Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


segunda-feira, 8 de abril de 2013

A relembrar.

Amigos e amigas.
Segue abaixo uma lista de fatos que quase nunca são divulgados pela "grande mídia" sobre a 2ª guerra. 
  1. É propalado como 'fato notório' que "6 milhões de judeus foram exterminados na 2ª Guerra", mas, de acordo com Nahum Goldmann, presidente do Congresso Mundial Judaico da época, a população judaica  aumentou de cerca de 15.700.000 (em 1939) para 17.800.000 (em 1947). Já postei aqui um gráfico mostrando dados de institutos de pesquisa e controle demográfico da época atestando isto: http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2012/12/numeros-e-estatisticas.html
  2. Até 24/09/90, constavam no gigantesco Monumento de Auschwitz dizeres em 19 idiomas diferentes, acusando os alemães pelo assassinato de 4 milhões de inocentes. Naquela data, após exames das alegadas câmaras de gás feitos por especialistas poloneses nos laboratórios de Cracóvia, o governo polonês, por não ter encontrado evidências das aplicações de gás para o extermínio de pessoas, mandou substituir os dizeres que constavam no Monumento.
  3. Simon Wiesenthal, durante 50 anos apresentado como o heróico caçador de nazistas, motivo até de filmes, começou a ser desmascarado pelos próprios sionistas. Já postei aqui (http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2012/08/o-grande-cacador-de-nazistas.html) tais declarações.
  4. Nos campos de concentração, existiam desde criminosos comuns até religiosos, generais e Primeiros Ministros das mais diversas origens e nacionalidades. Mas nenhuma alta autoridade presa descreveu sobre o exterminio de judeus em câmaras de gás. Nem as três maiores figuras dos Aliados (Churchill, Roosevelt e De Gaulle) o fizeram em suas autobiografias. Somente judeus escreveram a respeito.
  5. Em setembro de 1944, uma Comissão Especial da Cruz Vermelha Internacional, atendendo a uma denúncia, esteve em Auschwitz e também em Birkenau, informando, em relatório, que os internos recebiam correspondências e encomendas dos familiares e que não encontraram nenhuma evidência sobre a existência de câmaras de gás. Postei aqui no Palavra Livre esse relatório da Cruz Vermelha: http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2011/12/amigos-e-amigas.html
  6. "A LISTA DE SCHINDLER" é exibido dando a idéia de ser acontecimento real, sem exigência do governo brasileiro de fazer constar na apresentação e propaganda do filme que se trata de um filme de FICÇÃO de Spielberg, que está baseado no livro do mesmo nome, de autoria de Thomas Kennealy, oficialmente registrado como "LIVRO DE FICÇÃO".
  7. O Diário de Anne Frank tem partes escritas com caneta esferográfica, que só foi inventada vários anos após a morte da menina, por tifo, em Bergen Belsen. Muitos especialistas afirmam que não é possível uma pré-adolescente escrever com aquele nível. O pai dela contratou um "ghost writer" (Meyer Levin) para tornar o diário mais palatável. Anos mais tarde, ele processou Otto Frank por este não ter lhe pago "direitos autorais". Ganhou US$50 mil. Existem várias versões de como esse diário foi encontrado: há quem afirme que foi a vizinha; outros, a secretária do pai dela; outros, o próprio pai. Fora dizer as novas versões do diário que estão surgindo. Uma das mais recentes sugere que ela faleceu aos 22 anos, e não aos 14. O diário está para ser aumentado em cerca 25% de páginas, descrevendo agora até acontecimentos íntimos da garota. Detalhes: http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2013/08/deixem-anne-frank-em-paz.html

28 comentários:

  1. Boa tarde Fabiano.
    Isso mesmo, matéria importante sugiro até em destacar um link em letras de "caixa alta"

    EDUARDO-SP

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, amigo.
      Pode até ser, mas o importante, como no título, é relembrar.
      Sempre!
      Abraço.

      Excluir
  2. Fabiano:

    Lembro que há mais ou menos 15 anos o jornalista George Bourdokhan publicou algumas notas e comentários sobre o processo envolvendo o DIÁRIO DE ANNE FRANK, em sua coluna na revista CAROS AMIGOS.

