Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Faurisson x Hilberg



Amigos e amigas.
Constantemente, venho postando sobre minha maior dúvida a respeito da 2ª Guerra: a existência das câmaras de gás nazistas.
O holocausto é essencialmente atrelado a elas. Faurisson é um dos escritores que as contestam por elas serem impossíveis.
No texto abaixo, ele contesta também o holocausto por não terem encontrado o plano, as ordens e o esquema de execução do dito genocídio. Por isso, ele entitulou seu artigo como "Genocídio por telepatia".
É outra grande pedra na crença e aceitação do holocausto.
FAB29

GENOCÍDO POR TELEPATIA (Robert Faurisson)
"Em 1961, depois de mais de doze anos de trabalho, ele (Hilberg) publicou 'The Destruction of the European Jews' ('A Destruição dos Judeus Europeus' - Chicago: Quadrangle Books). Neste trabalho, ele apresenta "A destruição dos Judeus Europeus" como um vasto empreendimento supervisionado pessoalmente por Hitler, que, diz ele, deu DUAS ORDENS para esse efeito. Então, continua ele, várias agências administrativas alemãs, especialmente na polícia e na tropa, agiram em conformidade com essas ordens, coordenando devidamente os seus esforços para preparar, organizar, controlar e desenvolver este vasto empreendimento criminoso. (...)


Em 1978-1979, publiquei dois artigos no proeminente diário de Paris Le Monde demonstrando que as alegadas câmaras de gás Nazis não poderiam ter existido, e isto essencialmente por razões físicas e químicas.

Nota 1: Estes artigos causaram alguma agitação. Dois bem conhecidos intelectuais franceses, Raymond Aron e François Furet, anunciaram que um colóquio internacional de especialistas seria realizado para anunciar perante o mundo que o extermínio dos Judeus e as câmaras de gás Nazis existiram realmente. Entre os especialistas presentes estava Raul Hilberg.
Pouco antes do início do colóquio, uma breve entrevista com Hilberg apareceu no influente magazine Francês 'Le Nouvel Observateur', na qual o historiador judeu nascido na Alemanha expressou algumas das suas espantosas ideias.

Nota 2: Olhando para a destruição dos Judeus Europeus e as câmaras de gás Nazis, ele disse, basicamente, que não existiam documentos que provassem realmente aquelas coisas, mas somente alguns testemunhos que "estão de acordo com algo."  (...)


O colóquio internacional teve lugar como estava programado em Sorbonne de 29 de Junho a 2 de Julho de 1982, mas com as portas fechadas. Então, como resultado das suas discussões e conclusões, foi dada uma conferência de imprensa. Mas, para surpresa de todos os presentes, somente Raymond Aron e François Furet apareceram à conferência de imprensa, declarando, por um lado, que "apesar da mais sábia investigação," ninguém conseguiu encontrar qualquer ordem de Hitler para a exterminação dos Judeus e, por outro lado, que perseguir os revisionistas em tribunal era como conduzir uma caça às bruxas. Nem uma palavra foi dita sobre as câmaras de gás.


Sete meses depois, Hilberg resumiu a sua nova tese perante uma audiência de perto de 2.700 pessoas na Avery Fischer Hall em Nova Iorque: a política Alemã para a destruição física dos Judeus era explicada pela leitura da mente! Nenhum documento atestando esta política criminosa poderia ser encontrado porque não existia tal documento. Por vários anos, a inteira máquina burocrática alemã operou por uma espécie de telepatia. Como Hilberg acrescentou:
Nota 4: “Mas o que começou em 1941 foi um avançado processo de destruição não planeado, sem que fosse centralmente organizado por qualquer agência. Não existiu nenhuma "tinta azul" e não houve nenhum orçamento para medidas destruidoras. Elas [estas medidas] foram tomadas passo a passo, um de cada vez. Isso traz-nos não só um plano a ser realizado, mas também um incrível encontro de ideias, um consenso - leitura da mente por uma vasta burocracia.”

Nota 5: Dois anos mais tarde, Hilberg confirmou estas palavras e as suas explicações durante o primeiro "julgamento do Holocausto" de Ernst Zündel em Toronto. Ele fez isto sob juramento durante o interrogatório feito pelo advogado de Zündel, Douglas Christie, no qual eu estava presente como assistente.

