Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


sexta-feira, 29 de junho de 2012

Guerra (SEMPRE) suja!

Amigos e amigas.
Encontrei um livro deveras assustador chamado "Alemanha deve perecer", de Theodore N. Kaufman. Escrito em forma de folheto em 1940 e vendido a 25 cents, foi lançado ANTES do ataque a Pearl Harbour, que fez os EUA entrarem oficialmente na 2ª guerra.
O livro assusta pela sua apologia à esterilização total da população alemã. A virulência com que o autor trata o povo germânico, ofendendo-os, acusando-os de mil iniquidades e conclamando o resto do mundo a ajudar em sua obliteração é digna das mesmas obscenidades que os sionistas acusam os nazistas de terem feito aos judeus.
Só encontrei o livro em inglês e alemão. Estou tentando traduzi-lo e reporto-lhes alguns trechos mais agudos dele:


"Hoje, a guerra não é uma guerra contra Adolf Hitler. Também não é uma guerra contra os nazistas. É uma guerra dos povos contra povos, dos povos civilizados que enxergam a Luz, contra os bárbaros incivilizados que prezam as Trevas.(...) Essa guerra está sendo travada pelo povo alemão. É que eles são responsáveis. São eles que devem pagar pela guerra.(...) 

Mas não é justo estar aqui sendo dito que todo mundo na Alemanha é culpado de seus crimes hediondos contra o mundo. Na verdade, nós, em nossa maneira de enxergar, em favor da Alemanha, permitimos dizer que até 20% de sua população é totalmente inocente de cumplicidade em seus crimes, bem como alheia a compartilhar de sua alma guerreira. Nós, portanto, concedemos, por causa do argumento, que cerca de 15 milhões de alemães são absolutamente inocentes.(...)

São aqueles 15 milhões de alemães tão valiosos, tão mais indispensáveis para a humanidade que 300 milhões de homens inocentes, mulheres e crianças, que devem travar uma guerra com a Alemanha toda vez que ela decretar? É perpétua a luta contra o alemão, o único futuro que enfrentam os povos civilizados? Por que criar crianças enquanto os alemães criam guerra?(...)

 Os alemães são um povo execrável! Eles pensam e sonham com nada, além de zombaria. Sua grande alegria consiste em repreensão, gritos e ameaças. Eles empunham armas, que são  como os clubes farpados: de suas bocas, em vez de fala humana comum, ouve-se estrondo da artilharia e do choque de aço. Suas vidas são uma explosão perpétua. O alemão não vive nas alturas; ele evita a luz e, de seu esconderijo, pega nacos de alianças e exerce a sua influência maligna em artigos de jornal. (...) Por amar o seu país é que eles desprezam, ignoram e insultam todos os outros países.(...)

Segundo seus próprios escritores, professores e estadistas, a Alemanha, porém, tem uma grande razão para existir, que é conseguir dominar o mundo! Desde que é o seu objetivo maior, portanto, a Alemanha sempre alega que tem todo o direito fazer uso livre e liberal da chicana, do engano, da intolerância, da luxúria, da perseguição e opressão, a fim de alcançar esse objetivo. Consequentemente como uma nação pervertida, um tal estado de negação humana, vê a sua virtude como a única verdadeira virtude na vida, enquanto que, para os alemães, as virtudes como são conhecidas e podem ser praticadas pelo restante do mundo são apenas vícios devido à deterioração e da degeneração deste último! No entanto, existe em qualquer lugar do mundo uma nação que pode se orgulhar de degeneração no mesmo grau que a Alemanha?(...)

O alemão não tem absolutamente nenhum respeito pela vida, não existe tal expressão em sua língua como "sacralidade da vida humana." Seria impossível, mesmo entre as capas de mil volumes, listar e descrever as brutalidades demoníacas praticadas pelos alemães sobre povos inocentes e que os registros da última guerra estão repletos de numerosos incidentes reais que ilustram a crueldade e maldade inata dos alemães.
"

Naturalmente, eu não consigo crer que palavras malsãs como essas puderam ser ouvidas e minimamente levadas a sério. MAS FORAM! Esse folheto foi distribuído nos fronts para "estimular os soldados aliados a não terem misericórdia com os alemães"!
E todos sabemos os resultados de tamanha insanidade...!
Ainda adolescente, eu escrevi uma poesia e finalizei assim:

Quando será que o homem irá se unir
pra resolver os problemas do mundo
e dissipar essa imagem de um futuro sombrio?

Vendo esse livro e o status quo da humanidade, tenho muitas dúvidas. Temo por nós.
FAB29 

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Que justiça é essa?!

Amigos e amigas.
Vejam essas duas reportagens abaixo. O assunto é o mesmo: violência. O tratamento dado a cada caso é que causa ojeriza e revolta.

AMAZONAS, Brasil, 28 de março de 2011 — Um pastor brasileiro da região do Amazonas ficou mentalmente doente depois de ser preso acusado de bater em suas duas filhas, de acordo com reportagens dos meios de comunicação locais. Até recentemente, conforme noticiaram as reportagens, o pastor estava algemado a uma cama de hospital presidiário, onde ele era forçado até mesmo a fazer necessidade em frente dos funcionários.
 
