Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Quem matou JFK?

Amigos e amigas.
Como podem ver pela data, não é de hoje que se sabe sobre a verdadeira história do assassinato de JFK. Eu apenas sempre desconfiei que era tudo falcatrua armada pelos Grandes Corruptores (como foram o 11 de setembro e a ida do homem à lua).
Lendo a reportagem abaixo, constatamos que a pecha ou 'porrete linguístico' chamado de "Teoria da Conspiração", usado a torto e a direito sempre que se desconfia da sordidez e hipocrisia dos "fatos" que a 'Grande Mídia' nos traz, não deve ser levado a sério.
Achei muito bom conhecê-la.
FAB29
 
O assassinato de Kennedy
e a "confissão no leito de morte"

Terça-feira 1º Maio de 2007, por Freeman, às 15:24.
O ex-agente da CIA e conspirador de Watergate E. Howard Hunt nomeia os culpados que assassinaram o presidente Kennedy.

A gravação de sua confissão no leito de morte, em que E. Howard Hunt admite que ele foi contratado para fazer parte dos esquadrões da morte da CIA para matar JFK, foi enviada no fim de semana para as rádios dos EUA. Uma notícia sensacional e surpreendente que todos os meios de comunicação ignoraram completamente. Porque, pela primeira vez, admite-se que há um enredo de participantes no  assassinato do 35º Presidente dos Estados Unidos em 22 de Novembro de 1963 e os meios de comunicação não disseram uma única palavra sobre isso. É típico do cenário atual de mídia, que ainda é apenas uma ferramenta de propaganda controlada pelos poderosos.

E. Howard Hunt, que morreu em janeiro aos 88 anos, se envolveu em seus 21 anos de serviço com a CIA nas suas mais vergonhosas operações secretas na América do Sul, como no assassinato de Che Guevara, de Allende e o golpe no Chile, na Guatemala, na invasão da Baía dos Porcos de Cuba e nas diferentes tentativas de matar Fidel Castro. Ele era mais conhecido como o líder da equipe da Casa Branca para operações secretas, onde o roubo mal sucedido no escritório do Partido Democrata no edifício Watergate levou à sua prisão e condenação e da destituição e renúncia do presidente Richard Nixon. Ele também foi identificado como um dos três "vagabundos" que foram fotografados e presos no local em Dallas, após o assassinato de Kennedy, mas depois libertados sem acusações.

O filho mais velho de Hunt, Saint John Hunt, de posse das fitas de áudio que seu pai lhe enviou em janeiro de 2004, com a ordem de publica-las só depois de sua morte, estava, agora, liberado e pôde envia-las às rádios. E. Howard Hunt cita numerosos indivíduos com ligações da CIA que tiveram um papel no assassinato do Kennedy. Hunt diz na fita que o então vice-presidente Lyndon B. Johnson estava envolvido no planejamento do assassinato e do posterior encobrimento e diz: "LBJ tinha um desejo maníaco de se tornar presidente e Kennedy estava em seu caminho para conseguir isso."

Saint John Hunt disse que pouco antes de sua morte, seu pai sentiu "um conflito profundo e grande remorso".(...)

Hunt também disse da morte de sua mãe em dezembro de 1972, que estava em um acidente de avião em Chicago muito suspeito e que há evidências de que a Casa Branca teria encoberto as circunstâncias do alegado acidente. Estudos demonstraram que havia em sua bagagem até US$ 100.000 em dinheiro, que deveria ser usado para acalmar as famílias dos pilantras de Watergate para permanecerem em silêncio sobre sua cumplicidade ao participar do escândalo e seu posterior encobrimento. Ela era, de fato, responsável pelo abastecimento das famílias com o dinheiro e para as taxas legais. Esse dinheiro veio da Casa Branca ou do Comitê para a reeleição do presidente. Hunt também disse que não estava com medo e sua segurança seria garantida pela distribuição de cópias das fitas em casa e no exterior. "Agora que a informação foi dita, já não faz sentido me machucarem. Alguém poderia me desacreditar, mas eu não tenho nenhum esqueleto no armário ".