Nota 6: Neste mesmo ano (1985), apareceu uma edição "revista e definitiva" do seu livro. Aí, o professor da Universidade de Vermont não usou a expressão "consenso" ou "telepatia." E escreveu ainda:
“Na análise final, a destruição dos Judeus não foi tanto um produto de leis e comandos como foi em matéria de espírito, de compreensão partilhada, de consonância e sincronização.”

Ele escreveu também "inumeráveis tomadas de decisões numa vasta máquina burocrática" sem "um plano básico." Ele mencionou "diretivas escritas não publicadas", "diretivas e autorizações orais" e "entendimentos básicos de ofícios resultantes de decisões que não necessitavam de ordens ou explicações." Não tinha existido "nenhuma agência", escreveu ele, e "nenhuma organização que dirigisse e coordenasse todo o processo." A destruição dos Judeus, conclui ele, foi "o trabalho de uma vasta máquina administrativa" e "nenhuma agência em especial foi criada e nenhum orçamento especial foi planeado para destruir os judeus da Europa. Cada organização desempenhou um papel específico no processo e cada uma descobriu os meios para realizar a tarefa."

Nota 7: Para mim, isto é como explicar o que poderia ter sido um enorme empreendimento criminoso de proporções industriais baseado, em particular, numa arma (uma casa de matança química usando um inseticida), operando sob a intervenção do Espírito Santo, tudo concebido e criado através de uma espécie de geração espontânea.  (...)


A 23 de Novembro de 1978, o historiador Francês René Rémond declarou-me:
"Quanto às câmaras de gás [Nazis], estou pronto a segui-lo; quanto ao genocídio, tenho a profunda convicção de que o Nazismo em si foi suficientemente perverso para que este genocídio tivesse feito parte das suas motivações e das suas ações, mas reconheço que não tenho evidências científicas para este genocídio."

(E eu faço minhas as palavras de Faurisson abaixo:)

"Eu me recuso a acreditar naquilo que não é crível. Recuso-me a acreditar no que é incrível. Recuso-me a acreditar naquilo a que o próprio Hilberg chama de "um incrível encontro de mentes."

Eu me recuso a acreditar em leitura da mente ou telepatia, tal como eu me recuso a acreditar na geração espontânea."

37 comentários:

  1. Vá estudando:

    http://www.buchenwald.de/

    http://totenbuch.dora.de/

    Troquei meu avatar para evitar uma identificação tua, relacionada a comportamento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Troquei meu avatar para evitar uma identificação tua, relacionada a comportamento." HAHAHAHAHAHAHAHA...!!!

      Você me ofende de várias formas e não aguenta um cutucão? Devo ter acertado no nervo...
      Mas tudo bem! Falemos sobre as "câmaras de gás nazistas"...

      Excluir
    2. Deixa de ser babaca e mudar de assunto. Está aí, na tua cara para estudar. Depois passo mais links.

      Excluir
    3. Fiquei com inveja e mudei minha foto, também.

      Assim como você ignora os assuntos dos meus posts, ignoro seus links, também.

      Excluir
    4. Não leia e não saberá. Os ‘nazistas’ tupiniquins não são produtos da "literatura revi". A nazistada atual não aceita’ o leitura. Muito menos quando se trata de História. O ignorante afeito à leitura não se enquadra no modelo ‘nazi’.

      Excluir
    5. Não seja patético.
      Eu não só li um bocado da historiografia do holocausto como assisti a 'trocentos' documentários, filmes e tenho vários livros 'oficiais' dele.
      Já ouvi e li muitas reportagens reafirmando tudo o que os 'sobreviventes' sempre relataram.
      Eu apenas me cansei ao ver que tanta falcatrua e mentiras davam a tônica da essência do holocausto.
      Ao ver o revisionismo refutando CIENTIFICAMENTE o holocausto, passei a questioná-lo também.
      Agora que tenho meu blog, não será nenhum aspone que conseguirá me demover de minhas crenças.
      A menos que prove.

      Excluir
    6. Ignore, não leia, faça o que quiser. O blog é teu. Pode declarar como bem em seu Imposto de Renda.
      Agora, depois de ler: "...Ao ver o revisionismo refutando CIENTIFICAMENTE o holocausto, passei a questioná-lo também...", não consigo parar de rir.
      Mostre alguma coisa que não seja Leuchter.

