldados), Tadjiquistão e Quirguistão (mais de 3 mil). Presença essa que se vê fortalecida pelos 5 mil soldados estacionados nas bases do Afeganistão. Deste modo, os EUA asseguram-se uma influência decisiva e certa capacidade de controle na zona do Mar Cáspio: a região com reservas de recursos naturais inexplorados mais rica do mundo. Acaso? Altruísmo dos Estados Unidos? Defesa mundial da democracia?

No Golfo Pérsico, os Estados Unidos, em conivência com as despóticas monarquias que governam a zona, mantêm mais de 20 mil soldados:
- Mais de mil entre Omã, Emirados Árabes Unidos e Qatar;
- Outros mil no Bahrein (que, além disso, abriga o Estado Maior da Quinta Frota da Marinha)
- 4800 no Kuwait;

Mas é, sem dúvida, a Arábia Saudita o caso mais significativo. Neste emirado, os EUA têm três bases militares e mais de 5 mil soldados, caças F-15 e F-16, aviões "invisíveis" F-117 e aviões de espionagem U-2 e Awacs. Se excetuarmos a base "Príncipe Sultan", que está próxima de Ryad, a capital, as duas restantes situam-se no início ou no fim dos dois gasodutos que cruzam o país. E mais: uma delas, a base militar de Al Khobar, está junto ao porto petrolífero de Ras Tanura.

O controle militar da zona completa-se com a base Diego Garcia. Estas instalações militares, situadas na pequena ilha do Oceano Índico que lhe dá o nome, abrigam 4 mil soldados norte-americanos, caças e super-bombardeiros B-52. Os habitantes originários da ilha, de propriedade britânica e explorada em conjunto pelos EUA e pela Grã-Bretanha a partir dos acordos confidenciais assinados em 1964 pelas duas potências, foram "transferidos" em 1971 para as ilhas Maurício, a 1500 quilômetros da ilha Diego Garcia.

As bases militares de Morón e Rota (Espanha) e Aviano (Itália) realizam um trabalho logístico indispensável às operações dos EUA no Médio Oriente e na Europa. O mesmo acontece com os 2 mil soldados que as forças armadas norte-americanas mantêm na Turquia, lugar de onde decolam os caças que bombardeiam o norte do Iraque.

Na América Latina e no Caribe, encontram-se as bases militares de Aruba - Curaçao (Antilhas Holandesas), Comalapsa (El Salvador) e Manta (Equador). Esta última, situada no noroeste do Equador, permite às forças armadas norte-americanas controlarem toda a região andina e realizar trabalhos de vigilância em colaboração com o exército colombiano, ao mesmo tempo que serve de apoio para o desenvolvimento norte-americano na Colômbia.

Pior ainda é o caso da ilha de Vieques, a sudoeste de Porto Rico, utilizada há 60 anos como polígono de tiro da Força Aérea norte-americana e como zona de ensaio para as operações anfíbias das forças especiais da Marinha. Por causa destas ações, a saúde e a qualidade de vida dos seus habitantes viu-se brutalmente deteriorada. O controle indireto do Canal do Panamá é o objetivo das instalações militares dos EUA neste país. Além disso, as forças armadas norte-americanas contam com bases no território cubano (Guantanamo), Honduras e Barbados.

Em suma, mais de 100 mil soldados repartidos por todo o continente europeu. Na África, os EUA mantêm tropas no Egito, sócio tradicional da superpotência, que, além disso, é, depois de Israel, o segundo beneficiário das ajudas financeiras norte-americanas. O mapa da presença de tropas dos EUA no mundo completa-se com aquelas deslocadas no sudeste asiático. O domínio das águas do Pacífico é um objetivo estratégico tradicional dos EUA, acentuado na atualidade pelo aumento da importância da China.