Jeremias Rocha permaneceu preso durante meses por bater em suas filhas, na total ausência de de evidências ou até mesmo uma condenação

Jeremias Albuquerque Rocha, que acabou de completar 26 anos, era um atuante pastor evangélico na cidade de Carauari até maio do ano passado, quando uma agente do conselho tutelar o denunciou por bater em suas filhas, pelo que ele foi acusado de “tortura”.
Apesar de que nenhuma evidência física tivesse sido apresentada ao juiz, Rocha foi colocado em detenção preventiva, numa cela de prisão tão cheia de presos que ele era forçado a ficar de pé o dia inteiro, e tinha de dormir agachado no chão, que estava coberto de papelão.
Passaram-se meses sem nenhuma solução. Em nenhum momento se apresentou algum relatório médico documentando qualquer marca física [no caso de suas filhas] nem houve nenhum exame físico confirmando ferimentos — provas que a lei exige. Em agosto, Rocha havia, conforme as reportagens, começado a chorar e desmaiar dentro de sua cela. Quando foi levado a um hospital próximo e diagnosticado com doença mental, o juiz Jânio Tutomu Takeda se recusou a acreditar no diagnóstico, afirmando que Rocha estava “fingindo”, e ordenou que ele fosse algemado à cama do hospital.
E, agora, mais recentemente, esta 'pérola' de vilania:

O que um pastor e uma dupla gay têm em comum? O pastor, depois que sua filha sofreu tentativa de estupro num posto de saúde, foi denunciado por uma agente do Conselho Tutelar que é parente do agente tarado do posto de saúde. O pastor está preso em condições desumanas, sem nenhum defensor para ajudar. A dupla gay foi presa por maltratar e estuprar um menino e conta com quatro defensores públicos para ajudar.

Em 7 de março de 2012, a Band noticiou sobre um menino de 5 anos que sofria agressões e estupro de uma dupla homossexual em São Paulo. A faxineira da casa percebeu que o menino estava com febre e como a dupla gay não estava, a mulher o levou para casa. Durante o banho do garoto, ele contou que estava com muita dor. O menino contou para a faxineira que sofria maus tratos e abuso sexual.
A mulher levou o menino para o hospital, onde o garoto deu entrada com desidratação, desnutrição, broncopneumonia e tinha marcas de agressão pelo corpo.
A ocorrência foi registrada no 13º DP e o Conselho Tutelar foi acionado. Contudo, o governo do Estado de São Paulo interveio fortemente no caso, designando quatro defensores públicos para defender a dupla gay. O acompanhamento do caso por quatro defensores públicos espantou até o delegado, que disse:
“Em trinta e quatro anos de polícia, esse é o primeiro caso na minha carreira que eu vejo que a Defensoria Pública vem acompanhar dois indivíduos que estão sendo investigados e com quatro integrantes”.
Primeiro, preciso fazer umas ponderações:
- Chamar alguém bem branco de "leite azedo", "Gasparzinho", "heroína" ou coisa parecida é só tiração de sarro que não merece sequer atenção. Chamar um negro de "apagão", "petróleo", "creolina" ou coisa assim é racismo e chamar um homossexual de "fruta", "bicha", "queima-rosca" ou similar é homofobia, ambos com direito a processo, multa e, até, prisão;
- Chamar um magrelo de "cegonha" ou "girafão"; um gordo, de "baleia" ou "hipopótamo"; um baixinho, de "jóquei de chiuhaua" ou "fiofó de cobra"; um fanhoso, de "pato" ou "marreco"; uma loira, de "anta" ou "burra" (não esquecendo que "Manuel" e "Joaquim" já viraram sinônimos de "asno"), tudo normal, sem problemas! Ouve-se isso o tempo todo, inclusive na TV. Chamar um negro de "macaco", "tiziu" ou "mutum" ou chamar um homossexual de "veado", "pirilampo" ou "mariposa", de novo: processo, multa e prisão.
- Na Avenida Paulista, é proibido qualquer tipo de passeata (Marcha para Jesus, Direitos Humanos, etc). O mesmo não vale para a Parada Gay e (até!) a Marcha da Maconha.
Eu não tenho preconceito nenhum contra ninguém! Tenho, sim, minha idiossincrasia, minha escala de valores e meus níveis de tolerância. Respeito os de todos e exijo que os meus também sejam respeitados. Isto posto, quero demonstrar meu desacordo (no mínimo) com esse 'tratamento diferenciado' que é dado aos gays, judeus e negros. Por que eles são 'quase intocáveis'? Ao contrário dos outros, eles não podem ser contestados, sacaneados, 'chamados na chincha', repelidos, mal quistos ou qualquer coisa que não os agrade? Um negro com uma camiseta estampada "100% Black!!" é visto com admiração, até! Um branco com uma, estampada "Superwhite!!", sem dúvidas, será tachado de neonazista!
Definitivamente: já que parece não haver leis que punam o preconceito contra brancos, orientais, loiras, portugueses, etc (portanto, não é visto como preconceito), O MESMO DEVERIA VALER para os gays, judeus e negros! Eles não são melhores que os outros, não são superiores em nada, suas coragem, capacidade, moral, inteligência, etc, estão, NO MÁXIMO, no mesmo nível que as dos outros! Concordo totalmente que eles precisam ser respeitados em suas dignidades, liberdades e opções de viver. E O MESMO TEM DE VALER para todos os outros!
Portanto, o "casal" gay precisa ser punido de qualquer jeito, COM TODO O RIGOR! Seviciar qualquer pessoa é hediondo; seviciar uma criança, é, na melhor das hipóteses, prisão perpétua (que, desgraçadamente, não existe neste país). Já no caso do pastor, resta apenas à família pedir indenização, que vai, ridiculamente, reduzir as terríveis sequelas da injustiça cometida com seu parente. Que ela consiga o quanto antes e não fique amargando uma espera de anos a fio, passando necessidades.

"A Justiça é cega" no sentido de NÃO ENXERGAR distinções de cor, credo, classe social ou qualquer outra coisa quando precisar punir um iníquo. Mas, para nosso horror e exasperação, ela tem sido LITERALMENTE cega há muito e muito tempo!
FAB29

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Mais uma revolta!

Amigos e amigas.
Descaso e manipulação são a essência deste meu post. Sei que pode estar sendo cansativo, mas segurar a revolta faz mal pra gente. Mais uma (em duas partes) da politicalha brasileira.