As declarações feitas por E. Howard Hunt sobre LBJ confirmam o que já foi relatado. A amante de 21 anos de Lyndon B. Johnson, que teve um filho com ele, Madeleine Duncan Brown, disse pouco antes de sua morte, em uma entrevista na televisão que: "Na noite antes de Kennedy ser assassinado, LBJ se reuniu com líderes de vários negócios de Dallas, com chefes do FBI e chefes do sindicato do crime e ele me disse depois do encontro: A partir de amanhã este Kennedy maldito nunca vai me trazer mais vergonha! Isso não é uma ameaça; é uma promessa! ".

Não é quase inconcebível que George Herbert Walker Bush (Bush pai) estava presente à data dos fatos do assassinato de Kennedy na Praça Dealey, conforme evidenciado por fotos, e que ele também era um homem da CIA? E foi, então, mais tarde, chefe da CIA e vice-presidente de Reagan, que também sofreu uma tentativa de assassinato por uma família conhecida de Bush, que mais tarde , tornou-se presidente. Será tudo coincidência?

E mais: que Barr McClellan, pai do anterior Secretário de Imprensa da Casa Branca, McClellan Scott, e parceiro de um residente do escritório de advocacia Austin que representava Lyndon Johnson, disse em seu livro de 2003: “LBJ era uma figura-chave no plano de assassinato contra Kennedy e do subseqüente acobertamento.”

Mesmo o bandido Jack Ruby, que atirou em Oswald dois dias após o assassinato, em público, para silenciar o bode expiatório, para esconder as provas (...) disse, pouco antes de morrer de câncer, que Johnson estava  por trás de ambos os assassinatos: de Kennedy e de Oswald.

Agora, finalmente está provado: não foi o solitário Lee Harvey Oswald o assassino de Kennedy, como o governo dos EUA e os meios de comunicação nos contam há mais de 40 anos como a história "oficial", mas realmente foi um golpe; um golpe para remover a ‘cabeça’ dos Estados Unidos, organizado e realizado por um grupo de conspiradores conduzido pelo vice-presidente Lyndon B. Johnson, com o corpo executivo da CIA que contratou um assassino do exterior para executá-lo. Três atiradores estavam envolvidos no assassinato, dois de trás e um na frente. (...)

De acordo com um novo estudo realizado por especialistas de armas italianos, Lee Harvey Oswald não agiu sozinho com a arma que foi usada. Em um novo teste com o rifle carabina Mannlicher-Carcano, assistido pelo exército italiano, mostrou-se impossível, mesmo para um atirador treinado, disparar os tiros com rapidez suficiente. O oficial da Comissão Warren declarou no final que Oswald teria com este rifle disparado três tiros em 8,3 segundos. Mas, como a equipe italiana fez os mesmos disparos de rifle, eles não puderam armazenar e disparar três tiros em menos de 19 segundos, o que significa pelo menos um segundo atirador deve em Dealey Plaza, em Dallas.

É o mais profundo desejo do filho de Hunt, que esta versão finalmente traga um fim, mas também luz a este capítulo mais negro da história americana, e que todos sejam desnudados da sombra e centro de poder secreto deste governo.

5 comentários:

  1. Vou te contar um segredo, mas vê se não espalha, tá?
    Quem matou JFK foi o José Dirceu e a turma do mensalão. Tenho até provas forenses...
    Mas que fique entre nós. Se isso se espalhar, o STF ficará desmoralizado.

    ResponderExcluir
  2. "todos os meios de comunicação" ou manipulação ?

    Outrossim, o motivo para Johnson matar Kennedy não convence. Motivo muito fútil.

    Abraços, Cobalto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ser, é.
      Mas o que se pode fazer?

      Excluir
    2. Exatamente. Depois que o Johnson morreu, agora os SUINONISTAS querem pegar sua imagem para se esconderem. Qualquer pessoa de bom senso, que estuda o assunto, sabe muito bem que foram os banqueiros sionistas que mandaram se livrar de Kennedy, para ter o FED de volta.

      Excluir
    3. Recomendo-lhe este vídeo, Gabriel:

      https://www.youtube.com/watch?time_continue=1564&v=JaqsteFDbMI

      Abraço.

      Excluir