O exército norte-americano mantém 37 mil homens e 100 aviões de combate da última geração na Coréia do Sul, 50 mil soldados no Japão (sobretudo na base de Okinawa) e 600 soldados, dentre eles 130 dos corpos de elite, deslocados recentemente para as Filipinas. Operações realizadas no sul das Filipinas repetiram-se no Iêmen e na Geórgia, onde mais de 200 soldados norte-americanos instruem o exército nas luta contra os "extremistas islâmicos".

segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Decepções e vislumbres

Amigos e amigas.
Neste Brasil (é claro que no mundo também), ocorrem tantas coisas insólitas, burlescas, patéticas, dantescas, hipócritas,...! Em TODAS ELAS, a principal (talvez única) vítima é o povo escravo hospedeiro. Ele (estupidamente) sofre, suporta, sustenta, pensa em reclamar, aceita, paga por tudo, se exaspera, se mata de trabalhar,... essencialmente CALADO, como é do feitio de belos comodistas alienados e bem ao gosto de seus feitores. Somente quando a coisa extrapola o dobro do seu limite, ele reage explosivamente, causando muitos danos A SI MESMO, não afetando quem o parasita.

A reação mais comum é a depredação do patrimônio público ou de utilidades públicas, como ônibus e metrô. Há, também, as greves, que paralisam escolas, hospitais, trânsito, atrasando de sobremaneira a vida funcional das cidades. Daí, mais e mais prejuízos e transtornos que o povo causa a si mesmo, num efeito dominó. É uma teia urdida (falei dela aqui) lentamente há mais de século da qual só se consegue sair se isolando completamente dessa triste sociedade.

Outro exemplo, lembram-se daquele requinte de deboche inventado pelos belos degenerados encarregados de (des)governar, legislar e julgar que foi proibir as sacolinhas plásticas no comércio (hoje em dia, a guerra é contra os canudinhos), com a explicação esfarrapada de que "é necessário contribuir com a despoluição do planeta" ?

Resultado de imagem para sacolinhas plásticas poluiçaõ


Escrevi "ESFARRAPADA" pelo simples motivo que, sendo o plástico das sacolinhas nocivo ao meio ambiente, TODOS OS SIMILARES também o são: as garrafas PET, as caixinhas de leite longa vida, os maços de cigarro (e as bitucas), os copinhos de iogurte, as fraldas descartáveis, os "modess" e "OBs" da vida, etc.

E eu pergunto: QUEM VAI PROIBIR a Coca-cola, a Parmalat, a Philip Morris, a Danone, a Procter & Gamble, etc, de continuar produzindo e comercializando seus produtos 'poluidores'? Ou, ao menos, convencê-las a encontrar 'alternativas ecológicas', a despeito dos bilhões de dólares necessários para pesquisas e produção de recipientes biodegradáveis? Nem em sonhos ou pesadelos. Tudo é o poveco que tem de arcar com.

Tais atitudes (escárnios) desses "aspones" que controlam (o certo é DESCONTROLAM) a vida pública existem advindas da passividade humana, uma das maiores decepções que me assolam. É escancarado que isso e tudo o mais de ruim e nocivo para a humanidade é financiado pelos grandes parasitas corruptores (e eles não se furtam em tripudiar), que precisam manter sua boiada sob máximo controle, com a canga bem apertada e a rédea curta. Quanto menos estudo, informação, paz, liberdade, união, conhecimento e saúde, mais fácil de lidar com as massas 'zumbizadas'.

A última coisa que quero na vida é precisar pegar em armas (mas jamais hesitaria em fazê-lo). Por isso, há a urgência de uma "SILENCIOSA GUERRA CIVIL" para mudar as bases da idiossincrasia apodrecida do povo. A desobediência civil (recusar-se a votar, por exemplo) também seria excelente para reforçar a e o moral da sociedade.

Se bem que o primeiro passo seria investir na união. Aquela verdadeira, porém, já desgastada e quase bufa frase, "O POVO UNIDO JAMAIS SERÁ VENCIDO!" é a síntese dessa necessidade premente. Dentro dessa união, facilmente brotariam a confiança, o bem querer e o progresso. Daí, tudo se tornaria mais simples e a evolução seria patente e inexorável. E o melhor de tudo: a dependência de um poder central sumiria em pouquíssimo tempo. Nem presidente, governador, rei, tirano,... Apenas e tão somente líderes de fato e de mérito.

As chances disso ocorrer são infinitesimais, mas eu creio (e sempre crerei até meu fim) que é possível. Porém, a guerra contra esse estado de coisas seria a mais longa da História, e, certamente, seria a mais doce e retumbante vitória do ser humano. Apesar de todos os pesares, consigo vislumbrar tal mundo.