Começa pelos congressistas, que tencionam 'reajustar' a sua verba de gabinete de R$ 60 mil para R$ 75 mil. A explicação é que, com essa verba, eles contratam seus servidores de confiança (sem concurso público e cuja grande parte nunca está no congresso!) para poderem trabalhar com maior tranquilidade. E já que "seus salários não têm reajuste há quase cinco anos", segundo o deputado Marco Maia (PT-RS), presidente da câmara federal, torna-se necessário esse reajuste. (Mau) Exemplo: assessor de gabinete recebe R$ 8.040,00 (sem as gratificações, seria R$ 4.020,00. Quer dizer: ele recebe DOIS SALÁRIOS!). Subsídio de deputado federal e senador: R$ 26.700,00. Aqueles que não moram num apartamento funcional recebem 'auxílio-moradia' de R$ 3 mil! Afora outros 'auxílios' (gasolina, jornais e revistas, etc).

Para completar, há uma realmente bela campanha de solidariedade da Action Aid de apadrinhar uma criança com R$ 42,00 por mês. Se quiser, veja detalhes neste link:

Sua dúvida, quero crer: O QUE UMA COISA TEM A VER COM A OUTRA? É assim: novamente, a população é chamada para "fazer a sua parte", "não ser insensível", "abandonar seu comodismo", etc. Corretíssimo até a página seis (de dez). Nas últimas quatro, reverbera a questão: E ESSES GOVERNOS?! Cheios de cabides de emprego, maracutaias, desvios de verbas, vazamentos,...? A sanha tributária pantagruélica desses governos pode ser vista neste link:

Pra quê esses políticos existem? Com essa arrecadação de impostos, é mais do que simples resolver o problema da miséria encruada neste país! A Action Aid afirma que aqueles R$ 42,00 mensais FAZEM A DIFERENÇA! Então, vejam este cálculo simples:

Vamos arredondar pra R$ 50,00 mensais. Os R$ 15 mil a mais que os 'nobres' congressistas pleiteiam para sua verba de gabinete poderiam ajudar 300 crianças mensalmente. Como são 81 senadores e 513 deputados federais, se apenas esse reajuste fosse revertido para auxiliar as crianças carentes, 178.200 crianças já teriam uma vida menos sofrida. Pergunto: quem é prioridade? Pra mim, SEMPRE as crianças!

Agora, imaginem se a METADE dos atuais 'auxílios' que eles recebem além do salário fosse revertida para essa campanha? Somando subsídio e auxílios, um senador recebe R$ 120 mil por mês e um deputado federal, R$ 100 mil. (Só pra lembrar: a Organização Transparência Brasil calculou que CADA senador custa R$ 11.545,00 por minuto ou R$ 33 milhões por ano!!). E nesses últimos 30 anos, quanto a miserabilidade deste país se acentuou? Problemas sérios de falta de empregos, moradia, saúde, educação, a violência e as drogas grassando, o abandono e desamparo infantil, etc. Tudo que estamos cansados de saber e, pior, sentir na pele!

É asqueroso ver que tantos 'meio-inúteis' recebem tanto enquanto milhões de inocentes e potenciais trabalhadores úteis padecem sob um enorme risco de não chegarem a ter uma boa chance de se realizar ou de se tornarem nocivos pelo desespero de sobreviver (ou desvirtuados pelos iníquos do mundo). A campanha da Action Aid é uma maravilha que todos os belos inúteis aproveitam para, sordidamente, usar como desvio de atenção das suas 'ixpertezas'. Enquanto o povão, manipulado como sempre pela 'caixa de Pandora' chamada televisão, se enternece com essa calamidade pública que a Action Aid se propõe a ajudar a minimizar e se mobiliza nesse sentido, os 'belos e formosos' congressistas prosseguem em sua nulidade com relação às necessidades daqueles que os mantêm lá, legislando e trabalhando quase exclusivamente em causa própria.

É fato notório e antigo que os grandes corruptores financiam as iniquidades do mundo (principalmente guerras) para exasperar a humanidade e deixá-la constantemente perdida. Essas campanhas, por mais justas e necessárias, são um prato-cheio para eles serem temporariamente deixados de lado. Por isso, reitero: se puder, auxilie a Action Aid nessa linda campanha, mas mantenha sua revolta contra esses 'ixpertalhões' ligada e pronta para detoná-los.


Afinal, as eleições estão às portas, não é?!...


FAB29


Atualização (Fonte: Estadão, 27 Junho de 2012): BRASÍLIA - A três meses das eleições municipais, o presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), concedeu aumento de 30% na verba de gabinete destinada ao pagamento dos salários dos funcionários contratados pelos deputados sem concurso público. A verba será reajustada dos atuais R$ 60 mil para R$ 78 mil por mês a partir de 1º de julho. A Câmara ainda calcula qual será o impacto na folha de pagamento da Casa. Além dos R$ 18 mil a mais na verba de gabinete dos 513 deputados, o reajuste tem impacto nos gastos com férias e encargos trabalhistas. A presidente Dilma Rousseff, no entanto, liberou créditos de R$ 150 milhões para bancar o reajuste até o final do ano.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Ben Abraham x Cruz Vermelha

Amigos e amigas.
Pincei alguns trechos de dois livros de um auto declarado 'sobrevivente do holocausto', sr. Ben Abraham. Fiquei curioso porque ele é mais um daqueles que afirmam categoricamente que as câmaras de gás no 3º Reich eram reais e conta isso e muito mais com detalhes.
Resolvi comparar suas declarações com as da Cruz Vermelha Internacional, que são frontalmente contrárias às dele. Sinceramente, as dela são plenamente confiáveis, pelo simples motivo de que a Cruz Vermelha é 100% apartidária e idônea, não tendo nenhum motivo para agradar grupo A ou B. Além de quê, ela REGISTRA TUDO EM DOCUMENTOS OFICIAIS!
Vejam abaixo essas comparações e concluam por si.
FAB29