    Como era de esperar, aconteceu um rebuliço entre certos leitores que ficaram indignados por essa história aparecer numa revista do sistema; mesmo sendo uma revista mais a esquerda, e sendo conhecida por um público que, provavelmente, nunca soube nada a respeito.

    O jornalista respondeu que não havia nada de errado nas notas que publicara, pois o processo existiu.

    Depois disso nunca mais encontrei menção nenhuma a essa história na grande mídia.

    O litigante deve ter entrado num acorde de cavalheiro com o Sr. Frank. Pois o diário continua sendo atribuído à filha dele.

    Muitos que analisaram o diário, apenas literariamente, concluíram que ele é, na melhor das hipóteses, uma ficção. Se tivessem conhecimento acerca daquele processo, talvez não precisassem ter trabalhado tanto.

    Para mim questões sobre a autenticidade desse diário estão definitivamente encerradas. Pois com uma revelação dessas já não há mais o que discutir.

    Vender ficções como se fossem realidades é algo que ocorre, com certa freqüência, nos meios editoriais.

    Um exemplo clássico foi A TERCEIRA VISÃO de Lobsang Rampa. Apresentada ao público como sendo um relato autêntico de um monge budista tibetano exilado; não passava de uma ficção barata escrita por um bombeiro hidráulico da Irlanda com pendores literários. Que nas horas de folga frequentava bibliotecas públicas, onde buscou informações e inspiração para a obra que lhe rendeu muitos dividendos.

    José Augusto Landini.















    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Landini.
      O "mestre" spielberg disse certa vez que prefere produzir ficção à realidade. É muito mais livre e palatável, pode ser moldada ao bel prazer (e conveniência), não deixa nada a dever e ninguém pode processá-lo. Vide o citado "A lista de Schindler". Não nos esqueçamos que pelo menos metade da humanidade é comodista e alienada, além de adorar o "me engana que eu gosto".
      Você já leu o "novo olhar" que uma escritora americana chamada Francine Prose deu sobre o diário da Anne? Entre outras, ela sugere que Anne lia muitos romances juvenis (as "julias" e "sabrinas" da época), mas também (Pasme!) tinha tempo para ler Schiller, Shakespeare e Goethe! Por este motivo (no mínimo, incrível) ela crê que a menina adquiriu capacidades literárias para escrever no nível que vimos. Legal, né? Se quiser ler a matéria da Folha: http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u640418.shtml
      Abraço.

      Excluir
  3. Para relembrar mesmo
    http://www.youtube.com/watch?v=s24x68QNmxQ

    ResponderExcluir
  4. Já havia visto um vídeo assim, mostrando essa atitude dos israelenses e repito o que disse à época:

    1- O que mais admiro no judeu é sua união. Por isso, são o poder que demonstram;
    2- Todos os judeus que já conheci e conheço primam por essa atitude de união e lealdade. Por isto, fiz vários amigos entre eles;
    3- Fico pensando se um dia fosse descoberto que o holocausto não aconteceu. Toda essa lealdade aos seus governantes (que investem e impõem esse "dogma") viraria o quê? Como lidariam com a raiva e a vergonha de serem enganados por tanto tempo? Como agiriam sabendo que o país perderia grande parte do que agora possui, que foi adquirido com "reparações de guerra" e "indenizações pelo holocausto"?

    Por isso, compreendo (nunca aprovo) as atitudes histéricas e histriônicas dos sionistas referentes a esse "dogma" imposto e financiado por eles. Se ele se esboroa, o mundo se livra deles e se liberta.

    ResponderExcluir
  5. Falar mal de Hitler e seu exército é lucrativo.Falar bem dele é cadeia! Revisionismo já!
    O mundo se incomoda com a verdade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas você concordaria com o 3º tópico da minha resposta ao anônimo logo acima? Teria alguma suposição às perguntas que suscitei?

      Excluir
    2. Nos livros de historia e biblia, aprendi que os judeus são os coitadinhos entre varias diasporas.O Bairro Bom Retiro (centro) é colônia de judeus,grande parte dos comércios são administrados por eles.Muios camaradas reclamaram por eles na sua maioria serem reservados,hostis e de pagarem baixos salários.