Sonhar é "de grátis".
FAB29

sexta-feira, 4 de outubro de 2019

Índices petistas

Amigos e amigas
Devido a mais de centena de comentários nas últimas semanas por aqui sobre os governos do PT, suas realizações ou descalabros, resolvi adentrar nesse assunto espinhoso, nevrálgico e minado. Afinal, estamos sentindo na pele do que um desgoverno é capaz. Nove meses de 'mito' no poder e vejo que ele está parindo um terato social sob a égide de patriotismo, salvação e amor à liberdade.

Fim da CLT, deforma (com 'd') da Previdência, aumento exponencial na liberação de agrotóxicos, privatização (entrega de patrimônio público) em massa,...! O 'grotesco e o arabesco' ficam por conta dos que vêem tudo isso como "uma necessidade para reequilibrar o país devastado pela Era PT".

Aquela turma que só enxerga as mazelas de UM partido em UMA esfera de governo, desprezando imbecilmente as imensas culpas metastizadas nos desgovernos estaduais e municipais, assim como as dos Poderes Legislativo e Judiciário.

Resolvi pesquisar alguns dos principais dados sociais e econômicos da Era PT para poder analisar e concluir até que ponto essa turma tem razão ou não. Ei-los, retirados em parte daqui. Nenhum deles dá motivos para louvar ninguém, nem mesmo soltar rojões, mas merecem respeito.
FAB29

- O salário mínimo (que poderia ser chamado "salário-miséria") teve uma sequência de aumentos reais durante toda a Era PT. Após a reeleição da Dilma e a promessa do aécio de impedi-la de governar (que juram ser fake news), ele se estagnou e começou a perder mais ainda seu já microscópico poder de compra. Atualmente, o 'mito' já prometeu que ele será de R$ 1039,00, só "repondo" a dita e hipócrita inflação.

- A dívida pública em relação ao PIB sofreu quedas sequenciais a partir de 2002 (início da Era PT), tendo um aumento após a crise de 2007-2008 e tornando a cair, chegando ao seu mais baixo índice em 2013. Novamente, após a promessa cumprida do aécio et caterva, a dívida "estratosferizou", estando hoje perto de 90% do PIB.

- Após um primeiro mandato petista vacilante, a partir de 2006, a economia brasileira só acumulou recordes no quesito reservas internacionais, atingindo mais de US$ 380 bilhões em 2018. Atualmente, Paulo "Tchutchuca" Guedes anunciou que "o Banco Central (BC) venderá dólares à vista das reservas internacionais, atualmente em US$ 388 bilhões. A autoridade monetária leiloará US$ 550 milhões por dia entre 21 e 29 de agosto". Por 'culpa do Petê", é claro.


Resultado de imagem para brasil reservas internacionais

- Mais uma vez, se vê que a economia na Era PT tinha sua robustez. O aumento constante do PIB simbolizava que o dinheiro no país estava girando e gerando riqueza. Pode-se discutir que a distribuição da mesma continuava desigual ou coisa pior, mas o esforço do governo federal era visível e cabia a todos os outros governos e Poderes garantirem que essa evolução chegasse à população. Só após o "golpe verbal" do aécio em 2014 é que a coisa começou a ruir.
Resultado de imagem para PIB era pt

- Este índice é um tanto cruel pelo valor com que se calcula a miséria. A despeito disto, o percentual de miseráveis no país, que sempre foi bem alto, só a partir da Era PT baixou sensivelmente até chegar ao seu menor índice no final do 1° mandato da Dilma (é calculado que 30 milhões de pessoas foram tiradas da pobreza ou da extrema pobreza, tendo Lula recebido vários prêmios por isso). Pode-se dizer que o alento que esses dados causaram foi muito bom e poderiam melhorar ainda mais se não fossem "aécio e seus Blue Caps" a partir de 2014, quando os números voltaram a aumentar.

Resultado de imagem para pobreza no brasil

- Só para reforçar os dados acima, comparando-os com os de outros países. Os dois representantes do BRICS estavam em recuperação, mas seus parasitas resolveram acordar e...

- Para finalizar, esta medida de desigualdade só vem a confirmar os dados apresentados mais acima.

Portanto, a menos que todos os dados acima tenham sido fraudados (não é impossível, mas duvido, até provas em contrário), como se pode crer nas palavras do 'mito' e seus aspones que alardeiam aos borbotões que o Brasil está à beira do precipício econômico, da bancarrota total, da miséria geral, sem perspectivas de se salvar sem medidas nada ortodoxas, como as citadas no início do post ? E tudo, sempre, por "culpa do PT".