      Excluir
    7. Germar Rudolf (você nem leu as provas científicas que ele deu aqui sobre as impossibilidades das 'câmaras de gás', certo?)
      http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2012/08/germar-rudolf.html)
      Carlo Mattogno (autor de vários livros sobre as falsidades em Auschwitz, além de "Belzec", que traduzi e publicarei trechos mais à frente);
      Jürgen Graf (seu livro "O gigante com pés de barro" é tema do último post e dos próximos.)
      Acrescento Arthur Butz, Ingrid Wekert e Don Heddesheimer.

      TODOS refutando as afirmações sobre o holocausto com a frieza e imparciadlidade da Ciência. Certamente, nenhum do seu agrado (dos seus chefes, melhor dizendo).
      Então, fique com a 'palavra dos 'sobreviventes'.

      Excluir
    8. Mas quanta dificuldade de entender as coisas. Vou acreditar em quem recebeu 500.000 Euros para fabricar provas? Em marginas condenados até na Suiça?
      Eu quero as provas que você diz ter! Mais um pouco você vai citar Sergio Oliveira...
      Ou você é um tremendo cara-de-pau ou é ignorante mesmo. Ou as duas coisa.

      Excluir
    9. Não posso discutir sobre "falsificação de provas" devido aos seus chefes serem PHD no assunto.
      O que é difícil (diria impossível) você aceitar é que os revisionistas CONTESTAM as "provas impossíveis" e "depoimentos inacreditáveis" que a historiografia oficial tenta nos enfiar goela, olhos e ouvidos adentro. O ônus da prova é de quem primeiro contou a história sem nenhuma credibilidade científica.
      Rosne, babe, tire a calcinha pela cabeça,... Vem mais por aí.

      Excluir
    10. ..."TODOS refutando as afirmações sobre o holocausto com a frieza e imparciadlidade da Ciência...

      ..."Ao ver o revisionismo refutando CIENTIFICAMENTE o holocausto, passei a questioná-lo também"...

      Palavras suas.
      Provas?

      E ainda vem mais? Quem? O Castan?

      Excluir
    11. De fato, você só entende o que seus donos mandam.
      Mas repito: Quem conta a História tem o ônus da prova. Qualquer um pode aceitar ou contestar. Você, conivente, prefere o 1º; eu, inconformado, o 2º.

      O "mais" começou ontem, no post "Graf vs. Hilberg". Castan tem coisas interessantes que usarei também, porém, bem mais tarde ou conforme a necessidade.

      Excluir
    12. Repetindo e sem a inversão do ônus da prova:

      ..."TODOS refutando as afirmações sobre o holocausto com a frieza e imparciadlidade da Ciência...

      ..."Ao ver o revisionismo refutando CIENTIFICAMENTE o holocausto, passei a questioná-lo também"...

      Palavras suas.
      Provas?

      Excluir
    13. Sua moral é invertida. Você reitera sua excrescência.
      Já citei Rudolf, Mattogno e Graf, que mostraram centenas de impossibilidades físicas e químicas do holocausto.
      E você as ignora olimpicamente. Só a palavra dos 'sobreviventes' lhe é mais que verdadeira: sagrada.
      Chafurde nela.

      Excluir
    14. Mantenha a calma, Fabiano.
      A moral pode ser apropriada. Os poucos nazistas e seus simpatiantes, sempre citam os mesmos nomes que você citou. Os mesmos bordões. Nem uma mini-turba formam. Se comportam como alguns torcedores ou membros de torcidas organizadas de futebol doidas que partem para cima de rivais para desqualificar e "matar-a-pau", o que pra vocês não funciona. Citar falsificadores condenados e outros foragidos, e alguns que muito faturaram com esses "argumentos tresloucados hostóricos", com motivação rasa e de apelo simplório e panfletário. Tudo a mesma lenga-lenga. Li muito sobre a realidade desses "histotiadores" metidos a curiosos e oportunistas, e fazendo um paralelo, para um verdadeiro historiador, muito estudo e dedicação são necessários. É possível então ser fanático NS, do jeito deles? Esmolambados, ricos ($) de doer, quase ignorantes? Existe ensino de História de alto nível e metodológico, a ponto de motivar conhecimento.
      Existem mais de 50 campos de concentração na Europa (o que sobrou deles) de uma história recente, e confio em historiadores verdadeiros à oportunistas que faturam 500.000 Euros/ano com suas teses, fugindo para não serem presos pelas suas falsificações e desconhecimento. O problema é que nazistas tem mania de persguição. Para eles, todos os perseguem, todos os condenam...É o tal ônus da prova.
      Pior são os papagaios. Esses são desconcertantes.

