Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


sexta-feira, 7 de junho de 2013

Viva a "educassão"!

Amigos e amigas.
Leiam este trecho de uma reportagem do Correio Popular, de Campinas:

"O pianista André Mehmari foi hostilizado por estudantes da rede pública de Campinas durante uma das apresentações que realizou na cidade, como parte do projeto 'Ouvir para Crescer', cujo objetivo é, justamente, facilitar o acesso desse público carente à música e ao teatro. Ele, que é um dos músicos mais aclamados da nova geração, foi vaiado e surpreendido com frases do tipo “Sai daí, filho da p...”, “Vai tomar no c...” e “Vai se f...” — conforme relatou no seu perfil no Facebook —, depois de explicar sobre Ernesto Nazareth e listar as obras que tocaria a seguir. Esse triste retrato da educação foi revelado no dia 14 de maio, em meio a uma plateia de cerca de 600 alunos da rede estadual de ensino no Teatro Municipal José de Castro Mendes. Porém, Mehmari continuou a apresentação conforme o programa pedia."

Em seguida, a 'reação das otoridades' ditas responsáveis:

"A Prefeitura de Campinas, apoiadora do projeto, tomou ciência do ocorrido por meio da reportagem na manhã de ontem, porém, a secretária de Educação, Solange Villon Kohn Pelicer, preferiu não se manisfestar, justificando que os alunos envolvidos são da rede estadual e, portanto, não são de responsabilidade do município. Por meio da assessoria de imprensa, comunicou que isso serve de alerta, porém, a Educação faz toda a orientação necessária.
O secretário de Cultura de Campinas, Ney Carrasco, pasta responsável pelo teatro, prometeu se inteirar melhor do fato. “Em princípio, posso dizer que André Mehmari é um grande pianista que merece o reconhecimento de todos. E o projeto também é muito bonito. Se (SE?!?) houve alguma atitude deselegante, foi por parte dos alunos e isso precisa ser trabalhado. É preciso ressaltar que as escolas e seus profissionais envolvidos precisam estar devidamente preparados para orientar seus alunos, uma vez que ir ao teatro e ouvir um recital de piano não é algo comum para eles."

Resumindo: a deseducação grassa pelas escolas deste país vilipendiado pelo ensino degenerado pelas democráticas mídias, que regurgitam a todo instante o lixo do lixo da cultura na mente do povinho, especialmente dos jovens. É a famosa tática da alienação e substituição da sadia simplicidade e praticidade pela loucura do consumismo desenfreado, da luxúria, da inveja, da malícia, do individualismo, da impaciência, da indisciplina e do egocentrismo. E o "jogo de empurra" é uma constante entre os 'poderes instituídos', cada qual tirando o seu da reta.

Tal tática se reflete no que vemos a todo instante hoje em dia: além do relatado acima, jovens preguiçosos e ensimesmados se perdendo em vícios e crimes de todos os níveis.  Com isso, a violência é trazida das ruas e contamina as salas de aula e chega aos lares. Assim, os Grandes Corruptores vão conseguindo seu intento maior: a desunião no seio familiar, causando sua desagregação. E com o advento da tecnologia fácil, com suas 'redes sociais' (que são utilizadas como proteção pelos mais variados tipos de criminosos), o jovem se isola em seu quarto asséptico e pensa "ganhar o mundo" através do seu frio monitor, quando o máximo que consegue é diminuir o contato com o calor familiar e se sujeitar aos inomináveis engodos que os vermes virtuais tramam para parasitar os incautos.

Amigos e amigas, protejam-se ao máximo dessa quimera virtual e abracem seus dependentes, livrando-os dos tentáculos dela. Vida é o instante em que estamos. Como disse o mestre indiano Osho: "Tudo é único! Nunca foi antes; jamais será outra vez! Cada momento que você perde, o perde para sempre."
E completo com outro pensamento dele: "Quanto mais você se tornar consciente e silencioso, melhor verá que a sociedade o está envenenando." Portanto, não perca seu tempo com nulidades e muito menos perca o contato com quem você de fato ama e que ama você.

O resto, que espere.
FAB29