Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


terça-feira, 8 de maio de 2012

Mestre Ezra

Amigos e amigas.
Pouquíssimo se conhece sobre Ezra Pound, possivelmente o maior poeta norte americano do século XX.

O principal motivo é sua aversão incondicional à usura, o cerne da corrupção da humanidade. Com isto, o status quo, que gira em torno dela, não permite fácil acesso à sua obra e biografia. Por seu posicionamento inabalável, foi injustamente condenado à prisão por mais de década, torturado e proibido de muitas coisas, sendo constantemente vigiado pelo establishment.

Tão grande era sua capacidade e sua inteligência que vários escritores, que  foram revelados e até patrocinados por Pound e que receberam o Nobel de Literatura, dedicaram o prêmio a ele ou disseram que era ele que deveria recebê-lo. Entre eles, T. S. Eliot e Ernest Hemingway.

Abaixo, um pequeno exemplo de sua verve. O poema "Com usura" mistura leveza, universalidade e contundência. Pode-se ver que o 'Poder das Sombras' tinha motivos para temê-lo.
Boa leitura.
FAB29

Com Usura  (Ezra Pound)

Com usura, nenhum homem tem casa de boa pedra
blocos lisos e certos
que o desenho possa cobrir;
com usura,
nenhum homem tem um paraíso
pintado na parede de sua igreja
harpes et luthes
ou onde a virgem receba a mensagem
e um halo se irradie do entalhe;
com usura,
ninguém vê Gonzaga, seus herdeiros e concubinas
nenhum quadro é feito para durar e viver conosco,
mas para vender, vender depressa;
com usura, pecado contra a natureza,
teu pão é mais e mais feito de panos podres
teu pão é um papel seco,
sem trigo do monte, sem farinha pura.
Com usura, o traço se torna espesso;
com usura, não há clara demarcação
e ninguém acha lugar para sua casa.
Quem lavra a pedra é afastado da pedra.
O tecelão é afastado do tear.
COM USURA,
a lã não chega ao mercado,
a ovelha não dá lucro com a usura.
A usura é uma praga!
A usura
embota a agulha nos dedos da donzela,
tolhe a perícia da fiandeira.
Pietro Lombardo não veio da usura.
Duccio não veio da usura,
nem Pier della Francesca, nem Zuan Bellini veio;
nem usura pintou La Callunia.
Angelico não veio da usura; Ambrogio Praedis não veio,
Nenhuma igreja de pedra lavrada, com a inscrição:
Adamo me fecit.
Nenhuma St. Trophime
Nenhuma Saint Hilaire.
A usura enferruja o cinzel,
Enferruja a arte e o artesão,
Rói o fio no tear.
Mulher alguma aprende a urdir o ouro em sua trama;
A usura é um câncer no azul; o carmesim não é bordado,
A esmeralda não encontra um Memling.
A usura mata a criança no ventre,
Detém o galanteio do moço.
Ela trouxe paralisia ao leito, jaz
entre noivo e noiva
CONTRA NATURAM
Putas para Elêusis,
cadáveres no banquete
a comando da usura.