Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Revisitando "Os Dez do mundo"

Amigos e amigas.
Não se trata de arrependimento, mea culpa ou qualquer coisa parecida. Apenas recebi (esperadamente) várias opiniões sobre quem mereceria figurar entre os dez mais da História e resolvi mostrar uma "lista alternativa" de opiniões de colegas que merecem atenção e respeito.
Meus "Dez do mundo" http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2013/10/meus-10-mais.html (dentro dos parâmetros que escolhi) se mantêm, mas reconheço que alguns desses próximos poderiam tranquilamente ter figurado entre eles. Coloco-os em ordem alfabética para deixar a quem quiser organizar em ordem de relevância ou substituí-los.
FAB29

1.     ABRAHAM LINCOLN: Presidente que sustentou a unidade dos EUA durante sua brutal Guerra Civil e aboliu a escravatura por lá, modernizando e fortalecendo o país. Sendo defensor da liberdade, era inimigo da especulação e da usura que atava o governo e a população ao capital apátrida. Entre tantos outros benefícios realmente democráticos, ao tentar delegar a impressão do dinheiro a um banco central estatal, angariou os piores inimigos que alguém pode conseguir, fato que resultou em seu assassinato.

2.     ALEXANDRE MAGNO: O mais fulminante e espantoso conquistador da História. Começou a comandar aos 18 anos, vencendo a Batalha de Queronéia. Daí em diante, de batalha em batalha, foi dominando até ser proclamado o Rei da Ásia aos 26 anos. Seu império incluiu o norte da África até a Índia. Ninguém foi capaz de igualar esse feito de conquistar quase todo o mundo conhecido em tão pouco tempo. Se não tivesse falecido aos 32 anos, teria dominado todo o mundo.

3.     BENJAMIN FRANKLIN: Este eminente senhor é mundialmente conhecido por suas descobertas sobre a eletricidade e por ter inventado o pára-raios, o aquecedor de Franklin e as lentes bifocais. Mas também foi jornalista, editor, autor, funcionário público, cientista, enxadrista, diplomata, filantropo e abolicionista. Ajudou a criar bibliotecas e fundou a Universidade da Pensilvânia e a Sociedade Filosófica americana. Era um nacionalista ferrenho e procurou, acima de tudo, a integridade do ser humano pautada na retidão de caráter e na preservação da sua cultura, religiosidade e tradições.

4.     FERNANDO PESSOA: Gênio da literatura, sua produção foi qualquer coisa acima do sensacional. Como Álvaro de Campos, Alberto Caeiro, Ricardo Reis e Bernardo Soares, além de si mesmo (todos bem distintos entre si), produziu uma quantidade de poemas e textos de altíssimo nível, capazes de emocionar, seduzir, inspirar, embasbacar. Em 40 anos de super intensa produção (faleceu com 47), deixou um legado literário de mais de 25 mil páginas falando sobre quase todos os assuntos, sempre com a lucidez de um iluminado, a doçura de um anjo, a rascância de um cético, a amplidão de um filósofo, a profundidade de um mestre e a universalidade de um semideus da palavra.

5.     GANDHI: Figura controversa, mas que causou furor e marcou a História. Seus detratores afirmam que ele não passou de um esperto conveniente que manipulou as ondas da revolução. Mas é inegável que ele lutou pela paz entre hindus e muçulmanos em seu país, contra a opressão do império britânico que não permitia a independência da Índia. Sua política da não-violência inspirou e influenciou muitos pacifistas pelo mundo a lutarem sem destruir ou matar, através de passeatas, jejuns e desobediência civil. Seu exemplo e dedicação merecem total respeito.

6.     MARIE CURIE: Cientista e pesquisadora incansável, ela foi a primeira pessoa a receber dois prêmios Nobel: um de Física (1903, junto com seu marido e Becquerel) e um de Química (descoberta dos elementos Rádio e Polônio, além de trabalhos sobre a radioatividade que viria a matá-la). Foi uma desbravadora, sobressaindo-se num setor quase exclusivamente masculino, angariando todo o respeito e admiração ainda em vida. Um exemplo de total amor e dedicação à Ciência em prol da humanidade.

7.     MOZART: O maior fenômeno da música universal, que começou a tocar aos quatro anos e, aos seis, já compunha pequenas sonatas. Morreu com apenas quase 36 anos, mas deixou cerca de seiscentas obras, muitas das quais influenciaram a maioria dos compositores nos séculos seguintes. Tamanho e absoluto prodígio suscitou várias teorias, sendo uma delas a de que ele era um autista ou outro excepcional, vindo daí seus defeitos físicos (magro e pálido, dedos e ouvido esquerdo deformados, dificuldade de andar, feição estranha,...) e sua capacidade tão prolífica, precoce e inigualável de compor. Independente de qualquer coisa, é um "monstro sagrado"!

8.     ROSALIND FRANKLIN: Talvez a mais injustiçada das cientistas. Chamada "A Mãe do DNA", esta expert em biologia molecular deslindou a maior parte da estrutura do DNA das moléculas. Sua "Fotografia 51" mostrava a famosa dupla hélice, mas ela não se apercebeu disto. James Watson, Francis Crick e Maurice Wilkins, seu chefe que a detestava, perceberam e se apoderaram da informação, recebendo o Nobel de Medicina sem acrescentar sua real descobridora. A relevância do seu trabalho é sentida imensamente até hoje nas mais modernas pesquisas sobre biologia molecular.

9.     SÓCRATES: O "Pai da Filosofia" é o maior expoente do pensamento, do raciocínio e da racionalização. Numa época de sofistas (os famosos "Sabem-Tudo"), ele fez valer sua maior máxima: "Tudo o que sei é que nada sei". Nesta base, mostrava a fragilidade desses "experts" e que sempre há espaço para aprender, evoluir, progredir, crescer em qualquer sentido empírico. Essas mentalidade e espírito inabaláveis angariaram muitos desafetos invejosos e inimigos humilhados, que culminaram em sua condenação à morte. Não fossem suas imensas consciência e sabedoria, a humanidade estaria ainda mais imersa num atoleiro de assoberbados.

10. THE BEATLES: O divisor de águas da música ocidental. Nenhum grupo revolucionou tanto e tão profundamente a música como este. A química entre seus quatro integrantes produziu dezenas de canções eternas, onde eles inovaram os efeitos, os arranjos, as ousadias, as letras, levando a juventude ao delírio e a cultuá-los como 'deuses do rock'. Tudo o que diziam, vestiam, bebiam, utilizavam, era imitado por milhões. A música pop tornou-se AB/DB, mais precisamente depois do disco Sargeant Pepper´s, de 1967. Infelizmente, a absoluta loucura e desregramento que marcou a existência do grupo maculou demais sua biografia, mas não diminuiu sua relevância na História contemporânea.