Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Silêncio audível

Amigos e amigos.
Claro que a vida é feita de sons (e várias outras sensibilidades) e, com exceção dos surdos, é através deles que aprendemos, ensinamos, nos desenvolvemos, nos defendemos, evoluímos,... A audição é um dos tantos dons com que a Criação nos agraciou. Usando-os com disciplina, consciência e pertinácia, podemos atingir níveis ainda inimagináveis.

Devastador da sanidade
Mas os sons também são muito nocivos quando mau usados: poluem, pervertem, subvertem, deprimem, destroem, matam,... Esses efeitos danosos são constantemente, cada vez mais e há tempos usados pelos grandes corruptores para envolver a humanidade numa rede e espiral de confusão e loucura, evitando, assim, a racionalização. É a deterioração forçada do bem querer, da boa vizinhança, da sinergia, visando a desunião. A barulheira incessante de todos os tipos começa em muitos lares, onde seus habitantes, sob a égide de estar na própria casa, ouve música bem alto, sem a menor preocupação de estar invadindo e quebrando a tranquilidade alheia. Nas ruas, aumenta exponencialmente com os motores e buzinas, carros de som, barzinhos, etc.

Mas os mais nocivos de todos são os dos shows, sejam em espaços abertos, estádios ou salões próprios. Fazem tremer as estruturas dos prédios e, em especial, das pessoas, ensurdecendo-as em qualquer sentido. O mais subliminarmente afetado é o aspecto cognitivo, visto que tamanha barulheira desconexa, supérflua e distorcedora não tem outra finalidade senão subverter o raciocínio de quem está à sua mercê ou se vicia nela, principalmente a juventude. E vício é o termo correto, como toda droga. Barulhos desse naipe criam dependência e paulatinamente esboroam um organismo, deixando sequelas e transtornos nefastos. Esses viciados não conseguem racionalizar que o silêncio na natureza é a vida brotando, se organizando, evoluindo, independente de qual seja.

Cultivando harmonia
E assim como "a vida necessita de pausas", na concepção brilhante de Drummond, nossa audição também. É através do silêncio que planejamos e organizamos cada detalhe da vida; que atingimos a consciência das coisas; que encontramos o significado de tudo o que necessitamos; que faxinamos a mente, o coração e a alma de tanta informação deletéria que regurgitam em nós; que descobrimos os meandros e recônditos dos desafios que surgem e os suplantamos; que pesamos, reconhecemos e aprendemos a valorizar as pequenas e sadias coisas, como um sorriso e um "bom dia"; que encontramos, no mais profundo ponto de nós mesmos, a harmonia, a paz, o amor, o bem querer, a religiosidade,...

Tudo isso e bem mais são benefícios do silêncio. Por ser tão poderoso e determinante tanto na obtenção de domínio e supremacia quanto na libertação e conscientização é que ele é negado ao povinho, sempre afundado numa cacofonia excruciante. Eu amo e constantemente procuro os sons cadenciados ou aleatórios, leves ou intensos, harmoniosos ou irregulares da Mãe Natureza e, até, os produzidos pelo homem, desde que não me pervertam ou ensurdeçam. E finalizo com um poema que fiz em homenagem à importância do silêncio:



O silêncio que deseja meu coração
Nada tem a ver com distância ou ausência.
É apenas um tempo preu tomar ciência;
Apenas poucos minutos de reflexão

O silêncio é a antítese da paixão;
É o melhor companheiro da consciência.
Permite-nos sentir e encontrar a essência
De tudo o que permeia a nossa percepção.

Para muitos, o silêncio é uma prisão,
Um labirinto que nos conduz à demência.
Escutá-lo pode ser uma penitência
Ou a forma mais pura de religião.

Mas não há silêncio mais ensurdecedor
Que o da solidão da perda de um grande amor.

FAB29

4 comentários:

  1. Olá Amigo querido,

    "O que é só pode ser percebido no vazio. A verdade é fruto do silêncio."

    Mas conheço muito boa gente que não suporta o barulho do silêncio e muito menos a solidão... nem por breves momentos.

    Não quero pensar sequer nesse vazio... na perda de um grande amor. A minha mente ainda não se preparou e penso que para isso, nunca estará preparada.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  2. Silêncio ajuda na introspecção, na concentração, na criação ... silêncio é muito bom.

    Silêncio é muito bom pra falar com Deus.

    Abraços, Cobalto

    ResponderExcluir
  3. Segundo Bonifácio vlll.Quem cala consente ?
    Nordestino Ariano

    ResponderExcluir