Dos governos pós-ditadura militar, os números mostram que a Era PT foi a que angariou mais conquistas sócio-econômicas em prol da população, mesmo que os bancos tivessem continuado a obter lucros fantásticos com suas operaçõesNão tenho dúvidas de que a atávica ladroagem tupiniquim se manteve acesa com a onipresente assistência dos grandes parasitas.

Aos que afirmam "Foi muito pouco ! Podia ter feito bem mais !", nunca se esqueçam que este país é dos maiores alvos da ganância desses grandes parasitas, que jamais permitirão que seu hospedeiro se acostume a facilidades, tranquilidades e bonança, por menores que sejam. Quem abusa, tentando "pôr as manguinhas de fora", não dura nada no posto. Então, dentro dessa permissividade dos supremacistas, houve uma sensível melhora na Era PT, maior que todos os governos ditos democráticos das últimas décadas.

No mais, vejamos o quanto e em que o (por enquanto) desgoverno do 'mito' conseguirá ser superior. Por enquanto, o medo da entrega total do país assombra nossa vida, como na opinião deste senhor.

FAB29

sexta-feira, 27 de setembro de 2019

Não fala de Chico !

Amigos e amigas.
Imagem relacionada
O mestre
Quero fazer esta colocação para mostrar o que penso, como vejo e o quanto repudio as sutis grotescas colocações que pseudos em geral se arvoram em regurgitar, possivelmente por narcisismo torpe ("Falem mal, mas falem de mim").

O título é uma referência a uma canção de Chico Buarque ("Não fala de Maria"). Com ele, quero chamar atenção à estupidez, mesquinharia, hipocrisia, maledicência e sordidez de tantas correntes que visam achincalhar e solapar a Arte e a Cultura brasileiras.

São "N" exemplos, mas vou me ater a dois, referentes justamente a Chico Buarque. Há uns 15 anos, a Folha de São Paulo publicou o resultado de uma enquete que revelou quais as melhores músicas da história da MPB. Dezenas de jornalistas, críticos e artistas foram convidados a votar nessa eleição.

A campeã foi "Águas de março", de Tom Jobim, seguida de "Construção", do Chico. É óbvio que todo e qualquer resultado daria margem à contestação e desagrada a estes e àqueles. O que me pegou foi uma declaração do Erasmo Carlos, que afirmou que "Construção" não merecia figurar na lista porque "é uma bela letra, mas tem uma melodia muito fraca".  Além de quê, vários a taxam de "muito chata". [Detalhe: ele, Erasmo, foi um dos votantes da enquete e, na sua lista, figurava uma música dele próprio. Quanta modéstia!...]

Eis como vejo a referida canção: imaginem a construção de uma casa. Ela tem três etapas (como na música). A primeira é suas fundações e o erguimento de suas paredes ("Tijolo com tijolo num desenho lógico") e telhado. É sempre a mesmíssima coisa, extremamente enfadonha, repetitiva, monocórdica, metódica. Percebam que Chico demonstrou exatamente tudo isso na melodia da primeira parte. (Não que eu a ache tudo isso. Eu adoro a música! É apenas uma análise pura e simples.)

Na segunda parte, a construção se refina: há a colocação de massa corrida, azulejos, portas, pisos, janelas, conjunto de louças, encanamento, fiação,...  que exigem muita precisão e zelo. E a segunda parte da canção também é mais elaborada, com a entrada de uma orquestração, de outras vozes auxiliando Chico e a alteração da última palavra de cada verso, enriquecendo ainda mais o sentido da letra (por exemplo, trocou "Seus olhos embotados de cimento e LÁGRIMA" para "TRÁFEGO").

E qual é a terceira parte de uma construção? O toque final? A pintura. E, em geral, no lado de fora, se acrescentam floreiras, cimentados, pedras ou outras milongas. E, na música, há suas "milongas": Chico e o MPB4 se intercalam nos vocais de cada verso e finalizam com um trecho de "Deus lhe pague".

Notaram que a música "CONSTRUÇÃO" denota exatamente uma CONSTRUÇÃO? Para mim, coisa de gênio!


