Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


quinta-feira, 4 de julho de 2013

Novos campos de concentração

Amigos e amigas.
Para se garantir, entre outras coisas, predominância no poder, um dos expedientes mais utilizados é a construção de campos de concentração para tirar de circulação e isolar inimigos do status quo. Dessa maneira, o establishment evita o fomento de núcleos de "poder paralelo" ou de "áreas de intolerâncias, descontentamentos, rebeldias, motins".

Há muito tempo que "campo de concentração" virou 'porrete linguístico' devido à propaganda advinda da 2ª Guerra, onde houve dezenas deles e os sionistas criaram a quimera dos "campos de extermínio" para impetrar outra quimera: a tentativa de aniquilação da etnia judaica. Essa propaganda visa também amenizar os milhares de outros campos que se espalham por quase todos os países desde o século XIX até os tempos contemporâneos. Exemplos: Guantânamo e Abu Ghraib.

Mas que ninguém fique surpreso ao ver a imagem logo abaixo, onde se pontuam os campos de concentração na "maior democracia do planeta", no "país da liberdade". É até dito que esses são os NOVOS. Portanto, haveria os mais antigos, como no desenho seguinte, da wikipedia. Fora dizer o monte de outros campos que o império estadunidense/sionista mantém em dezenas de outros países.


Novos Campos de Concentração nos EUA





Ficheiro:Map of World War II Japanese American internment camps.jpg

Vejam as palavras de Ron Paul, membro da Câmara dos Representantes do Congresso estadunidense:

"A segurança perfeita não constitui o objetivo do estado. O que pretendemos do estado é que faça valer a lei para proteger as nossas liberdades. O estado não precisa saber mais sobre o que nós fazemos. Somos nós que precisamos saber mais sobre o que o estado está fazendo. Necessitamos virar as câmeras na direção da polícia e do estado, e não o contrário. Devemos estar gratos por autores como Glenn Greenwald, que divulgou a história da semana passada, por estar disposto a correr riscos para nos informar sobre o que está o estado a fazer. Há apelos para a perseguição a Greenwald e aos outros denunciadores e jornalistas. Eles devem ser defendidos, pois o seu trabalho defende a nossa liberdade." 

Quanta preocupação com o bem comum!
FAB29