Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


segunda-feira, 19 de agosto de 2013

"With a little help from my friends".

Amigos e amigas.
Talvez os Beatles não merecessem participar assim da ironia, mas não é condenável. Os últimos versos da canção até que são adequados ao post: "O que você vê quando apaga a luz? Não consigo lhe dizer, mas sei que é meu!"

Quase tudo já se foi dito sobre a parcialidade estadunidense quando o assunto é israel: suas vistas grossas, proteção, ajudas financeira, tecnológica, bélica, etc, somadas às condenações sumárias e intransigentes dos adversários do estado judeu em qualquer assunto, nível ou situação são enojantes.

Só em "cash", vejam nesses excertos de reportagens de algum tempo atrás um pouco do quanto o estado judeu recebeu, recebe e receberá da sua fonte ianque:

2007:
EUA doam bilhões em ajuda militar a Egito e Israel

"Israel vai receber US$ 30 bilhões (cerca de R$ 57,6 bilhões) e o Egito vai receber US$ 13 bilhões (quase R$ 25 bilhões). Também estão sendo discutidos acordos com a Arábia Saudita e mais países do Golfo Pérsico.
Rice afirmou que o dinheiro é necessário para enfrentar influências "negativas" do Irã e da Síria, além da Al-Qaeda e do grupo militante libanês Hezbollah."

2011:
"Estável e democrática"

"Israel, que tem um acordo de cooperação estratégica com os Estados Unidos, considera-se uma "ilha estável de democracia" em um contexto regional "turbulento e imprevisível".

Desde 2007, Israel recebe dos Estados Unidos US$ 3 bilhões em ajuda anual, em virtude de um acordo entre os dois países vigente até 2017, que inclui um aumento de 25% da ajuda militar americana."

2013: 
"Os governos dos EUA e de Israel assinaram um novo acordo de ajuda militar que prevê um auxílio dos EUA a Israel no valor de 40 bilhões de dólares de 2018 a 2027.
Esse acordo entra em vigor imediatamente após a cessação do atual (que termina em 2017), que prevê uma entrega anual a israel de 3 bilhões de dólares.
O presidente Obama aprovou igualmente um financiamento suplementar ao programa israelense de desenvolvimento do sistema de defesa antimíssil ‘Cúpula de Ferro’ (Iron Dome).
A dimensão real da ajuda militar estadunidense a israel é desconhecida, visto que apenas são divulgados os volumes de financiamento de alguns dos programas."


Não se ignora que as maiores fontes de renda de israel das primeiras cinco décadas de sua existência foram as doações estadunidenses e as "reparações de guerra" da Alemanha devido ao 'holocausto'. Somadas ajuda externa, outros orçamentos e garantias de empréstimos federais, israel recebeu mais de US$ 5 bilhões anualmente só dos EUA nos últimos 30 anos.

O que causa espécie é a passividade do povinho estadunidense, dito tão cioso de seu patriotismo, seu ego, sua soberania, etc, mas não contesta, nem se esforça para deter tamanha sangria monetária. Sem mencionar a enorme perda de vidas de seus filhos em guerras provocadas pelo estado judeu contra seus vizinhos.

Mesma estranheza (ou muito pior) é causada quando um pesquisador (Daniel Greenfield) afirma que a taxa de pobreza em israel é 50% maior que em Gaza. Oras! Se nem com essas constantes "ajudinhas dos amigos" o estado judeu, atualmente com 8 milhões de habitantes, consegue garantir uma equanimidade de bem estar ao seu povo, o que dizer da "Terra Brasilis" (este "País das Maravilhas"), que é sangrada há séculos, sobrevivendo com sobras da própria produção e do lixo reciclado do 1º mundo? Cadê nossos amigos?

Ó, vida! Ó, Céus!...
FAB29


Nenhum comentário:

Postar um comentário