Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Belo pensar

Amigos e amigas.
Peguei trechos de um belo texto do escritor Rubem Alves (que penso ser bem conhecido) para comentá-lo conjuntamente e opinar em seguida:

Ganhei coragem

"Mesmo o mais corajoso entre nós só raramente tem coragem para aquilo que ele realmente conhece", observou Nietzsche. É o meu caso. Muitos pensamentos meus, eu guardei em segredo. Por medo. Albert Camus, leitor de Nietzsche, acrescentou um detalhe acerca da hora em que a coragem chega: "Só tardiamente ganhamos a coragem de assumir aquilo que sabemos". Tardiamente. Na velhice. Como estou velho, ganhei coragem." [Eu estou meio longe da velhice; por isso, assino embaixo. Ainda estou ganhando coragem; ainda só aprendendo a dizer com consciência e destemor o que penso.]

"Vou dizer aquilo sobre o que me calei: "O povo unido jamais será vencido", é disso que eu tenho medo. 
Em tempos passados invocava-se o nome de Deus como fundamento da ordem política. Mas Deus foi exilado e o "povo" tomou o seu lugar: a democracia é o governo do povo... Não sei se foi bom negócio; o fato é que a vontade do povo, além de não ser confiável, é de uma imensa mediocridade. Basta ver os programas de TV que o povo prefere." [Na adolescência, eu gostava dessa frase "O povo unido...". Até aprender que o consciente coletivo não existe na prática. Com essa mentalidade do povinho esvaziada pelos grandes corruptores no intuito de destruir a família, cada vez mais a democracia não passará de um simulacro tosco de sistema de governo]

Deus era o amante apaixonado. O povo era a prostituta. Ele amava a prostituta, mas sabia que ela não era confiável. O povo preferia os falsos profetas aos verdadeiros, porque os falsos profetas lhe contavam mentiras. As mentiras são doces; a verdade é amarga. [Perfeito!]

Reinhold Niebuhr, teólogo moral protestante, no seu livro "O Homem Moral e a Sociedade Imoral" observa que os indivíduos, isolados, têm consciência. São seres morais. Sentem-se "responsáveis" por aquilo que fazem. Mas, quando passam a pertencer a um grupo, a razão é silenciada pelas emoções coletivas.
Indivíduos que, isoladamente, são incapazes de fazer mal a uma borboleta, se incorporados a um grupo tornam-se capazes dos atos mais cruéis. Participam de linchamentos, são capazes de pôr fogo num índio adormecido e de jogar uma bomba no meio da torcida do time rival. Indivíduos são seres morais. Mas o povo não é moral. O povo é uma prostituta que se vende a preço baixo. [Serão necessárias mais algumas décadas de prática constante para o ser humano não se deixar levar pelas emoções bárbaras. Emocionar-se é essencial, mas elas não podem determinar as atitudes. "Sede senhor de vossa mente", apregoava Buda]

O povo é movido pelo poder das imagens, e não pelo poder da razão. Quem decide as eleições e a democracia são os produtores de imagens. Os votos, nas eleições, dizem quem é o artista que produz as imagens mais sedutoras. O povo não pensa. Somente os indivíduos pensam. Mas o povo detesta os indivíduos que se recusam a ser assimilados à coletividade. Uma coisa é o ideal democrático, que eu amo. Outra coisa são as práticas de engano pelas quais o povo é seduzido. O povo é a massa de manobra sobre a qual os espertos trabalham. [Há muito tempo que afirmo: os políticos têm toda a razão de investir em sua imagem, pois é sempre nela em que o povo vota.]

De vez em quando, raramente, o povo fica bonito. Mas, para que esse acontecimento raro aconteça, é preciso que um poeta entoe uma canção e o povo escute: "Caminhando e cantando e seguindo a canção...". Isso é tarefa para os artistas e educadores. O povo que amo não é uma realidade, é uma esperança." [E nesse ritmo, continuaremos na esperança.]


Este é realmente o mais triste ponto da humanidade: seu comodismo. O povo foi 'democraticamente' doutrinado a votar em representantes (dos quais, é pateticamente dito, será chefe) que deveriam fazer tudo aquilo que fosse necessário para a comunidade. Cansei de ver pessoas dizendo: "Nós 'votou' neles. Agora, eles tem que fazer as coisas pra nós!"  O problema é que há uma ordem de ação para "quitar os débitos". Há muitos bolsos no caminho. Enquanto isso, o povinho chafurda em sua passividade.

E o jovem, explodindo de energia e adrenalina, se achando super, dono das ideias, capaz dos maiores feitos, invencível, etc, bota os pés pelas mãos Afinal, potencial sem conhecimento, consciência, cultura, experiência, sabedoria, é o mesmo que pôr uma metralhadora nas mãos de um chimpanzé. Boa parte dos jovens é completamente indisciplinada e inconsequente, se deixando levar por qualquer teoria nefasta bem urdida ou acenos agradáveis, regados a vícios fáceis (bebida, sexo,...).

"Pensar globalmente; agir localmente". Uma atitude simples que resolveria o mundo de cada um e, na esteira, todo o resto, pois formaria um tecido que abrangeria a todos. Cada um seria (aprenderia a ser) líder de si mesmo, tornando-se auto suficiente sem deixar de ser social, de amar seu próximo, de se relacionar.


Mas a democracia imposta é o maior estorvo.

FAB29

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Saramandaiando

Amigos e amigas.
Pediram-me para escrever uma letra sobre a situação do meu país para um samba-enredo do próximo carnaval. Não sou (creio que nunca fui) carnavalesco, mas gosto de compor. Tenho algumas dezenas de canções, de baladas a chorinhos. Já fiz vários sambas e, por isto, aceitei esse desafio.
A letra segue abaixo, dentro do tema que me propuseram. A base da melodia até já existe, mas vai levar um bom tempo de burilamento.
FAB29

SARAMANDAIANDO

MEU PAÍS, MEU LAR
VILIPENDIADO, TÃO FORTE, TÃO SERVIL...
QUERO RETRATAR
SARAMANDAIANDO NOS TRILHOS DO BRASIL.

QUANDO PEDRO AQUI CHEGOU
NADA TROUXE ALÉM DA FOME
QUE ESTA TERRA SACIOU
MAS AINDA SE CONSOME

MINHA PÁTRIA MÃE GENTIL
RELEGADA AO DEUS-DARÁ
PARASITAS, TANTOS MIL...
QUANDO VAI SE LIBERTAR?

