Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Extermínio alemão.

Amigos e amigas.
Após um longo período de correrias, voltei a revisar a tradução que estou fazendo de um panfleto sórdido lançado no início da 2ª Guerra chamado "A Alemanha deve perecer", de Theodore Kaufman. Como só encontrei em inglês e alemão, achei necessário contribuir com uma publicação em português.
Creio que já postei alguma coisinha dele, mas agora farei o trabalho completo. Para início, mostro-lhes a nota introdutória do panfleto, escrita por Mark Weber. Depois, postarei o panfleto em capítulos.
Espero que ele traga mais uma luz à historiografia real desse período mais do que negro da humanidade.
FAB29

Nota introdutória (por Mark Weber)
Theodore N. Kaufman, autor da “Alemanha deve perecer”, foi um empresário de Manhattan, nascido judeu, que foi também presidente de um grupo que se autointitulava "Federação Americana para a Paz". A primeira edição deste volume fino foi publicada em 1940 ou início de 1941. A segunda edição de 96 páginas, que foi vendida por 25 centavos, foi publicada em 1941 por Argyle Press de Newark, Nova Jersey. Ambas as edições foram emitidas quando os Estados Unidos ainda eram oficialmente neutros, ou seja, antes do ataque a Pearl Harbour, de 07 de dezembro de 1941, que trouxe os EUA abertamente à Segunda Guerra Mundial.
À proposta fervorosa de Kaufman para a esterilização sistemática de toda a população alemã foi dada respeitosa atenção na imprensa americana, incluindo análises de uma série de jornais. Uma revisão na revista Hora Semanal, 24 de março de 1941, chamou o plano de Kaufman de “uma ideia sensacional".
O Chefe da propaganda alemã, Joseph Goebbels, teria apreendido com prazer o livro. "Este judeu [Kaufman] tem feito um desserviço ao inimigo", comentou Goebbels privadamente." Se ele tivesse composto o livro sob minha ordem não podia ter feito um trabalho melhor. "
Em sua direção, a imprensa alemã acusou a proposta de Kaufman de uma chamada para o genocídio. Um artigo de primeira página sobre o livro no diário de Berlim Der Angriff, 23 de julho de 1941, apareceu em manchetes que chamaram de “Plano diabólico de extermínio do povo alemão" e uma obra de "ódio do Velho Testamento". Extratos também apareceram, por exemplo, no semanário de circulação nacional Das Reich, 03 de agosto de 1941.
Um plano similar ao de Kaufman foi lançado durante a guerra por um antropólogo norte-americano. Em um artigo intitulado "Guerra racial exala dos alemães", no jornal New York Daily, 04 de janeiro de 1943, Ernest Hooton estabeleceu um plano de “desracialização” que iria "destruir o nacionalismo alemão e a ideologia agressiva, enquanto manteria e perpetuaria as capacidades biológicas e sociológicas alemãs desejáveis" (Veja também: Benjamin Colby, 'Foi uma famosa vitória’, 1974, p. 131.)
A proposta do professor da Universidade de Harvard é um chamado para transformar geneticamente a nação alemã, incentivando o acasalamento das mulheres alemãs com homens não-alemães (que seriam trazidos para o país em grande número) e de homens alemães (forçosamente realizado fora da Alemanha) com as mulheres não-alemãs. Dez a doze milhões de homens alemães seriam conduzidos a trabalhos forçados sob a supervisão dos Aliados em países fora da Alemanha para reconstruir as suas economias. "Os objetivos da presente medida", escreveu Dr. Hooton "incluem a redução da taxa de natalidade dos ‘puros’ alemães, neutralização da agressividade alemã por ‘desracialização’ e desnacionalização das pessoas doutrinadas".
Este plano, Hooton estimou, exigiria pelo menos 20 anos para ser implementado. "Durante este período,", continuou ele, "incentivar também a imigração e liquidação nos estados alemães de cidadãos não-alemães, especialmente os homens."
Nas décadas desde o fim da Segunda Guerra Mundial, algo do espírito genocida de Kaufman e dos planos de Hooton pareceu se manifestar na população da Alemanha e nas políticas de imigração. Desde a derrota da nação em 1945, a taxa de natalidade alemã caiu para abaixo do nível de reposição; milhões de migrantes racial e culturalmente exóticos têm sido saudados como colonos na Alemanha; o número de crianças de etnia mista aumentou significativamente e as características étnico-culturais de grande parte do país foram drasticamente alteradas, especialmente nas cidades maiores.

