Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


sexta-feira, 26 de abril de 2013

Pérolas.

Amigos e amigas.
Vejam algumas pequenas pérolas que são escondidas do grande público no assunto 2ª Guerra Mundial.

Em 26 de outubro de 1943, quando se afirma que milhões de judeus estavam sendo exterminados nos campos de concentração, o SS-Gruppenführer Oswald Pohl enviou a seguinte notificação geral para os comandantes de 19 campos de concentração. Ela se encontra no "Archiwum Muzeum Stutthof (I-1b-8, p. 53.)":

No âmbito da produção de armamentos alemã, graças a esforços de melhoria que foram realizados nos últimos 2 anos, os campos de concentração tornaram-se de importância decisiva na guerra. Do nada, temos construído obras de armamentos inigualáveis.

Nós agora temos que redobrar nossos esforços para garantir que os níveis de produção alcançados até então não sejam apenas mantidos, mas melhorados. Isso será possível, contanto que as obras e fábricas permaneçam intactas, apenas por manutenção e mesmo a melhoria da capacidade de trabalho dos presos.

Em anos anteriores, dada a política reeducacional do tempo, não importava muito se um prisioneiro poderia ou não realizar um trabalho útil. Agora, no entanto, a capacidade de trabalho dos presos é importante e todas as medidas dos comandantes, diretores dos serviços de ligação e médicos devem ser estendidas à manutenção da saúde e da eficiência dos prisioneiros. Não de simpatia falsa, mas porque precisamos deles com seus braços e suas pernas; porque eles precisam contribuir para uma grande vitória para o povo alemão, devemos ter o bem-estar dos presos no coração.

Eu quero que este seja o objetivo principal: não mais de 10% de todos os presos podem estar impossibilitados de trabalhar devido a doenças. Todas as pessoas responsáveis devem trabalhar em conjunto para alcançar este objetivo. Isso vai exigir:

1) Alimentação adequada e apropriada;
2) Vestuário adequado e apropriado;
3) Utilização de todas as medidas de saúde naturais;
4) Anulação de todo o esforço não necessário para o desempenho do trabalho;
5) Prêmios por desempenho."
 
O Campo de Concentração de Stutthof, situado 36 km a leste de Dantzig é mencionado por Hilberg em sua obra gigantesca apenas quatro vezes, mas é de suma importância para a compreensão da política judaica alemã. Entre 29 de junho e 28 de outubro de 1944, Stutthof recebeu mais de 50.000 judeus, que foram enviados da região do Báltico (Kaunas e Riga) e também de Auschwitz. Algumas das listas de deportação podem ser inspecionadas no "Archiwum Muzeum Stutthof, I-II B- 11 (Transport lists)". Dos judeus que vieram de Auschwitz, 11.464 eram de Lodz e 10.602 eram da Hungria (segundo Danuta Drywa, em seu livro "Ruch transportów miêdzy Stutthof i innymi obozami"). Também um considerável número de judeus transportados para Stutthof de Riga e Kaunas eram Húngaros, segundo o Museu de Stutthof.
Em 19 março de 1944, Adolf Eichmann teve uma reunião com os líderes da comunidade húngaro-judaica. Ocorreu o seguinte, segundo Raul Hilberg:
"Durante a reunião, Eichmann realizou um dos maiores espetáculos de sua carreira. Nas palavras do historiador Levai, ‘ele praticamente hipnotizou o Conselho Judaico e, através desse corpo, o conjunto dos judeus húngaros
Eichmann começou seu discurso dando aos judeus reunidos as más notícias. Primeiro, disse ele, os batalhões de trabalho judaico teriam de ser aumentados. No entanto, ele assegurou a seus ouvintes que os trabalhadores judeus seriam bem tratados e que poderiam até ser autorizados a regressar para casa à noite. Segundo, uma ‘Judenrat’ teria que ser formada com jurisdição sobre todos os judeus na Hungria. O Judenrat teria que atuar como um canal para as ordens alemãs, como um financiamento central e a agência de tributação, e como uma central depositária de informações sobre os judeus húngaros. Terceiro, a ‘Judenrat’ teria de publicar um jornal que conteria todas as ordens alemãs. [...]
Os judeus ficaram aliviados. Agora eles sabiam o que tinham de fazer. Inclinando-se uns sobre os outros, começaram a elaborar planos para a sua Judenrat. [...]
Ao mesmo tempo, o Conselho dirigiu um manifesto à população judaica para manterem a disciplina e obedecerem às ordens:
‘Ao receberem ordens do Conselho Central, é dever de cada pessoa se apresentar no local e hora indicados'”.

Daí, vem o Dr. Rudolf Kastner, o ex-co-presidente da Associação Húngara sionista, e dá este relato:
Em Budapeste, tivemos uma oportunidade única de acompanhar o destino da judiaria européia. Nós tínhamos visto como estavam desaparecendo um após outro do mapa da Europa. No momento da ocupação da Hungria [ou seja, março de 1944], o número de judeus mortos ascendeu a mais de cinco milhões. Nós sabemos muito bem sobre o trabalho das Einsatzgruppen. Sabíamos mais do que era necessário sobre Auschwitz... Nós tivemos, logo em 1942, um quadro completo do que estava acontecendo no Oriente com os judeus deportados para Auschwitz e do extermínio em outros campos.

