Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Holocaustos - I

Amigos e amigas.
Infelizmente, morticínios são uma constante na História da humanidade. Por isto, resolvi iniciar uma série relembrando alguns desses esquecidos que merecem ser reavivados na memória para não se repetirem na prática.
Hoje, faz exatamente 69 anos que a cidade de Dresden foi transformada num inferno na Terra. Eis minha lembrança/homenagem às suas centenas de milhares de vítimas.
FAB29

DRESDEN - UMA ÚNICA COLUNA DE CHAMAS

"Os caras queimaram o lugar inteiro, transformaram-no em uma única coluna de fogo Mais pessoas morreram lá na tempestade, naquela grande chama, que morreram em Hiroshima e Nagasaki combinadas." - Kurt Vonnegut Jr.

Na noite de 13 de fevereiro de 1945, uma orgia de genocídio e barbárie se iniciou contra uma cidade alemã indefesa, um dos maiores centros culturais da Europa do norte. Em menos de 14 horas, não só foi reduzido a ruínas em chamas, mas cerca de um terço de seus habitantes, possivelmente meio milhão, havia perecido no que foi o pior massacre de todos os tempos.

Perto do fim da II Guerra Mundial, como aviões aliados despejavam morte e destruição sobre a Alemanha, a antiga cidade saxã de Dresden ficou como uma ilha de tranquilidade em meio à desolação. Famosa como um centro cultural e possuindo nenhum valor militar, Dresden havia sido poupada do terror que descia dos céus sobre o resto do país.

De fato, pouco havia sido feito para prover a cidade antiga de artistas e artesãos com as defesas anti-aéreas. Uma esquadrilha de aviões tinha sido estacionada em Dresden por um tempo, mas a Luftwaffe decidiu mover as aeronaves para uma outra área onde seriam usadas. Um acordo de cavalheiros parecia prevalecer, designando Dresden uma "cidade aberta".

13/14 de Fevereiro de 1945: Holocausto sobre Dresden, conhecida como a 'Florença do Elba'. Dresden era uma cidade-hospital para soldados feridos. Não uma unidade militar, nenhuma bateria anti-aérea foi implantada na cidade. Juntamente com os 600.000 refugiados de Breslau, Dresden foi preenchida com cerca de 1,2 milhão de pessoas. Churchill pediu "sugestões de como a arder 600.000 refugiados". Ele não estava interessado como alvo instalações militares 60 milhas fora de Dresden. Mais de 700.000 bombas de fósforo foram lançadas sobre 1,2 milhão de pessoas. Uma bomba para cada 2 pessoas. A temperatura no centro da cidade atingiu 1600ºC . Mais de 260.000 corpos e restos de corpos foram contados. Mas aqueles que pereceram no centro da cidade não puderam ser rastreados. Aproximadamente 500.000 crianças, mulheres, idosos, soldados feridos e os animais do zoológico foram abatidos em uma noite.(...)

Normalmente, uma atmosfera de carnaval prevalecia em Dresden na "Terça Feira Gorda". Em 1945, no entanto, o panorama era bastante sombrio. Casas em todos os lugares transbordaram com os refugiados e milhares foram forçados a acampar nas ruas, tremendo de frio intenso. (...)

Ninguém imaginou que, em menos de 24 horas essas mesmas crianças inocentes morreriam gritando nas tempestades de fogo de Churchill. Mas, é claro, ninguém poderia saber até então. Os russos, com certeza, eram selvagens, mas pelo menos os americanos e britânicos eram "honrados".

Assim, quando esses primeiros alarmes sinalizaram o início de 14 horas de inferno, o povo de Dresden seguiu obedientemente aos seus abrigos. Mas fizeram-no sem muito entusiasmo, acreditando que os alarmes eram falsos, uma vez que a cidade nunca tinha sido ameaçada do ar. Muitos nunca sairiam vivos, visto que o "grande estadista democrático" Winston Churchill - em conluio com o outro "grande estadista democrático", Franklin Delano Roosevelt - havia decidido que a cidade de Dresden era para ser destruída por um bombardeio de saturação.

Onde estavam os motivos de Churchill? Eles parecem ter sido políticos, em vez de militares. Os historiadores são unânimes em afirmar que Dresden não tinha nenhum valor militar. Que a indústria produzia apenas cigarros e porcelana. 