JOGOS OLÍMPICOS, COPA DO MUNDO
FERAS FAMINTAS, NOS DEVORAM NUM SEGUNDO

TEMOS POLÍTICOS PRA TODOS OS DESGOSTOS,
SEM NOMES E SEM ROSTOS... VERGONHA MUNDIAL!
TEMOS JUÍZES QUE JULGAM SÓ O VAZIO.
A MALTA ESTÁ NO CIO, EM PLENO CARNAVAL.

E OS NOVOS TEMPOS AINDA NO HORIZONTE
A BARCA DE CARONTE QUERENDO ATRACAR.
EMBARQUE EM NOSSO BLOCO, REGISTRE SEU PROTESTO!
A VIDA É UM MANIFESTO DE QUEM SÓ QUER AMAR.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Riqueza mundial.

Amigos e amigas.
É mais do que provado, sabido, visto e constatado que o abismo sócio-econômico mundial entre as classes sociais cada vez mais se alarga. Reportagens a torto e a direito denunciam a sanha das elites oligarcas em arrebanhar cada vez mais dinheiro, poder e influência. Desta maneira, elas garantem sua supremacia.

Numa dessas recentes reportagens, foi revelado que os 10% mais ricos do mundo detém 86% da riqueza mundial (calculada em US$ 241 trilhões). Destes, 0,7% detém 41% de toda a riqueza existente. Isto corresponde a uns tantos milhões de notórios espertos que manipulam o tempo todo os cordames sociais, geopolíticos e econômicos para direcioná-los aos seus interesses. Se essa riqueza fosse dividida, a renda per capta mundial seria de mais de US$ 50 mil.

O recente leilão do campo de Libra vencido pelo consórcio da Petrobrás, Shell, Total, CNPC e CNOOC é só mais um exemplo desse esquema de monopolização e centralização de poder. Estes "vencedores" são apenas fachada de corporações muito mais poderosas e influentes que apenas se retiram dos holofotes para facilitar seu domínio. Acreditar que nenhuma dessas mega corporações estava de fato interessada em adquirir o campo de Libra e 'deixou pra lá', 'abriu mão' do leilão é se mostrar completamente imbecil.

Pegando o maior império atual, os EUA: 47 milhões de estadunidenses (cerca de 15% da população) estão abaixo da linha de pobreza. As 400 famílias mais ricas (cerca de 2 mil pessoas) têm o mesmo que metade do país (150 milhões). Neste século, o número de pobres aumentou 47%. Nos últimos quatro anos, aumentou em 60% o número de cidadãos que vivem da assistência social (o Obama também criou o seu "bolsa família").

Na Europa central, cerca de 24 milhões de cidadãos estão desempregados (mais de 22% são jovens). As dívidas se aproximam de 90% do PIB. Um quarto da população está com um pé na miséria. Um pesquisador (Danny Dorlling) descobriu que a desigualdade de renda na Inglaterra voltou ao que era em 1918. Portugal está entre os três mais desiguais, onde o risco de pobreza beira os 44%. As regiões das Grandes Lisboa e Porto (2,4% do território) concentram um terço da população.

Poderia continuar com dados e mais dados, mas só quero perguntar: o que mais os nefastos grandes corruptores precisam fazer pro povinho reagir, sair do seu anestesiamento mental, moral, espiritual,...? Entorpecimento cevado à base de mil drogas para o corpo, a mente, a alma,...! Toda e qualquer reação (até contra corporações que maltratam animais, como a Royal) é logo condenada pela imprensa e divulgada como terrorismo, vandalismo, nazismo,... Mesmo quando se trata de grupos organizados, oficiais, legalizados, são taxados de tudo o que for deletério (até de supremacistas!). É inegável que há excessos condenáveis, mas o terrorismo diuturno em todos os níveis de nossas vidas perpetrado pelos grandes corruptores é incalculavelmente mais assassino, covarde e sórdido.

Este é o "belo esquema": silenciosamente (sempre) tomar conta dos detalhes da vida alheia para mantê-la sob um jugo férreo, controlando cada ação, distraindo através da mídia, dos festejos, do esporte,... O famoso "Bate e Assopra".

E enquanto isso, vamos sobrevivendo das migalhas do butim da elite às expensas de nossos sangue, suor e lágrimas.
FAB29

sábado, 26 de outubro de 2013

Chega de testes!

Amigos e amigas.
Esses testes em animais feitos pelas indústrias farmacêuticas, cosméticas, etc já deveriam ter sido encerrados há muitas décadas. A única desculpa (pra lá de esfarrapada) que essas indústrias dão para ainda existirem é o fato deles serem menos custosos. Se usassem outros métodos, o preço final dos medicamentos (já bem caros) aumentaria bastante.

Balela! Tantas coisas bem mais simples (alimentos, por exemplo) têm seus preços majorados o tempo todo ao bel prazer e conveniência dos donos da carne podre e seus vassalos especuladores. Bastaria um mínimo de justiça e bem querer que tudo se resolveria ou melhoraria bastante.

Segue abaixo um resumo deste sítio: www.animalliberationfront. com onde é colocado o porquê de não serem mais necessários testes em animais. Muito bom! Leiam e entrem na luta contra essa abominação, que é destruir vidas tão bonitas e indefesas inutilmente.
FAB29

RAZÕES PARA SE ACABAREM OS TESTES EM ANIMAIS

1- Menos de 2% das doenças humanas são observadas em animais [Mostra o quanto os animais são mais resistentes a doenças e drogas];

2- Testes em animais e os resultados nos humanos concordam somente de 5 a 25% das vezes [Mostra que a fisiologia humana é muito diferente];


3- 95% das drogas homologadas por testes em animais são imediatamente descartadas como desnecessárias ou perigosas aos humanos [Mostra que o metabolismo dos animais funciona de outro jeito];

4- Pelo menos 50 drogas no mercado causam câncer em animais de laboratório. Por exemplo: a P&G usou um almíscar artificial, apesar de ter causado câncer em ratos. Eles alegaram que os resultados nos testes dos animais eram "de pouca relevância para os humanos". [Então, nenhum dos efeitos é relevante? Nem os bons, nem os colaterais?];

5- Mais de 90% dos resultados dos testes em animais são descartados por serem inaplicáveis aos homens [E os bichinhos são descartáveis, também?];

6- Testes em ratos são apenas 37% eficazes na identificação da causa de câncer em humanos. Jogar uma moeda para o alto (cara ou coroa) tem mais chances de acerto [Algumas loterias, também];

7- Roedores são animais quase sempre utilizados na pesquisa do câncer. Eles nunca pegam carcinomas, a forma humana de câncer, que afeta as membranas (por exemplo, câncer de pulmão). Seus sarcomas afetam ossos e tecidos conjuntivos: os dois não podem ser comparados [O verdadeiro câncer está na moral desses seres nefastos que insistem com os testes];