Contraditório é pouco! Tantos documentos atestando mil e uma deportações de Auschwitz e tantos outros campos, ou demonstrando a necessidade premente de trabalhadores para o esforço de guerra alemão ou, ainda, mostrando que os líderes judaicos estavam em contato com os líderes de Hitler em pleno 1944, mas continuam afirmando que os "campos de extermínio" funcionavam a pleno vapor.

Na p. 564 de seu livro "A destruição dos judeus europeus", Raul Hilberg fornece uma lista das “mais importantes empresas com a força de trabalho judaica”; existem 17 empresas na lista. Jurgen Graf, em seu livro "O gigante com pés de barro" faz o seguinte comentário:

"A idéia absurda de que os alemães, necessitando urgentemente de trabalhadores, tinham cruelmente aniquilado um imenso número de exatamente esses trabalhadores (judeusé singularmente embaraçoso para os defensores da teoria de extermínio. Eles regularmente recorrem ao argumento de que apenas judeus inaptos para trabalho foram gaseados e que aqueles aptos para o trabalho foram deixados vivos. Esta evasão contradiz totalmente a afirmação desses mesmos historiadores que os alemães indiscriminadamente gasearam todos os judeus, independentemente da idade ou de saúde, em quatro dos seis campos de extermínio e, assim, destruíram centenas de milhares de trabalhadores potencialmente valiosos. Se tivesse havido uma política de aniquilação, deveria ter havido alguma lógica para isso, mas não há lógica reconhecível na política que Hilberg e seus consortes atribuem ao regime nazista."

Tais pérolas, sempre que reveladas, só aumentam o desespero dos 'exterminacionistas'.
FAB29

39 comentários:

  1. Boa tarde Fabiano e demais leitores do Blog,

    Li atentamente as duas ÚLTIMAS POSTAGENS e fui procurar em meus ALFARRÁBIOS o que poderia HAVER de VERDADE nas FÁBULAS contadas por esses CRÁPULAS, que ganham a vida contando MENTIRAS, nas edições dos PERIÓDICOS da ÉPOCA, não está estampada uma única linha dizendo que esses ASSASSINATOS em MASSA OCORRERAM, exemplo em um deles na EDIÇÃO DE 21 DE JUNHO DE 1944 na primeira página estampa a seguinte manchete "GUERRA CIVIL NA ALEMANHA" um FATO que não ocorreu mas os ingleses OUVIRAM pela rádio, mas não OUVIRAM e nem VIRAM nenhum ASSASSINATO em MASSA..., em outro periódico a primeira página estampa a seguinte noticia "INICIADO O ASSALTO ÀS FORTIFICAÇÕES DE CHERBURGO" e também nessa edição nada é mencionado sobre os tais ASSASSINATOS em MASSA...
    Afinal esse NÚMERO DE 6 MILHÕES de MORTOS CRUELMENTE ASSASSINADOS NAS TAIS CÂMARAS DE GÁS seria uma NOTICIA MUITO MAIS ATRAENTE para o PÚBLICO e propiciaria uma INTERVENÇÃO IMEDIATA de todos os governos para que a tal CARNIFICINA fosse INTERROMPIDA, mas como diria Dona Milú "MISTÉRIO" NADICA de NADA, nem mesmo uma virgula para dizer que as pobres vítimas do holocausto haviam morrido, que pena!
    Com a DIGITALIZAÇÃO dos periódicos a FARSA CAIRÁ MAIS RÁPIDO.
    A não ser que REFAÇAM todo o JORNAL...
    Continue a busca pelas tais pérolas isso é muito bom e causa DESESPERO NOS FISCAIS do sionismo.
    Abraços,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo Ragi, os 'fiscais' (prefiro 'aspones') não pararam um dia sequer de lançar seus 'comerdários' aqui. Boa parte deles foi pro 'saco emético'. Estou cumprindo à risca minha função de administrador, zelador, censor, faxineiro, etc, do blog.
      Meus distintos visitantes não tem que se poluir com a podridão dessa tropinha de inúteis. Mas mesmo esses zeros, demonstrando um mínimo de contenção de suas verborragias nefastas, serão publicados. Não quero só flores. Adubo é muito necessário, também.
      Abraço.

      PS- Se tiver algum link com pérolas, poste aqui.

      Excluir
  2. Obrigado por mais essa, Fabiano! E saiba que seu blog é, hoje, um dos mais informativos do revisionismo em lingua portuguesa!
    Leonardo - JF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rapaz, quem me dera tanto! Mas eu me esforço. Há muito parei de suportar passivamente tanta podridão que tentam jogar em mim. As duas frases no logo do meu blog precisam ser seguidas à risca.

      Eu não tenho nenhum ódio de nada, nem ninguém. Mas é impossível não sentir raiva de tantos tipos de iniquidades que nos assolam a todo instante, a soldo dos "donos da carne podre'. Meu pior sentimento a eles é o desprezo.

      E por causa deste sentimento, eu criei este espaço para contestar, criticar e condenar tudo o que eles fazem. Reter tais revoltas é adoecer em todos os sentidos.

      Grato pelas palavras. Apareça sempre.

      Excluir
    2. Olá, Fabiano! Estou aqui diariamente! Quanto aos "aspones" que rastejam por aqui, já disse e repito: são mais maliciosos que estúpidos, pois buscam, com ofensas e palavrões, que alguem se irrite e publique algum comentário "racista" para que possam, na justiça, carimbar o site como "criminoso" e, então, censurá-lo! Quanto à importância do Palavra Livre, esteja certo de que há muitos e bons sites revisionistas em lingua portuguesa, mas poucos com o volume e a qualidade da informação apresentada aqui!
      Abraços!
      Leonardo - JF

      Excluir
    3. Pois é, caro amigo.
      Eu bem que gostaria de publicar alguns dos 'comerdários' dessa 'tropinha de inúteis'. Mas a podridão se faz patente e meus visitantes não têm de ler tais coisas eméticas.
      Eles dizem que eu "nego o holocausto". Eu nego PONTOS IMPOSSÍVEIS dele. Não tenho culpa se as 'testemunhas fidedignas' os contaram.
      Insistem que tenho ódio e preconceito contra os judeus. Eu tenho é DESPREZO pela cúpula sionista que faz do mundo o que bem entende. Admiro tanto o povo judeu quanto o muçulmano.
      A única coisa mais correta é quando dizem que sou a favor da pena de morte. Para crimes hediondos, sim. Lembra o recente caso dos dois assaltantes que mataram uma dentista ateando fogo nela só porque ela não tinha dinheiro na conta? Para mim, isto não tem perdão.
      No mais, agradeço por suas palavras.
      Abraço.

      Excluir
    4. proud to be a Zionist29 de abril de 2013 11:07

      Grande Leonardo disse:

      ""Obrigado por mais essa, Fabiano! E saiba que seu blog é, hoje, um dos mais informativos do revisionismo em lingua portuguesa!""

      Isto foi um elogio, ou vêm demonstrar que o informe revisionista em língua portuguesa anda meio caido!!!!!!!!

      Mistérios REVISIONISTAS................

      Excluir
    5. Já os informes holocaustistas estão fortes e saudáveis! Quando provarem as impossibilidades que as 'testemunhas fidedignas' juram ter visto, adeus revisionismo!
      Mas até lá,...

      Excluir
    6. A ti, Oh Pequeno Orgulhoso:
      Sim, o Palavra Livre merece meus respeitos e elogios. Não só por sempre considerar a respeito das teses revisionistas, mas, principalmente, por oferecer aos "exterminacionistas" ocasião de pelejar no campo das ideias, quando o desejaram. Mas, até hoje, ainda não vi. Deles, os "holocaustistas", ouço, no máximo, latidos. Mas, não conseguem latir melhor que uma ovelha. Continuo, portanto, aguardando a presença de um verdadeiro sionista, que nos apresente algum argumento contrário às teses revisionistas, já que os estúpidos úteis que até hoje por aqui se aventuram parecem ter o intestino grosso ligado diretamente ao cérebro.
      Leonardo - JF

      Excluir
    7. Proud to be a Zionist30 de abril de 2013 07:21

      Leonardo,
      estão é melhor acompanhar as postagens, o relatório da cruz vermelha, as estatísticas populacionais e a origem de Stalim entre outras já foram devidamente desmistificadas..............boa tentativa

      Excluir
    8. "Desmistificadas" na distorcedora versão sionista.
      Eu sempre digo que você e seus pares têm toda a razão de não assumirem o que são e pensam, pois quando seu mundo se esboroar, vocês poderão se misturar aos decentes sem serem notados.
      Pelo menos, vocês creem nisto.

      Excluir
    9. Proud to be a Zionist30 de abril de 2013 08:59

      ...Fabiano, eu assumo que sou sionista e o que penso, quanto ao meu mundo se ""esborar"", cá entre nós,em que planeta vc. vive???.....^cadê a realidade???.....sua sorte por ser uma pessoa insignificante, de uma cidade insignificante com um blog insignificante que quando as mentiras revisionistas caírem por terra,vc. continuará na mesma................insignificante...........cá entre nós vc. levou muito a sério aquilo que o Leonardo falou........rsrsrrs

      Excluir
    10. Quase verdadeiro.
      1º, vocês não assinam seus 'comerdários', ocultando-se na virtualidade da internet (pelo menos, creem nisto).

      2º, sou bem menos insignificante que você, visto que sua vida é vazia o suficiente para você bater ponto aqui.

      3º, o revisionismo não pode ser mentira, visto que ele só contesta as partes mentirosas da História Oficial (ou "ofalsial"), na qual se baseia 100%.

