Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


sexta-feira, 24 de maio de 2013

Dê-me alguma verdade!

Amigos e amigas.
Muito se pode dizer contra John Lennon, desde sua contribuição para a alienação que o establishment sempre procurou impor ao povo até a apologia que ele fez às drogas e à libertinagem, a ponto de ele ter dito que "você precisa ser um bastardo para chegar até o sucesso" e completou: "Os Beatles são, sim, os maiores bastardos na face da Terra."

Mas sem desculpar, nem condenar, quero comentar que compreendo suas loucuras da época Beatle. Creio ser imensurável o peso das exigências e cobranças que o mundo fazia a eles, jovens que tinham os mesmos ideais que vemos até hoje na maioria dos artistas: fama e fortuna.

E há meio século, você sair do anonimato já no primeiro disco lançado e já tendo a atenção do mundo, com tantos e tantos querendo vê-los e ouvi-los é esmagador! Penso que eles, musicalmente, deram conta do recado. Socialmente, ninguém faria "menos ruim" que eles. Eles eram seguidos, vigiados, caçados, massacrados pelos fãs; qualquer coisa que faziam ou diziam era manchete em todas as mídias; os 'urubus' dessa sanha midiática os pressionavam, criticando ou apenas querendo uma declaração inédita e bombástica para embarcar no vácuo da Beatlemania.

Desde essa época, quase todos os artistas passaram a sofrer esse tipo de assédio massacrante (vide o caso do Gusttavo Lima, que comentei aqui: http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2013/05/o-show-de-horrores-deve-continuar.html). Só que Lennon se revoltou com tudo isso no final dos Beatles, passando a criticar ferrenha, feroz e abertamente todo esse estado de coisas nefastas que se embrenhou na sociedade. Passou a compor canções política e socialmente engajadas, ácidas, pondo o dedo na ferida do establishment e de tudo o que ele considerava errado, nocivo e corrupto no mundo.

Entre tantas, cito "The luck of the irish", "Attica State", "Power to the people", a poderosa "Working class hero" e a mais bela canção da história: "Imagine". Porém, tenho para mim que a canção onde ele mais mostrou seu cansaço com tudo o que o enojava chama-se "Gimme some truth", que é o título do post. Ei-la abaixo traduzida:

Eu estou doente e cansado de ouvir coisas vindas de arrumadinhos, míopes, hipócritas tacanhos.
Tudo que eu quero é a verdade!
Apenas me dê um pouco de verdade!

Estou farto de ler coisas vindas
de neuróticos, psicóticos, políticos cabeça-de-porco.
Tudo que eu quero é a verdade!
Apenas me dê um pouco de verdade!

Nenhum careta, covarde, filho de
Tricky Dicky
Vai me "agradar" me "ensaboando" suavemente
Com um simples maço de esperança!
Dinheiro para drogas!
Dinheiro para a corda!

Estou farto de ver as coisas
De bocas-duras, condescendentes, pequenos chauvinistas da mamãe!
Tudo que eu quero é a verdade!
Apenas me dê um pouco de verdade agora!

Eu estou farto de ver cenas
De prima-donas esquizofrênicas, egocêntricas e paranoicas!
Tudo que eu quero é a verdade agora!
Apenas me dê um pouco de verdade!

Ah, eu estou doente e cansado de ouvir coisas
de arrumadinhos, míopes, hipócritas tacanhos!
Tudo que eu quero é a verdade agora!
Apenas me dê um pouco de verdade agora!

Estou farto de ler coisas vindas
De neuróticos, psicóticos, políticos cabeça-de-porco!
Tudo que eu quero é a verdade agora!
Apenas me dê um pouco de verdade agora!


Há muito tempo, eu sigo essa linha "saco-cheio" que Lennon expressou nesta letra. A mídia necrosada pelos "donos da carne podre" procuram o tempo todo impor suas verdades em todos os assuntos, escondendo milhares de informações essenciais que fariam nosso mundo bem melhor de se viver. Mas a esperança não pode ser algo sólido. Os grandes corruptores a dão em migalhas, o suficiente para as massas não sentirem que são capazes de mudar tudo, de fazer a maior das diferenças.

Bastaria sair da letargia que esses nefastos perpetram à humanidade e se saberem autosuficientes, sem dependerem de poder central, salvador da pátria, messias,... Quanto mais pessoas conseguirem se livrar desses grilhões mentais, emocionais e espirituais, mais a esperança se solidificará e a realidade será alterada para melhor.

Independente da quantidade de podridões que os vermes virtuais se prestam a tentar me lançar, só tenho que desprezá-los e seguir as palavras de Raul Seixas: "Não sei aonde eu tô indo, mas sei que eu tô no meu caminho. Enquanto você me critica, eu sigo o meu caminho."

Tão simples! Continuarei à procura de verdades.
FAB29