8- Quando perguntados se concordam que experimentos em animais podem ser enganosos "por conta das diferenças anatômicas e fisiológicas entre os animais e os humanos", 88% dos médicos concordaram [Significa que 12% ainda são bem hipócritas e sórdidos pra continuarem com os testes];

9- Estimativa de 83% de substâncias são metabolizadas por ratos de forma diferente do que é nos humanos [Se bobear, até o queijo!];

10- De acordo com testes em animais, o suco de limão é um veneno mortal, mas arsênico, cicuta e toxina botulínica são seguros [Resultados confiabilíssimos, não?];

11- 88% dos fetos natimortos são causados por medicamentos que são considerados seguros através dos testes em animais [Resultados confiabilíssimos, não? - 2, a missão];

12- Um em cada seis pacientes hospitalizados estão lá por causa de um tratamento que tenham feito. Nos EUA, 100 mil mortes por ano são atribuídas a tratamentos médicos. Em um ano, 1,5 milhão de pessoas foram hospitalizadas devido a tratamentos médicos. 40% dos pacientes sofrem de efeitos colaterais como resultado de prescrição médica [Calculem esses números em países do terceiro mundo, que são laboratórios dos grandes impérios!];

13- Mais de 200 mil medicamentos já foram lançados. A maioria deles já foi retirada do mercado. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), apenas 240 são "essenciais" [Além do quê vemos dezenas de tipos de antigripais e anti-inflamatórios cuja composição é idêntica e a eficiência, duvidosa];

14- Um congresso de medicina na Alemanha concluiu que 6% das doenças fatais e 25% das doenças orgânicas são causadas por medicamentos. Todos foram testados em animais [São simples "defeitos" colaterais?];

15- Aspirina falhou em testes com animais assim como cardioglicosideos (remédio para o coração), tratamentos de câncer, insulina, penicilina e outros medicamentos seguros. Eles teriam sido banidos se fossem baseados nos teste com animais [Mas a besta humana resiste...!];

16- Trinta e três animais morrem em laboratórios pelo mundo a cada segundo [Será a mesma proporção de humanos que morrem ou "se ferram" com esses medicamentos 'confiáveis'?];

17– Crueldade: Para testar drogas e insumos para a indústria, bilhões de animais – principalmente roedores, cães, gatos e primatas – são trancados em laboratórios anualmente e submetidos a práticas dolorosas. Inserção de substâncias tóxicas em seus olhos, inalação forçada de fumaça e implantação de eletrodos em seu cérebro são apenas algumas destas práticas. Via de regra, são utilizados animais de pequeno porte e dóceis, para facilitar o manejo dentro dos institutos de pesquisa. Neste cenário, a raça Beagle, infelizmente, se encaixa perfeitamente e são eles os preferidos dos vivisseccionistas ["Preferidos" já é um acinte!];

18– Atraso no desenvolvimento da ciência: O médico norte-americano Ray Greek – um dos entusiastas de que a vivissecção é um atraso ao desenvolvimento da Ciência – disse, em 2010, à Revista Veja:
As drogas deveriam ser testadas em computadores, depois em tecido humano e daí sim, em seres humanos. Empresas farmacêuticas já admitiram que essa será a forma de testar remédios no futuro.
Ray afirma que os testes são uma falácia e que atrasam a Ciência. Ele é voluntário para testes em humanos, desde que observados todos os pré-requisitos de segurança [Antes dele, tem um monte de outros 'voluntários', tipo assassinos, sequestradores, pedófilos, corruptores,...];

19– Ineficiência dos testes: O médico Ray Greek, ainda em entrevista à Revista Veja, em 2010, afirmou: “A indústria farmacêutica já divulgou que os remédios normalmente funcionam em 50% da população. É uma média. Algumas drogas funcionam em 10% da população, outras 80%. Mas isso tem a ver com a diferença entre os seres humanos. Então, nesse momento, não temos milhares de remédios que funcionam em todas as pessoas e são seguros. Na verdade, você tem remédios que não funcionam para algumas pessoas e ao mesmo tempo não são seguros para outras. A grande maioria dos remédios que existe no mercado são cópias de drogas que já existem, por isso já sabemos os efeitos sem precisar testar em animais. Outras drogas que foram descobertas na natureza e já são usadas por muitos anos foram testadas em animais apenas como um adendo. Além disso, muitos remédios que temos hoje foram testados em animais, falharam nos testes, mas as empresas decidiram comercializar assim mesmo e o remédio foi um sucesso. Então, a noção de que os remédios funcionam por causa de testes com animais é uma falácia.” [Matou a pau! Sem comentários!]

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Revisitando "Os Dez do mundo"

Amigos e amigas.
Não se trata de arrependimento, mea culpa ou qualquer coisa parecida. Apenas recebi (esperadamente) várias opiniões sobre quem mereceria figurar entre os dez mais da História e resolvi mostrar uma "lista alternativa" de opiniões de colegas que merecem atenção e respeito.
Meus "Dez do mundo" http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2013/10/meus-10-mais.html (dentro dos parâmetros que escolhi) se mantêm, mas reconheço que alguns desses próximos poderiam tranquilamente ter figurado entre eles. Coloco-os em ordem alfabética para deixar a quem quiser organizar em ordem de relevância ou substituí-los.
FAB29

1.     ABRAHAM LINCOLN: Presidente que sustentou a unidade dos EUA durante sua brutal Guerra Civil e aboliu a escravatura por lá, modernizando e fortalecendo o país. Sendo defensor da liberdade, era inimigo da especulação e da usura que atava o governo e a população ao capital apátrida. Entre tantos outros benefícios realmente democráticos, ao tentar delegar a impressão do dinheiro a um banco central estatal, angariou os piores inimigos que alguém pode conseguir, fato que resultou em seu assassinato.

2.     ALEXANDRE MAGNO: O mais fulminante e espantoso conquistador da História. Começou a comandar aos 18 anos, vencendo a Batalha de Queronéia. Daí em diante, de batalha em batalha, foi dominando até ser proclamado o Rei da Ásia aos 26 anos. Seu império incluiu o norte da África até a Índia. Ninguém foi capaz de igualar esse feito de conquistar quase todo o mundo conhecido em tão pouco tempo. Se não tivesse falecido aos 32 anos, teria dominado todo o mundo.