      Não sei se por cultura etnica ou religiosa,Experiencia própia, caracterizado ele de chapeu de ( aba) não kipá,cachos no cabelo e sobretudo preto.Numa das calçadas do bairro citado tive uma má expêriencia,quando me aproximei dele ele desviou e atravessou resmungando, me chamando de gentio.Deixei para lá, pensei que se tratava de um imigrante qualquer.
      Suspeitei dessa raça askenazi ou sefardita,pele clara,não brancos,em uma materia de tv país israel,mesma situação e comportamento com o reporter.
      Comecei a suspeitar,desde o meu encontro com aparente judeu,usuras cobradas em conta banco e outros comércios.O desprezo de seu povo etíope,verdadeiros judeus os negros etiopes.(hebreus).

      Na mldia aliança com americanos contra povo palestino sofridos.

      Pedofilos judeus
      http://www.iamthewitness.com/listeners/Jewish.child.molesters.that.are.never.on.the.NEWS-
      WHY.htm#OtherTrustedOfficals

      Falsários:
      http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,fbi-desarticula-rede-de-fraude-em-indenizacao-de-vitimas-do-holocausto,637542,0.htm

      LGBT
      ttp://www.glbtjews.org/

      Judea declara guerra com Alemanha
      http://www.youtube.com/watch?v=quJFMVGxaNU

      Me considero um negacionista do holocausto; sou contra sionistas.

      http://www.vho.org/aaargh/port/66p.html

      Apoio judeus ortodoxos,não pela sua religião mais por serem contrário ao sionismo:

      http://brothernathanaelfoundation.org/

      Excluir
    3. PS- Vergonha de serem descobertos? Sionismo é Sinismo! Mais uma diáspora acontecerá só que com maior dificuldade,pois seu poder belicista é poderoso (FDI).

      Excluir
    4. Então, pra você, resumindo e repetindo o "jenial" Lula: "Vai ser só uma marolinha."
      Já eu tenho esperanças de que, pelo menos por um bom tempo e depois de uma época de convulsões, as coisas se reassentem mais equanimemente e a ascendência sionista em quase tudo se esboroe e eles tenham bem mais dificuldades de voltarem ao domínio parecido com o que eles tem hoje.
      Se é que conseguiriam.
      Grato pelos links.
      Abraço.

      Excluir
    5. "jenial" Lula: [...risos ]
      O Lula la la,come pelas beiradas
      http://www.opais.co.mz/index.php/internacional/56-internacional/24869-lula-investigado-em-caso-de-corrupcao.html

      O Sionismo atrelado ao comunismo é uma ameaça mundial.Os sionistas tem fama de covardes!

      Excluir
    6. Creio que podemos resumir: "sionista tem muitas famas. Difícil encontrar uma boa."

      Excluir
    7. Manifesto de Neturei Karta (Judaísmo versus Sionismo)