"Holocausto", de Ben Abraham

'Os campos de extermínio foram todos instalados na Polônia. Os “cientistas” e as grandes indústrias alemãs recebiam encomendas para elaborar câmaras de gás e fornos crematórios, os mais sofisticados e que tivessem a máxima eficiência e proporcionassem rapidez. A rapidez, propriamente dita, não era para poupar sofrimentos aos infelizes, mas sim para matar o maior número de pessoas, no menos espaço de tempo. As indústrias químicas, que até hoje gozam de renome mundial, forneciam o gás Ciclon-B para matar e matar, até chegarem à assombrosa cifra de 9 (nove) milhões de pessoas: 6 milhões de judeus e 3 milhões de outras nacionalidades(…) As empresas alemãs compravam os despojos dos extintos… cabelos para estofamentos, alianças e dentes de ouro, ossos moídos com cinzas para fertilizantes, óculos, sapatos, roupas e tudo que pudesse ser aproveitado para a “Grande Alemanha”. (pág. 81)
 
'Os campos de extermínio, ao lado dos de concentração, eram planejados com a maior “eficiência e técnica”. Em Auschwitz, durante a cremação nos fornos, a gordura era canalizada para as fábricas de sabão.' (pág. 94)

"...e o mundo silenciou", de Ben Abraham

'Certa manhã, acordamos com a novidade: os alemães estavam retirando todos os doentes dos hospitais para deportá-los. Algo odiento, inacreditável. Vimos os doentes serem arrancados de suas camas hospitalares e serem jogados, de qualquer jeito, em caminhões enormes. Ouvimos os gritos lancinantes das crianças jogadas pelas janelas. Vi, então, algo inesquecível: os soldados SS retiravam crianças recém nascidas dos braços de suas mães e arrebentavam suas cabeças contra a parede. Lembro que a parede ficou ensangüentada, suja de miolos. Para não sujarem as mãos, os soldados usavam luvas de couro. Até hoje, choro ao lembrar-me disso. Nunca imaginei que existisse ser humano capaz de tamanha crueldade.' (pág. 48)

'De repente o trem parou. Constatamos que estávamos numa estação ferroviária. Ouvi alguém gritar para outro: ‘Os judeus vieram para a fábrica de sabão’. É claro que pensávamos que íamos trabalhar para a fábrica de sabão. (...) Tínhamos chegado em Auschwitz. Barulho de enlouquecer. Gritos, choros, desmaios. Crianças abraçadas convulsivamente pelos pais. Judeus com barbas rezando. Confusão geral. “Todos para fora! - gritam os SS! - Homens de um lado e mulheres do outro. Crianças e velhos separados."(...) Nessa ocasião presenciei uma cena que nunca mais esqueci: Um SS pegou uma baioneta e cortou a barriga de uma mulher grávida que estava deitada no chão, e chamou seus companheiros para olhar…'(pág. 99)

'Os barracões viviam abarrotados de gente. Quando alguém se levantava durante a noite para mijar ou cagar, ao regressar não tinha mais lugar. Todos dormiam só de um lado enfiados uns nos outros. De vez em quando, em plena noite, alguém gritava para que todos mudassem de posição. Se alguém quisesse sair, pisava nos outros e seu lugar era ocupado imediatamente.' (pág. 105)

'Certo dia, um prisioneiro do Canadá contou-me algo verdadeiramente chocante: a gordura humana saía do crematório através de uma canalização especial e era transformada em sabão numa fábrica situada ao lado do edifício. A tal fábrica chama-se “R.I.F.” ‘Rein Juden Fett’ , ou seja ‘gordura de judeus’.
Os que eram selecionados para a morte entravam num edifício que ostentava na porta a inscrição: ‘Banhos’. Era a câmara de gás. Os prisioneiros iam para lá tapeados, pensando que fossem tomar banho. Até recebiam sabonete e toalha na entrada. Quando todos estavam amontoados nos supostos banheiros, as portas eram fechadas hermeticamente. Em vez de água, os canos soltavam gás ciclônico. Todos morriam em poucos minutos. O espetáculo era presenciado pelos SS que, devidamente protegidos, ficavam espiando através de janelinhas de vidro grosso do edifício. Assim que todos morriam, os alemães ligavam possantes ventiladores, com o objetivo de livrar o gás.
Em seguida os cadáveres eram retirados para serem totalmente despojados. Retiravam dos corpos os anéis, alianças e dentes de ouro. Os cabelos eram cortados e embalados. Depois de cremados os corpos, a gordura iam para as fábricas de sabão, e os ossos, juntamente com as cinzas, eram transformados em fertilizantes. Todo este trabalho era realizado por prisioneiros que, após 3 meses de serviço, também iriam para as câmaras de gás'. (pág. 106).

'Setenta pessoas espremidas num vagão era demais. Depois de duas horas de viagem, começaram a morrer os primeiros prisioneiros. Tínhamos ordem de jogar os mortos do trem, mas não fazíamos isso. Deitávamos em cima deles para nos aquecermos um pouco – era a única maneira de combatermos o frio e a dureza do chão.' (pág. 127)

Comentários e trechos do Relatório da Cruz Vermelha
Já o relatório reconhece que inicialmente os alemães quiseram permitir de má vontade a fiscalização dos prisioneiros por motivos de segurança. Todavia, o Comitê recebeu esta importante autorização da Alemanha ao final de 1942. Foi-lhe permitido distribuir pacotes de víveres nos principais Campos de Concentração da Alemanha a partir de agosto de 1942, e “a partir de fevereiro de 1943, esta permissão foi ampliada a todos os Campos e prisioneiros.” (Volume III, página 78). O Comitê construiu logo uma ligação a todos os comandantes dos Campos e pôs em prática um programa de ajuda humanitária que funcionou até os últimos meses de 1945. Aconteceu uma avalanche de cartas de agradecimento por parte dos detentos judeus. (Aqueles que recebiam os pacotes da Cruz Vermelha eram judeus!)