      Excluir
    15. Parece que seus chefes lhes pagam curso de tergiversação, inversão, digressão,...

      Ninguém se utiliza mais de 'bordões', 'lenga-lenga', 'motivação rasa e de apelo simplório e panfletário','falsificações', etc que os sionistas para o seu sacrossanto holocausto.

      - Falam que existiam 'câmaras de gás' nos campos nazistas, mas o modus operandi é impossível;
      - Falam em 'eletrocussões em série, mas não encontraram estrutura, nem fiação para isso;
      - Falam dos 'chuveiros que expeliam gás nas câmaras', mas nem o Spielberg teve coragem de 'usá-los' na "Lista de Schindler";
      - Falam das 'câmaras de gás móveis', mas Rudolf provou suas ineficiências. Testaram esses caminhões?
      - Falam em 'valas crematórias', mas não as encontraram, muito menos as cinzas;
      - Falam de Treblinka e suas mais de 800 mil enterradas, desenterradas e cremadas vítimas, mas o solo lá nunca foi mexido e não há vestígios da 'superpira'.
      E etc, etc, etc,...

      Enfim, conivente, papagaio, conscientemente ignorante, panfletário,... Você tenta delegar a mim e a todos que contestam seus chefes exatamente o que vocês são.
      Por tudo isso e bem mais, sordidamente patéticos. O Ragi tem razão: tenho mais é que rir.
      Repetirei sempre: bufe, rosne, tire a calcinha pela cabeça. Problema seu.

      Excluir
    16. Isso que acaba acontecendo ao não ver os links e as citações que faço.
      Fique calmo, não se altere. Não estou aqui para te convencer de nada. Uma vez se tornando nazista, não tem volta.
      Depois coloco aqui seus bordões. Agora estou sem paciência.

      Excluir
    17. Pior é você desprezar as conclusões dos pesquisadores que mostraram as impossibilidades do seu holocausto.
      Por mais que você tente camuflar suas impiedades e covardias na virtualidade, elas escapam a todo momento e o entregam. Como sempre entregaram seus pares.
      Classificar-me de 'nazista' é a menor delas.
      Já falei: você mente incompetentemente mal. Pare de decepcionar seus chefes ou será demitido. Talvez pior.

      Excluir
    18. Fabiano cabeça oca,
      Me dê motivos para acreditar nos seus "pesquisadores" (de araque). Naqueles que só vocês, nazistas, teem como profetas e praticam sua "religião". Por quais motivos acreditaria em condenados por falsificação, enriquecimento ilícito com a prática de negação entre outras coisas.
      Entenda, fazer "copy & paste" para mim não funciona. Gostaria de saber se existe algo que entre suas orelhas e dentro de sua cabecinha.

      Excluir
    19. Madruga mente malsã.
      Eles simplesmente mostraram várias impossibilidades relatadas pelos 'sobreviventes', fora tantas outras 'mentirinhas' (Rosenblat e DaFonseca) e 'improbabilidades' (Wiesel e Wilkomirski). Apenas totais ignorantes e coniventes do seu desnível não querem aceitar.
      Não existe prova maior que o impossível.
      E você insiste que não quer me convencer de nada? Patético!

      PS. Ninguém enriqueceu ilicitamente mais do que os sionistas nos últimos 60 anos. Fala-se em TRILHÕES de dólares. Não duvido.

      Excluir
    20. Novamente a exceção se torna regra (Rosenblat e alguns outros que você nunca ouviu falar).
      Seja mais objetivo e demonstre conhecimento. O que negacionistas provam? Coisas palpáveis!
      E, já que você demonstra ser profundo conhecedor, quem (nomes) dos sionistas (?) ganharam essa grana?