Mas a Conferência de Yalta foi chegando, onde os soviéticos e seus aliados ocidentais sentavam-se como fantasmas para esculpir o corpo despedaçado da Europa. Churchill queria um trunfo - um devastador "trovão de aniquilação anglo-americano"- com o qual "impressionaria" Stalin.

Essa carta, no entanto, nunca foi tocada em Yalta, porque o mau tempo atrasou a invasão originalmente programada. No entanto, Churchill insistiu que o ataque seria realizado - para "perturbar e confundir" a população civil alemã por trás das linhas.

Cidadãos de Dresden mal tiveram tempo para alcançar seus abrigos. A primeira bomba caiu em 22:09h. O ataque durou 24 minutos, deixando o centro da cidade um mar revolto de fogo. "Preciso bombardeio de saturação" tinha criado o incêndio desejado.

Uma tempestade de fogo é gerada quando centenas de incêndios menores se juntam em um grande incêndio. Massas enormes de ar são sugadas para alimentar o inferno, causando um tornado artificial. As pessoas infelizes o suficiente para serem pegas nas rajadas de vento são arremessadas ​​pelas ruas, inteiras em chamas. Aqueles que buscam refúgio subterrâneo muitas vezes sufocam, pelo oxigênio ser retirado do ar para alimentar o fogo, ou perecem em uma explosão de calor branco - calor intenso o suficiente para derreter a carne humana.

Uma testemunha que sobreviveu disse ter visto "jovens mulheres carregando bebês subindo e descendo ruas, seus vestidos e cabelos em chamas, gritando até que caiu, ou os edifícios em colapso caíram em cima deles."

Houve uma pausa de três horas entre o primeiro e segundo ataques. A calmaria foi calculada para atrair civis de seus abrigos ao aberto novamente. Para escapar das chamas, dezenas de milhares de civis tinham lotado o Grosser Garten, um magnífico parque de aproximadamente 2,5 km quadrados.

O segundo ataque veio à 01:22h sem nenhum aviso. O dobro de bombardeiros voltou com uma carga enorme de bombas incendiárias. A segunda onda foi projetada para espalhar a tempestade furiosa no Grosser Garten.

Foi um "sucesso" completo. Em alguns minutos, uma folha de chamas rasgou pela grama, arrancando árvores e desarrumando os ramos de outras com tudo, desde bicicletas até membros humanos. Por dias depois, eles permaneceram estranhamente espalhados como lembretes sombrios do sadismo dos Aliados.

No início do segundo assalto aéreo, muitos ainda estavam amontoados em túneis e adegas, esperando que os fogos do primeiro ataque os matassem lá embaixo. À 01:30h, um estrondo sinistro chegou aos ouvidos do comandante de um comboio do Serviço do Trabalho enviado para a cidade em uma missão de resgate. Ele descreveu desta forma:

"A detonação sacudiu as paredes do porão. O som das explosões misturado com um som novo, estranho, que parecia vir cada vez mais perto, o som de uma cachoeira trovejante. Era o som do poderoso tornado uivando no interior da cidade."

DERRETENDO CARNE HUMANA

Outros se escondendo debaixo da terra morreram. Mas morreram sem dor - simplesmente brilhavam intensamente de laranja e azul na escuridão. Como o calor se intensificou, eles nem se desintegraram em cinzas ou derreteram em um líquido espesso - muitas vezes a três ou quatro metros de profundidade em alguns pontos.
Pouco depois das 10:30h, na manhã de 14 de fevereiro, o último ataque varreu a cidade. Bombardeiros americanos arrebentaram o entulho que tinha sido Dresden em precisamente 38 minutos. Mas este ataque não foi tão pesado quanto os dois primeiros.

No entanto, o que distingue este ataque foi a crueldade a sangue-frio com que foi realizado. Mustangs dos EUA sobrevoaram baixo a cidade, metralhando tudo o que se movia, incluindo uma coluna de veículos de resgate correndo para a cidade para evacuar os sobreviventes. Um assalto visava as margens do rio Elba, aonde os refugiados tinham se recolhido durante a noite horrível.

No último ano da guerra, Dresden tornou-se uma cidade hospital. Durante o massacre da noite anterior, os enfermeiros heroicos tinham levado milhares de pacientes aleijados para o Elba. Os Mustangs voando baixo metralharam aqueles pacientes desamparados, assim como milhares de homens velhos, mulheres e crianças que haviam escapado da cidade.