Resultado de imagem para querido diário chico
Manuscrito do mestre
O segundo exemplo se refere a uma das mais recentes canções do Chico: "Querido Diário". Eis a estrofe que gerou tanta polêmica e exacerbações da turminha especializada em procurar pêlo em ovo:

"HOJE, PENSEI EM TER RELIGIÃO.
DE ALGUMA OVELHA, TALVEZ, FAZER SACRIFÍCIO;
POR UMA ESTÁTUA, TER ADORAÇÃO.
AMAR UMA MULHER SEM ORIFÍCIO"

Entre tanta porcaria que falaram, um belíssimo imbecil classificou o último verso como "O PIOR VERSO DA MPB DE TODOS OS TEMPOS!". Confesso que, quando escutei a música pela primeira vez, levei um choque nesse verso (Óbvia intenção do autor). Mas não estamos falando de um coió (Luan Santana, Sorocaba, Latino, Ivete,...) que faz qualquer coisa para aparecer. Vejo o rapaz como o maior ícone da MPB de todos os tempos. Isso sempre me fará analisar suas palavras com toda a atenção, por mais que, a priori, me causem espécie. Meu irmão classifica Chico como "um cara que causa cosquinhas no cérebro".

Após reler a estrofe e ponderar, não consegui resistir a um "FILHO DA MÃE!!" Isto porque acredito ter compreendido a intenção do moço. (Claro que posso estar quadradamente enganado, mas não creio): nós só estamos vivos por causa de nossos orifícios. Através deles, respiramos, comemos, cheiramos, ouvimos, enxergamos, excretamos, suamos, transamos, nascemos. Essa simples ponderação buarquiana é uma ode à vida!

Analisando cada verso: No primeiro, ele demonstra que nunca seguiu nenhuma religião e cogita começar a fazê-lo. Daí, começa a ponderar as possibilidades. No segundo verso, alude ao judaísmo, com seus holocaustos. No terceiro, ao cristianismo, que louva imagens. De repente, no quarto verso, pára e comenta uma conclusão que lhe assaltou a mente.

E é um comentário que QUALQUER PESSOA NORMAL faria! Eu mesmo nunca fiquei à vontade louvando e reverenciando uma estátua sacra quando ainda frequentava missas na adolescência. Isto porque eu tenho toda a fé nas pessoas, na vida, na natureza, na Criação. ENERGIA VIVA!! Chico também! Ao proferir o último verso, ele apenas exprimiu que essa adoração a uma coisa inanimada iria contra tudo o que ele sempre pensara e fizera.

Viver é uma eterna troca de idéias, sentimentos, fluidos, entre seres VIVOS. O simbolismo de transferir sua fé para coisas frias, sem reação, e nelas, cultivá-la, não lhe é atraente.

Conclusão: está cada vez pior viver numa sociedade tão medíocre (educadamente falando) que relega tantas capacidades monumentais como Chico à ralé cultural! Essa mesma sociedade que faz vistas grossas a tanta incultura e vilipêndios à arte em geral. Que se esbalda com tanto funk, axé, "sertanojo" e tantas 'expressões artísticas' que priorizam o inútil, o banal, a "bagaceira". O que têm de vermes, baratas e parasitas à espreita, esperando qualquer oportunidade para sair à luz e "se dar bem" não é pouca coisa! E nada como aproveitar um "deslize" (que ELES acreditam assim ser) de um gigante para ter seus segundinhos de fama!...

Daí, reforço o título: NÃO FALA DE CHICO! É crime de lesa-Arte reduzi-lo à insignificância que os "Prostituidores do Mundo" constantemente impõem à vida, impedindo-nos de evoluir mental, emocional e espiritualmente! Minha mãe sempre me ensinou assim: "
Meu filho, se você não tiver nada de bom, útil ou producente para dizer, fique quieto!".

Mas, para nossa infelicidade, os "Prostituidores" jamais permitirão evoluir. Por isso, cabe a cada um desenvolver um ou mais filtros que impeçam a invasão de tanto lixo que a Grande Mídia vomita diuturnamente em nossos orifícios!
FAB29

terça-feira, 17 de setembro de 2019

O Carniceiro sionista

Amigos e amigas.
Falar deste senhor Ariel Sharon é particularmente espinhoso. Não há tons de cinza. Enquanto os fundamentalistas sionistas e seus aspones o vêem com brilho nos olhos, eu só vejo trevas. Nada do que já li sobre ele me causou um mínimo de simpatia. Fiz uma pesquisa e constatei que não tenho motivo algum para simpatizar. Sua frieza, fanatismo, crueza, violência, impiedade,... cada atitude me desalentava ou me enojava. Não deixa nada a dever às atitudes delegadas aos piores criminosos da História.