Continuações:
http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2013/01/exterminio-alemao-2-parte.html

http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2013/01/exterminio-alemao-3-parte.html


http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2013/01/exterminio-alemao-4-parte.html


http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2013/02/exterminio-alemao-5-parte_6.html


http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2013/02/exterminio-alemao-6-parte.html


http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2013/02/exterminio-alemao-7-parte.html


http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2013/02/exterminio-alemao-final.html

28 comentários:

  1. Mark Weber...sei!
    Que fonte!
    By Madruga, sentindo cheiro de porco nazi.

    ResponderExcluir
  2. Alguém tinha que escrever o prefácio. A fonte real é sionista.
    Aguarde o texto do seu querido Kaufman. Aposto que você delirará!

    ResponderExcluir
  3. Tua resposta é típica. Entendeu por qual motivo sempre coloco "adjetivos" para você? É que eu não sou racista e você, ao contrário é. Se esse Kaufman é um FDP, para mim não interessa qual a sua religião ou orientação política. Fez merda, julga-se e enjaula-se.
    Você é tendencioso e tua fonte de conhecimento é negacionista ou nazista. "`tudo culpa dos judeus!".
    O problema é que vocês se acostumaram a ver os judeus irem para o "abate" sem reação. Depois da IIGM, os judeus deram um basta! Bateu, apanha! Não bata de com um judeu. De tanto cair, aprenderam a derrubar! E como!
    E você acha que está certo, você esta coberto de razão. Não teve holocausto nenhum. Aliás, nem guerra teve. Tudo igualzinho ao desembarque na lua, ao 9/11, ao tratamento e preocupação com a saúde dos civis detentos pelo Mengele, judeus inventarm a peste negra, mandam no mundo... Tudo farsa de "roliúde". Meu ancestrais polacos morreram de tanto comer caviar com vodka e não de dupla invasão. Esses discursinhos negacionistas rodam pela mesma patota. Agora, é a vez do Mark Weber. Quem será o próximo?
    Pois é, quando a discussão chega a este (des)nível só restam dois argumentos: Gargalhadas ou Pancadas.
    Para mim, "aliados" ou "eixo" são a mesma bosta. Nazistas ou Aliados mataram e muito, no interesse de suas causas. Mas daí a querer praticamente inocentar os nazistas, Epa!!!... já é demais.
    Você é capaz de dedicar ódio especial e racial contra outros humanos, e para mim, isso só demonstra tua falta de dignidade humana.
    By Madruga,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Enfim, "the real Madruga"! Seu alter ego oligofrênico tava cansando.
      Você ama dizer que eu nego o holocausto quando eu SEMPRE friso que eu não acredito em PONTOS do holocausto que são IMPOSSÍVEIS! Insistindo, que nem você:

      - Galpões de alvenaria viraram "câmaras de gás", movidas a pesticida;
      - Valas crematórias gigantes em campos pantanosos;
      - Eletrocussões em série;
      - Pira funerária para centenas de milhares de corpos em Treblinka.

      Quase 70 anos depois e ninguém provou isto. Você insistir na sua cantilena de me acusar de 'nazista', 'negacionista', etc, é mera e patética tergiversação. Eu e muitos outros já afirmamos: assim que seus donos mostrarem provas cabais (não testemunhos TENDENCIOSOS) desses crimes inomináveis, prometo não apenas me retratar, mas ser um defensor do holocausto.

      Não temos culpa que os relatos dessas "testemunhas fidedignas" detonam a credibilidade do seu sacrossanto holocausto.