3.     BENJAMIN FRANKLIN: Este eminente senhor é mundialmente conhecido por suas descobertas sobre a eletricidade e por ter inventado o pára-raios, o aquecedor de Franklin e as lentes bifocais. Mas também foi jornalista, editor, autor, funcionário público, cientista, enxadrista, diplomata, filantropo e abolicionista. Ajudou a criar bibliotecas e fundou a Universidade da Pensilvânia e a Sociedade Filosófica americana. Era um nacionalista ferrenho e procurou, acima de tudo, a integridade do ser humano pautada na retidão de caráter e na preservação da sua cultura, religiosidade e tradições.

4.     FERNANDO PESSOA: Gênio da literatura, sua produção foi qualquer coisa acima do sensacional. Como Álvaro de Campos, Alberto Caeiro, Ricardo Reis e Bernardo Soares, além de si mesmo (todos bem distintos entre si), produziu uma quantidade de poemas e textos de altíssimo nível, capazes de emocionar, seduzir, inspirar, embasbacar. Em 40 anos de super intensa produção (faleceu com 47), deixou um legado literário de mais de 25 mil páginas falando sobre quase todos os assuntos, sempre com a lucidez de um iluminado, a doçura de um anjo, a rascância de um cético, a amplidão de um filósofo, a profundidade de um mestre e a universalidade de um semideus da palavra.

5.     GANDHI: Figura controversa, mas que causou furor e marcou a História. Seus detratores afirmam que ele não passou de um esperto conveniente que manipulou as ondas da revolução. Mas é inegável que ele lutou pela paz entre hindus e muçulmanos em seu país, contra a opressão do império britânico que não permitia a independência da Índia. Sua política da não-violência inspirou e influenciou muitos pacifistas pelo mundo a lutarem sem destruir ou matar, através de passeatas, jejuns e desobediência civil. Seu exemplo e dedicação merecem total respeito.

6.     MARIE CURIE: Cientista e pesquisadora incansável, ela foi a primeira pessoa a receber dois prêmios Nobel: um de Física (1903, junto com seu marido e Becquerel) e um de Química (descoberta dos elementos Rádio e Polônio, além de trabalhos sobre a radioatividade que viria a matá-la). Foi uma desbravadora, sobressaindo-se num setor quase exclusivamente masculino, angariando todo o respeito e admiração ainda em vida. Um exemplo de total amor e dedicação à Ciência em prol da humanidade.

7.     MOZART: O maior fenômeno da música universal, que começou a tocar aos quatro anos e, aos seis, já compunha pequenas sonatas. Morreu com apenas quase 36 anos, mas deixou cerca de seiscentas obras, muitas das quais influenciaram a maioria dos compositores nos séculos seguintes. Tamanho e absoluto prodígio suscitou várias teorias, sendo uma delas a de que ele era um autista ou outro excepcional, vindo daí seus defeitos físicos (magro e pálido, dedos e ouvido esquerdo deformados, dificuldade de andar, feição estranha,...) e sua capacidade tão prolífica, precoce e inigualável de compor. Independente de qualquer coisa, é um "monstro sagrado"!

8.     ROSALIND FRANKLIN: Talvez a mais injustiçada das cientistas. Chamada "A Mãe do DNA", esta expert em biologia molecular deslindou a maior parte da estrutura do DNA das moléculas. Sua "Fotografia 51" mostrava a famosa dupla hélice, mas ela não se apercebeu disto. James Watson, Francis Crick e Maurice Wilkins, seu chefe que a detestava, perceberam e se apoderaram da informação, recebendo o Nobel de Medicina sem acrescentar sua real descobridora. A relevância do seu trabalho é sentida imensamente até hoje nas mais modernas pesquisas sobre biologia molecular.

9.     SÓCRATES: O "Pai da Filosofia" é o maior expoente do pensamento, do raciocínio e da racionalização. Numa época de sofistas (os famosos "Sabem-Tudo"), ele fez valer sua maior máxima: "Tudo o que sei é que nada sei". Nesta base, mostrava a fragilidade desses "experts" e que sempre há espaço para aprender, evoluir, progredir, crescer em qualquer sentido empírico. Essas mentalidade e espírito inabaláveis angariaram muitos desafetos invejosos e inimigos humilhados, que culminaram em sua condenação à morte. Não fossem suas imensas consciência e sabedoria, a humanidade estaria ainda mais imersa num atoleiro de assoberbados.

10. THE BEATLES: O divisor de águas da música ocidental. Nenhum grupo revolucionou tanto e tão profundamente a música como este. A química entre seus quatro integrantes produziu dezenas de canções eternas, onde eles inovaram os efeitos, os arranjos, as ousadias, as letras, levando a juventude ao delírio e a cultuá-los como 'deuses do rock'. Tudo o que diziam, vestiam, bebiam, utilizavam, era imitado por milhões. A música pop tornou-se AB/DB, mais precisamente depois do disco Sargeant Pepper´s, de 1967. Infelizmente, a absoluta loucura e desregramento que marcou a existência do grupo maculou demais sua biografia, mas não diminuiu sua relevância na História contemporânea.

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

DEMÊNCIA DIGITAL

Amigos e amigas.
Não há muito o que se pensar: é público e notório que o excesso de televisão imbeciliza e ceva a preguiça em todos os sentidos. Logo, é evidente que o excesso de tecnologia (computador, smartphones, etc) fará um "trabalho deletério" muito mais acentuado na mente das pessoas (mas o objetivo principal é a juventude).

Somente os muito idiotas, alienados, coniventes, corruptores e outros tipinhos semelhantes é que afirmam o contrário. "Tudo o que é demais, sobra", diz o ditado. Parcimônia e disciplina são qualidades que asseguram uma vida plena de saúde e bons augúrios.
Vejam essa reportagem abaixo e percebam o quanto nossa juventude corre riscos.


“DEMÊNCIA DIGITAL” EM JOVENS
QUE CADA VEZ MAIS
RECORREM À TECNOLOGIA,
EM VEZ DE USAR SEUS CÉREBROS.
"Médicos têm reportado uma onda de casos de “demência digital” entre jovens. Dizem que os adolescentes se tornaram tão dependentes da tecnologia digital que já não são mais capazes de lembrar dos detalhes do dia a dia, tais como seus números de telefone. Os médicos culpam os consoles de vídeo games e telefones móveis por essa preocupante tendência. Especialistas da Coréia do Sul descobriram que as pessoas que dependem mais de tecnologia sofrem de uma deterioração nas suas capacidades cognitivas que são mais comumente encontradas em pacientes que sofreram uma lesão cerebral ou de doença psiquiátrica.

O uso excessivo de smartphones e vídeo games prejudica o desenvolvimento do cérebro”, diz o médico Byun Gi-won, em Seul. Isso também pode resultar em subdesenvolvimento emocional, com crianças expostas a um maior risco do que os adultos, uma vez que o cérebro delas ainda está se desenvolvendo. O lado direito do cérebro está associado à concentração e a sua incapacidade para se desenvolver afetará a atenção e a extensão de memória, o que poderia, em cerca de 15% dos casos, conduzir ao aparecimento precoce da demência.

A situação parece estar piorando, dizem os médicos, com o percentual de pessoas com idade entre 10 e 19 anos que usam seus smartphones por mais de sete horas todos os dias, saltando para 18,4%, um aumento de 7% do ano passado. (...)

Um recomendado livro
O Dr. Manfred Spitzer, um neurocientista alemão, publicou em 2012 um livro chamado, em inglês, de Digital Dementia (“Demência Digital”, numa tradução livre), no qual ele alertou os pais e professores sobre os perigos de se permitir que crianças passem muito tempo diante da tela de computador ou telefone celular. O Dr. Spitzer avisou que os déficits no desenvolvimento cerebral podem ser irreversíveis e fez um apelo para que medidas remediais sejam implantadas nas salas de aula alemãs antes que as crianças fiquem “viciadas”.

Esses achados coreanos estão sendo divulgados depois que um estudo feito pela UCLA (Universidade da Califórnia - Los Angeles) descobriu que jovens estão cada vez mais sofrendo de problemas de memória. Essa pesquisa apurou que cerca de 14% dos jovens  e adultos entre as idades de 18 anos e 39 anos se queixavam que sua memória estava ruim e alertou para o fato que dispender um tempo excessivo diante da tela de computador e enviar mensagens de texto impedem que as pessoas tenham foco e memorizem informações.

Portanto, que cada um faça sua parte para salvar seus filhos e dependentes de um destino 'zumbizado'. Repito: parcimônia e disciplina. Assim, em pouco tempo, os grandes corruptores terão uma merecida dor de cabeça.
FAB29

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Cada coisa é uma coisa!

Amigos e amigas.
Li um artigo do sr. Sidney Silveira, do blog Contra Impugnantes, chamado "Amanhã vai ser outro dia..." que me causou certa espécie. Nele, seu autor conta que, numa conversa de botequim há muitos anos, ele arrumou uma pequena celeuma ao não apenas discordar, mas até 'PROVAR' que Chico Buarque não é um gênio. Vejam este trecho:

"Mas “gênio” era adjetivo a ser usado com parcimônia, pois a humanidade não os produz aos montes, e geralmente se trata de homens realizadores de feitos extraordinários. Citei então alguns gênios da filosofia, da literatura, da ciência, da pintura, da oratória, da escultura e da música, e quase levei com o pandeiro na cabeça.
No decorrer da conversa, mostrei conhecer melhor as músicas do referido compositor que o meu etílico conversador de botequim — e apontei como o popularesco delas esbarrava não raro em erros de português e de estilo, como também imprecisão no uso das vozes verbais e mistura das pessoas gramaticais em versos de uma mesma composição. Afirmei isto sem deixar de reconhecer-lhe o engenho nas rimas e o artesanato na escolha das palavras, sobretudo em suas músicas mais antigas, nas quais há metáforas bem urdidas e agradável melodia e harmonia, porém reafirmei que isso era pouco para alguém ser considerado gênio."



Vejamos: qualquer pessoa minimamente racional ou imparcial jamais misturaria a obra de Chico às obras de gênios universais da Música (Beethoven, Villa Lobos), da Poesia (Pessoa, Drummond) ou da Literatura (Guimarães Rosa, Dostoiévski). Chico (eu, também) é admirador e servo dessas sumidades que marcaram a História da Humanidade. Cônscio disso e de seus limites, além de ter a simples intenção de fazer MPB, ele procura assimilar tudo o que lê, filtrar, processar e produzir obras para a população em geral, acessíveis à cognição coletiva, simples sem ser simplório.

As "falhas" a que o douto articulista se refere (a maioria, eu desconheço. Bom não ser um gênio!) são de plena consciência do Chico, tenho certeza. Exemplo de "mistura de pessoas gramaticais em versos de uma mesma composição" é visto em "Quem te viu, Quem te vê". A letra é em primeira pessoa ("Você era a mais bonita...") e APENAS na frase do título é que está na segunda pessoa. Afinal, é uma frase popular, disseminada, totalmente informal, usada por todos dessa maneira. Chico demostraria um pedantismo intolerável se construísse a letra na pessoa da frase ("Tu eras a mais bonita...") ou cometeria um crime à sabedoria popular se alterasse a frase só para se adequar à sua letra ("Quem lhe viu, Quem lhe vê"). UUUGH!!!

Logo se vê que Chico não se arvora em ser classificado como um gênio, uma sumidade, uma unanimidade, tanto quanto eu também não desejo que todos concordem com minhas opiniões. Ele apenas e tão somente produz música POPULAR brasileira de alta qualidade, muito acima da média, com laivos de originalidade, engenhosidade e primorosidade que bem poucos conseguem, nunca permitindo que seja algo tão complexo que fique relegado a uma casta de privilegiados intelectuais. Dificilmente sua obra agrada a metaleiros, funkeiros, "axézeiros"  ou a outros desse nível. Mas as de Beethoven, Pessoa e Guimarães Rosa também não. Cada coisa é uma coisa! Cada coisa em seu lugar!

Resumindo: o "etílico conversador de botequim" estava certo: Chico é, sim, um gênio PO-PU-LAR. No que se digna a fazer, a quem deseja alcançar e a capacidade e universalidade que demonstra para conseguir seu intento, ele o faz genialmente! É "muito pouco" para se comparar aos verdadeiros e incontestáveis gênios citados? Claro que sim! É suficiente para colocá-lo em total e absoluto destaque no panteão da MPB? Sem a mínima dúvida! Neste ponto, ele é genial!

E não é preciso ser um gênio para se ver isto.
FAB29

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Sai, Grande Irmão!

Amigos e amigas.
Uma das polêmicas do momento é sobre as biografias de figuras ilustres. Há trocentos anos que essa celeuma acontece. Tanto que o que mais existem são biografias não autorizadas que causam brigas judiciais e mal estares a torto e a direito. E tudo por causa da sanha de se querer lucrar, se metendo na vida alheia sentado no próprio rabo. Além de, obviamente, causar confusões, embaraços e digressões dos problemas muito mais importantes, relevantes ao bom andamento de nossas vidas.

Esta me parece apenas mais uma faceta do esquema dos donos da carne podre em permitir a exposição de tudo e de todos (menos deles, óbvio), relegando a privacidade a um mero capricho que figuras públicas (principalmente) não poderiam exigir. E o caso é que tudo o que se é produzido só o é porque tem quem compre, quem pague por isso. Inclua-se as piores coisas, como drogas e pedofilia. Toda essa "desgraceira", como diziam os antigos, é financiada e mantida à força pelos grandes corruptores através da grande e vendida mídia que eles dominam.

Para mim, só se pode fazer coisas à revelia do mundo se elas disserem respeito a si mesmo, para benefício próprio sem afetar ou prejudicar a vida de ninguém. Ou então, quando você está reagindo às coisas que atrapalham ou influenciam nocivamente sua vida. Podridões que esses grandes corruptores regurgitam ostensivamente sobre nós, tentando adoecer nossa moral, nosso espírito e escala de valores, desvirtuando nossas mentalidades desde o berço.

Portanto, sou plenamente favorável àqueles que não querem ser biografados, que preferem se expor só quando vão apresentar seus trabalhos ou concederem entrevistas, que querem andar livremente pelas ruas, ir à praia, shopping, padaria, cinema, restaurante, sem ter seu caminho bloqueado ou invadido constantemente. Enfim, serem profissionais como quaisquer outros, comuns, com talentos desenvolvidos com muito suor e dedicação, fato que os tornam destacados, não especiais.

No link abaixo, uma declaração (há várias outras, de ambos os lados: biógrafos e biografados) que Chico Buarque deu sobre essa polêmica e foi publicada no "O Globo". Simples, sem alarde, mas contundente. Vejam só.
FAB29

http://oglobo.globo.com/cultura/penso-eu-10376274

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Campos alemães vs. Gulags russos

Amigos e amigas.
Eis outro artigo de Jeff Hense que me chamou atenção. Nele, a comparação entre os dois estilos de campos de prisioneiros: dos detratados Nacional Socialistas e dos aliados soviéticos. Até a wikipedia é contra o segundo, mas é melhor bater em cachorro morto. Se os russos resolvem reagir à altura, os vencedores da guerra dançam de verde e amarelo.
No final, um bônus: quem iniciou a 2ª guerra?
FAB29

CAMPOS DE TRABALHO ALEMÃES VERSUS
OS GULAGS SOVIÉTICOS
Verdadeiros campos de torturas e morte
As pessoas que se queixam dos campos de concentração alemães na 2 ª Guerra Mundial raramente se queixam dos muito maiores campos soviéticos (Gulags), que Aleksandr Solzhenitsyn (em sua obra “ O Arquipélago Gulag” - edição de bolso, vol 2, p. 79) descreve como terem estado sob o controle do judeu Matvei Berman, o "Chefe do Gulag". Yakov Rappoport foi vice-chefe de construção (p. 78). Solzhenitsyn credita Naftaly Frenkel, um 'turco-nascido judeu", como chefe de obras/superintendente chefe do canal Belomor de cento e quarenta milhas de extensão (Báltico - Mar Branco), construído inteiramente com trabalho escravo (p. 72). Frenkel, Berman e Rappoport estão entre os seis homens descritos por Solzhenitsyn como "assassinos contratados, cada um dos quais responsável por trinta mil mortes". (p. 91).

Segundo a Wikipedia: "Havia pelo menos 476 campos separados, alguns deles contendo centenas, até milhares de unidades de acampamentos. Os complexos mais infames foram aqueles no Ártico ou regiões sub árticas, grandes cidades industriais de hoje no Ártico russo, como Kolyma e Magadan, foram acampamentos construídos originalmente pelos presos e dirigidos por ex-prisioneiros.

Mais de 14 milhões de pessoas passaram pelos Gulags entre 1929-1953, com mais 6 ou 7 milhões sendo deportados e exilados para áreas remotas da URSS. De acordo com dados de arquivos desclassificados divulgados pela agência sucessora da KGB após a Perestroika, um total de 1.053.829 pessoas morreram nos Gulags entre 1934-1953, sem contar os que morreram em colônias de trabalho. A população total dos campos variaram de 510.307 (em 1934) para 1.727.970 (em 1953).

A maioria dos presos dos Gulags não eram presos políticos, embora a população prisioneira política tenha sido sempre significativa. As pessoas podiam ser presas em um campo Gulag por crimes como ausências injustificadas do trabalho, pequenos furtos ou piadas anti-governo. Cerca de metade dos presos políticos foi enviada para campos de prisioneiros Gulags sem julgamento, por dados oficiais; havia mais de 2,6 milhões de sentenças de prisão em casos investigados pela polícia secreta, entre 1921-1953".

Hitler viu o enorme perigo que o Comunismo representava para a Alemanha. Ele apreciou a necessidade desesperada de eliminar essa ameaça, fato que lhe rendeu o imenso ódio e animosidade das organizações judaicas e dos meios de comunicação e políticos do ocidente que elas influenciavam. Afinal de contas, o escritor judeu Chaim Bermant escreveu que, embora judeus formassem menos de cinco por cento da população da Rússia, eles formavam mais de cinqüenta por cento dos seus revolucionários. De acordo com o mesmo Bermant, em seu livro “Os judeus” (1977, capítulo 8):

"Deve-se acrescentar que a maioria dos líderes revolucionários que convulsionaram a Europa nas últimas décadas do século passado [XIX] e nas primeiras décadas deste [XX] vinha de famílias judias prósperas. Eles foram, talvez, tipificados pelo pai da revolução, Karl Marx. Assim, após o caos da Primeira Guerra Mundial, quando as revoluções eclodiram em toda a Europa, os judeus estavam por toda parte no comando; Trotsky, Sverdlov, Kamenev e Zinoviev na Rússia; Bela Kun, na Hungria; Kurt Eisner, na Baviera; e a mais improvável de todas, Rosa Luxemburgo, em Berlim.

Para muitos observadores externos, a revolução russa parecia uma conspiração judaica, especialmente quando foi seguida por surtos revolucionários judeus liderados em grande parte da Europa central. A liderança do Partido Bolchevique tinha uma preponderância de judeus. Dos sete membros do Politburo, o gabinete interior do país, quatro, Trotsky (Bronstein), Zinoviev (Rádomski), Kamenev (Rosenfeld) e Sverdlov, eram judeus."