Desde 2006, o 'desinfeliz' esteve em coma, vindo a falecer quase 8 anos depois, em janeiro de 2014. Há quem fale o famoso "Aqui se faz, aqui se paga!" ou em "Justiça Divina". Há muito tempo, venho me desapegando desse espírito revanchista. Afinal, quem disse que ele agiu sozinho, por pura vontade própria ou que era ele que mandava em tudo? Corruptores e corruptos são o que não falta na geopolítica do mundo. Vide Netanyiahu, Macron, Merkel, Bolsonaro,...

Tenham uma ideia de sua personalidade nefasta nesses excertos abaixo. Alguns são de seus compatriotas.
FAB29

"A história de Sharon nos oferece um arquivo de corrupção moral, com documentos provando crimes de guerra no início dos anos 50. (...) A primeira ação militar de Sharon foi em agosto de 1953 no Campo de Refugiados de El-Bureig, ao sul de Gaza. Um arquivo israelense da Unidade 101 registra que 50 refugiados foram assassinados; outras fontes alegam terem sido 15 ou 20. O Major-General Vagn Bennike, comandante das Nações Unidas, relatou que “bombas foram lançadas pelos homens de Sharon “através de janelas das cabanas nas quais os refugiados estavam dormindo e, assim que alguns destes saíam, eram atacados por armas de pequeno porte e automáticas”.

Em outubro de 1953, ocorreu o ataque da Unidade 101, comandada por Sharon, a vila jordaniana de Qibya, cuja “mancha” segundo o Ministro de Relações Exteriores de Israel à época confidenciou ao seu diário, “estará grudada em nós e impossível de ser lavada por muitos anos”. Ele estava errado. Posto que vários comentários ainda mais fortemente pró-israelenses no ocidente o compararam com Lidice (cidade da Tcheco Eslováquia que dizem ter sido destruída pelos nazistas na 2ª Guerra. N.A.). Qibya e o papel de Sharon são dificilmente evocados no ocidente hoje, a não ser por jornalistas como Deborah Sontag, do New York Times, que escreveu recentemente uma nota 'chapa branca', descrevendo-o como 'corajoso'; ou o representante do Washington Post em Jerusalém, que ternamente o invocou, após sua fatal excursão aos locais sagrados em Jerusalém, como o 'grandioso guerreiro'.


O historiador israelense Avi Shlaim descreve assim o massacre: “A ordem de Sharon era para penetrar Qibya, explodir casas e causar grandes danos aos habitantes. O sucesso obtido pro suas ordens superou todas as expectativas. A completa e macabra história do que aconteceu em Qibya foi revelada somente durante a manhã posterior ao ataque. A vila foi reduzida a ruínas: quarenta e cinco casas foram explodidas e sessenta e nove civis, dois terços mulheres e crianças, foram mortos. Sharon e seus homens afirmaram que acreditavam que todos os habitantes haviam fugido e de que não imaginavam que havia pessoas se escondendo dentro das casas”. (...)

E o que dizer sobre a conduta de Sharon quando esteve na direção do Comando do Sul das Forças de Defesa de Israel no inicio dos anos de 1970? A “passagem” de Gaza foi vivamente descrita por Phil Reeves em um artigo no The London Independent em 21 de janeiro desse ano:


Eles (soldados de Sharon) vieram pela noite e começaram marcando as casas que queriam demolir com tinta vermelha”, disse Ibrahim Ghanim, 70, um trabalhador aposentado: “Pela manhã eles voltaram e ordenaram que todos saíssem. Eu me lembro de todos dos soldados gritando para as pessoas, Yalla, yalla, yalla, yalla! Eles atiravam os pertences das pessoas na rua. Então, Sharon trouxe tratores e começaram a pavimentar a rua. Eles fizeram todo o trabalho praticamente em um dia. E os soldados batiam nas pessoas, você pode imaginar? Soldados com armas batendo em pequenas crianças!”