      Excluir
    21. Não citei exceções. Citei exemplos.
      99% dos sobreviventes citam as câmaras de gás, ou eletrocussões em série, ou citam datas, situações e histórias IMPOSSÍVEIS (você detesta esta palavra, né?) do nível da Sílvia Jaffe, que já publiquei aqui (http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2011/12/anne-frank-brasileira.html).
      Como EXEMPLO, ela diz que se livrou da câmara de gás 'pagando' uma penitência: segurar DEZ QUILOS acima da cabeça, ajoelhada em pedregulhos, por CINCO HORAS. Você acredita nisto, certo?

      TODOS os que citam as câmaras de gás estão mentindo. No momento em que alguém (até você) comprovar que elas eram possíveis, eu me retrato e fecho meu blog para a 2ª guerra.

      PS. Você tem o desplante de pedir nomes? Que máquina: de hilário a burlesco em dois segundos!...

      Excluir
    22. São exceções sim! Em outra postagem tua já escrevi sobre isso. FDP tem em qualquer lugar. Uma meia duzia de aproveitadores não podem ser tratados como regra.
      Quando falo em testemunhas, não me refiro a meia dúzia. Me refiro a dezenas de milhões, sejam sobreviventes ou populações dos países invadidos na IIGM. Insanidade desconsiderar isso e é por esses motivos que pseudo-historiadores, como você cita, vão em cana. Nada comprovam e tudo falsificam. Quando encurralados, negam a figura jurídica da testemunha, válida em qualquer processo. O problema é que para vocês nazinegacionistas isso não é conveniente, desabona a credibilidade das teses tresloucadas revis. Vocês simplesmente apagam a figura da testemunha!
      As tuas respostas continuam sendo idênticas a de revis (coincidência?). Se você faz referência a 99% é porque sabe o número total. Basta escrever aqui. Se não escreve, é pelo motivo de ser simplório e panfleteiro. Se você escreve (suas palavras) TODOS os que citam as camaras etc...estão mentindo, deve ter número e provas disso. Quantos são esses "TODOS"? Como foi montado esse conluio de milhões de pessoas mentirem ao mesmo tempo? Repare: Falo em milhões! Os números tatuados, de que forma foram feitos? Se milhares os mostram estão mentindo ou são sobreviventes? Citei o nome de empresas em outro post (literalmente ignorado) que exploraram trabalho escravo. Essas empresas ainda existem, mas você finge que não lê e foge do assunto. Os poucos sobreviventes que ainda existem, comprovaram e aprovaram indenizações. Inclusive de espoliações, fartamente documentadas em Bancos Suiços, só para exemplificar. Ou os Bancos são trouxas...
      Vamos lá, seja objetivo e evolua sobre esses assuntos. Sem a interferência de seu escudeiro, que sempre (outra coincidência) aparece quando você está encurraldao. Me dê números, me falhe sobre o trilhões em dinheiro. Quem ganhou esses trilhões. Vamos lá...Sem copia e cola!

      Excluir
    23. Caso perdido.
      Já que você nunca vai provar as impossibilidades do holocausto que já citei, nunca vai aceitar que os 'sobreviventes' contaram um monte de inverdades, nunca vai pôr à baila os crimes dos aliados e sempre vai falar um monte de cucurbitáceas, você não vale mais minha atenção.
      Daqui pra frente, modere suas palavras ou não terá mais espaço aqui.

      Excluir
    24. Sr. Caso Perdido,
      Moderar palavras? Só solicitei respostas que mais uma vez não vieram.

      Excluir
    25. Certo. Completarei minha frase:
      Como não pretendo mais perder paciência respondendo às suas tergiversações (só se achar minimamente producente), deixá-lo-ei escrever à vontade. MAS, modere as palavras ou não terá mais espaço aqui.

      Excluir
    26. Ameaça e intimidação (especialidades suas) são 'boiolices'. Não faço isso nem pessoalmente.
      Apenas me cansei de suas tergiversações, fato que não me fará deletar qualquer opinião sua. Só as deletérias.
      Quem sabe, ainda conversaremos?

      Excluir
  2. Caro Fabiano olha que a MOÇOILA viaja MUITO, através das "(L)inhas (S)ionistas (D)esvairadas" essa viagem é muito LOUCA, transcende o A VERDADE.

