Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


sábado, 7 de dezembro de 2013

Circular que não circulou

Amigos e amigas.

O desencontro de informações sobre os campos de concentração da 2ª Guerra é uma das coisas que mais me irritam neste assunto. Porém, a omissão deliberada de informação para "se construir a verdade dos vencedores" me causa revolta e me impele a não desistir de combater tanta hipocrisia e sordidez. Exemplo: Já demonstrei minha incredulidade sobre as "cremações a céu aberto" que os "sobreviventes" juram que ocorreram aos montes em vários "campos de extermínio". Afinal, Áustria e Polônia são países reconhecidamente gelados e chuvosos.

Vejam: em Mauthausen, os prisioneiros "eram obrigados a tomar um banho gelado e depois deixados para secar do lado de fora da barraca sob um frio de -30 °C, morrendo de hipotermia (3000 morreram assim)" (http://pt.wikipedia.org/wiki/Mauthausen). Oras! Todos os "campos de extermínio" se encontravam a poucos quilômetros entre si e em latitudes maiores à de Mauthausen. Tamanho frio (zero grau já seria de lascar) seria pelo menos de igual intensidade em todos eles. No entanto, tal verdade dos fatos não impediu que a "verdade dos sobreviventes" prevalecesse.

Quanto mais escarafuncho a lama desse período negro, menos acredito na História "ofalsial". Tantas mentiras foram propaladas, tantos foram condenados por elas, muitas dessas mentiras estão sendo reveladas e, para nossa ojeriza, nenhuma reparação é concedida aos injustiçados, enquanto milhares de parasitas se aproveitam da "indústria do holocausto" para lucrar um bocado e, se descobertos, saberem que quase nada sofrerão. Vejam o exemplo abaixo:

1948 – Aliados descobriram
que detentos não
foram gaseados
nos campos
Ofício Circular n º 31/48 Viena,
01 de outubro de 1948 10 º expedição
12-9-5

1. As Comissões de Inquérito aliadas têm estabelecido que até agora nenhuma pessoa foi morta por gás venenoso nos seguintes campos de concentração: Bergen-Belsen, Buchenwald, Dachau, Flossenburg, Gross-Rosen, Mauthausen e seus campos satélites: Natzweiler, Neuengamme, Niederhagen (Wewelsburg), Ravensbrück, Sachsenhausen, Stutthof, Theresienstadt.

Nesses casos, foi possível comprovar que as confissões foram extraídas por torturas e que os testemunhos eram falsos.

Isso deve ser levado em consideração na condução de investigações e interrogatórios com relação a crimes de guerra.

O resultado desta investigação deve ser levado ao conhecimento dos ex-prisioneiros de campos de concentração que na época das audiências testemunharam sobre o assassinato de pessoas, especialmente os judeus, com gás venenoso nos campos de concentração. Se eles insistem em suas declarações, os encargos devem ser feitos contra eles por fazerem declarações falsas.

2. Na CL (Carta-Circular) 15/48, o item 1 é para ser apagado.

O Chefe da MPS Major Müller, "Cópia autenticada”: Lachout, segundo-tenente

Lachout testemunhou (em um processo judicial canadense) que ele havia elaborado esta carta para a assinatura do major Müller e o tinha visto assinar. Ele tinha, então, cópias feitas no escritório que ele certificou, assinou e carimbou. A carta foi traduzida em três línguas e confirmada pelo oficial de controle. Só então foi que se permitiu emiti-la. A carta foi distribuída a todos os Kommandos militares na zona russa para manter o pessoal ciente do estado das investigações. Ninguém nunca foi acusado de fazer declarações falsas porque retiraram suas declarações, logo que se ouviu falar sobre a carta.

É muita falsidade em tão pouco assunto.
FAB29

Adendo: vejam esta notícia sobre o "campo de extermínio" de Bernburg, onde é dito que famosos como Olga Benário foram gaseados:

"Os alemães deficientes física e mentalmente eram visitados em asilos e hospitais por soldados nazistas disfarçados de consultores, e que também faziam parte do programa de eutanásia Aktion T4. Eles visitavam, como já dito, asilos e hospitais e escolhiam quem deveria morrer. Os pacientes selecionados eram enviados para uma das seis instalações que executavam o programa de eutanásia: Bernburg, Brandenburg, Hartheim, Sonnenstein, Grafeneck e Hadamar, onde eram executados em câmaras de gás que usavam o monóxido de carbono para sufocá-los. Mais tarde, o monóxido de carbono seria trocado pelo gás cloro nas execuções."

Se era para "eutanasiar", um tiro não seria muito mais rápido e barato?  E vejam a "câmara de gás" do campo de Bernburg. Alta qualidade de construção, digna de um ótimo hospital, para esse fim? Creia quem quiser!
"Câmara de gás" de Bernburg - Nível altíssimo de construção,
incabível para uma função bisonha.