Quando o último avião deixou o céu, Dresden era uma ruína queimada, suas ruas enegrecidas cheias de cadáveres. A cidade não foi poupada do horror. Um bando de abutres escapou do zoológico e se refestelaram na carnificina. Os ratos invadiram as pilhas de cadáveres.

Um cidadão suíço descreveu sua visita a Dresden duas semanas após o ataque: "Eu podia ver os braçose pernas arrancadas, torsos mutilados e cabeças que tinham sido arrancadas de seus corpos e rolaram para longe Em alguns lugares, os corpos ainda estavam tão densamente juntos que eu tive que limpar o caminho através deles, para não pisar em braços e pernas."

48 comentários:



  1. FAB, meu querido amigo,
    O seu relato é de um horror sem precedentes...


    É relatado pela IG Farben que os seus edifícios na Alemanha não foram alvo de bombardeios por parte dos aliados, sofrendo danos no total de 15%, quando cidades inteiras foram reduzidas a cinza, pois foi usado fósforo branco pelos aviões bombardeiros de Churchill e Roosevelt, numa atitude de destruição completa. Foram responsáveis pela morte de milhares de civis alemães, incluindo crianças.

    É claro que se falarmos de Pearl Harbour:

    Roosevelt envolve os Estados Unidos da América na Segunda Guerra Mundial. Em meio de uma guerra entre a China e o Japão, Roosevelt recusa-se a vender aço e petróleo ao Japão, duas matérias em que os japoneses dependiam a 100% da importação dos EUA, sendo por isso totalmente dependente deles. Roosevelt sabia que ao tomar esta decisão, o Japão iria atacar a América, o que fez posteriormente em Pearl Arbor.
    Mas o que não é relatado é que os EUA com a espionagem conseguiram descodificar a comunicação dos japoneses e souberam 11 dias antes, de que este ataque se iria dar. Esta traição foi denominada: East Wind, Rain: Treason at Pearl Harbor deixando todas aquelas vidas americanas ser ceifadas, isto para haver um motivo para entrar na guerra.

    E se falarmos do Japão e das bombas atómicas de Einstein, terem sido atiradas depois da rendição dos nipónicos... aliás, esse Holocausto passou ao esquecimento do povo?! e o da actualidade?! Fukushima?! Ninguém fala?
    Mas, se eu for dizer isto a qualquer um dos meus vizinhos, eles ficarão baralhados, cépticos e/ou perplexos. Holo...conto há só um para esta gentinha tacanha. Dá-me dó.
    Um beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, minha querida.
      De fato, a IG Farben foi uma das privilegiadas pelos "ataques cirúrgicos de açougueiro" do império das sombras. Orgulhosos desse "sucesso", em todas as outras guerras foram feitas tais exceções. Cui bono?

      Lembrar Pearl Harbour sempre me embrulha o estômago pois desaguou nas bombas de Einstein. Não me recordo onde, mas li uma vez que fizeram uma enquete com milhares de alunos japoneses perguntando quem havia jogado as bombas atômicas sobre o Japão. A maioria respondeu... OS RUSSOS!

      Também tenho vizinhos histriônicos que acreditam que sou um "protótipo de nazista". Isto porque eu só questiono dados oficiais sobre o holocausto que se mostram impossíveis de terem ocorrido. Alguns dizem que eu estou "banalizando o sofrimento dos judeus" com a frieza dos números. Fazer o quê?

      Beijo.

      Excluir
  2. http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2013/01/exterminio-alemao-3-parte.html

    http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2013/01/exterminio-alemao-2-parte.html

    http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2013/01/exterminio-alemao.html

    http://desatracado.blogspot.com.br/2014/02/dresden-para-jamais-esquecer-13.html

    http://desatracado.blogspot.com/2014/02/sleipnir-bomber-uber-dresden.html

    http://desatracado.blogspot.com.br/2014/02/dresden-para-jamais-esquecer-23.html

    Abraços, Cobalto

    São fatos. Não são teoria negacionista, afirmacionista, nem nada ... fatos . Junte os pontos apenas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nessa brincadeira de juntar os pontos, aparecerá o quê? Uma estrela?

      Excluir
    2. Duas estrelas. Uma de 5 e outra de 6 pontas... rs
      A primeira é filhote da segunda.

      Cobalto

      Excluir
  3. Boa noite senhor Fabiano.