      4º, eu só levo a sério a vida. E uma grande alegria minha nela é não ser capacho.

      e 5º, "pelamordedeus", pelo menos, copia direito: é "esboroar".

      Excluir
    11. Ora, Pequeno Orgulhoso! Você não é de fato um sionista, mas apenas alguém, por estupidez, simpático à causa sionista. O verdadeiro sionista defende sua causa por razões políticas e não porque o pastor disse que se dessa forma não agir irá para o inferno

      Excluir
    12. Proud to be a Zionist30 de abril de 2013 11:30

      Fabiano, todas minhas postagens são assinadas, e aproveito as opções por vc. mesmo disponibilizadas, ora, se não for assim altere........têm razão em algo, ao postar em um lugar insignificante me torno insignificante, parabéns vc. está certissimo, as vezes temos que reconhecer, ando perdendo meu tempo a toa.....sua visão de mentira da historia é que está errada, portanto quando perceber isto verá que caiu nas artimanhas de pessoas que usam o revisionismo apenas para difundir ódio e racismo........eu já tinha percebido que vc. só leva a vida, sendo professor de artes e funcionário público sem grandes ambições, com pouquissima chance de ser algo não podia almejar mais nada que isto, contente-se realmente com esta ""mecheca"" que a vida te disponibilizou,........quanto a ser capacho depende do referêncial, a partir do momento que vc. repete e copia aquilo que os revisionistas repetem a exaustão está sendo capacho deles...........passar bem...........caro Anônimo os sionistas não têm pastor, pastor é coisa de protestante e evangélico...................

      Excluir
    13. Realmente patético.
      Jamais tirarei o direito de você e seus pares se esconderem. Mas que vocês preferem não se revelar, assumindo cada palavra, por covardia ou sei lá o quê, é fato consumado.

      Você reconhece estar perdendo seu tempo à toa?!? Precisou um "insignificante" lhe mostrar o óbvio?! Que grande homem...

      "Artimanhas do revisionismo"?!? "Difundir ódio e racismo"?!? Desde quando mostrar que a História foi escrita errada é tudo isso? Só na sua (falta de) mentalidade.

      O que eu repito e copio do revisionismo são seus questionamentos acerca das falcatruas e impossibilidades que os 'donos da carne podre' criaram e financiam. Ao contrário de vocês, partidários holocaustistas, que ajoelham no milho pelas impossibilidades já muito citadas.

      Excluir
    14. Proud to be a Zionist30 de abril de 2013 12:19

      A última coisa que os revisionistas querem é mostrar a verdade, leia castan, veja o blog inacreditável, leia farryson e assim por diante, não é a toa que para estes o mesmo fato têm várias interpretações diferentes........sabe Fabiano, paro por aqui , cai na real e vc. me mostrou o óbvio, muito obrigado, não vou mais perder meu tempo, realmente precisou um insignificante para me mostrar a real, pelo menos para alguma coisa vc. serve...........

      Excluir
    15. Para "parar por aqui", também, finalizo:
      - Já li um monte de livros e textos DOS DOIS LADOS. Quem começou tudo? Os sionistas. Quem contou um montanha de histórias meio verídicas? Os vendidos. Quem lucra até hoje toneladas de dólares com elas? Os 'ixpertos'! E o que o revisionismo faz? Expõe essas falcatruas. Como "bom sionista", você não pode aceitar.
      - Basta cerca-los um pouquinho e vocês "me dão um tempo". Você "re-voltará", com outra alcunha, como já o fez.
      - "Farryson"?!? Saia de fininho, cara, e vai pela sombra.

      Javé o abençoe.

      Excluir
  3. Boa tarde Fabiano, "in passant" pela TV Senado deparei-me com uma entrevista e a qual praticamente estava em seus momentos finais, mas a "figura" que estava a RELATAR suas agruras era um "sobrevivente" do HOCOCONTO, Samuel Rozenberg, em dado momento o tal samuel conta que quando estava "SOB A GUARDA" de um casal belga sofreram uma "BATIDA" por parte da SS, ele muito criança estava apavorado com os homens de negro da Wermacht, TREMIA demais pois ficou com medo de que os "SS" o mandassem BAIXAR as CALÇAS e descobririam que ele era um SEGUIDOR da SEITA judaica, sua "MADRINHA" deu-lhe uma prato de sopa... ISSO FOI A GOTA D'ÁGUA, estava tremendo e lhe dão um prato de sopa para segurar?
    Mas o mais INCRÍVEL foi que após terminada a GUERRA "MEIO" MUNDIAL ele se encontra com seu pai e se dirigem para o "BRAZIL"
    Esse cardiologista ministra palestras para nossas CRIANÇAS em escolas...
    Nem dona Milú consegue...
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ô, Ragi! Você só pegou um trecho? Veja-a por inteiro:
      http://www.senado.gov.br/noticias/tv/programaListaPadrao.asp?ind_click=5&txt_titulo_menu=&IND_ACESSO=S&IND_PROGRAMA=S&COD_PROGRAMA=7&COD_VIDEO=236146&ORDEM=0&QUERY=&pagina=1

      Pipoca, refri e um lençol para as lágrimas.
      Divirta-se!
      Abraço.

