Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


terça-feira, 8 de outubro de 2013

Os 10 do mundo.

Amigos e amigas.
Compilar a lista dos "10 mais" do Brasil foi uma tarefa tão árdua quanto gratificante. Imbuído desse ânimo, resolvi me arvorar em apresentar meus "10 mais" da História do mundo, já consciente de que seria tarefa quase medonha.
Eu disse "quase"? Bota medonha nisso! Em nível nacional, fiquei com uma sensação de poder ter cometido alguma injustiça; quem sabe, poderia ter analisado melhor, ponderado,... Mas não estou nem um pouco arrependido dos meus "dez mais" nacionais. Agora, em nível mundial, o trabalho é acachapante e o risco de injustiças é em muito maximizado.
Por isto, tentei levar em conta duas coisas: primeiro, procurei separar por modalidades (Artes, Ciências, Política,...) e pegar aquele que, para mim, mais se destacou em cada uma. Ou em segundo, simplesmente considerei aqueles que foram os melhores, os divisores de água da História, os que nunca serão esquecidos.
Minha nova pequena polêmica está lançada. Opinem à vontade.
FAB29

 10) Michael Jordan: "Deus do Basquete", dono de um físico perfeito e técnica inigualável, superou outros 'deuses' como Bill Russel, Wilt Chamberlain, Larry Bird e Magic Johnson. Cestinha por 10 vezes da NBA, com média de 30,1 pontos por temporada, "Air Jordan" era completo: tão bom no ataque quanto na defesa e em todos os fundamentos. Seis vezes campeão da NBA (e nas seis vezes, MVP - jogador mais valioso), cinco vezes MVP da temporada regular, melhor defensor em 1988, eleito dez vezes para o "Time dos Melhores", nove vezes para o "Time dos Defensores", etc. Mesmo consciente de sua supremacia, sempre angariou respeito e admiração por se mostrar um exemplo de humildade e simpatia com seus colegas, adversários e adoradores, sendo o máximo solícito e acessível para estes. Com tantos atributos e conquistas, Jordan representa com galhardia o esporte e "voa" para o décimo lugar.

 09) Henry Ford: Grande "self made man" e inventor, criador da linha de montagem, que barateou tudo e possibilitou a muita gente ter seu automóvel e muitas coisas mais. Conseguiu que seus empregados recebessem melhor trabalhando menos e produzissem mais. Um prodígio invejável! Registrou mais de 160 patentes. Único dono da Ford Company, foi um dos homens mais ricos e influentes da época e, apesar de capitalista nato, tinha um lado idealista e humanista impressionante. Ele afirmava: "O dinheiro é a coisa mais inútil do mundo. Não me interesso por ele, mas no que posso fazer pelo mundo com ele". Quando criou a Muscle Shoals, em 1921, ele tencionou livrar o mundo das guerras e da escravidão financeira pelo ouro. Sua ideia era que o governo emitisse dinheiro para a construção de qualquer benefício (estrada, hidrelétrica, etc) sem ter de emprestar de ninguém ou aumentar os impostos. Foi atacado até a alma pelos "banksters", seus maiores inimigos. Por suas atitudes visando o progresso da humanidade e a libertação do jugo e da opressão pela usura, Ford acelera pro nono lugar.

 08) Ludwig von Beethoven: O "Mestre de Bonn", um dos pilares da música universal, um gênio que se destacou entre gênios, como Mozart, Bach, Wagner e Paganini. O crítico alemão Paul Bekker afirmou: "O resumo de sua obra é a liberdade. A liberdade política a liberdade artística do indivíduo, sua liberdade de escolha, de credo e a liberdade individual em todos os aspectos da vida". Aos 26 anos, foi diagnosticado com uma surdez progressiva, fato que lhe causou imensas crises de depressão e destruiria qualquer músico, mas não o impediu de evoluir avassaladoramente, superando sempre mais o fantasma que o assombrava. Nessas condições, conseguir compor dezenas de obras (incluindo suas sinfonias) que a maioria não consegue estando sadia, culminando na "Sinfonia nº 9, em ré menor" já totalmente surdo, é tarefa divina, a superação personificada. Ao eternizar o élan de seu coração, espírito e mente em melodias para o deleite do homem e que nunca pôde vivamente escutar, Beethoven garantiu seu oitavo lugar no Panteão da História.

