Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


terça-feira, 27 de março de 2012

Não fala de Chico!

Amigos e amigas.
O título é uma referência a uma canção de Chico Buarque ("Não fala de Maria"). Com ele, quero chamar atenção à estupidez, mesquinharia, hipocrisia, maledicência e sordidez de tantas correntes que visam achincalhar e solapar a inteligência cultural brasileira.
São "N" exemplos, mas vou me ater a dois, referentes justamente a Chico Buarque.
Há uns 10 anos, creio eu, a Folha de São Paulo publicou o resultado de uma enquete que revelou quais as melhores músicas da história da MPB. Dezenas de jornalistas, críticos e artistas foram convidados a votar nessa eleição.
A campeã foi "Águas de março", de Tom Jobim, seguida de "Construção", do Chico. É óbvio que todo e qualquer resultado dá margem à contestação e desagrada a este e àquele. O que me pegou foi uma declaração do Erasmo Carlos, que afirmou que "Construção" não merecia figurar na lista porque "é uma bela letra, mas tem uma melodia muito fraca".  Além de quê, muitos a taxam de "muito chata". Detalhe: ele, Erasmo, foi um dos votantes da enquete e, na sua lista, figurava uma música dele próprio. Quanta modéstia!...
Eis o que penso da referida canção: imaginem a construção de uma casa. Ela tem três etapas (como na música). A primeira é suas fundações e o erguimento de suas paredes ("Tijolo com tijolo num desenho lógico") e telhado. É sempre a mesmíssima coisa, extremamente enfadonha, repetitiva, monocórdica, metódica. Percebam que Chico demonstrou exatamente tudo isso na melodia da primeira parte. (Não que eu a ache tudo isso. Eu adoro a música! É apenas uma análise pura e simples.)
Na segunda parte, a construção se refina: há a colocação de massa corrida, azulejos, portas, pisos, janelas, conjunto de louças, encanamento, fiação,...  que exigem muita precisão e zelo. E a segunda parte da canção também é mais elaborada, com a entrada de uma orquestração, de outras vozes auxiliando Chico e a alteração da última palavra de cada verso, enriquecendo ainda mais o sentido da letra (por exemplo, trocou "Seus olhos embotados de cimento e LÁGRIMA" para "TRÁFEGO").
E qual é a terceira parte de uma construção? O toque final? A pintura. E, em geral, no lado de fora, se acrescentam floreiras, cimentados, pedras ou outras milongas. E, na música, há suas "milongas": Chico e o MPB4 se intercalam nos vocais de cada verso e finalizam com um trecho de "Deus lhe pague".
Notaram que a música "CONSTRUÇÃO" é exatamente uma CONSTRUÇÃO? Coisa de gênio!

O segundo exemplo se refere à mais recente canção do Chico: "Querido Diário". Eis a estrofe que gerou tanta polêmica e exacerbações:

"HOJE, PENSEI EM TER RELIGIÃO.
DE ALGUMA OVELHA, TALVEZ, FAZER SACRIFÍCIO;
POR UMA ESTÁTUA, TER ADORAÇÃO.
AMAR UMA MULHER SEM ORIFÍCIO"

Entre tanta porcaria que falaram, um belíssimo imbecil classificou o último verso como "O PIOR VERSO DA MPB DE TODOS OS TEMPOS!". Confesso que, quando escutei a música pela primeira vez, levei um choque nesse verso (Óbvia intenção do autor). Mas não estamos falando de um coió (Luan Santana, Latino, Restart,...) que faz qualquer coisa para aparecer. O rapaz é, para mim, o maior ícone da MPB de todos os tempos. Isso sempre me fará analisar suas palavras, por mais que me causem espécie, com toda a atenção. Meu irmão classifica Chico como "um cara que causa cosquinhas no cérebro".
Após reler a estrofe duas vezes e ponderar, não consegui resistir a um "FILHO DA MÃE!!" Isto porque  acredito ter compreendido a intenção do moço. Cheguei à seguinte conclusão (Claro que posso estar quadradamente enganado, mas é bastante possível que não!): Nós só estamos vivos por causa de nossos orifícios. Através deles, respiramos, comemos, cheiramos, ouvimos, enxergamos, excretamos, suamos, transamos, nascemos. Essa simples ponderação buarquiana é uma ode à vida!
Analisemos cada verso:
No primeiro, ele demonstra que nunca seguiu nenhuma religião e cogita começar a fazê-lo. Daí, começa a ponderar as possibilidades. No segundo verso, alude ao judaísmo, com seus holocaustos. No terceiro, ao cristianismo, que louva imagens. De repente, no quarto verso, pára e comenta uma conclusão que lhe assaltou a mente.
E é um comentário que QUALQUER PESSOA NORMAL faria! Eu mesmo nunca fiquei à vontade  louvando e reverenciando uma estátua sacra quando ainda frequentava missas. Isto porque eu tenho toda a fé nas pessoas, na vida, na natureza, na Criação. ENERGIA VIVA!! Chico também! Ao proferir o útimo verso, ele apenas exprimiu que essa adoração a uma coisa inanimada iria contra tudo o que ele sempre pensara e fizera. Viver é uma eterna troca de idéias, sentimentos, fluidos, entre seres VIVOS. O simbolismo de transferir sua fé para coisas frias, sem reação, e nelas, cultivá-la, não lhe atrai.
Conclusão: como é possível viver numa sociedade tão medíocre (pra dizer o máximo!) que relega tantas capacidades monumentais como Chico à ralé cultural? Essa mesma sociedade que faz vistas grossas a tanta incultura e vilipêndios à arte em geral? Que se esbalda com tanto funk, axé, "sertanojo" e tantas 'expressões artísticas' que priorizam o inútil, o banal, a "bagaceira"? O que tem de vermes, baratas e parasitas à espreita, esperando qualquer oportunidade para sair à luz e "se dar bem" não é brincadeira! E nada como aproveitar um "deslize" (que ELES acreditam assim ser) de um gigante para ter seus segundinhos de fama!...
Daí, reforço o título: NÃO FALEM DE CHICO! É crime de lesa-arte reduzí-lo à insignificância que os "Prostituidores do Mundo" constantemente impõem à vida, impedindo-nos de evoluir mental, emocional e espiritualmente! Minha mãe sempre me ensinou assim: "Meu filho, se você não tiver nada de bom, útil ou producente para dizer, fique quieto!".
Mas, para nossa infelicidade, os "Prostituidores" jamais permitirão essa bênção. Por isso, cabe a cada um de nós desenvolver um filtro que bloqueie e retenha tanto lixo que a Grande Mídia vomita diuturnamente sobre nossos orifícios!
FAB29

Um comentário: