Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


quinta-feira, 9 de maio de 2013

Graf x Hilberg

Amigos e amigas.
Vejam esse excerto do livro de Jurgen Graf ("O gigante com pés de barro") em que ele sintetiza a aberração do "papa" do holocausto, Raul Hilberg, chamada "A destruição dos judeus europeus";
Vem a comprovar que Graf é um contestador nato. Qualquer dia, seu livro poderá estar disponível a quem quiser esclarecer melhor esse período nefasto e propositadamente nebuloso da História contemporânea.
FAB29

Resultado de imagem para jurgen graf  Jurgen Graf

Resultado de imagem para raul hilberg Raul Hilberg

"Raul Hilberg estragou sua chance. Ele queria documentar não só a perseguição dos judeus europeus, mas também, e principalmente, a destruição dos mesmos, o que significava principalmente o assassinato em massa industrializado em matadouros químicos. Ele tinha uma agenda.

Não há nenhuma evidência física tangível de qualquer assassinato em massa industrializado e, nas montanhas de documentos que foram salvos dos anos de guerra, não há a menor indicação sobre ele. A fim de “provar” esses assassinatos em massa, Hilberg teve de inverter a hierarquia de longa data de provas e fazer depoimentos de uma testemunha ter precedência sobre evidências físicas e documentais. Em vez do último, temos o testemunho de um Rudolf Hoss, que confessou ter visitado em junho de 1941 o campo de Treblinka, que foi inaugurado em julho de 1942; de um Kurt Gerstein, que sustenta que em Belzec se poderia espremer 32 pessoas em um metro quadrado; de um Filip Müller, que nos diz que, quando cadáveres foram incinerados, a gordura correu nos canais de onde se podia recolhê-la com conchas."

Mas temos outros exemplos desse embate:
"A aversão de Hilberg ao encontro da realidade física dos campos de concentração e os chamados ‘campos de extermínio’ também pode ser vista no fato de que ele pessoalmente nunca realizou uma investigação nos locais dos campos. Antes de 1985, este homem que havia começado seus estudos sobre o ‘holocausto’ em 1948 passou exatamente um dia em Treblinka e outro meio dia em Auschwitz I e Auschwitz-Birkenau - e em todos os três casos, isso foi apenas para participar de cerimônias.

Em contraste com Hilberg, revisionistas, como Dietlieb Felderer, Robert Faurisson, Carlo Mattogno, Germar Rudolf e o escritor destas linhas, assim como o não-revisionista Jean-Claude Pressac, fizeram exames minuciosos dos edifícios onde as testemunhas dizem que os assassinatos em massa ocorreram e têm estudado os desenhos de construção aplicáveis. Tal investigação in loco é absolutamente necessária para se resolver esta controvérsia."

Só como bônus, palavras de dois expoentes dos dois lados da batalha. A 23 de Novembro de 1978, o historiador Francês René Rémond declarou a Robert Faurisson:

"Quanto às câmaras de gás [Nazis], estou pronto a segui-lo; quanto ao genocídio, tenho a profunda convicção de que o Nazismo em si foi suficientemente perverso para que este genocídio tivesse feito parte das suas motivações e das suas ações, mas reconheço que não tenho evidências científicas para este genocídio."

E Faurisson completou:
"Eu me recuso a acreditar naquilo que não é crível. Recuso-me a acreditar no que é incrível. Recuso-me a acreditar naquilo a que o próprio Hilberg chama de "um incrível encontro de mentes."

Eu me recuso a acreditar em leitura da mente ou telepatia, tal como eu me recuso a acreditar na geração espontânea."

Eu assino embaixo!

11 comentários:

  1. Caro Pastusiak.
    Grato pelo seu email elogioso com toques intrigantes.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Será que acharemos algo PUBLICADO nos JORNAIS da época?

    ResponderExcluir
  3. "My stopwatch showed it all, 50 minutes, 70 minutes, and the diesel did not start. The people wait inside the gas chambers. In vain. They can be heard weeping, "like in the synagogue," says Professor Pfannenstiel, his eyes glued to a window in the wooden door. Furious, Captain Wirth lashes the Ukrainian assisting Hackenholt twelve, thirteen times, in the face. After 2 hours and 49 minutesthe stopwatch recorded it allthe diesel started. Up to that moment, the people shut up in those four crowded chambers were still alive, four times 750 persons in four times 45 cubic meters Another 25 minutes elapsed. Many were already dead, that could be seen through the small window because an electric lamp inside lit up the chamber for a few moments. After 28 minutes, only a few were still alive. Finally, after 32 minutes, all were dead"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que estória sinistra, é de quem, Stephen King?
      Eu ja vi um filme muito sinistro tambem, onde um virus transforma todos em zumbis e eles tomam conta da terra.
      Enfim, para a criatividade humana não há limites...