    Então, o que falar desse e de outros fatos proporcionado pelo judaísmo sionista, praga maldita que infesta os povos, vão pagar caro por este e todos os crimes efetuados contra os povos por toda a eternidade.
    Sempre que leio sobre Dresden e demais acontecimentos proporcionados por os supostos escolhidos, o meu e certamente o coração de milhões assim pulsam.
    Abraços
    Clovis Eichler

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, caro Clovis.
      Durante a tradução do texto acima, devo ter engasgado meia dúzia de vezes imaginando o inferno na pobre Dresden.

      E como disse no início do post, é apenas o primeiro que desejo esmiuçar e expor para manter viva a memória desses morticínios relegados a segundo plano. Vai ser dureza, mas é preciso ser feito.

      Abraços.

      Excluir
    2. Vocês estão querendo afirmar que não havia necessidade militar de bombardear as cidades alemãs e japonesas na segunda guerra mundial. Me pergunto se havia necessidade militar de bombardear Londres. Me pergunto se havia necessidade militar de exterminar e espoliar os judeus, exterminar e espoliar os homosexuais, exterminar e espoliar os ciganos.E principalmente me pergunto porque vocês escolhem apontar exclusivamente o bombardeio das cidades alemãs e japonesas (comentário), se esquecendo das outras muitas atrocidades da guerra.
      A resposta me parece óbvia: vocês escolhem seus exemplos de forma tendenciosa. Acredito que todos nós temos o direito de criticar e comentar as ações dos governos, mas sempre de forma imparcial e abrangente, pesando as circunstâncias, avaliando qual seria a reação dos demais governos se submetidos à mesma pressão. Vocês não fazem nada disso. Pinçma os atos de um dos lados e os usam para condená-lso, omitindo as circunstâncias.
      Durante o recreio um garoto dá um soco no outro só para se mostrar para a namorada. O agredido responde com vinte socos, quebra dois dentes e um braço do agressor. Quem é o culpado?
      Diga-se de passagem que após Hiroshima e Nagasaki a guerra acabou. Eu não sou entendido em táticas militares, mas me parece que houve uma relação direta de causa e efeito. Ou seja, muito provavelmente havia sim uma lógica militar por trás daquele horror (toda a guerra é um horror).
      Quanto à ação de Israel no Líbano, me parece que a responsabilidade sobre os civis mortos de ambos os lados da fronteira é do Hizbolá que atacou uma fronteira internacional com o único objetivo de provocar destruição. Ele conseguiu seu intento e agora está tentando capitalizar politicamente o seu sanguinário ganho.
      E já que estamos com a mão no teclado, porque não lembrar que quem está se matando no Iraque são os muçulmanos de uma seita que não toleram os muçulmanos da outra. Sem dúvida que os EUA, como força de ocupação do Iraque, têm a obrigação de manter a calma. Sem dúvida que estão falhando nisto. Porém é igualmente inegável que a matança Iraquiana tem que ser fortemente creditada aos que jogam as bombas e não apenas àqueles que falham em sua obrigação de impedir que elas sejam jogadas.
      A tendência da mídia hoje é inocentar o criminoso e culpar a polícia por não conseguir impedir o crime do criminoso. Isto não faz o menor sentido e só acontece pela cegueira trôpega do anti-americanismo.
      Continuo achando que no justo enforcamento de Saddam Hussein a única hipocrisia é a dos que tentam inocentá-lo com o argumento que Bush também é criminoso. Como disse antes, mesmo se isto for verdadeiro a culpa de Hussein não diminui um milímetro. A guerra provocada contra o Irã xiita, a invasão do Kuwait não são suficientes para condená-lo? Em ambos os casos ele foi o agressor e milhões perderam a vida. E a verdade é que ele foi condenado por outros crimes, pois a folha corrida dele era longa. “Deste ditador nos livramos, agora vamos atrás dos outros” seria um pensamento mais sensato. Não te parece?

      Excluir
    3. "vocês escolhem seus exemplos de forma tendenciosa." As histórias impossíveis do holocausto impostas há décadas não são tendenciosas?

      "Vocês não fazem nada disso. Pinçma os atos de um dos lados e os usam para condená-lso, omitindo as circunstâncias." Especialidade da propaganda sionista.

      "Diga-se de passagem que após Hiroshima e Nagasaki a guerra acabou (...) muito provavelmente havia sim uma lógica militar por trás daquele horror" Então, sem o holocausto japonês e com a Alemanha arrasada, a guerra continuaria por mais quanto tempo? E a única lógica das guerras foi revelada por Henry Ford em 1921: LUCRO!