      Graças a Deus, eu não odeio NINGUÉM! O máximo que faço (e não é pouco) é desprezar corruptos e corruptores em geral, INDEPENDENTE DE QUEM SEJA. Estes tipinhos sórdidos e hipócritas estarão sempre no topo da minha lista de inimigos, que combaterei como puder.

      Pode caprichar nesse seu discurso de pessoa equilibrada e ponderada. O fato é que você é um pobre fundamentalista pró-sionismo, especialmente no assunto '2ª guerra'. Deve lucrar bem para defender essas mentiras que citei.

      Seja feliz nesse lodaçal.

      Excluir
    2. Ele tem de se esforçar mais, porque o Israel dele anda levando coices do mundo inteiro, esse papinha de "bateu levou" só funciona quando se trata de mulheres e crianças desarmadas encurraladas na Palestina e enquanto durar o apoio estadunidense, tenho dózinha de judeuzinha assim como a Madruga.

      Excluir
    3. Eu não terei dó por um motivo: esses 'desinfelizes' que defendem esse monte de coisas impossíveis nunca se identificam. Caso o castelo holocáustico desabe, a maioria deles sairá de fininho e se misturará aos libertados, comemorando hipocritamente a queda, dizendo: "Eu já sabia!"

      Excluir
  4. Cobre detalhes de quem lhe deu detalhes. Não me apego a detalhas e sim ao assunto.
    Onde estão as falcificações?
    http://www.youtube.com/watch?v=T2rXhWeMzTo&playnext=1&list=PLD85D490F8620584E&feature=results_video

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já assisti a todos esses vídeos do 'mestre do suspense', também mestre em manipular emoções. Pra variar, muito bem produzidos, 'copirráite' de hollywood.
      O problema é aquela ladainha: bate fundo no sentimentalismo sem provar nada!
      Você não tem um link onde são mostradas PROVAS para os quatro pontos que enumerei ao Madruga mais acima? Juro que TODO MUNDO lhe será imensamente grato!

      Excluir
  5. Quem insiste em afirmar que o acontecido nem foi tão grave assim já está defendendo o que ocorreu, e sem dúvida seria capaz de assistir ou colaborar se tudo acontesse de novo.
    53 minutos de um documentário. O que é falso e por qual motivos?
    Sem tropa de choque para mudar de assunto.
    Aproveite e pergunte a quem te afirmou sobre suas dúvidas. Deixa de ser moleque!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já que você não se denomina, permita-me:
      Caro desinfeliz.
      Deixa de ser leviano! As únicas "afirmações" que já fiz a respeito do holocausto foi não acreditar nas coisas que listei lá acima pro Madruga. Pare de insistir com o Hitchcock e mostre onde seus mestres têm as respostas para aquelas impossibilidades. Se não têm (e eles não têm, mesmo), azar seus!

      E quem assiste passivamente (além de financiar) aos holocaustos modernos (o palestino, por exemplo) são seus mestres e os capachos que os defendem. Eu tento fazer alguma coisa aqui, cutucando esses nefastos.

      Pare VOCÊ de mudar de assunto. Este post é sobre a "opinião" do execrável Kaufman, que estou finalizando a tradução e postarei em breve.

      Excluir
  6. Fabiano:

    Em relação ao livro citado trata-se de mais um dos inúmeros documentos e peças da II GM que graças à internet vem à tona e nos trazem muitas novas revelações sobre aquele período da história que, como afirmou o importante jornalista e escritor mexicano Salvador Borrego, contem um reverbero que ainda se ouvirá por séculos.

    Sobre o texto em si trata-se de uma obra produzida, com certeza absoluta, por uma mente doentia e psicótica.

    O plano nele descrito foi posto de lado após a guerra e substituído por um outro mais light visando à extinção do povo alemão via miscigenação. Mas mesmo este plano não ocorreu totalmente conforme o esperado. Os seus autores não imaginaram que os imigrantes, em sua maioria muçulmanos, iriam manter as suas identidades culturais e religiosas, não se misturando aos nativos europeus; mas constituindo verdadeiros enclaves com comunidades cada vez mais agressivas e reivindicantes. Para muitos que estudam e se preocupam com a questão imigratória o futuro da Alemanha, especificamente, é tornar-se uma nação muçulmana. Alguns até arriscam o nome de Nova Turquia.