      Excluir
    2. Proud to be a Zionist30 de abril de 2013 07:30

      Caro Ragi, o da pérola de Stalin, dei grandes risadas de vossa postagem, vc. questiona que deram uma sopa para acalmar, como sendo a ""gota d'água"", ora realmente uma prova incontestável de uma incoerência de um sobrevivente, ainda se ele dissesse um chá de camomila,um suco de maracujá, um calmante como Frontal,..........rsrrsrs......realmente inacreditável...........ps. que sorte que ele e seu pai tenham sobrevivido, não acha??..........

      Excluir
  4. É pequeno "orgulhoso" para você ver como os METICULOSOS HOMENS DA SS eram RELAPSOS, um menino se "kGNDO" em uma TREMEDEIRA e sua madrinha lhe dá um prato de sopa para segurar?
    Nenhum respingo da ÁGUA DE BATATA que intitulavam de sopa na roupa impecável dos HOMENS DA WERMACHT?
    É pequeno orgulhoso muita sorte mesmo...
    Isso é mais uma FÁBULA sionista contada para os IMBECILIZADOS pela FÉ acreditarem.

    ResponderExcluir
  5. Fabiano:

    Esta postagem me fez lembrar uma polêmica envolvendo o historiador David Irwing nos anos 70, com o seu livro A GUERRA DE HITLER.

    Nele o autor demonstrava que não houve nenhum documento ou plano com ordem de Hitler determinando o genocídio dos judeus ou qualquer outro grupo em especial.

    Como era esperado, causou um terremoto nos meios acadêmicos.

    Até então a maior parte dos livros de história, quando tratavam deste assunto, sempre mencionavam ordens expressas de Hitler ordenando a Solução Final.

    As ordens mostradas nos livros careciam de qualquer fonte documental. Eram baseadas em declarações de terceiros, que ouviram de segundos (já mortos) que, teoricamente teriam ouvido pessoalmente de Hitler. Geralmente cheias de contradições quanto às datas e testemunhos.

    Apesar da polêmica ele venceu as hostilidades devido a dois fatores:

    1. um excelente conhecimento documental sobre a II GM, diferente da maioria dos historiadores que se contentam em citar uns aos outros.

    2. uma competente defesa de sua tese que acabou por ser reconhecida pelo establishment oficial – como, por exemplo, Eric Hobsbawn, conhecido historiador judeu e marxista em seu artigo QUANDO A PAIXÃO CEGA A HISTÓRIA, onde ele faz uma surpreendente defesa de Irving, diante da disputa que teve com Deborah Lippstad.

    Em função disso, os livros contendo as supostas ordens de Hitler, tiverem de ser reeditados, retirando as supostas “ordens expressas” – inclusive do Sr. Hilberg – ou então saíram de circulação.

    Com o tempo a historiografia oficial fixou a Conferência de Wansee – ocorrida em 20.01.42 - como sendo o marco inicial da Solução Final.

    Esta versão ainda se mantém apesar de, aos poucos, está sendo esvaziada pela mesma historiografia em termos de importância.

    José Augusto Landini.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso, Landini.
      Os sionistas afirmam que Irwing (assim como Henry Ford e David Cole) se arrependeu, se retratou e até se desculpou pelas suas "falhas de análise e exposição de ideias". Mas só ele e quem sofreu um massacre processual e midiático como ele sabe o que é tal pressão.

      Quanto à Conferência de Wansee, posso citar ninguém menos que Yehuda Bauer, da "Hebrew University" em Jerusalem" e ex-diretor do Yad Vashem. Ele afirmou ao "The Canadian Jewish News":

      "The public still repeats, time after time, the silly story that at Wannsee the extermination of the Jews was arrived at."

      É possível ser mais direto?
      Abraço.

      Excluir
    2. Sr. Landini,

      vejo os seguites pontos positivos sobre David Irving

      Sobre David Irving e seu livro Hitler's War, ele não nega o holocausto, apenas joga a responsabilidade para os assintentes de hitler, o que acho particularmente impossivel.

      o extermínio dos Judeus tinha sido mandado e organizado pelo Reichsführer SS Heinrich Himmler sem o conhecimento de Hitler. Em Hitler’s War, Irving escreveu:

      “Por 1942, a maquinaria para o massacre reunia energia – com tal refinamento e talento diabólico de Himmler que os que dirigiam os campos de extermínio hierarquicamente abaixo talvez só setenta homens estavam cientes da verdade”.

      Sobre David Irving, Jurgen Graf, escreveu:

      Eu não sei quando será lançado o livro de David Irving sobre Heinrich Himmler, anunciado há muito tempo, mas eu temo já saber a tese central deste livro: sim, o Holocausto aconteceu, milhões de judeus foram de fato assassinados, porém, somente uma pequena parcela foi gaseada em Auschwitz. 2,4 milhões de judeus foram mortos de forma desconhecida em Belzec, Sobibor e Treblinka; entre um e dois milhões foram fuzilados na Rússia ou assassinados em carros de gás.