Assim que o trabalho do exercito israelense terminou, centenas de casas estavam destruídas, não somente na Rua Wreckage, mas por todo o campo, com cancelas de “segurança” instaladas por Sharon nas suas vias de segurança. Muitos refugiados se abrigaram em escolas ou se apertaram nas já lotadas casas de parentes. Outras famílias, geralmente aquelas com um ativista político palestino, foram colocadas em caminhões e levadas ao exílio em uma cidade no coração do Deserto de Sinai, controlada por Israel”. (...)

Em agosto de 1971 sozinhas, tropas sob o comando do Sr. Sharon destruíram cerca de 2000 casas na Faixa de Gaza desalojando 16.000 pessoas pela segunda vez em suas vidas. Centenas de jovens palestinos foram presos e deportados para a Jordânia e o Líbano. Seiscentos parentes de guerrilheiros suspeitos foram exilados no Sinai. Na segunda metade de 1971, 104 guerrilheiros foram assassinados. 'A polícia naquele tempo não prendia os suspeitos, mas os assassinava', disse Raji Sourani, diretor do Centro Palestino de Direitos Humanos na Cidade de Gaza”. (...)

Como ministro da defesa do segundo governo de Menachem Begin, Sharon foi o comandante que liderou plenamente o assalto ao Libano de 1982, com a ordem expressa de destruir a OLP, levando tantos palestinos quanto fosse possível para a Jordânia e fazendo do Líbano um estado “cliente” de Israel. Este foi um plano de guerra que custou um sofrimento incontável (cerca de 20.000 vidas Palestinas e Libanesas), e também a morte de aproximadamente 1000 soldados israelenses. Os israelenses bombardearam populações civis à vontade. Sharon também comandou os terríveis massacres dos campos de refugiados de Sabra e Shatilla. O governo do Líbano contou 762 corpos descobertos e, mais tarde, 1200 enterrados privadamente pelos parentes. (...)


O massacre dos dois campos contíguos de Sabra e Shatilla ocorreu das 18:00h. de 16 de setembro de 1982 até às 08:00h de 18 de setembro de 1982, em uma área sob o controle das Forças de Defesa de Israel. Os assassinos eram membros da Milícia Phalange, a força Libanesa que foi armada e intimamente aliada a Israel desde o primeiro ataque da guerra civil Libanesa em 1975. As vitimas do ataque de 62 horas incluiam bebês, crianças, mulheres (inclusive grávidas) e idosos, alguns dos quais foram mutilados e decapitados antes ou depois de serem mortos.

Uma comissão oficial israelense de inquérito – liderada por Yitzhak Kahan, presidente da Suprema Corte de Israel – investigou o massacre e, em fevereiro de 1983, publicou suas conclusões (sem o Apêndice B, que permanece secreto até hoje). (...)

Sharon sempre foi contra qualquer acordo de paz, a menos que em termos inteiramente impossíveis de aceitação pelos Palestinos. Assim como Nehemia Strasler assinalou em Ha’aretz em 18 de janeiro deste ano, em 1979, como membro do gabinete de Begin, ele votou contra o tratado de paz com o Egito. Em 1985, ele votou contra a retirada das tropas de Israel da, assim chamada, zona de segurança no Sul do Líbano. Em 1991, ele se opôs à participação de Israel na Conferencia de Paz de Madri. Em 1993, ele votou “não” em Knesset no Acordo de Oslo.

No ano seguinte, ele se absteve no Knesset em uma votação sobre o tratado de paz com a Jordânia. Ele votou contra o acordo de Hebron em 1997 e se opôs ao meio pelo qual a retirada do sul do Líbano estava sendo conduzida. Como Ministro da Agricultura de Begin no final dos anos de 1970, ele estabeleceu muitos dos acordos da Cisjordânia que são hoje a maior obstrução para qualquer negociação de paz."

quarta-feira, 11 de setembro de 2019

Pequeno respiro

Amigos e amigas.
Nos próximos 4 dias (de 12 a 15/09), estarei em "recesso internético" para resolver pequenas "questãs". Quaisquer comentários serão lidos e possivelmente publicados na segunda, 16/09.

Antecipadamente grato a todos pelas visitas e participações, abraços a vocês e lhes desejo muita saúde e tudo de bom. Até breve.
FAB29
Resultado de imagem para férias
Contemplar é preciso.