    Com relação ao povo alemão vou repassar uma informação que não assino embaixo, uma vez que não sou estatístico: segundo especialistas do estado alemão as taxas de natalidade atingiram níveis tão baixos que não é mais possível uma reversão desse quadro. Podendo considerar o povo alemão como em processo de extinção que provavelmente estará concluído até o final deste século.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho vários desses "documentos e peças" de várias mentes bem sadias e decentes. Estas pessoas são execradas pelo status quo nefasto que tenta nos massacrar, ditando nossas atitudes e, até, pensamentos.

      Esse esquema de forçar a imigração e miscigenação é imposto a toda Europa. Já vi vídeos da Noruega, Suécia, França e Finlândia mostrando as consequências que essa sordidez está criando por lá.

      Não creio que a Alemanha vá se "islamizar". O Sião não permitirá. Assim como não creio que esse quadro alemão seja irreversível. Penso que há muitos alemães que estão se precavendo e reagirão a tempo.

      No fim das contas, ficam essas inseguranças e incertezas. Os defensores dessa podridão estão fazendo de tudo para desacreditar esses documentos: omissão, achincalhe, ameaças, processos, prisão,... Enquanto continuam massificando a sua "Verdade dos fatos".

      Custe o que custar, eu me manterei livre para pensar e agir como achar correto, me retratando sempre que exagerar ou ser injusto.

      Excluir
    2. na minha opinião essa queda de natalidade se deve mais a rigoroso planejamento familiar instrução educação etc que não há de se negar virtude no estado alemão e não devido a um plano secreto ou conspiracionista

      Excluir
    3. É possível que isso faça parte do todo, mas não se pode descartar o que disseram mais acima.
      Eu creio que insídias como aquela são feitas e financiadas em todos os lugares. Ninguém está a salvo.

      Excluir
  7. Boa tarde Fabiano.
    A roda já está virando e muitos "estrangeiros" já estão deixando a Europa, a situação já é um caos total pr lá, quem está sofrendo mais são os honrados Espanhóis é só acompar pelo Stormfront.Talvez na proxima decada a Europa volte a normalidade
    Quanto ao "discurso" desse verme idiota Kaufmann, nem vamos levar a sério.
    EDUARDO-SP

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Eduardo.
      Deus te ouça! Que a Europa lute por sua normalidade ancestral, suas tradições, cultura e história. Que ela consiga extirpar os cânceres que tentam se metastizar nela. O mesmo vale para nós, sul-americanos.
      Se você ainda não leu a aberração do Kaufman, leia o 1º capítulo que espero postar amanhã. Como disse o leitor logo acima:
      "O plano nele descrito foi posto de lado após a guerra e substituído por um outro mais light visando à extinção do povo alemão via miscigenação." Por isto, é necessário conhecer a base de tudo isso.
      Abraços.

      Excluir
  8. é tão evidente oque esta à ser feito com o povo alemão desde 45 q até cego vê.

    Cristiano Martins - RJ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, Cristiano.
      Mas não esmoreça. Não entregue os pontos. É exatamente com isto que os "donos da carne podre" contam.
      Se os conscientes pararem de contestar e de agitar o marasmo das massas, entregarão tudo de mão beijada aos nefastos.
      Abraços.

      Excluir
  9. Boa tarde Fabiano, e todas as pessoas do bem!! Esperamos por mais a semana que vem!
    Só porque hoje é 6a.feira, para alegrar
    Veja isso:
    Samuel encontra um velho amigo o Jacoartur...e aí Jacoartur, quanto tempo?.como vai tudo bem?....Vou mal...Porque Jacoartur?...Jacoartur diz: minha mae morreu a semana passada...Samuel diz: não diga !meus sentimentos! o que ela tinha? infelizmente pouca coisa uma lojinha na cidade e uma casinha no bairro de bom retiro

    EDUARDO-SP

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Condolências ao Jacozinho.
      Quando puder, leia o 1º capítulo do livro "Alemanha deve perecer" que postei hoje.
      É + ou - "A Hora do pesadelo XLVI".
      Abraços.

      Excluir
    2. será que todos os mensaleiros e corruptos e ladrões que
      estão dentro dos governos,senado e presidencia chanmam-se
      Samuels e Jacos?

      Excluir
    3. Certamente, não.
      Mas não duvido de que eles estão bem presentes por lá.

      Excluir
  10. Que belíssimo trabalho, Fabiano! Há tempos desejava conhecer esta infame publicação do "americano" Kaufman! Ficaremos te devendo esta!
    Leonardo JF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito grato, Leonardo.
      A premissa mor do meu blog é: MEU PEQUENO UNIVERSO ONDE TUDO O QUE SERVIR PARA EXPRESSAR AMOR, ALEGRIA E VERDADE SERÁ MEU INSTRUMENTO.
      Longe de mim ser um sabedor da verdade, mas que eu a procuro com afinco, não tenha dúvida. E sempre que acreditar conhecê-la, vou compartilhá-la.
      Espero contribuir sempre. Seja bem vindo!
      Abraços.

      Excluir
  11. Depois de receber não apenas uma, mas duas Cruzes de Ferro por bravura, aquele homem, que alguns consideram um avatar, tirou sua terra do caos social após a guerra. Elegeu símbolos de bem viver consagrados ao longo dos milênios e deu o Mitus de presente ao seu povo. O Ser Humano fora colocado num pedestal. Através do carisma, moveu a vontade da maioria na construção da melhor infraestrutura que um país já tinha visto até então. Coisa que depois de 70 anos ainda permanece funcional... Na base da diplomacia foi recuperando terras roubadas pelo infame Tratado de Versalhes. A Áustria voltou à pátria germânica por maioria de votos num plebiscito nacional. Ele conciliava vontades sem disparar um único tiro.
    Irritados com aquele homem, verdadeiro mestre da paz, alguns homens que se diziam "democráticos" elevaram a insânia a níveis jamais vistos na modernidade e declaram guerra abertamente ao país daquele homem; não podiam aceitar que em algum lugar pudesse haver uma sociedade feliz, uma sociedade de alta cultura, com gente vivendo feliz em suas cidades artisticamente construídas.
    Utilizando os meios mais perversos, os homens da trevas conseguiram jogar o mundo contra aquele país, interropendo os trabalhos de edificação. Aquele povo agredido teve que direcionar suas energias para reagir com honra à agressão, e foram exemplares.
    Poderia, mas não quero comentar sobre a destruição das cidades alemãs. Só quero dizer que foi um crime contra a humanidade de fato. Tenho fotos do "antes" em minha parede.
    Agora sei porque ele era apaixonado por Arquitetura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "elevaram a insânia a níveis jamais vistos na modernidade e declaram guerra abertamente ao país daquele homem; não podiam aceitar que em algum lugar pudesse haver uma sociedade feliz, uma sociedade de alta cultura, com gente vivendo feliz em suas cidades artisticamente construídas."

      Assim é há muito tempo, caro Saturnino. Porque se um povo descobrir que pode ser autossuficiente dos nefastos e seus sórdidos esquemas e sistemas de governo e sociedade, este servirá de exemplo a todos os outros que são constantemente oprimidos e sugados por esses parasitas.
      E isto é uma das maiores proibições ao 'gado humano'.

      Abraços.

      Excluir
  12. Somente agora cheguei por aqui, mas, o assunto é um velho conhecido . F29, sugira à essa galéra bem informada sobre o assunto que assista o vídeo de BENJAMIN FREEDMAM ( judeu de 4 costados e ex-sionista), este acordou! ao contrário da turminha de anencéfalos postando aqui, que a exemplo da maioria dos brasileiros continuam não só deitados mas infelizmente dormindo em BERÇO EXPÊNDIDO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho esta transcrição do discurso dele, Gustavo.

      http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2013/09/sobre-1-grande-guerra.html

      É muito claro e revelador.

      Excluir