      Ele afirma que nos Campos Reinhardt Belzec, Sobibor e Treblinka não foram assassinados como Hilberg afirma, 1,5 milhões, mas sim 2,4 milhões de judeus, e oferece aos judeus uma suficiente compensação para as 900.000 vítimas das câmaras de gás de Auschwitz, que ele lhes roubou.

      David irving responde a um fax de jurgen graf:
      1. Na minha opinião, ocorreu um extermínio em massa nos supracitados três campos (não pode ser provado que foi efetuado pelo método de gás; como sabe, isso é altamente discutível).

      2. A prova:

      - A conhecida correspondência entre Wolff e Ganzenmüller no que diz respeito a Malkinia/Treblinka.

      - A ordem do Himmler para não deixar qualquer vestígio em Treblinka e para se construir, mais tarde, uma casa de campo naquele local.

      - Interrogatório a duas testemunhas… sobre Belzec, se a autenticidade [das suas declarações] poderem ser provadas.

      - A mensagem decodificada de rádio de Höfle de 1943 de janeiro e nesta conexão o relatório de Korherr.

      - A mensagem de rádio descodificada de Höfle de Janeiro de 1943 e a sua relação com o relatório de Korherr.

      3. Para 1942: O documento Höfle menciona um número de 1 274 166. Para 1942 e 1943, documentos de Himmler revelam a extensão dos despojos de Reinhardt – jóias, relógios, moedas. Baseado nesta informação, é possível adivinhar ou calcular um número aproximado de 1943, cerca de um milhão – O ‘Mufti’ Himmler fala em “três “milhões”.]

      Sobre seu julgamento o juiz declara:

      ""“No decurso do julgamento Irving modificou a sua posição: acabou por admitir que existiram gaseamentos de seres humanos em Auschwitz, mas numa escala limitada”

      Agora a conclusão patética de jurgen graf:

      ""Tomara que David Irving consiga ter a coragem de considerar os fatos, e com isso chegue às inevitáveis conclusões. Não há simplesmente para ele qualquer outro caminho para salvar sua honra e reconquistar sua credibilidade.""....lágrimas

      Vejam que não é o primeiro nem o último Revisionista a abandonar suas posições e concordar com a tese do holocausto, alias que este nunca negou...

      Ricardo Mallamud





      Excluir
    3. Claro que vou deixar a resposta pro Landini, mas agora que parei de rir, aconselho-o a ler "O gigante com pés de barro", onde o Jurgen Graf detona o pobre Raul Hilberg de fio a pavio.

      Excluir
    4. PS- Landini, bastou darmos uma cordinha que a tropa holocaustista mostra sua gana de transforma-la numa forca.
      Irwing, Cole e Ford são transformados em modorrentos motes por eles.
      Boa sorte. E paciência, lógico.

      Excluir
    5. Sr. Fabiano,

      que bom que o senhor achou graça......................

      Se o senhor perceber...................
      Quem detonou David Irving, não eu fui mas seu queridinho jurgen graff, e diferente de algumas postagens tenho como comprovar.

      Outra coisa, no livro citado hitler's war, que tenho certeza que o senhor leu, LEU NÃO LEU???.... David Irving, não nega o holocausto, vou repetir não nega o holocausto, apenas afirma que este foi praticado por assistentes de hitler sem o conhecimento deste último.......incrivel né!!!........até jurgen graff menciona isto..........está no livro e portanto até ele também faz parte da '''TROPA HOLOCAUSTICA""

      espero ter contibuido para agradar a sua tarde

      Ricardo Mallamud

      Excluir
    6. Sobre vosso queridinho jurgen graff qua até hoje não detonou absolutamente nada, note:

      Em 2002, enquanto estava na Estônia, Jurgen Graf foi entrevistado por Nikolaj Karajev. Aqui tem um trecho esclarecedor:

      [Nikolaj Karajev]- Qual é a sua atitude para com o Estado de Israel?


      [Jurgen Graf] – Israel não tem o direito de existir. O que fazer com os judeus? Nós somos pessoas cultas, não se pode exterminá-los. O que fazer com eles?...Eu não sei.


      Obrigado, obrigado Sr. Graf! Você é contra o extermínio de judeus. É muita gentileza.

      Excluir
    7. Fabiano:

      Respondendo ao seu questionamento, esclareço que mencionei o historiador David Irving, como já postei, pelo trabalho que fez em demonstrar a inexistência de um documento contendo uma ordem por escrito de Hitler, ou mesmo um plano específico ordenando o extermínio de judeus ou qualquer outro grupo específico.

      Inexistência que, a contra-gosto, os meios acadêmicos oficiais tiveram de reconhecer, como deixou claro Hobsbawn - no artigo já citado - e o próprio Hilberg, conforme está em sua postagem.

      O posicionamento dele a respeito do holocausto é uma outra questão bem distinta. que não entro no mérito. No mais, Irving nunca foi tido como pertencente a esta corrente chamada, de modo pejorativo, de revisionismo. No máximo um questionador de certos aspectos da história oficial da II GM.