 07) Nicola Tesla: Talvez o maior gênio inventor da História, relegado a ser uma unidade de indução magnética pelos deturpadores que precisam ocultar sua imensa importância à humanidade. Simplesmente porque Tesla era mais um idealista, humanista, que ousou procurar energia grátis para abastecer o mundo. Revolucionário e vanguardista, inovou no campo do eletromagnetismo. Os modernos sistemas de potência elétrica com corrente alternada são todos baseados em seus estudos. Descobriu a ressonância magnética da terra e é o verdadeiro inventor do rádio (comunicação sem fios), do controle remoto, dos aparelhos de raios-x, do radar, da transmissão inalâmbrica (por indução), da lâmpada de neon, do motor elétrico, além de iniciar as bases da robótica, da ciência computacional, da balística e da radioastronomia. São mais de 700 patentes, incluindo uma máquina de criar terremotos e o Raio da Morte, que alguém guardou para fins escusos. Por simplificar enormemente a vida das pessoas, Tesla merece o sétimo posto da História.

 06) Maomé: O Profeta do Islã. Seu quase inacreditável feito foi unir as tribos árabes que nunca se entendiam, se digladiando sem cessar. Esta tarefa sem precedentes foi realizada com muito sangue e suor, misturando pregações de paz e bem querer com atitudes guerreiras que culminaram em muitas mortes. Resistindo a tudo e perseverando, Maomé logrou êxito e, com essa união, o império islâmico cresceu da Pérsia até a península ibérica. Durante 23 anos, foi pregando a Palavra até formar o Alcorão, que hoje em dia, rege mais de um bilhão de fiéis. Sua influência e ascendência são tamanhas que uma palavra sequer contra ele é considerado crime entre os muçulmanos. Apesar de seus fiéis não o considerarem divino, o tem como a perfeição humana. Por ter conseguido uma paz entre "irmãos inimigos", norteado suas vidas e criado um bolsão de esperança para chegar a um denominador comum com os outros povos e religiões, Maomé merece seu sexto lugar.

 05) Adolf Hitler: A mais controversa figura da História. Pesa em sua biografia a acusação de milhares de testemunhos afirmando uma "solução final" para  exterminar os judeus durante seu governo, não havendo, porém, comprovações científicas dela. Mas o que mais se destaca de seu governo é o reerguimento de uma Alemanha esfacelada e falida após a 1ª Grande Guerra. Hitler inverteu completamente a situação, quase zerando o desemprego e a inflação astronômica (Um pãozinho chegou a custar 100 bilhões de reichsmark e um dólar, a valer mais de 4 trilhões de marcos!), acabando com a ciranda financeira da usura que lá se instalou pelos bancos e cartéis. Construiu mais de 1,5 milhão de moradias e centenas de autobans, financiou mais de meio milhão de propriedades agrícolas, promoveu a troca de bens de consumo com outros países para burlar a influência dos banqueiros internacionais e bem mais. Assim, economia alemã cresceu tanto que, apenas três anos após sua posse, Hitler pôde bancar a melhor olimpíada até então. Por este 'milagre' econômico que não encontra paralelo na História (a despeito de seus 'crimes de guerra' a se comprovar), Hitler se destacou o suficiente para ser o quinto na minha lista de personalidades que mais influenciaram o mundo.

 04) São Francisco de Assis: De um adolescente irrequieto e mundano até ser "uma luz que brilhou sobre o mundo", segundo Dante Alighieri, a vida de Giovanni Bernardone é um exemplo de entrega e amor aos necessitados, inclusive animais, dos quais é o santo patrono. Além de se dedicar absolutamente aos problemas de seus semelhantes, ele pregava a maravilha da Criação para uma humanidade derrotista, sórdida, que arrastava suas chagas, resignada com sua desdita. É dito que sua positividade sobre a Criação e o Homem levou ao surgimento da filosofia da Renascença. Vagou por onde foi possível, pregando a Palavra, exortando a vida, o amor e o bem querer, levando ânimo, esperança e conforto. Abnegado e incansável, inclusive em seus últimos tão sofridos anos de vida, nada abalou sua fé e pacifismo, do qual era intenso defensor. Pela sua existência voltada à evolução da espiritualidade, ao amparo dos perdidos e necessitados e seu inequívoco e desprendido amor a todas as criaturas, São Francisco abençoa o quarto lugar.