      O judaísmo acredita num só D-us, O qual revelou a Torah. Defende a providência Divina e, de acordo com esta, vislumbra o exílio dos judeus como sendo um castigo causado pelos seus pecados. A redenção poderá ser obtida apenas pela penitência e pela oração. O judaísmo apela a todos os judeus que obedeçam integralmente à Torah, incluindo o mandamento que os obriga a serem cidadãos patriotas.
      O sionismo rejeita o Criador, a Sua revelação, as Suas oferendas e a Sua penitência. Entre os seus frutos encontramos a perseguição do povo palestino bem como a ameaça física e espiritual em que coloca o povo judeu. Encoraja a traição e a dupla lealdade entre os ingénuos judeus espalhados pelo mundo. O sionismo encara, de raiz, a realidade como algo estéril e desprovido de santidade. É uma antítese ao judaísmo da Torah.
      Existe uma vil mentira que persegue o povo judeu por todo o globo. Uma mentira tão hedionda e tão distante da verdade que só ganhou popularidade devido à cumplicidade de forças poderosas existentes na comunicação social e no aparelho educativo do ?sistema?.
      É uma mentira que trouxe um sofrimento sem antecedentes a muitas pessoas inocentes e que se não for rebatida tem o potencial de dar origem a uma tragédia extraordinária no futuro.
      É a mentira que afirma que o judaísmo e o sionismo são idênticos.
      Nada poderia estar mais longe da verdade.
      O judaísmo é a crença nas revelações do monte Sinai. É a crença de que o exílio é o castigo originado pelos pecados judeus.
      O sionismo tem vindo a negar, há mais de um século, as revelações de Sinai. Acredita que se pode dar por terminado o exílio judaico por meio da agressão militar.
      O sionismo passou o último século a expulsar estrategicamente o povo palestino. Ignorou as suas justas argumentações e sujeitou-os à perseguição, à tortura e à morte.
      Judeus seguidores da Torah por todo o mundo encontram-se chocados e penitenciam-se por este breve dogma de irreligiosidade e de crueldade. Milhares de santos e de catedráticos da Torah condenam este movimento desde o seu surgimento. Sabiam que as anteriores boas relações entre os judeus e os muçulmanos na Terra Santa estavam destinadas a ser afectadas pelo avanço do sionismo.
      O proclamado ?Estado de Israel? mantém-se rejeitado em fundamentos religiosos com base na Torah. A sua monstruosa insensibilidade para com as leis mais básicas da decência e da justiça chocam qualquer ser humano, seja ou não judeu.
      Nós da Neturei Karta temos estado na frente da batalha contra o sionismo há mais de um século.
      A nossa presença serve para refutar a mentira basilar de que o mal, que é o sionismo, de algum modo representa o povo judeu.
      O que sucede é o oposto.
      Entristecemos todos os dias com a terrível contagem de mortes que emana da Terra Santa. Nenhuma delas teria ocorrido se o sionismo não tivesse soltado as suas energias maléficas sobre o mundo.
      Como judeus temos o dever de viver pacificamente e em harmonia com todos os homens. É-nos pedido que sejamos cidadãos tementes à lei e patriotas em todas as terras.
      Condenamos as actuais atrocidades sionistas levadas a cabo na Terra Santa. Ansiamos pela paz baseada no respeito mútuo. Estamos convencidos de que este respeito mútuo está condenado a não existir enquanto existir um Estado israelita. Ansiamos pela sua abolição de um modo pacífico.
      Que possamos ser dignos da verdadeira redenção quando todos os homens se unam irmãmente em Sua adoração.

      Excluir
    8. Eu tenho esse manifesto e já o publiquei aqui na íntegra por achá-lo a síntese da integridade moral do Judaísmo verdadeiro.
      Evoé, Neturei Karta!

      Excluir
  6. Oi FABIANO,

    cada um dos itens acima tem resposta sim, algumas inclusive simple.............

    Porém como diz um esquartejador:...........vamos em partes, ......cada dia responderei a uma:

    CRUZ VERMELHA:

    Caros senhores, algum dos senhores é inocente o suficiente e acha que quando alguma comissão de assuntos nucleares visita o Irã para conhecer seu programa nuclear, estes mostram tudo "de cabo a rabo", ou só mostram aquilo que lhes convém???

    Se algum dos senhores recebe um comunicado que uma comissão do ministério do trabalho, de higiene, etec, vai visitar vossas empresas ou comércios, os senhores não vão se preparar para receber da melhor forma possível e redimir e escamotear eventuais dúvidas ou questionamentos???

    A lógica já diz tudo, ...............

    A Alemanha nazista não fugiu a regra, a cruz vermelha não fez uma visita surpresa e sim previamente agendada e programada e os Alemães seguiram os procedimentos lógicos e por mim ácima enumerados a risca.

    Sobre esta questão salta aos nossos olhos o depoimento da sobrevivente tcheca do holocausto Helga Weiss, cujo livro em breve chegará ao brasil, como segue:



    ""Terezin funcionáva como uma escala antes de Auschwitz e de outros campos de extermínio . Era alardeado pelos alemães como um lugar modelo - mentira deslavada que um comitê internacional da Cruz vermelha engoliu, na famosa visita que fez ali em 1944. Avisados da inspeção, os nazistas se esmeraram para dar ares de humanidade ao local: pintaram paredes, demoliram as camas de três andares e construíram uma escola de fachada. A comissão ficou sem entender o horror que era........ todos os dias, pessoas morriam às dezenas de tuberculose, tifo ou vítimas de catigos públicos ao estilo medieval. Certa vez mandaram um grupo para a forca. Era gente que tinha conseguido burlar a proibição enviar cartas para fora do campo...... e se alguém ousasse reagir ou fugir de Teresin, outros pagavam da forma mais terrível possível: a deportação imediata para Auschwitz.""

    Acho que qualquer comentário adicional é desnecessário......

    Como isto não saltou ao seus olhos sr. Fabiano???

    abraços, amanhã posterei outra.......