O relatório deixa claro que “diariamente foram preparados 9.000 pacotes. Do outono de 1943 até maio de 1945, foram enviados aos Campos de Concentração um total de 1.112.000 pacotes pesando ao todo 4.500 toneladas” (Volume III, página 80). Juntamente com os alimentos, os internos receberam roupas e medicamentos. “Pacotes foram enviados a: Dachau, Buchenwald, Sangershausen, Sachsenhausen, Oranienburg, Flossenburg, Landsberg a.Lech, Flöha, Ravensbrück, Hamburg-Neuengamme, Mauthausen, Theresienstadt, Auschwitz, Bergen-Belsen e campos de Viena e na região central e sul da Alemanha.

Os principais receptores foram belgas, holandeses, franceses, gregos, italianos, noruegueses, poloneses e judeus sem pátria” (Volume III, página 83). Ao longo da guerra, “o Comitê esteve em condição de enviar e distribuir ajuda humanitária em um montante superior a 20 milhões de Francos Suíços, que foram doadas por organizações judaicas por todo o planeta, principalmente do Joint Distribution Committee de Nova York” (Volume I, página 644).

O comitê elogiou principalmente a liberdade em Theresienstadt até a época de sua última visita em abril de 45. Este Campo, “onde aproximadamente 40.000 judeus de diferentes países estavam alojados, era, em suas devidas proporções, um gueto preferencial (Volume III, página 75). De acordo com o relatório, “foi permitido aos delegados do Comitê inspecionar o Campo de Theresienstadt, o qual se destinava exclusivamente a judeus e foi administrado sob condições especiais."

"Foi possível a dois delegados visitar o Campo a 6 de abril de 1945. Eles confirmaram a satisfatória impressão de sua primeira visita” (Volume I, página 642).
O Comitê recebeu uma grande quantidade de correspondências de Auschwitz até sua ocupação pelas forças soviéticas, quando muitos detentos foram evacuados.

O relatório também diz:
“Através da situação caótica na Alemanha durante os últimos meses da guerra após a invasão, quando os Campos não recebiam mais qualquer tipo de alimento, a fome provocou um número cada vez maior de vítimas. O próprio governo do Reich alarmado pela situação, informou a Cruz Vermelha a 1 de fevereiro de 1945 (...) Em março de 1945 aconteceram conversações entre o presidente do Comitê Internacional da Cruz Vermelha e o General da SS Kaltenbrunner, com resultados decisivos. A ajuda humanitária poderia ser distribuída de imediato pelo Comitê e foi permitido a cada um dos delegados da Cruz Vermelha permanecer nos Campos.” (Volume III, página 83).

Quando nós nos ocupamos com este abrangente relatório de três volumes, é importante salientar que os delegados da Cruz Vermelha Internacional em momento algum encontraram uma única prova sequer para uma política de extermínio dos judeus nos territórios ocupados pelas potências do eixo. Em todas as 1.660 páginas, o relatório em momento algum simplesmente deu a entender que havia alguma coisa parecida com câmara de gás. E afirmava:
“Não apenas as lavanderias, mas também as salas de banho, ducha e banheiros foram examinados pelos delegados. Várias vezes, eles sugeriam melhoras nas instalações ou reparos ou recomendavam ampliações.” (Volume III, página 594).


Na Eslováquia, os judeus viveram em segurança até as revoltas contra as tropas alemãs em agosto de 1944. É verdade que a lei de 15 de maio de 1942 levou à prisão de milhares de judeus, que foram mantidos desde então nos Campos onde tinham condições de vida e habitação aceitáveis e onde "era permitido aos detentos exercerem trabalho remunerado sob condições semelhantes ao livre mercado de trabalho" (Volume I, página 646).
“Os judeus da Polônia, enquanto estiveram na França, receberam permissão de imigração para os EUA e foram tratados pelas autoridades alemãs como cidadãos norte-americanos. A validade dos passaportes, emitida pelos países sul-americanos foi reconhecida" (Volume I, página 645).

Até março de 1945”, diz o relatório da Cruz Vermelha, “os judeus puderam deixar a Hungria se possuíssem um visto para a Palestina” (Volume I, página 648). O comitê da Cruz Vermelha assegurou o consentimento da Inglaterra e EUA a “dar toda ajuda a fim de possibilitar a emigração dos judeus da Hungria”, e o comitê recebeu dos EUA a notícia que o “governo dos EUA... reafirma com ênfase que está assegurada a viagem para todos os judeus que ela indicou” (Volume I, página 649).

Só para reiterar: eu confio na palavra da Cruz Vermelha!
FAB29

Atualização: Ben Abraham faleceu ontem, 10/10/2015. Que ele descanse em paz, a mesma que suas histórias hiperbólicas não permitiram a muitos.
http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2015/10/1692675-ben-abraham-sobrevivente-do-holocausto-morre-aos-90-anos-em-sp.shtml

terça-feira, 12 de junho de 2012

A honestidade punida!

Amigos e amigas.
Neste ritmo, estamos irremediavelmente perdidos!
O brutal descaso e deboche com que a classe política trata o povo é aviltante!
Aconteceu a renovação da lei de Auxílio-reclusão que concede a qualquer presidiário que tenha dependentes R$ 915,05 POR FILHO!! Se o meliante tiver cinco, serão R$ 4.575,25 enquanto estiver preso!

Ele vai querer sair pra quê?! AO CONTRÁRIO!! Poderemos chegar ao cúmulo de, dependendo da situação, um cara, se estiver desempregado e com filhos, cometer um delito para ser detido e sustentar a família sem trabalhar! Em retribuição, a esposa lhe levaria diariamente comida, revistas ou qualquer outra necessidade do marido, além de eventuais visitas íntimas. Não é uma 'MARAVILHA'?!?!?

