Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


terça-feira, 17 de julho de 2012

OSHO (Filosofia Sufi)

Amigos e amigas.
A filosofia sufista é uma corrente mística e contemplativa do Islã. Ela prima por um encontro com o poder de Deus e da Criação através da permissão de ser assimilado por esse poder.
Para tanto, é necessário deixar-se fluir pelas ondas energéticas que são tudo o que vemos e conhecemos.
Li alguns desses filósofos sufis e lhes apresento os pensamentos de Osho, que extraí de um de seus livros: "Antes que você morra".
É belíssimo! Contemplem.
FAB29

· Você jamais poderá conhecer uma pessoa, pois ela é um processo infinito.

· Uma pessoa que vive de olhos abertos jamais se entedia.

· Quando diz “Sim”, você atira uma pedra de amor, de aceitação, de entrega, num lago e os círculos que se formam atingem todas as fronteiras.

· Um mestre não ensina; demonstra. E quando ensina é para persuadir seu interlocutor a vir à sua janela, ver uma nova perspectiva.

· Sexo é sem envolvimento; Amor é compromisso. Sexo é feito entre dois estranhos; Amor é entre pessoas íntimas, com afinidades.

· A bondade é compreendida na superfície; mesmo o maior ignorante e o maior pecador podem ser bons. A compaixão é centralizada e vem diretamente do coração.

· Muitas vezes, já o feri; muitas vezes irei feri-lo e você ficará chocado. Muitas vezes, poderá ver em mim um inimigo. Mas não é intencional. A vida é assim. É natural.

· Você pode sonhar sonhos lindos e tornar-se imperador neles, mas não deixará de ser um mendigo.

· Aprender é experimentar e nunca repetir o mesmo erro, ficando alerta e consciente.

· O ego é como os ramos que, por estarem próximos do céu, esquecem-se do tronco que os sustenta e das raízes que os nutrem.

· O ego não está em uma pessoa, mas, sim, entre duas.

· Igrejas e missionários são entediantes. Eles conseguiram transformar palavras lindas como DEUS, AMOR, MEDITAÇÃO e ORAÇÃO em banalidades.

· Perto de um sábio, torne-se um vale para ser preenchido por sua experiência. Não seja o pico do ego.

· Quando se olha no espelho, não é você que está ali refletido, pois você não é o que é visto, mas aquele que vê.

· Quando se encontra com alguém, você começa a interpretá-la, a criar uma imagem a seu respeito. Essa imagem é sua.

· Você se apaixona pela imagem que faz de alguém, não pela pessoa em si. Quando a realidade surge, o conflito é inevitável.

· Marido e mulher não podem se enxergar, pois parecem mortos um para o outro. Eles se toleram, se arrastam. O mistério se perdeu.

· O mistério da vida não é para ser resolvido. Apenas vivido.

· Ao nascer, uma palavra é viva por uns momentos. Ouça-a, faça-a parte do seu ser. Se deixar para mais tarde, a perderá.

· Uma vez rotulada, você pensa entender uma coisa. Rótulo é engodo.

· A verdade não é conhecimento; é experiência. Não é algo que você aprende, mas, sim, que você se torna.

· Nada muda tanto quanto a Verdade. Por isso que ela é eterna.

· Queres conhecer a Verdade? Conheças a Inverdade, que é onde estás. A partir daí, começa a tua jornada.

· A Verdade não pode ser ensinada. A sede por ela, sim.

· Quanto mais você se tornar consciente e silencioso, melhor verá que a sociedade o está envenenando.

· A vida nunca foi velha. Ela é nova e original! Só sua mente é velha. É daí que você passa a sentir falta da vida.

· Tudo é único! Nunca foi antes; jamais será outra vez! Cada momento que você perde, o perde para sempre.

· Viva, interiormente, uma vida errante, desapegada, sem passado. Apenas este momento; ele, como um total, como se ele fosse tudo.

· Uma oração verdadeira é uma celebração, uma eternidade em si.

· Religião é o que se pratica dentro de si, em total solidão.

· Religião não é uma transmissão de rádio que pode não estar sendo ouvida por ninguém. Ela é uma carta pessoal a alguém especial.

· Religião é algo que nasce em você. O resto é seita. Seitas são como pegadas de alguém que não está mais ali, mas que você ainda as adora.

· As pessoas realmente religiosas nunca pertencem ao sistema. Elas são livres. Quando o sistema torna-se demasiado, a liberdade morre.

· A mente vem do passado; a consciência vem deste momento. A mente é tempo; a consciência é eternidade.

· No julgamento, está o crítico, não o amante. Existe lógica, não amor. Superficialidade, não profundidade.

