Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


quinta-feira, 15 de março de 2012

Talmud de Jmmanuel 16

Amigos e amigas.
Seguem algumas parábolas de Jmmanuel, com destaque para a famosa do joio e do trigo.
Atentem e comparem as duas explicações. A do Talmud é preciosa, perfeitamente inteligível, sem necessidade de interpretação mais profunda ou espiritual.
Boa leitura.
FAB29


As Ervas Daninhas entre os Bons Frutos
 TJ 15:43 Mas ele pôs diante deles uma outra parábola e disse: O reino espiritual é como um homem que plantou boas sementes em seu campo.
Mat. 13:24 Propôs-lhes outra parábola, dizendo: O reino dos céus é semelhante ao homem que semeou boa semente no seu campo;

TJ 15:44 Mas enquanto dormia, veio o seu inimigo e semeou ervas daninhas entre as boas sementes e se foi.
Mat. 13:25 mas, enquanto os homens dormiam, veio o inimigo dele, semeou joio no meio do trigo, e retirou-se.

TJ 15:45 Quando a plantação cresceu e deu bons frutos, as ervas daninhas também apareceram.
Mat. 13:26 Quando, porém, a erva cresceu e começou a espigar, então apareceu também o joio.

TJ 15:46 Então, vieram os criados ao semeador e disseram: Senhor, não semeaste boas sementes em teu campo: De onde vieram as ervas daninhas?
Mat. 13:27 Chegaram, pois, os servos do proprietário, e disseram-lhe: Senhor, não semeaste no teu campo boa semente? Donde, pois, vem o joio?

TJ 15:47 Ele disse à eles: Um inimigo fez isso. Então os criados disseram: Desejas que vamos ao campo arrancar as ervas daninhas?
Mat. 13:28 Respondeu-lhes: Algum inimigo é quem fez isso. E os servos lhe disseram: Queres, pois, que vamos arrancá-lo?

TJ 15:48 Ele respondeu: Não, senão ireis arrancar os bons frutos quando puxardes as ervas daninhas.
Mat. 13:29 Ele, porém, disse: Não; para que, ao colher o joio, não arranqueis com ele também o trigo.

TJ 15:49 Deixai que ambas cresçam até a colheita, e na próxima época da colheita eu direi aos colhedores: Juntai primeiro as ervas daninhas, amarrai-as em feixes, para que possam ser queimadas e as cinzas espalhadas sobre o campo, de modo que o solo seja nutrido; mas juntai os bons frutos e estocai-os para mim em meu celeiro.
Mat. 13:30 Deixai crescer ambos juntos até a ceifa; e, por ocasião da ceifa, direi aos ceifeiros: Ajuntai primeiro o joio, e atai-o em molhos para o queimar; o trigo, porém, recolhei-o no meu celeiro.

TJ 15:50 Pois vede! Disse Jmmanuel, ambos crescem lado a lado, as ervas daninhas e os bons frutos.
TJ 15:51 As ervas daninhas impedem os bons frutos de crescerem, embora mais tarde as ervas daninhas se transformem em adubo e nutrem o solo.
TJ 15:52 Se não fosse pelas ervas daninhas terem sido transformadas em nutrientes para o solo, os bons frutos não poderiam crescer, já que necessitam de nutrientes.

A Semente de Mostarda
TJ 15:53 Ele presenteou às pessoas com uma outra parábola, dizendo: O reino espiritual é como uma semente de mostarda que um homem pegou e semeou em seu campo.
Mat. 13:31 Propôs-lhes outra parábola, dizendo: O reino dos céus é semelhante a um grão de mostarda que um homem tomou, e semeou no seu campo;

TJ 15:54 É a menor dentre as sementes, mas quando cresce, é maior que todos os arbustos e se transforma numa árvore, de modo que os pássaros do céu vêm e habitam em seus galhos.
Mat 13:32 o qual é realmente a menor de todas as sementes; mas, depois de ter crescido, é a maior das hortaliças, e faz-se árvore, de sorte que vêm as aves do céu, e se aninham nos seus ramos.

O Fermento
TJ 15:55 Ele contou às pessoas uma outra parábola: O reino espiritual é como o fermento, que uma mulher pegou e misturou à três alqueires de farinha até que ficasse totalmente fermentado.
Mat. 13:33 Outra parábola lhes disse: O reino dos céus é semelhante ao fermento que uma mulher tomou e misturou com três medidas de farinha, até ficar tudo levedado.