    Ricardo Mallamud
    ps. Sr. que assina como América do sul, há muito que o bom retiro deixou de ser reduto dos judeus, atualmente há muito mais coreanos e bolivianos que judeus, .................o sr. precisa se atualizar, .... inclusive no resto da postagem que o senhor escreveu pareceu ter um ranço idéias pré concebidas,dogmas e mitos......coisa bem antiga

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No detalhe principal, sr. RICARDO, concordo em "genro, úmero e degrau": sempre que qualquer pessoa vai receber uma visita, ela procura reduzir a bagunça, ajeitar as coisas,...

      Porém, eu tenho o original do relatório da Cruz Vermelha, em francês. Um dia, encontrarei alguém ou algum programa confiável de tradução para traduzi-lo. Por enquanto, veja esses trechos já traduzidos e perceba que a coisa é bem mais abrangente do que o dito pela sobrevivente:

      http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2011/12/amigos-e-amigas.html

      Tais "detalhes" não saltaram aos seus olhos, sr. Ricardo?
      Abraços. Até a próxima.

      PS. Pretendo comprar o livro da Helga.

      Excluir
    2. Ricardo Mallamud,

      Judeus são famosos pelo comércio

      Conheça as histórias de alguns descendentes que construíram suas vidas no Bom Retiro

      http://vejasp.abril.com.br/materia/judeus-sao-famosos-pelo-comercio

      Escola renascença

      http://www.renascenca.br/template/v5/index.php?IDMENU=403

      Purim no Bom retiro

      http://www.portaldobomretiro.net/novo/noticias/3-noticias/424-jdeus-do-bom-retiro-comemoraram-a-festa-de-purim-.html

      Imigração judaica no Brasil

      http://www.conib.org.br/comunidades.asp?id=26

      Deixo fonte não tendencioso de um judeu chamado "Israel Shamir." Negador do Holocausto.

      http://rense.com/general66/passt.htm

      Obrigado pela atenção.

      Excluir
    3. Ricardo Mallamud,

      RELATÓRIO DA CRUZ VERMELHA NEGA HOLOCAUSTO JUDEU


      http://socialismonacional.spaceblog.com.br/1184356/RELATORIO-DA-CRUZ-VERMELHA-NEGA-HOLOCAUSTO-JUDEU/

      Excluir

    4. De acordo com o caderno especial DNA Paulistano realizado pelo jornal Folha de São Paulo no ano de 2008, a população do Bom Retiro está composta por: católicos (61%), evangélicos (13%), pessoas sem religião (9%) e outras religiões (17%)

      Excluir
    5. Caro Fabiano,
      Eu falo Francês, quis entender desta forma que como não conseguiu tradutor confiável, você repetiu aquilo que vemos a exaustão em demais sites revisionista, alias somente nestes........

      segue resposta:

      Você diz em resumo:

      Um relatório sobre a visita a Auschwitz de delegados da Cruz Vermelha Internacional realizada em setembro de 1944 assinalou que era permitido aos prisioneiros receber pacotes e que não se pôde verificar os rumores sobre câmaras de gás.

      Eu digo:

      Não se pôde verificar os rumores sobre as câmaras de gás porque se proibiu expressamente os delegados de visitarem os Krema de Auschwitz, onde estavam as câmaras de gás e os crematórios. Só os levaram somente as zonas do enorme complexo que alojavam os prisioneiros que não iam ser exterminados. Havia alguns prisioneiros de guerra aliados em Auschwitz, vivendo em condições razoáveis, mas que sabiam dos gaseamentos e o mencionaram aos delegados da Cruz Vermelha.

      Por exemplo, o antigo SS-Untersturmführer Dr. Hans Münch confirmou isto em seu testemunho perante o Tribunal Internacional de Nuremberg (Trial of the Major War Criminals, 1948, Vol. VIII, p. 313-321). Disse:

      Fui testemunha repetidas vezes de diversas visitas guiadas de civis e delegados da Cruz Vermelha, e pude comprovar que a direção do campo preparou tudo magistralmente para dirigir estas visitas de tal maneira que os visitantes não vissem o mais mínimo tratamento inumano. Só se mostrava o campo principal, e neste campo principal estavam os chamados blocos de exposição, sobretudo o bloco 13, que estavam especialmente preparados para estas visitas guiadas e que estavam equipados como um barracão normal de soldados, com camas com lençóis, e serviços que funcionavam.