Os judeus de Stalin
Outros autores concordam com isso:
"Tem havido uma tendência para burlar ou simplesmente ignorar o papel significativo de intelectuais judeus do Partido Comunista Alemão, e, assim, negligenciar seriamente uma das genuínas e objetiva razões para o aumento do anti-semitismo durante e após a 1 ª Guerra Mundial. O destaque de judeus na revolução e no início República de Weimar é indiscutível, e esta foi uma das causas que contribuíram muito seriamente para o aumento do antissemitismo nos anos do pós-guerra. É claro, então, que o estereótipo dos judeus como socialistas e comunistas levou muitos alemães a desconfiarem da minoria judaica como um todo e marcarem os judeus como inimigos da nação alemã ". (Sarah Gordon: Hitler, os alemães e a "Questão Judaica" Princeton University Press (1984), p 23).

"O segundo paroxismo de forte anti-semitismo veio depois do papel crítico dos judeus no comunismo internacional e na Revolução Russa e, durante as crises econômicas das décadas de 1920 e 30, o antissemitismo se intensificou em toda a Europa e América do Norte, devido à centralidade percebida e real de judeus na Revolução Russa. Tais sentimentos não se restringiram à Alemanha, ou extremistas vulgares como os nazistas. Em toda a Europa do Norte e América do Norte, o antissemitismo tornou-se a norma na 'sociedade boa' e 'boa sociedade', incluídas as universidades". (Martin Bernal, “Black Athena”, vol. 1 pp. 367, 387).

"O importante papel desempenhado pelos líderes judeus na revolução de Novembro (russa) foi, provavelmente, mais importante do que qualquer outro fator, confirmando as crenças antissemitas (de Hitler)". (J & S exterior: “Quem financiou Hitler”, p.164).

Judeus na Alemanha pré-guerra foram aceitos como inimigos estrangeiros depois de Samuel Untermeyer, o líder da Federação Econômica Mundial judaica, declarar guerra à Alemanha em 6 de agosto de 1933. (Edwin Black: “O Acordo de Transferência: a história não contada do pacto secreto entre o Terceiro Reich e a Palestina” (1984), pp. 272-277). De acordo com Black, "O único homem que mais encarna o potencial golpe mortal para a Alemanha era Samuel Untermeyer." (p. 369).

Isto foi a culminação de um boicote mundial aos produtos alemães liderados por organizações judaicas internacionais. The London Daily Express em 24 de março de 1933 publicou a manchete “Judéia declara guerra à Alemanha”.


segunda-feira, 14 de outubro de 2013

EUAAAAAAARRGH...!!!

Amigos e amigas.
Copiei o texto abaixo do Blog "Maré Cinza", da Fada do Bosque. Por vê-lo como uma síntese da iniquidade sócio-político-cultural estadunidense contra o mundo e mostrando que esse país em nada deve às piores republiquetas inventadas à força pelo império talmúdico/sionista (lembrando que são só alguns tópicos), decidi contribuir com sua divulgação.
Posso colocar um sub-título: "Os dez menos dos EUA". Coisa de paisinho! Imaginem como as coisas são no 3º mundo.
FAB29


1) Maior população prisional do mundo
Uma nova categoria de milionários consolida seu poder político. Os donos destas prisões são também, na prática, donos de escravos, que trabalham nas fábricas do interior das prisões por salários inferiores a 50 cents por hora. Este trabalho escravo é tão competitivo que muitos municípios hoje sobrevivem financeiramente graças às suas próprias prisões, aprovando simultaneamente leis que vulgarizam sentenças de até 15 anos de prisão por crimes menores como roubar chicletes. O alvo destas leis draconianas são os mais pobres, mas e sobretudo os negros, que representando apenas 13% da população estadunidense, compõem 40% da população prisional do país.

2) 22% das crianças estadunidenses
vivem abaixo do limiar da pobreza.
Calcula-se que cerca de 16 milhões de crianças estadunidenses vivam sem “segurança alimentar”, ou seja, em famílias sem capacidade econômica para satisfazer os requisitos nutricionais mínimos de uma dieta saudável. As estatísticas provam que estas crianças têm piores resultados escolares, aceitam piores empregos, não vão à universidade e têm uma maior probabilidade de, quando adultos, serem presos.

3) Entre 1890 e 2012, os EUA invadiram
ou bombardearam 149 países.
O número de países nos quais os EUA intervieram militarmente é maior do que aqueles em que ainda não o fizeram. Números conservadores apontam para mais de oito milhões de mortes causadas pelo país só no século XX. Por trás desta lista, escondem-se centenas de outras operações secretas, golpes de Estado e patrocínio de ditadores e grupos terroristas. Segundo Obama, Nobel da Paz (só por Deus!), os EUA conduzem neste momento mais de 70 operações militares secretas em vários países do mundo. O mesmo presidente criou o maior orçamento militar estadunidense desde a Segunda Guerra Mundial, superando de longe George W. Bush.

4. Os EUA são o único país da OCDE que não oferece qualquer tipo de subsídio de maternidade.
Embora estes números variem de acordo com o Estado e dependam dos contratos redigidos por cada empresa, é prática corrente que as mulheres estadunidenses não tenham direito a nenhum dia pago antes ou depois de dar à luz. Em muitos casos, não existe sequer a possibilidade de tirar baixa sem vencimento. Quase todos os países do mundo oferecem entre 12 e 50 semanas pagas em licença de maternidade. Neste aspecto, os Estados Unidos fazem companhia à Papua Nova Guiné e à Suazilândia.

5. 125 estadunidenses morrem todos os dias
por não poderem pagar qualquer tipo de
plano de saúde.
Se não tiver seguro de saúde (como cerca de 50 milhões de estadunidenses não têm), então há boas razões para temer ainda mais a ambulância e os cuidados de saúde que o governo presta. Viagens de ambulância custam, em média, o equivalente a 1300 reais e a estadia num hospital público mais de 500 reais por noite. Sem esquecer que a maioria das operações cirúrgicas chega à casa das dezenas de milhar cada.

6. Os EUA foram fundados sobre o genocídio de 10 milhões de nativos. Só entre 1940 e 1980, 40% de todas as mulheres em reservas índias foram esterilizadas contra sua vontade
pelo governo estadunidense.
A História dos Estados Unidos começa no programa de erradicação dos índios. Durante dois séculos, os índios foram perseguidos e assassinados, despojados de tudo e empurrados para minúsculas reservas de terras inférteis, em lixeiras nucleares e sobre solos contaminados. Em pleno século XX, os EUA iniciaram um plano de esterilização forçada de mulheres índias, mandando-as colocar uma cruz num formulário escrito em idioma que não compreendiam, ameaçando-as com o corte de subsídios caso não consentissem ou, simplesmente, recusando-lhes acesso à maternidades e hospitais. Mas que ninguém se espante: os EUA foram o primeiro país do mundo oficializar esterilizações forçadas como parte de um programa de eugenia, inicialmente contra pessoas portadoras de deficiência e, mais tarde, contra negros e índios.