Este 'belo incentivo à criminalidade' é digno das mais nefastas mentes, com a clara intenção de exasperar o cidadão pai de família, digno e trabalhador, que é avesso a toda forma de corrupção, que tenta criar os filhos, colocando-os no melhor caminho, ensinando que roubar é errado, pagando todos seus encargos,...

Além de cortar esse "auxílio", eu penso que a melhor maneira de corrigir um preso é numa COLÔNIA PENAL, onde ele se veria obrigado a trabalhar para sobreviver: carpindo, cuidando de hortas, quebrando pedras, abrindo valas, consertando coisas, etc. Muito se diz que nessas colônias tem um monte de coisas ruins, abusos, atrocidades, escravagismo, etc. Porém, primeiro: nas penitenciárias NO MEIO DAS CIDADES, a coisa é 'menos ruim'? Superlotação, rebeliões, corrupção, doenças,...? E segundo: bastaria um mínimo de boa vontade política para as colônias penais serem uma excelente solução para a segurança da população, devido  ao distanciamento dos presos. Além de quê, organização e fiscalização constante poderiam evitar e/ou sanear a maior parte dos problemas que surgissem. Mas 'boa vontade política' é artigo em extinção.
FAB29

Segue abaixo o artigo sobre o auxílio e o link para conferir.

Auxílio-reclusão
O auxílio-reclusão é um benefício devido aos dependentes do segurado recolhido à prisão, durante o período em que estiver preso sob regime fechado ou semi-aberto. Não cabe concessão de auxílio-reclusão aos dependentes do segurado que estiver em livramento condicional ou cumprindo pena em regime aberto.   Para a concessão do benefício, é necessário o cumprimento dos seguintes requisitos: - o segurado que tiver sido preso não poderá estar recebendo salário da empresa na qual trabalhava, nem estar em gozo de auxílio-doença, aposentadoria ou abono de permanência em serviço; - a reclusão deverá ter ocorrido no prazo de manutenção da qualidade de segurado; - o último salário-de-contribuição do segurado (vigente na data do recolhimento à prisão ou na data do afastamento do trabalho ou cessação das contribuições), tomado em seu valor mensal, deverá ser igual ou inferior aos seguintes valores, independentemente da quantidade de contratos e de atividades exercidas, considerando-se o mês a que se refere:


PERÍODO SALÁRIO-DE-CONTRIBUIÇÃO TOMADO EM SEU VALOR MENSAL
A partir de 1º/1/2012 R$ 915,05 – Portaria nº 02, de 6/1/2012
A partir de 15/7/2011 R$ 862,60 – Portaria nº 407, de 14/7/2011
A partir de 1º/1/2011 R$ 862,11 – Portaria nº 568, de 31/12/2010
A partir de 1º/1/2010 R$ 810,18 – Portaria nº 333, de 29/6/2010
A partir de 1º/1/2010 R$ 798,30 – Portaria nº 350, de 30/12/2009
De 1º/2/2009 a 31/12/2009 R$ 752,12 – Portaria nº 48, de 12/2/2009
De 1º/3/2008 a 31/1/2009 R$ 710,08 – Portaria nº 77, de 11/3/2008
De 1º/4/2007 a 29/2/2008 R$ 676,27 - Portaria nº 142, de 11/4/2007
De 1º/4/2006 a 31/3/2007 R$ 654,61 - Portaria nº 119, de 18/4/2006
De 1º/5/2005 a 31/3/2006 R$ 623,44 - Portaria nº 822, de 11/5/2005
De 1º/5/2004 a 30/4/2005 R$ 586,19 - Portaria nº 479, de 7/5/2004
De 1º/6/2003 a 31/4/2004 R$ 560,81 - Portaria nº 727, de 30/5/2003

Equipara-se à condição de recolhido à prisão a situação do segurado com idade entre 16 e  18 anos que tenha sido internado em estabelecimento educacional ou congênere, sob custódia do Juizado de Infância e da Juventude.
Após a concessão do benefício, os dependentes devem apresentar à Previdência Social, de três em três meses, atestado de que o trabalhador continua preso, emitido por autoridade competente, sob pena de suspensão do benefício. Esse documento será o atestado de recolhimento do segurado à prisão .

O auxílio reclusão deixará de ser pago, dentre outros motivos:

- com a morte do segurado e, nesse caso, o auxílio-reclusão será convertido em pensão por morte;
- em caso de fuga, liberdade condicional, transferência para prisão albergue ou cumprimento da pena em regime aberto;
- se o segurado passar a receber aposentadoria ou auxílio-doença (os dependentes e o segurado poderão optar pelo benefício mais vantajoso, mediante declaração escrita de ambas as partes);
- ao dependente que perder a qualidade (ex: filho ou irmão que se emancipar ou completar 21 anos de idade, salvo se inválido; cessação da invalidez, no caso de dependente inválido, etc);
- com o fim da invalidez ou morte do dependente.

Caso o segurado recluso exerça atividade remunerada como contribuinte individual ou facultativo, tal fato não impedirá o recebimento de auxílio-reclusão por seus dependentes.
  • Como requerer o auxílio-reclusão

    O benefício pode ser solicitado por meio de agendamento prévio, pelo portal da Previdência Social na Internet, pelo
    telefone 135 ou nas Agências da Previdência Social, mediante o cumprimento das exigências legais. 
  • http://www.previdenciasocial.gov.br/conteudoDinamico.php?id=22 

segunda-feira, 11 de junho de 2012

COMO SE FEZ?! QUEM FEZ?!

Amigos e amigas.
Espalhadas pelo mundo, existem construções absolutamente inacreditáveis em suas precisão, originalidade e gigantismo. As estátuas da Ilha de Páscoa (os Moais) no meio do oceano Pacífico são um exemplo recente de espetáculo renovado. Por muito tempo, acreditou-se que eram só imensas cabeças com o torso esculpidas em pedra, com média de 5 metros de altura e peso calculado entre 1 e 27 toneladas. Há algum tempo, resolveram escavar e descobriram que eram corpos inteiros! São quase 900 esculturas e ainda é um mistério a técnica com que foram esculpidas e o motivo por que foram criadas.