      No "Relatório Lüftl", o suposto especialista(expert) revisionista Walter Lüftl menciona um relatório enviado aos comandantes dos campos de concentração. De acordo com Lüftl, é dito:

      ""Não se deve mostrar nem o bordel nem os crematórios durante as visitas ao campo. Não se deve mencionar a existência destas instalações às pessoas que visitem o campo...""

      A própria Cruz Vermelha em seu site, informa que foi impossibilitada de fazer uma vistoria no campo de acordo com os padrões, e que quando estes eram autorizados eram visitas orquestradas, conforme narrado pelo “revisionista” Walter Lüftl.

      fim da parte 1

      Excluir
    6. Parte 2 - Continuação

      Sobre um suposto documento que a Cruz Vermelha emitiu com a quantidade de mortos por campo de concentração que é espalhado em sites neonazistas e antissemitas, além de comunidades nos sites de relacionamento, a Cruz Vermelha emitiu um comunicado em 11 de outubro de 1965 e que foi publicado no livro Legenden, Lügen, Vorurteile editado pelo historiador alemão Wolfgang Benz e outros, nas páginas 107 a 112, segue abaixo trecho do livro e da carta traduzida por, Roberto Muehlenkamp :


      “Não é possível, contudo, indicar um número absoluto com exatidão matemática. Este fato tem vindo a ser utilizado durante décadas por extremistas de direita e neo-nazis para diminuir ou negar completamente a dimensão do Holocausto. As suas "provas" consistem em truques estatísticos, alegadas declarações do Cruz Vermelha Internacional ou da ONU e repetidas tentativas de demonstrar a impossibilidade técnica do extermínio em massa em Auschwitz e outros campos de extermínio ou a falsidade das provas reais.

      A "fonte" mais antiga, mas que continua a ser citada, é uma alegada constatação oficial da Cruz Vermelha nos primeiros anos depois da guerra, segundo a qual houve um máximo de 300.000 vítimas de perseguição racista, religiosa ou política. Esta indicação, propagada primeiro em jornais suíços e depois entre extremistas de direita alemães, é uma invenção de partes interessadas, conforme se depreende da Declaração do Comitê Internacional da Cruz Vermelha perante o Instituto de História Contemporânea em Munique de 17 de Agosto de 1955.

      Dez anos mais tarde, em 11 de Outubro de 1965, a Cruz Vermelha novamente se distanciou decididamente: "Gostaríamos que ficasse claro que o Comitê Internacional da Cruz Vermelha em Genebra não tem absolutamente nada a ver com estas afirmações. Estatísticas sobre perdas na guerra e as vítimas de perseguições políticas, racistas ou religiosas não fazem parte da sua área de competência, nem nunca fizeram. Mesmo tratando-se de prisioneiros de guerra (que se encontram protegidos desde 1929 por um acordo internacional e para os quais, como é do vosso conhecimento, possuímos uma Central de Procura) não nos atrevemos a indicar números, uma vez que estamos bem conscientes de que não podemos estar na posse de todas as informações respeitantes a este grupo de vítimas de guerra. Tanto mais estamos obrigados a abster-nos de qualquer estimativa quando se trata de civis que naquela altura não estavam protegidos por qualquer convenção e, portanto, estavam quase completamente fora do alcance da ação da Cruz Vermelha.”

      fim da parte 2

      Excluir
    7. parte 3 - continuação

      Em uma publicação oficial feita em 27 de janeiro de 2005, no 60 aniversário da liberação de Auschwitz, o CICV disse:


      ""Auschwitz também representa a maior falha na história do CICV, falha que foi agravada pela falta de decisividade por parte da organização para tomar decisões que ajudassem as vítimas da perseguição nazista. Esta falha permanecerá como parte da memória do CICV, tal como os atos de coragem de delegados individuais do CICV da época.""