      Tem gente que acredita no et de varginha, tem gente que acredita em duendes, tem gente que conversa com plantas e jura que elas respondem e tem gente que acredita no holoconto. Para credulidade humana tambem não há limites.

      Obs.: As fotos de cadaveres (coisa facil de se arrumar numa guerra mundial) do holoconto foram feitas por ninguem menos que Alfred hitchcock e isso é verdade.

      Excluir
  4. http://holocaustcontroversies.blogspot.com.br/2009/06/belzec-mass-graves-and-archaeology-my_28.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certamente, voce se omitiu de ler o link. Ele falou um monte sem decidir nada.
      Frisa o tempo todo que "existem evidencias" do que afirma, mas nunca diz onde. Mete a bronca no Mattogno por te-lo contestado e repete o estilo do 'mestre' Hilberg (enrola aos montes para nada concluir).
      Que pena. Esperava um pouco mais...

      Excluir
  5. Quem está CRONOMETRANDO?

    - Algum SS?

    Ou um futuro ESCRITOR dos CAUSOS do HOLOCOCONTO?

    Pois bem,

    Vasculhando os arquivos dos PERIÓDICOS da ÉPOCA, mais precisamente o Jornal Folha da Noite um dos que pertencem ao grupo que é liderado pelos “frias” os sionistas da Folha de São Paulo temos como capa e manchete principal do dia 12/01/1943 que os gastos com a Guerra “MEIO” mundial excedem em 108 BILHÕES de Dólares o orçamento dos EUA, outra nota que também se destaca é o FALECIMENTO do Gal. Agustín P. Justo Ex Presid. da Argentina, fato esse que CONSTERNOU toda a EUROPA, mas PASMEM amigos NENHUMA NOTA SOBRE ESSE INFAUSTO ACONTECIMENTO do “GASEAMENTO dessas” TROCENTAS VÍTIMAS” do HOLOCOCONTO” tudo isso em 45 m³? 3 x 5 x 3 = 45 m³ essa MATEMÁTICA É UMA (_) ERDA, oh, matéria difícil!

    No dia 13/01/1943, a manchete é que as FORÇAS FRANCESAS avançam na Líbia..., nenhuma nota sobre as tais MORTES por GASEAMENTO EM BERGEN-BELSEN OU QUALQUER OUTRO LUGAR?

    Ah, sim tem uma nota que diz sobre a ELEVAÇÃO DOS TÍTULOS BRASILEIROS EM LONDRES...

    Notas oficiais da GUERRA dão conta que nada de EXTRAORDINÁRIO está ACONTECENDO, seria a morte de todas as VÍTIMAS DO HOLOCOCONTO ALGO SUPER SECRETO?

    Como diria Dona Milú:-

    M I S T É R I O!

    Ou essas FÁBULAS foram INVENTADAS pelos SOBREVIVENTES para ROUBAREM DINHEIRO DA ALEMANHA?

    Acho que a ESTÓRIA que esse defensor do indefensável "ANONIMO" procurou nos passar, NÃO PASSOU PELAS MESAS DOS NOTICIOSOS DA ÉPOCA...

    Talvez os SOBREVIVENTES ainda não tinham ORDENS PARA CONTAR AS FALCATRUAS HOCOCONTICAS.

    Mais alguma ESTÓRIA para ser DESMASCARADA?

    Aguardando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dificil dizer quantas mais, caro amigo.
      Apenas que os aspones ficam transtornados com tanta coisa pra cabecinha de ameba deles.
      Como diz o outro, `eu se divirto`!

      Excluir
  6. Fabiano:

    Interessante que alguns ainda utilizem o batido e desacreditado DOCUMENTO GRESTEIN, que até os historiadores profissionais e oficiais, praticamente abandonaram pelo fato de apresentar várias contradições, além de versões distintas em dois idiomas (francês e alemão) sendo que o primeiro deles, o provável autor não dominava.

    José Augusto Landini.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seria interessante se não fosse patético, Landini.
      Esse 'desinfeliz' é só um dos 'testemunhos fidedignos' em que os chamados 'holocaustistas' se apegam. Afinal, o que mais lhes restam?
      Até documentos registrados vão contra suas histórias. Nem me refiro mais às evidências forenses. Se existissem, não existiria o revisionismo.
      Abraço.

      Excluir