Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


terça-feira, 3 de abril de 2012

Você acredita nisso?!

Amigos e amigas.
Tenho lido e recebido muitas particularidades a respeito de vários assuntos (2ª Guerra, Afeganistão, Iraque, 11 de setembro, etc). É incrível o tamanho da nossa ignorância, do quanto somos alienados, criminosamente alijados de detalhes absurdamente sórdidos, imensamente nublados da consciência da realidade através de tantas 'cortinas de fumaça' (filmes, festas, futebol,...).

Recebi há pouco tempo uma lista de tipos de assassinatos  e outros "exotismos" que afirmam ter ocorrido durante a 2ª Guerra Mundial. Leiam-na abaixo e me falem mais tarde.
FAB29


Assassinatos na 2ª Guerra
(e afins)
  1. - Gêiseres de sangue a partir das covas coletivas; confirmado por testemunhas famosas como Elie Wiesel, Adolf Eichmann e Adalbert Rückerl, diretor da central para esclarecimento dos crimes nacional-socialistas, passou-a para frente, assim como o tribunal do processo sobre Auschwitz, em Frankfurt.
  2. - Covas coletivas explodiam, segundo Eichmann.
  3. - Barril para banho com ácido ou água fervente para a obtenção de esqueleto humano; Filip Müller afirmou isto sobre Auschwitz.
  4. - Injeções nos olhos dos detentos para alteração da cor dos olhos; Hermann Langbein espalhou isso sobre Auschwitz.
  5. - Extração de gordura fervente das incinerações a céu aberto; sobre isso relataram R. Höß, H. Tauber, F. Müller e espalhado por Langbein.
  6. - Um homem das SS pula no último segundo junto com uma desconhecida mãe e seu filho, por pura compaixão, para morrer com eles na câmara de gás; essa história vem de Emmi Bonhoeffer.
  7. - Fabricação de sabão a partir da gordura humana. Afirmado por Simon Wiesenthal e pelo juiz da SS Konrad Morgen.
  8. - Genocídio subterrâneo em enormes galpões através de alta tensão; as famosas histórias de S. Szende sobre Belzec, semelhante também com aquelas de S. Wiesenthal assim como foi afirmado em Nuremberg para Bergen-Belsen (!).
  9. - Assassinato em câmaras de vácuo ou em vapor d’água e gás clorídrico; diversas testemunhas e “relatórios” sobre o campo de Treblinka.
  10. - Eliminação (sem rastros) de covas coletivas com milhares de cadáveres em poucas semanas; isso é alegado por muitas testemunhas e “relatórios” para praticamente todos os supostos locais das matanças pelos alemães.
  11. - Câmara de gás móvel em Treblinka, a qual esvaziava suas vítimas diretamente nas valas de incineração; afirmado pela resistência polonesa e levado a sério pelo historiador do Holocausto P. Longerich.
  12. - Gás letal com ação retardada que possibilitava suas vítimas a deixarem a câmara de gás e irem por si só até as covas coletivas; afirmado pela resistência polonesa e levado a sério pelo historiador do Holocausto P. Longerich.
  13. - Execuções em uma linha de produção eletrificada; assim o Prawda anunciou após a libertação de Auschwitz (2/2/1945).
  14. - Incineração de cadáveres em Altos-Fornos. Esse rumor foi espalhado pelo membro da resistência, o alemão H. von Moltke durante a guerra e depois o Prawda, levado a sério pelo historiador do Holocausto P. Longerich.
  15. - Corrida de bicicletas da SS na câmara de gás de Birkenau; segundo Notícias de Nuremberg, citando uma testemunha.
  16. - Eliminação de cadáveres através de explosão; testemunho de Rudolf Höß obtido sob tortura e levado a sério pelo promotor A. Rückerl e Helge Grabitz.
  17. - Canto do hino nacional e da Internacional comunista pelas vítimas nas câmaras de gás; F. Müller assim como as declarações citadas por H.G. Adler, H. Langbein e E. Lingens-Reiner.
  18. - Enchimento das bocas das vítimas com cimento, para evitar que cantassem canções patrióticas ou comunistas; afirmado em Nuremberg.
  19. - Jovem de 12 anos profere na câmara de gás, antes do gaseamento, um discurso impressionante e heróico diante das outras crianças; segundo afirmação de F. Friedman.
  20. - Casinhas para gaseamento de rápida construção, para que os judeus fugitivos pudessem ser imediatamente gaseados após a recaptura; Adolf Eichmann relatou isso após tratamento especial através de seus carrascos israelenses.