      Seguem as fontes:


      http://www.icrc.org/eng/resources/documents/misc/68zeb2.htm




      http://www.icrc.org/eng/resources/documents/statement/68zeb2.htm

      Segue mensagem em português da Cruz Vermelha:

      O fracasso mais evidente do CICV foi a falha para afirmar seu direito de ação humanitária em nome dos civis nas áreas ocupadas ou deportados para os campos de extermínio. Seu fracasso como uma instituição para se opor firmemente à perseguição nazista foi apenas um pouco atenuado pela ação heróica de alguns de seus delegados, que trataram de ajudar aqueles condenados à morte. A falta de ação do CICV durante o Holocausto é sinônimo de tragédia na memória da instituição.

      fonte: http://www.icrc.org/por/who-we-are/history/second-world-war/overview-2-world-war.htm

      Por ora é tudo, solicito que mantenha esta postagem para que eu possa responder todas as vossas dúvidas, hoje se ainda houver tempo escreverei porém devido a viagem mais provável na segunda, se houver outra postagem os leitores perderão o foco,.....

      Fico pensando se um dia fosse reafirmado aquilo que todos já sabem, que o holocausto aconteceu. Toda essa lealdade aos revisionistas e negadores viraria o quê? Como lidariam com a raiva e a vergonha de serem enganados por tanto tempo? Como agiriam sabendo que serviram nada mais nada menos para semear o ódio e estigmatizar todo um povo? que este papo de anti-sionista é nada mais nada menos que dizer que é anti-semita, ou seja o mesmo lado da moeda como outra denominação??

      Ficaria grato se vc. for sensível e atender meu pedido

      grato
      Ricardo Mallamud
      ps.: o livro da helga já se encontra nas livrarias editado pela editora intrísica.........boa leitura

      Excluir
    8. Uma questão ao senhor Ricardo Mallamud:
      Não vou me estender ponto a ponto nas suas explanações que me pediu para não publicar ainda. Mas, por acaso, o senhor seria daqueles que colocam os depoimentos de testemunhas à frente das provas forenses (e TODAS as que existem no caso dos "campos de extermínio" da 2ª guerra contrariam as testemunhas)?
      Se sim, nossos papos não frutificarão, porque eu nunca as colocarei e suas explanações (ainda que interessantes) não terão eco, pois se baseiam em palavras (que o vento leva), não em fatos concretos (que vida marca).

      Excluir
    9. Fabino,
      não pedi para o senhor não publicar meu comentário, que alias está dividido em 3 partes, apenas pedi para não publicar novo tópico (o que já ocorreu) enquanto este assunto motivo deste tópico não se finalize...........o assunto é relatório da Cruz Vermelha, e a resposta se baseia em item acima e link de artigo que o senhor publicou anterior, e ficaria grato se publicasse meus comentários..........obrigado Ricardo Mallamud

      Excluir
    10. Perdoe-me pela interpretação errônea deste pedido ("solicito que mantenha esta postagem para que eu possa responder todas as vossas dúvidas"). Pensei que era pra mantê-la guardada para uma futura e completa leitura. Seus comentários aí estão.
      Mas manterei minha pergunta, sem que isto o impeça de expor todas suas ideias e opiniões sobre o assunto. Afinal, posso acrescentar ou incrementar minhas ideias com qualquer coisa que tenha boa validade.
      Grato e, mais uma vez, desculpe pela falha.

      Excluir
  7. Existe um banco judeu no bairro de Bom Retiro, no momento não me recordo o nome, que faz financiamento e empréstimos apenas para judeus.
    Caro amigo America do Sul, infelizmente com muita agonia e tristeza tenho que concordar com o entendido de festas e buffet o judeu ricardo/arthur/zico/mallamud ..etc..,
    o bairro não é mais reduto deles, apesar de existir o banco que citei, eles estão mais estabelecidos em bairros nobres como higienóplois e regiao dos jardins.


    EDUARDO-SP

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. EDUARDO-SP,
      Minha informação não falsa,que chega ao meu conhecimento é que o distrito Bom Retiro trata-se de uma região comercial, com áreas industriais e residenciais.
      Os primeiros habitantes foram os europeus na sua maioria Italianos.Os judeus vieram depois.
      Eles os judeus eram mascates.Hoje no meu ver,concordo com você sobre á migraçao;porém classifico como colonia locatário coreana e Bolivianos escravos.

      Já no video abaixo judeus comemoram 129 anos de colonia judaica.

      Bom Retiro 129 anos - Levy Abuleac - Colonia Judaica

      http://youtu.be/-h4BIXYzpzA

      Quanto ao anônimo - Pesquisa caderno especial DNA Paulistano - Falo de etnias e não religiões.

      Excluir