    Até mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Ragi, a viagem é das brabas!
      Ele manda links em alemão e diz para eu estudar.
      Isto depois dele escrever: "Minha liberdade você não caça!" Não posso! Só se eu tivesse uma "espingarda de matar veado na curva".
      Abraço.

      Excluir
  3. Caro Fabiano o que foram feito dos judeus ALEMÃES, eles não foram PRESOS?

    Será que só eles sabiam dos PLANOS para "A SOLUÇÃO FINAL" e os SEGUIDORES da SEITA em outras localidades não foram avisados pelos rabinos.

    Não existia CONTATOS entre as igrejinhas?

    O, CLASSE DESUNIDA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre essa desunião, devemos perguntar aos Falashas.
      Não fosse um rabino dizer que eles eram descendentes de uma das tribos perdidas de israel, estariam numa draga até hoje. (Mas o madruga jura que os israelenses os libertaram da escravidão.)
      Até mais.

      Excluir
  4. Sobre os tais sites que o enVIADO do sionimo comenta, eu pergunto 11089 mortes todas devidamente APONTADAS no LIVRO que é para deixar CLARO, morreram de MORTE MORRIDA e não de MORTE MATADA?
    Como os alemães eram descontrolados, anotavam TUDO e os FISCAIS do sionismo AINDA INSISTEM em querem TAPAR O SOL COM A PENEIRA.

    A MOÇOILA andou escrevendo "BOBAGI" no MU onde por lá ele se diz chamar "tiburçio" e solicitei que ela colocasse o "AVIADAR" dela TRAVESTIDO de "ITELER" por essa razão acho que a "MOÇOILA" se descortinou da PERSONAGEM.

    até.

    ResponderExcluir
  5. Bom dia Fabiano olha que INTERESSANTE,

    República da Polônia (*) –

    Censo 2012 -38.415.280

    Censo 2010 - 38.463.690 (DIMINUIU?)

    Censo 2005 - 38.635.140 (DIMINUIU?)

    Censo 2000 - 38.646.020 (ué?)

    Uma DIFERENÇA POPULACIONAL de 230.740, DUZENTOS E TRINTA MIL SETECENTOS E QUARENTA PESSOAS, que sumiram do CENSO POLONÊS!

    O que será que os DEFENSORES DO INDEFENSÁVEL DIRIAM?

    QUE essas PESSOAS que “SUMIRAM” TAMBÉM FORAM ASSASSINADAS PELOS NAZISTAS?

    A opinião de arthur’s, ademar’s, léo’s, madrugas/tiburça’s, e mais uma CARRADA de NONSENSES que por aqui PERMEIAM SOLUCIONARIA, se é que PODEM EMITIR algum parecer sem ORDEM expressa da CHEFIA.

    Aguardemos...

    ResponderExcluir
  6. 4.298.970 Ucrania?
    562.620 – Romenia?
    230.740 – Polônia?
    94.880 Rep. Checa?
    3.483.500 Russia?
    8.670.710 SUMIRAM?

    CADÊ O POVO QUE ESTAVA AQUI?
    Essa gente DESAPARECEU de seus RESPECTIVOS PAÍSES nos ÚLTIMOS DEZ ANOS!

    Que será que ACONTECEU?

    IMIGROU?

    Ou outro HOLOCOCONTO?

    Agora será que foi os NEO NAZIS?

    Eu CONTINUO RINDO...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Ragi, eu também riria se não me causasse azias.
      Daí, vem o madruga com sua indefectível e emética 'cara-de-paisagem' e 'desafia' mais acima: "Mostre alguma coisa que não seja Leuchter."
      Como se ele se interessasse pelo assunto, listei meia dúzia de pesquisadores. Pérolas aos porcos.
      Abraço.

      Excluir
  7. Mas é preciso CONTINUAR RINDO muito dessa CAMBADA, pois somente dessa maneira a MENTIRA SERÁ ESCANCARADA.

    MATEMÁTICA É UM ASSUNTO MUITO SÉRIO.

    E quando a CIÊNCIA EXATA ENTRA NA PARADA essa gente DIFERENCIADA CORRE e corre muito...

    Abraços.

    ResponderExcluir