Porém, as maiores e mais espetaculares construções são as pirâmides. Elas estão espalhadas pelo mundo, sendo inerentes a vários povos (astecas, maias, incas, egípcios,...). Todas essas pirâmides têm pontos incompreensíveis com relação às suas construções:
  • Uma quantidade enorme (milhões, até) de pedras imensas (várias toneladas);
  • Desenhos e formas incrivelmente precisos;
  • Encaixes milimétricos;
  • Ausência de reboco, cimento, rejunte ou qualquer ligadura.

Vou me ater à mais famosa delas: a Pirâmide de Quéops. Eis as informações oficiais dos egiptólogos a seu respeito:
  •  Suas dimensões: base quadrada de 230 m de lado e altura de 146 m;
  • Feita de, aproximadamente, 2.300.000 blocos de pedra;
  • Levou cerca de 20 anos para ser concluída;
  • Trabalharam cerca de 100 mil trabalhadores nesse período;
  • Peso de mais de 31 mil toneladas.

Daí, começam os questionamentos. Primeiramente, vamos usar a matemática:
  • Dois milhões e trezentos mil blocos divididos por 7300 dias (20 anos) é igual a + ou - 315 blocos POR DIA!
Vamos aceitar que conseguiam trabalhar 20 horas por dia. Então:
  • 315 blocos divididos por 20 horas é igual a quase 16 BLOCOS POR HORA.
  • 15 blocos divididos por 60 minutos é igual à fantástica média de 01 bloco a cada 04 MINUTOS!!
Detalhe: dentro da pirâmide, há câmaras e escadarias. Será que as pedras foram cortadas no formato exato e encaixadas ou eram blocos brutos e, APÓS SEREM ENCAIXADOS, foram cortados para dar a forma interna conhecida?

Conclusão: para erguerem APENAS a Pirâmide de Quéops, os egípcios cortaram, carregaram e encaixaram com precisão cirúrgica um bloco de pedra de várias toneladas a cada quatro minutos! Mas que instrumentos existiam para se executar tais cortes e furos? Nesses 20 anos, não ocorreu nenhuma tempestade de areia, que atrasaria muito a obra? O que eles usavam para erguer pedras enormes a alturas equivalentes a dezenas de andares? Onde eles arrumaram alimentos para tanta gente? E lugar para dormir, banhar-se, fazer necessidades? E quanto a acidentes e doenças?

Eu tenho mil dúvidas se o homem é capaz de construir, HOJE EM DIA, nos termos vistos, uma pirâmide dessa magnitude, com toda a grande tecnologia de que dispõe. Naquela época, calculada em 4 mil anos antes de Cristo, TOTALMENTE impossível! Daí, vem a segunda questão: então, QUEM FEZ?! Como a construção em si é absurda, permitam-me extrapolar: só podem ter sido os DEUSES. No caso egípcio, Osíris, Ísis, Seth, Thot, Anúbis, etc.
Tal crença está longe de ser nova. Por exemplo, Erich Von Däniken escreveu "Eram os deuses astronautas?", onde aventa a possibilidade de TODOS os deuses e anjos citados em milhões de escritos sagrados terem sido seres extremamente desenvolvidos (até para os padrões de hoje). Para os 'humanóides simiescos' daquela época, seriam verdadeiros DEUSES! Esses seres, usando técnicas e tecnologia desconhecidas, quiseram ou precisaram construir monumentos para marcar suas presenças e lugares para se acomodarem e para ensinar a 'seus filhos' uma imensa quantidade de leis para 'botar ordem na casa'!

Todos os escritos de todos os povos contam que esses seres tinham todas as virtudes, mas também todos os pecados comuns a todos nós: ira, inveja, luxúria, soberba,...! Penso que, além de todas as superconstruções da antiguidade, foram eles que trouxeram a vida pra Terra e a desenvolveram através de incontáveis experiências e cruzamentos, dando origem a uma infinidade de animais e plantas. Mas disto, espero falar mais em outro post.

Vocês imaginam a quantidade de construções incríveis que há espalhada pelo mundo? Só de pirámides colossais, centenas; tem a Esfinge de Gizé, em que alguns arqueólogos encontraram EROSÃO VERTICAL (só causada por chuvas constantes e torrenciais! Num deserto?!); Stonehenge; as intrigantes e imensas Gravuras de Nazca, no Peru (recentemente, a gravura de um condor com 137m de comprimento e 87m de largura foi descoberta perto de Ocucaje, a 400km de Lima); monolitos de pedra e metal (até inoxidável!) de todos os formatos e tamanhos em todos os continentes; e etc e etc!

A quantidade de perguntas é mil vezes maior que a de respostas plausíveis. Grande parte da humanidade acha tudo o que escrevi balela, teorias de loucos, desocupados ou de quem 'só quer aparecer', que Darwin é que estava certo, etc e tal. Viva o livre arbítrio! Eu prefiro crer que não estamos sós no universo; que os registros das presenças de 'deuses' no planeta são verídicos, porém, muito deturpados, ou incompletos, ou mal interpretados; que quando 'Deus nos fez à sua imagem e semelhança', é a pura verdade; que os 'anjos' ou similares eram suscetíveis às fraquezas físicas e morais inerentes a todos nós; e por aí vai.

Por isso tudo,  minha religiosidade se resume em minha fé na Vida, na Mãe Terra e na Criação (que está acima de tudo!). E afirmo que ela é inabalável. O que é certo, por mais terrível que seja, precisa prevalecer. Se qualquer coisa tiver margem para dúvidas ou não for possível de ter ocorrido, eu procuro a correção ou a descarto. Só assim, mantenho minha sanidade.