      Quanto a David Cole, penso que é praticamente impossível um judeu ser revisionista ou mesmo questionar alguns aspectos desse tema, por inúmeros fatores de ordem cultural, social e psicológica.

      Mas isto já é uma outra história.

      José Augusto Landini.

      Excluir
    8. Eu não ri de você, sr. Mallamud. Ri da situação.
      Eu conheço várias 'detonações' que vários revisionistas fizeram contra Irwing pelo fato dele "ter dado pra trás", não ter suportado a pressão.
      Particularmente, eu não o culpo. Poucos suportariam tanta pressão estoicamente. Graf foi um dos mais veementes críticos dessa "acovardada" do Irwing.

      Não li "Hitler's war". Eu li "O gigante com pés de barro", onde Graf detona a obra máxima do holocausto ("A destruição dos judeus europeus"), do Raul Hilberg. Você também NÃO LEU, certo?!

      Lamento ter ferido sua suscetibilidade sionista. Você sempre "contibui" pra agradar minhas tardes e manhãs.

      Excluir
    9. É simples assim, caro Landini.
      A tergiversação sionista é o que me faz rir. Ela força a barra de todos por todos os lados, extrai a fórceps declarações e "confissões", dá uma ajeitada, uma burilada, uma apimentada e mostra o que lhes interessa. A partir daí, vira "verdade notória".

      Eu conheço bem a situação de Irwing na história da 2ª guerra, seus prós e contras. Também conheço a posição do Graf como veemente opositor de N mentiras que advém da "indústria do holocausto". Eu também sou contra qualquer extermínio e covardia tanto quanto sou contra mentiras e hipocrisia.

      Quanto ao Cole, não faz nenhuma diferença ele ser ou não revisionista. Eu também não sou, mas assim como ele, eu quero saber mais da verdade sobre esse "dogma" imposto há décadas em nossas mentes e vidas.

      Ricardos, Orgulhosos e aspones 'a la carte' não mudarão uma vírgula dessa minha vontade.
      Abraço.

      Excluir
    10. Proud to be a Zionist2 de maio de 2013 11:59

      ""não mudarão uma vírgula dessa minha vontade"""

      rsrsrsr.......tal qual no vídeo abaixo.......

      http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=kNKSzmM44gE#!

      Em resumo, depois da postagem do landini, David Irving faz parte da ""tropa holocaústica"", que não veio através de pressão alguma, uma vez que sua obra prima e principal é anterior a qualquer coisa, e David Cole, que era revisionista caiu na real e voltou a entender a verdade..........pois não queria se transformar como no vídeo um guardião sem pés nem mãos de uma mentira prá lá de suspeita

      gostei da conclusão

      Excluir
    11. Sua metáfora usando Monty Python prova que você não é sionista. Um verdadeiro não se reduz assim. Nem perde tempo procurando no you tube essas nulidades. Resumindo: eles valem.

      Mas já que você se provou aquém da insignificância ao recorrer a um (dito por você) "insignificante" de um blog "insignificante" numa cidade "insignificante", então, tá normal.

      E repito: independente de qualquer coisa, Irwing e Cole já contribuíram para esclarecer vários pontos impossíveis do holocausto. Infelizmente, não suportaram a brutal pressão e opressão.
      Mas a vida continua.