7. Todos os imigrantes são obrigados a jurar não ser comunistas para poder viver nos EUA.
Além de ter que jurar não ser um agente secreto, nem um criminoso de guerra nazi, vão perguntar-lhe se é, ou alguma vez foi, membro do Partido Comunista, se tem simpatias anarquistas ou se defende intelectualmente alguma organização considerada terrorista. Se responder que sim a qualquer destas perguntas, será automaticamente negado o direito de viver e trabalhar nos EUA por “prova de fraco caráter moral”.

8. O preço médio de uma licenciatura
numa universidade pública é 80 mil dólares.
O ensino superior é uma autêntica mina de ouro para os banqueiros. Virtualmente, todos os estudantes têm dívidas astronômicas, que, acrescidas de juros, levarão, em média, 15 anos para pagar. Durante esse período, os alunos tornam-se servos dos bancos e das suas dívidas, sendo muitas vezes forçados a contrair novos empréstimos para pagar os antigos para, assim, sobreviver. O sistema de servidão completa-se com a liberdade dos bancos de vender e comprar as dívidas dos alunos a seu bel prazer, sem o consentimento ou sequer o conhecimento do devedor. Num dia, deve-se dinheiro a um banco com uma taxa de juros e no dia seguinte, pode-se dever dinheiro a um banco diferente, com nova e mais elevada taxa de juro. Entre 1999 e 2012, a dívida total dos estudantes estadunidenses cresceu à marca dos 1,5 trilhão de dólares, elevando-se para os assustadores 500%.

9. Os EUA são o país do mundo com mais armas:
para cada dez estadunidenses,
há nove armas de fogo.
Não é de se espantar que os EUA levem o primeiro lugar na lista dos países com a maior coleção de armas. O que surpreende é a comparação com outras partes do mundo: no restante do planeta, há UMA arma para cada dez pessoas. Nos Estados Unidos, NOVE para cada dez. Nos EUA, podemos encontrar 5% de todas as pessoas do mundo e 30% de todas as armas, algo em torno de 275 milhões. Esta estatística tende a elevar-se, já que os estadunidenses compram mais da metade de todas as armas fabricadas no mundo.

10. Há mais estadunidenses que acreditam no Diabo
do que os que acreditam em Darwin.
A maioria dos estadunidenses é céptica. Pelo menos no que toca à teoria da evolução, já que apenas 40% dos estadunidenses acreditam nela. Já a existência de Satanás e do inferno soa perfeitamente plausível a mais de 60% dos estadunidenses. Esta radicalidade religiosa explica as “conversas diárias” do ex-presidente Bush com Deus e mesmo os comentários do ex-pré-candidato republicano Rick Santorum, que acusou acadêmicos estadunidenses de serem controlados por Satanás.

sábado, 12 de outubro de 2013

Vídeo bem esclarecedor.

Amigos e amigas.
Talvez a mais crucial questão da 2ª Grande Guerra seja: QUEM A INICIOU?
O vídeo abaixo, em inglês e legenda em espanhol, extingue esta dúvida e dezenas de outras. Um vídeo frio, científico, como todo especialista, historiador e pesquisador precisam ser para ter credibilidade naquilo que expõem.
Convido-os a assisti-lo, já agradecendo ao meu colega Nordestino Ariano pela dica.
FAB29.

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Pontos Nevrálgicos - 9

Amigos e amigas
Neste ponto (capítulos 13 e 14), os autores dos Protocolos citam a fome como aliada; a política é exclusiva deles; a tergiversação é uma grande arma; uma soberba; quem são eles; propaganda anticristã e autoproteção.
FAB29

CAPÍTULO XIII
"A necessidade do pão quotidiano impõe silêncio aos cristãos e faz deles nossos humildes servidores. (...) Alguns imbecis, acreditando-se instrumentos de sorte, se lançarão sobre essas novas questões, sem compreender que nada entendem do que querem discutir. As questões da política não são acessíveis a ninguém, exceto àqueles que as criaram, há muitos séculos, e que as dirigem." [Estamos cercados de digressões, tergiversações e mentiras deslavadas desde sempre!]

"A fim de que nada consigam pela reflexão, nós as desviaremos pelos jogos, pelas diversões, pelas paixões, pelas casas do povo... Em breve, proporemos pela imprensa concursos de arte, de esporte, de toda a espécie: esses interesses alongarão definitivamente os espíritos das questões em que teríamos de lutar com eles." [Tentam a todo custo impedir o salutar silêncio. http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2013/10/silencio-audivel.html ]

"Por isso, impeliremos os espíritos a inventar toda a espécie de teorias fantásticas, modernas e pretensamente progressistas; porque teremos virado a cabeça a esses cristãos imbecis, com pleno êxito, por meio dessa palavra 'progresso'." [Com que tristeza constatamos que os ditos "imbecis" se deixam enredar nessa teia sórdida tão passivamente!...]

"Quem duvidará, então, que todos esses problemas foram inventados por nós de acordo com um plano político que ninguém adivinhou durante séculos?" [Por enquanto, a esmagadora, alienada e comodista maioria...]

CAPÍTULO XIV
"Quando vier nosso reino, não reconheceremos a existência de nenhuma outra religião a não ser a de nosso Deus Único, com a qual nosso destino está ligado, porque somos o Povo Eleito." [Quem serão?]

"Por isso, devemos destruir todas as crenças. Se isso faz nascer os ateus contemporâneos (...) servirá de exemplo às gerações que ouvirão nossas prédicas sobre a religião de Moisés, cujo sistema estoico e bem concebido terá produzido a conquista de todos os povos." [Quem serão? - 2]

"Os erros das administrações dos cristãos serão descritos por nós com as cores mais vivas. Excitaremos tal repugnância por eles que os povos preferirão a tranquilidade da servidão aos direitos da famosa liberdade que tanto os atormentou. (...) As inúteis mudanças de governo a que impelimos os cristãos, quando minávamos seus edifícios governamentais, terão de tal jeito fatigado os povos que 
preferirão tudo suportar de nós ao risco de novas agitações." [Manipulação milimétrica!]

"Nossos filósofos discutirão todos os defeitos das crenças cristãs, mas ninguém poderá discutir jamais nossa religião. (...) Nos países que se denominam avançados, criamos uma literatura louca, suja, abominável. (...) Nossos Sábios foram educados para dirigir os cristãos." [SOCOOORROO!...]