FAB29

Adendo 1: Sabe-se que o Templo de Quetzalcoátl, no México, é três vezes maior em área ocupada do que a pirâmide de Quéops. Que técnicas usaram os Astecas? Quanto tempo durou o erguimento desse mega colosso?

Adendo 2: li uma matéria sobre uma pirâmide encontrada na Bósnia cuja datação de carbono revelou que sua idade é de 25 mil anos!
Pela foto abaixo, podemos ver o tamanho dela! Mais uma mostra de que todas as grandes pirâmides são mais antigas do que nos querem fazer engolir e que  nenhuma civilização teria sido capaz de erguê-las!

                        

segunda-feira, 4 de junho de 2012

O gigante Owens

Amigos e amigas.
Todo ano olímpico é isso: rememoração (mais do que merecida) dos maiores mitos das Olimpíadas. Provavelmente o mais emblemático de todos seja o monumental Jesse Owens. Este super atleta foi classificado para participar de quatro provas na Olimpíada de 1936, em Berlim. Lá, maravilhou o mundo ao conseguir quatro medalhas de ouro, com três recordes mundiais. É dito que seus feitos fizeram Hitler abandonar furioso o estádio e que ele, ao retornar aos EUA, foi recebido com honras de herói.

Linda historinha! Tudo muito bom, muito bem, mas... aí vêm uns adendos, corrigindo e/ou acrescentando detalhes de que o status quo não gosta nem um pouco. Vejam que interessante:


1º- Os feitos de Owens e suas impressões foram registrados nos jornais da época. Veja esta do Correio do Povo, após sua vitória nos 100 metros rasos em 03/08/1936:

difícil imaginar como me sinto feliz. Pareceu-me de um momento para outro que, quando corria, possuía asas. Todo o estádio apresentava um aspecto tão festivo que me contagiei e foi com mais alegria que corri, parecendo que havia perdido o peso do meu corpo. O entusiasmo esportivo dos espectadores alemães me causou profunda impressão, especialmente a atitude cavalheiresca da assistência. Podem dizer a todos que agradecemos a hospitalidade germânica. (Jornal Correio do Povo, de 04/08/36).

Owens e seu grande amigo ariano Lutz Long
2º- Owens ficou tão popular durante a olimpíada que precisou "pedir ajuda" a um colega, Herb Fleming, que era muito confundido com ele, para atender às centenas de pedidos de autógrafos diariamente feitos a ele pela população berlinense que se amontoava nas imediações da vila olímpica. Finda a Olimpíada, o governo alemão proporcionou a Jesse Owens e mais alguns atletas americanos uma exibição na cidade de Colônia.

Owens sobrevivendo nos democráticos EUA
3º- Ao retornar aos EUA, sentiu na pele todo o desprezo que sempre sentira em seu país. Ele mesmo conta em sua autobiografia, de 1970:

"Quando eu voltei para minha terra natal, apesar de todas as histórias sobre Hitler, eu não podia entrar no ônibus pela porta da frente e também não podia morar no lugar que eu queria. Eu não fui convidado a apertar as mãos de Hitler, mas também não fui à Casa Branca para apertar as mãos do presidente do meu país."

E mais à frente:
“Quando voltei dos Jogos Olímpicos com minhas quatro medalhas, todas as pessoas batiam em minhas costas me cumprimentavam e queriam apertar minhas mãos. Mas ninguém veio me oferecer um emprego."

E ainda, mais esta observação:
"Quando eu passei pelo Chanceler (Hitler), ele se levantou, acenou para mim e eu acenei de volta. Eu acho que os escritores mostraram má vontade ao criticar o homem da vez da Alemanha".

Só pra finalizar: apesar de todas as suas proezas olímpicas, realizadas aos 23 ANOS (auge de sua forma atlética), Jesse Owens NUNCA MAIS COMPETIU após 1936! Para sobreviver e ajudar a sustentar a família, abandonou os estudos no último ano porque negros não podiam receber ajuda de custo e aceitou competir em exibições contra qualquer pessoa, animal (cachorro, cavalo) e, até, motocicletas. Também aceitou discursar em qualquer evento a que fosse convidado. Por vários anos, trabalhou como REGENTE DE FANFARRA.

Na nefasta e hipócrita mistura de propaganda de guerra e preconceito, um mito da Humanidade é constantemente manipulado para servir a interesses pra lá de sórdidos, sendo o maior deles ESCONDER AS PRÓPRIAS CULPAS E CANALHICES.

Esta é a "maior" herança das guerras: A HIPOCRISIA! Não existem mocinhos nelas! Ao fim de qualquer uma, sobram apenas sofrimentos, escombros e vencidos. Os que podem ser considerados "vencedores" (parasitas) NUNCA participam das guerras que fomentam: os SUPER CAPITALISTAS, a quem a paz não gera lucros. Por isso, eles financiam os dois lados para depois, "oferecer ajuda para a reconstrução". Tão simples quanto inominavelmente cruel!

Que bom seria se, ao menos, pudéssemos conhecer melhor as biografias de atletas iluminados como (além de Owens) Jim Thorpe e Joe Louis (outros dois exemplos de injustiçados pelo racismo estadunidense), para servir de exemplo de vida, de superação e amor ao próximo baseados na limpeza em todos os sentidos. Ao invés disso, somos bombardeados com 'historinhas' manipuladas de atletas sob constantes e totais suspeitas de doping, como Florence Griffith-Joyner, Lance Armstrong, Michael Phelps e as irmãs Williams.

Sem dúvida, Drummond estava corretíssimo:
"Mundo, mundo, vasto mundo!
Se eu me chamasse 'Raimundo',
seria uma rima, não uma solução!
Mundo, mundo, vasto mundo!
Mais vasto é meu coração!"

FAB29