  21. - Assassinato através da ingestão de um copo de ácido cianídrico líquido (ácido cianídrico não é encontrado como substância que possa ser despejada como líquido em um copo; além disso, ele evapora muito rápido, o que colocaria em perigo as pessoas do entorno); Veredicto do Tribunal de Hannover, segundo Heiner Lichtenstein.
  22. - Os músculos retirados das pernas dos detentos executados tremiam tanto, que o reservatório onde estavam balançava muito; este absurdo anatômico e físico foi espalhado por F. Müller.
  23. - Encanamento para introdução do Zyklon-B nas câmaras de gás de Auschwitz e outros lugares através de chuveiros ou garrafas de aço; relatório da comissão de Dachau e Auschwitz assim como segundo historiador Wolfgang Benz.
  24. - Enchimento total de um detento com água, até que ele explodisse. [#1038]
  25. - Criança sobrevive a seis gaseamentos na câmara de gás de Bergen-Belsen (que comprovadamente nunca existiu); reportado por Moshe Peer a um jornal canadense.
  26. - Mulher sobrevive a três gaseamentos, porque os nazistas não mantinham o gaseamento constante; testemunhos relatados no mesmo jornal canadense, também afirmado pelo político britânico Michael Howard. [#1039]
  27. - Lendas sobre ursos e águias em uma gaiola, que comiam um judeu diariamente; declaração sobre o Campo de Buchenwald.
  28. - Fabricação de lingüiça no crematório a partir da carne humana pela SS (“RIW” – “Reine Juden Wurst”: Pura lingüiça judia?); afirmado por David Olère, o pintor fantasioso de Auschwitz.
  29. - Abajures, capas de livros, luvas, selas, calças de equitação, sapatos, bolsas femininas... de pele humana; afirmado em Nuremberg e novamente durante o processo contra Ilse Koch.
  30. - Quadros pornográficos em tela de pintura feitos com pele humana; da mesma forma afirmado em Nuremberg.
  31. - Dedões humanos mumificados foram usados por Ilse Koch como interruptores elétricos; testemunhos divulgados pelo New York Times.
  32. - Pai SS joga bebês para o ar e atira neles como se o fizessem com pombos, enquanto a filha de 9 anos aplaude e grita: “Papa, mais uma vez, mais uma vez, Papa!”; afirmado em Nuremberg.
  33. - Juventude hitlerista usa crianças judias como treinamento de tiro; afirmado em Nuremberg.  
  34. - Vagões de trem desaparecem numa rampa no crematório subterrâneo de Auschwitz; segundo o juiz da SS Konrad Morgen, citado pela historiadora polonesa de Auschwitz, Danuta Czech.
  35. - Prisioneiros foram forçados, limpar a escada lambendo-a e juntar o lixo com a língua; afirmado em Nuremberg.
  36. - Mulheres foram inseminadas artificialmente em Auschwitz e, então, gaseadas; afirmado em Nuremberg.
  37. - Tortura de detentos com uma “caixa de torturas” especial, fabricadas em série pela Krupp; afirmado em Nuremberg.
  38. - Tortura de detentos, onde balas de madeira foram disparadas contra eles para que os forçassem a falar; segundo o Congresso Mundial Judaico.
  39. - Espancamento de detentos através de uma máquina especial para espancamento; afirmado em Nuremberg.
  40. - Assassinato de detentos com limonada envenenada; afirmado em Nuremberg.
  41. - Assassinato através da queda de árvores: forçava-se as vítimas a subir nas árvores, e então deixavam-na cair; afirmado em Nuremberg e por Eugene Kogon.
  42. - Assassinato de jovens através da alimentação forçada de areia; Rudolf Reder, levado a sério pelo historiador do Holocausto Martin Gilbert.
  43. - Gaseamento de prisioneiros de guerra soviéticos em uma pedreira; afirmado em Nuremberg.
  44. - Prisioneiros foram, primeiro, espancados até a morte, e, então, autopsiados para descobrir a causa da morte; afirmado em Nuremberg.
  45. - Moagem de crânio através de máquina a pedal para destruir crânios, acompanhado de programação radiofônica; afirmado em Nuremberg.
  46. - 840 mil prisioneiros de guerra soviéticos assassinados em Sachsenhausen e queimados em quatro crematórios móveis; afirmado em Nuremberg.
  47. - Extermínio instantâneo de 20.000 judeus na Silésia através da detonação de uma bomba atômica; afirmado em Nuremberg.