 03) Buda: O homem que abandonou seu berço de ouro para se tornar o primeiro Iluminado da humanidade. O homem que passou por todas as privações e agruras possíveis para evoluir mental e espiritualmente. O homem que questionou e encontrou sozinho as respostas às questões fundamentais da vida. Entre suas descobertas, estão as Quatro Nobres Verdades, a base do budismo, que são as Realidades do Sofrimento, da Origem do Sofrimento, da Cessação do Sofrimento e do Caminho para a Cessação do Sofrimento. Para atingi-las, é necessário exercitar a consciência ao extremo, como Buda sempre preconizou: "Sede senhor de vossa mente!". Sua sabedoria era absoluta e, muitas vezes, imperscrutável. Ele foi pioneiro em tudo, o início da real evolução espiritual da humanidade, o paradigma a ser atingido, a força motriz da espiritualidade, a expansão da mentalidade, a vitória da fé sobre o pessimismo, da confiança sobre o medo. A originalidade de Buda garante seu terceiro lugar.

 02) Leonardo da Vinci: O "Homem da Renascença"! Aquele que desprezou tabus e preconceitos para descobrir e inventar mil benefícios à humanidade. Polímata inigualável, foi cientista, engenheiro, matemático, inventor, anatomista, pintor, escultor, arquiteto, botânico, poeta e músico. Tal era sua dedicação que ele "cronometrava" seus cochilos para não perder tempo. Criou os protótipos do helicóptero, do tanque de guerra, do uso da energia solar, do paraquedas, da máquina a vapor, do submarino, do isqueiro e da calculadora; contribuiu imensamente à engenharia civil, à anatomia, à hidrodinâmica e à óptica; projetou uma cidade, um porto e um templo. Inclua-se, óbvio, suas monumentais obras de pintura, escultura e desenho. É quase inacreditável que, numa época tomada pelo obscurantismo, onde não havia nenhuma facilidade (muito ao contrário!), alguém pudesse desenvolver sozinho tantas criações. Da Vinci é o maior paradigma da humanidade, no sentindo da obstinação de um ser em produzir e conhecer seu mundo partindo do zero. Seu segundo lugar seria injustiça, não fosse a proeminência do primeiro.

 01) Jmmanuel: Verdadeiro nome de Jesus, Filho de Deus, o Caminho, a Verdade, a Vida, a personificação do Amor, etc. Se algum ser atingiu a perfeição, só mesmo Ele. Desde sempre até hoje em dia, tudo o que falou e fez foi para orientar e edificar o Homem. Numa época onde o caos político/religioso reinava, Jmmanuel, sozinho, desafiou e abalou o império romano e a cúpula judaica que ditavam regras, mandos e desmandos ao povo totalmente submisso, desorientado e escravizado. Libertou e curou incontáveis fiéis, ensinou a prática do Bem sem olhar a quem, fortificou a fé dos fracos de mente, alimentou o corpo e a alma dos esquecidos, explicou o sentido da vida e da morte, iluminou os corações dos celerados e muito mais. Não negava sua Luz nem aos piores homens, se estes se mostrassem arrependidos, dispostos a segui-lo e a crescer. A Bíblia finaliza sua história aos 33 anos, mas outras fontes contam que ele não morreu na cruz e fugiu pra Índia, recebendo vários outros nomes. O fato é que nada, nem ninguém influenciou a humanidade como Ele e sua Palavra. Mesmo aqueles que o desprezam são tocados por sua presença etérea. Por tudo que ninguém é capaz de enumerar a seu respeito, nem mensurar, é impossível não declará-lo o número um da História.