· Conhecimento é coisa morta, acumulada; sabedoria é viva, em constante movimento. O saber é parte do ser; o conhecimento, não.

· No momento em que a mente reconhece alguma coisa, esta já não é a mesma. A mente segue acumulando pegadas mortas.

· A mente está sempre fechada na experiência passada e a vida, aberta para a experiência futura.

· As mentes negativas só recebem compaixão; as positivas, amor.

· O conhecido é morto, como a margem. O desconhecido é fluido como o rio. Por medo, você se agarra ao que é familiar.

8 comentários:

  1. Esta postagem vc. vai adorar:



    http://gawker.com/5895009/

    ResponderExcluir
  2. Tratando-se de alguém que não conseguiu ser pai, sua fixação pelo tema é tocante.
    Não desista! Um dia, você consegue!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Tiozão!
    Como você sabe sou muito curiosa... e por isso já tinha adquirido um livro de contos da cultura sufi: "O Jardim e a Primavera A História dos Quatro Drevixes", de Amir Khusru, Ed. Attar.
    Tem uns contos muito bonitinhos, mas a cultura também apresenta alguns pontos meio "estranhos"...rs Mas o mai louco é que é uma éstória dentro de uma estória, dentro de uma utra estória...MUITO BACANA O TIPO DA NARRATIVA!
    Caso você se interesse posso empresta-lo.
    Creio que toda cultura apresente nuances assim interessantes, gostaria de conhecer outras...os contos, mitos e lendas são coisa que sempre me chamaram a atenção por mostrar traços escondidos e muitas vezes perdidos dos grupos sociais que as originaram...

    Grande beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpe, o nome, sem erro de digitação, é: "O Jardim e a Primavera A História dos Quatro Dervixes"

      Excluir
    2. Querida sobrinha.
      Acho que li meia dúzia de livros da filosofia sufi, com contos de dervixes. Esse negócio de uma história dentro da outra é exatamente o estilo de minha companheira. O que você achou "MUITO BACANA!" me exaspera!
      Uma vez, ela parou o assunto principal que contava, entrou em outro; parou, entrou em mais outro e, depois, ainda em outro! Daí, veio terminando de trás pra frente os assuntos. Quanto retornou ao principal, SEM BRINCADEIRA!, não falou nem meia dúzia de palavras para concluir! Deixou uns 15 minutos de suspense para isso?! Quase briguei com ela!

      Só a filosofia sufi me agrada. Mas qualquer dia, dou uma olhadinha no seu livro. Se quiser, empresto-lhe um livro do Osho pra você conhecê-lo melhor.
      Beijos.
      Grato pela visita.
      FAB29

      Excluir
    3. uashuashushasuashu(olha a minha onomatopéia, de novo)...mas ai é coisa dessa sua "muié", mesmo...15 minutos foi dose!
      É que eu ainda não conhecia essa narração meio enrolada, nesse caso fiquei meio atrapalhada, as vezes, e pensando: "quem é mesmo esse fulano?"...e tinha que tentar reordar, por que não podia "voltar no livro" já que não sabia em que ponto esse personagem era mencionado. Mas foi uma experiência bacana.

      Também procuro conhecer os originas dos contos mais clássicos...e raramente eles terminam de forma "bonitinha"!

      Um grande beijo, caso você, um dia, queira ler o livro, que tem uma linguagem TÃO difícil que numa tarde você pode termina-lo...basta me dizer!

      Excluir
    4. Ps. que essa última parte não seja mal compreendida, pensei agora que podia soar arrogante...me perdoe, mas é que realmente é um livro bastante fácil de ler...se eu consigo ler nesse tempo(e meu vocabulário é bem estreito em comparação ao seu) o que dirá você...sei que ao publicar as coisas precisamos ter cuidado, e fui mal articulada dessa vez.
      Desculpe novamente e bjs

      Excluir
    5. Sobrinhinha.
      Você e "minha muié" tem mania de pedir desculpas sem motivo.
      Só um Geni da vida veria arrogância no seu comentário. Eu assino embaixo quando você afirma que a leitura de livros de contos dervixes é um "miojo". São feitos para serem compreendidos e assimilados da forma mais simples, rápida e profunda possível. Qualquer criança os leria e compreenderia muito do que eles passam sem dificuldades.
      Note bem que isso é uma QUALIDADE, nunca um demérito! Quem consegue ser tão simples quanto abrangente no que se propóe a mostrar merece aplausos!

      Em tempo: lendo um conto onde você pode voltar, reler, analisar, etc, quantas vezes achar necessário, você ficou confusa; calcule conversar com alguém que faz isso. Se bem que ela melhorou uns 80%.
      Beijos.
      FAB29

      Excluir