TJ 15:56 Jmmanuel falava às pessoas de tudo isso por parábolas, e ele não falava com elas sem usar parábolas.
Mat. 13:34 Todas estas coisas falou Jesus às multidões por parábolas, e sem parábolas nada lhes falava;

TJ 15:57 De modo que o que foi dito pelo profeta fosse cumprido, que afirma: Ele irá abrir a sua boca em parábolas e irá proclamar o que foi oculto desde o começo do mundo. Era assim para que as pessoas pudessem aprender com elas, encontrar a verdade, e reconhecer e seguir as leis.
Mat. 13:35 para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta: Abrirei em parábolas a minha boca; publicarei coisas ocultas desde a fundação do mundo.
Mat. 13:36 Então Jesus, deixando as multidões, entrou em casa. E chegaram-se a ele os seus discípulos, dizendo: Explica-nos a parábola do joio do campo.
Mat. 13:37 E ele, respondendo, disse: O que semeia a boa semente é o Filho do homem;
Mat. 13:38 o campo é o mundo; a boa semente são os filhos do reino; o joio são os filhos do maligno;
Mat. 13:39 o inimigo que o semeou é o Diabo; a ceifa é o fim do mundo, e os celeiros são os anjos.
Mat. 13:40 Pois assim como o joio é colhido e queimado no fogo, assim será no fim do mundo.
Mat. 13:41 Mandará o Filho do homem os seus anjos, e eles ajuntarão do seu reino todos os que servem de tropeço, e os que praticam a iniquidade,
Mat. 13:42 e lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá choro e ranger de dentes. 
Mat. 13:43 Então os justos resplandecerão como o sol, no reino de seu Pai. Quem tem ouvidos, ouça.

O Tesouro no Campo e
a Pérola de Valor Incalculável
 TJ 15:58 Que ouçam aqueles que tenham ouvidos: O reino espiritual é como um tesouro escondido no campo, que uma pessoa encontra e esconde; e por sua alegria pela descoberta vai e vende tudo o que possui e compra o campo.
Mat. 13:44 O reino dos céus é semelhante a um tesouro escondido no campo, que um homem, ao descobrí-lo, esconde; então, movido de gozo, vai, vende tudo quanto tem, e compra aquele campo.
 
TJ 15:59 Uma vez mais: O reino espiritual é como um mercador que procurava por finas pérolas. Quando encontrou uma pérola preciosa, foi e vendeu tudo o que possuía e a comprou.
Mat. 13:45 Outrossim, o reino dos céus é semelhante a um negociante que buscava boas pérolas;
Mat. 13:46 e encontrando uma pérola de grande valor, foi, vendeu tudo quanto tinha, e a comprou.

A Rede de Peixes
TJ 15:60 Novamente, o reino espiritual é como uma rede que foi lançada ao mar e apanhou todos os tipos de peixe.
Mat. 13:47 Igualmente, o reino dos céus é semelhante a uma rede lançada ao mar, e que apanhou toda espécie de peixes.

TJ 15:61 Quando estava cheia, os pescadores puxaram-na para a praia, sentaram-se e separaram os peixes bons em cestos, mas lançaram fora os inúteis.
Mat. 13:48 E, quando cheia, puxaram-na para a praia; e, sentando-se, puseram os bons em cestos; os ruins, porém, lançaram fora.

TJ 15:62 Assim é o reino espiritual, que reina dentro dos humanos e cujo rei é o próprio ser humano.
Mat. 13:49 Assim será no fim do mundo: sairão os anjos, e separarão os maus dentre os justos,
Mat. 13:50 e lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá choro e ranger de dentes.

TJ 15:63 Prestai atenção às parábolas, e aprendei a resolver os seus segredos, para que aprendais a pensar e para que reconheçais e sigais as leis da Criação.
TJ 15:64 Compreendestes tudo isto? E eles disseram: Sim.
Mat. 13:51 Entendestes todas estas coisas? Disseram-lhe eles: Entendemos.

TJ 15:65 Então, ele disse: Portanto, cada escriba que se tornou um discípulo do conhecimento espiritual e do reino espiritual é como um pai de família que retira de seu tesouro as coisas novas e as velhas.
Mat. 13:52 E disse-lhes: Por isso, todo escriba que se fez discípulo do reino dos céus é semelhante a um homem, proprietário, que tira do seu tesouro coisas novas e velhas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário