Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


quinta-feira, 14 de março de 2013

Um profeta?

Amigos e amigas.
Só hoje me toquei sobre um detalhe. Há muitos anos, li duas declarações de duas proeminentes figuras da história estadunidense (George Washington e Benjamin Franklin). O primeiro foi curto e grosso. O segundo, bem mais explicativo, fazendo uma previsão, para mim, do nível de Nostradamus.

Após um recente debate com um visitante, resolvi procurar essas declarações em meu blog e... CADÊ?!? Apesar de muita gente as conhecer, eu sinto uma necessidade de contribuir com quem procura conhecer os recônditos da História, as publicando. Afinal, creio que a maioria as desconhece.

Sendo assim, a quem nunca as leu, aproveite esta chance.
FAB29

"Eles (os judeus) trabalham mais efetivamente contra nós do que os exércitos do inimigo. São centenas de vezes mais perigosos à nossa liberdade e à grande causa na qual estamos engajados.(...) Deve ser lamentado muito que cada estado, há muito tempo, não os caçou como peste para a sociedade e os maiores inimigos que temos à felicidade da América".
(em "Máximas de George Washington" (George Washington's Maxims) - por A.A. Appleton & Co.)


"Eu concordo plenamente com o General Washington, que devemos proteger esta jovem nação de uma influência insidiosa e penetradora. A ameaça, senhores, são os judeus.

Em qualquer país onde os judeus se assentaram em números consideráveis, baixaram seu nível moral; depreciaram sua integridade comercial; riram e tentaram desestabilizar a religião cristã sobre a qual esta nação está fundada, fazendo objeções às suas restrições; construíram um Estado dentro do Estado; e quando sofreram oposição, tentaram estrangular este país até a morte financeiramente, como no caso de Espanha e Portugal.

Por mais de 1.700 anos, os judeus estiveram chorando seu destino triste de estarem exilados de sua 'terra natal', como eles chamam a Palestina. Mas, senhores, se o mundo desse a Palestina a eles, iriam na hora achar alguma razão para não retornarem. Por quê? Porque eles são vampiros, e vampiros não vivem em vampiros. Não podem viver apenas entre eles próprios. Devem subsistir em cima dos cristãos e outros povos, não de sua 'raça'.

Se vocês não os excluírem destes Estados Unidos, em sua Constituição, em menos de 200 anos, eles terão chegado aqui em grande número que dominarão e devorarão a terra e mudarão nossa forma de governo, pela qual nós, americanos, escorremos nosso sangue, damos nossas vidas, nossas almas e arriscamos nossa liberdade.

Se vocês não os excluírem, em menos de 200 anos, nossos descendentes estarão trabalhando nos campos para dar-lhes subsistência, enquanto eles estarão nos escritórios comerciais esfregando as mãos. Eu lhes aviso, cavalheiros: se vocês não excluírem os judeus por todos os tempos, seus descendentes vão amaldiçoá-los em suas covas.

Judeus, caros cavalheiros, são asiáticos. Deixem eles nascerem onde quiserem ou quantas gerações estão fora da Ásia, eles jamais serão diferentemente do que são. Suas idéias não se ajustam às do americano, e não irão jamais nem que vivam dentre nós por dez gerações. Um leopardo não pode mudar seus pontos. Judeus são asiáticos, são uma ameaça a este país se permitirmos sua entrada, e deveriam ser excluídos por esta Convenção Constitucional"

"CONVERSA À MESA DURANTE O INTERVALO" (Chit Chat Around the Table During Intermission), na Conferência Constitucional da Filadélfia de 1787. Esta afirmação foi guardada no diário de Charles Cotesworth Pinckney, um delegado da Carolina do Sul.

8 comentários:

  1. http://www.stormfront.org/forum/t534079/

    A "fina flor" do racismo.
    Adibê, vá chupar um parafuso até virar prego.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já que você não leu o início do post, destacarei: "HÁ MUITOS ANOS, LI DUAS DECLARAÇÕES...". Elas já foram publicadas em DEZENAS de sítios e blogs.
      Já que seus donos, há mais de 60 anos, requentam o holocausto, por que eu não posso contribuir com a História republicando LEGÍTIMAS declarações de pessoas de alto nível e escalão?
      Novamente: judeu não é 'raça'.

      Excluir
  2. Nazista é raça!
    Raça de filhos da puta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, pela SUA última vez: procure um nazista pra amar.
      E me inclua fora dessa.
      Adeus.

      Excluir
  3. Boa noite Fabiano!
    Faço minha suas palavras, não daremos importancia a esse vermes que passam por aqui.
    Abraços
    EDUARDO-SP

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Correto, amigo.
      A não ser que, por um milagre inenarrável, um deles faça um comentário minimamente producente.
      É ruim, né?

      Excluir
  4. Bom dia Fabiano, o bondoso povo que se diz ELEITO é mesmo um DESTRUIDOR da MORAL e dos BONS COSTUMES, os patriarcas estadunidenses, já viam que a nação seria totalmente administrada por essa gente diferenciada, todos vêem menos o "PRAZO DILATADO" que se diz não seguidor da SEITA, mas a defende com unhas e dentes.
    Um perfeito alienado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "PRAZO DILATADO"... hihihihihihihi...

      Muito bem "re-vindo" a estas paragens, velho amigo. Sua verve mordaz faz falta em todos os sentidos, especialmente no solapar das incongruências pseudo sionistas dos aspones, tipo o "sem nome".
      Abraços e esteja sempre saudavelmente por aqui.

      Excluir