      Excluir
  6. David Cole, o único conhecido “revisionista” judeu, recentemente respondeu às críticas de seus “colegas”, especificamente Robert Faurisson e Henri Roques, em uma carta de dezesseis páginas. Ele descreve uma enxurrada de críticas a Robert Faurisson e o auxílio e a cumplicidade deste com outros “revisionistas” como Bradley Smith e Mark Weber. Como o Sr.Cole descreve, ele tem respondido em privado por muitos anos, mas agora sente que é a hora de jogar ao ar suas frustrações com o movimento “revisionista”, e em particular com Faurisson, publicamente.
    As primeiras sete páginas da carta são dedicadas a atacar os pontos que Faurisson fez no passado. Nas próximas seis páginas depois de Cole defender sua reputação contra os encargos de Faurisson e a confecção de roubo – um pouco confusa porque eu não tinha visto a história do roubo, e Cole argumenta sobre pormenores que não significam nada pra mim. De qualquer maneira, em toda a carta, particularmente do início ao fim, o Sr.Cole cria um Faurisson bastante desonesto. Estou contente por ver que ele de repente decidiu revelar as dúvidas que ele tinha de todos esses anos, embora eu não entenda porque ele esperou tanto tempo. Dirijo-me a ele uma carta resposta de oito páginas, que vai seguir em um artigo separado.
    Para despertar a sua curiosidade, aqui estão alguns trechos da carta de Cole:
    ...muitos dos pontos que Faurisson fez sobre o Krema I são perigosamente fraudulentos.
    ...eu tinha acreditado, após uma meticulosa investigação das alegações de Faurisson, que as “garantias” de Faurisson não devem ser aceitas sem críticas, mas imediatamente bastante suspeitas.
    “Revisionistas” querem os dois lados, eles querem: A) alegação que o Krema I no seu estado atual é uma criação pós-guerra e B) utilização do Krema I no seu estado atual como prova de que gaseamentos não poderiam ter ocorrido no mesmo.
    Faurisson ALTEROU seu fax e MUDOU a história...substituindo a palavra “forno” por“câmara de gás”.
    ...como já demonstrado, Faurisson não está por cima, alterando seus próprios textos se a situação exige...
    (Historiadores vêm dizendo isso acima hà anos).
    Para ouvir Fritz [Berg]["revisionista"] dizer que, Faurisson foi duro com ele em manter seus artigos fora das publicações revisionistas. E o crime de Fritz? Ele se atreveu a apontar alguns erros factuais de Faurisson.
    O vídeo de minha viagem de 92 nunca foi vendido, apenas dei livremente para os simpatizantes mais próximos de Bradley [Smith].
    (Dan Gannon ["revisionista"]disse em outubro de 1994 que vendeu por US$ 50,00)
    Cada vez que eu salientei minha oposição ao racismo e nazismo, cada vez que eu salientei que minhas visões revisionistas eram produto da curiosidade intelectual e não pró-fascistas, eu fui abraçado ainda mais pela extrema-direita, porque, afinal, quem melhor ter como aliado do que alguém do campo oposto?
    ...pessoas que à meses anteriores davam-me o ridículo elogio como “grande homem” estão agora a dar-me igualmente o ridículo desprezo por ser um “vira-casaca” agora que eu ousava sair do padrão do dogma.
    (“Dogma”? O impulso motivador do “revisionismo” do Holocausto é a suposição de ser anti-dogma!)
    Eu estou realmente perplexo pela surpresa que alguns de vocês [negadores do Holocausto] estão demonstrando sobre as minhas declarações sobre Struthof. Parem de agir com se estivessem trombando, rapazes. Um dia me deixaram claro que sou esquerdista, mestiço, judeu ateu que não tem lealdade a nenhum dogma e que iria concordar com prazer que haviam câmaras de gás, se a prova pudesse ser encontrada. Não é culpa minha se alguns de vocês pensaram que eu estava dizendo essas coisas só para enganar o público e privadamente eu era “um de vocês”.

    fim parte 1




    ResponderExcluir
  7. PARTE 2 - DAVID COLE caindo na real

    Faurisson está...citando uma passagem, e em seguida DIZENDO-NOS aquilo que acabou de ler, na esperança de que nós não iremos notar qualquer incongruência entre a passagem e a explanação dele. Faurisson está citando uma passagem que fala em parte de extermínio – PELO MENOS em parte, e então ele nos DIZ que temos de fato, NÃO TEMOS que ler o que nós lemos...
    Acho que existe uma probabilidade muito elevada com base no meu próprio e rigoroso padrão de provas documentais, que a câmara de gás de Struthof foi realmente utilizada para matar judeus...
    Em uma carta para mim, Sr.Cole também atacou o seu antigo colega de trabalho, Bradley Smith, por defender Faurisson à partir de sua crítica. Mark Weber, Robert Countess e o próprio Faurisson também são atacados por Cole. Aparentemente, todos eles pensam que as críticas à Faurisson deveriam ser poupadas devido ao seu sofrimento às mãos do governo francês e assim por diante.
    Estranho. Contrasta isto com a sidebar de março de 1995, item do “Relatório Smith”, em que o Sr.Smith escreve:
    Aqueles que protestam que é mais importante ser “sensível” para com os “sobreviventes”[do Holocausto] do que ser verdadeiros com os registros históricos representam uma visão do mundo que é estrangeiro para uma sociedade livre.
    Mas quem pensa que é mais importante ser sensível ao sofrimento de negadores do Holocausto do que verdadeiros...isso é perfeitamente correto, aparentemente, de acordo com o Sr.Smith.
    Na sua carta, o Sr.Cole justamente salienta que os sobreviventes do Holocausto sofreram muito pior sofrimento do que Faurisson já conheceu.

    Comentários: A carta está sendo traduzida e será publicada em breve, antes eu gostaria de saber o que os "revisionistas" têm a dizer sobre a carta, e também a repercussão da mesma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando eu ler a carta, opinarei com prazer.
      Enquanto isso, qual sua opinião sobre os vídeos do Cole? E a carta execrando-o?
      http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2012/03/amigos-e-amigas.html

      Excluir
  8. Proud to be a Zionist1 de maio de 2013 09:52

    Paródia sobre os revisionistas. não desistem nunca, mesmo quando tudo está perdido..................

    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=kNKSzmM44gE#!

    Fabiano, queria aproveita e pedir desculpas por te chamar de insignificante, foi uma grande ofensa para a classe dos insignificantes.................

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já que você 'voltou', pode "aproveita" à vontade.
      E pessoas conscientes como eu seguem a máxima socrática. Elas tem a obrigação de passar a rasteira nos egóicos, que se acham 'elegidos'.
      "Uélcome béqui"!

      Excluir