      "Continuo achando que no justo enforcamento de Saddam Hussein a única hipocrisia é a dos que tentam inocentá-lo com o argumento que Bush também é criminoso (...) A guerra provocada contra o Irã xiita, a invasão do Kuwait não são suficientes para condená-lo?" E por que Bush não foi enforcado? Seus crimes foram 'menores'?

      Sua sensatez quase emociona...

      Excluir
    4. "Acredito que todos nós temos o direito de criticar e comentar as ações dos governos, mas sempre de forma imparcial e abrangente", comece por vc e não esqueça de falar "imparcialmente abrangente" sobre Israel.

      "Eu não sou entendido em táticas militares, mas me parece que houve uma relação direta de causa e efeito", sse não entende de táticas militares, então não discuta e nem afirme que "havia necessidade militar de bombardear as cidades alemãs e japonesas".

      "toda a guerra é um horror", portanto, pelas suas palavras, Israel pratica "horror" ?

      "no Iraque são os muçulmanos de uma seita que não toleram os muçulmanos da outra", não foi o governo dos EUA, fantoche de Israel. que proporcionou tal situação ? Com Saddan não tinha nada disso. E tu acha que agentes do M16 e Mossad não estão se fazendo passar por uma das seitas pra joga-las umas contra as outras ? Tática mais velha que andar pra frente.

      "A tendência da mídia hoje é inocentar o criminoso e culpar a polícia ", quem controla a mídia ?

      Sobre o Kuwait, sugiro que estude como se "formou" este país. E quem o fez. E sobre o roubo kuwaitiano do petróleo iraquiano também.

      Saddam Hussein era financiado pelo EUA na guerra contra Irã e depois virou bandidinho ? Santa paciência. Pra defender "suas opiniões fundamentadas", tropeça nas próprias.

      Quanta bobabem, qta trollagem, qta ignorância ou má fé.

      Cobalto

      Excluir
    5. Meu caro desculpe la mas o senhor começou logo mal ao falar da banalidade do mal ve-se que não percebe nada dessa filosofia, sendo assim e devido a dispersão mental que demonstra nos outros temas não ha qualquer dialogo consigo, pois não lhe vou estar aqui a fazer um ensinamento da historia religiosa e da historia universal, comparada e analógica. Um conselho leia livros de historia universal não romances de historiadores que escrevem sobre temas de historia com uma visão muito pessoal. A objectividade é essencial.

      Passe bem

      Excluir
  4. Fale o que quiser, de preferência com embasamento histórico, para não cair no ridículo de defender posições amplamente desconstruída com fatos. Se milhares de alemães morreram nos campos de batalha, em Dresden etc., problema deles, uma vez que o mundo estava em paz até que Hitler e seus capachos decidissem quebrar a ordem e atacar países vizinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quase admiro a capacidade de alguém escrever 'galhardamente' tantas bobagens em tão poucas linhas...

      Excluir
    2. Esse tal anônimo está de brincadeira ou está se fazendo de NÉCIO, será que ele leu algo relacionado com o início da 2ªG"M"M ou somente leu o que eles queriam que o "tato" lesse?

      Lothar Metzger, um sobrevivente da CARNIFICINA relata:-

      Não é possível descrever! Explosão após explosão. Foi inacreditável, pior do que o pesadelo mais negro. Então, muitas pessoas foram horrivelmente queimadas e feridas. Tornou-se cada vez mais difícil de respirar. Estava escuro e todos nós tentamos deixar esta adega com pânico inconcebível. Os mortos e moribundos foram espezinhados, a bagagem foi para a esquerda ou arrebatado para fora de nossas mãos por equipes de resgate. A cesta com os nossos gêmeos cobertos com panos molhados foram arrebatados das mãos de minha mãe e nós fomos empurrados para cima pelas pessoas atrás de nós. Vimos à rua queimando, as ruínas de queda e da terrível tempestade. Minha mãe nos coberto com cobertores molhados e casacos que ela encontrou em uma banheira de água.

      Vimos coisas terríveis: os adultos cremados encolheram para o tamanho das crianças pequenas, pedaços de braços e pernas, pessoas mortas, famílias inteiras queimadas até a morte, queimando as pessoas corriam para lá e para cá, treinadores queimados cheios de refugiados civis, equipes de resgate e soldados mortos, muitos estavam chamando e olhando para os seus filhos e famílias, e fogo em todos os lugares, em todos os lugares de fogo, e toda a vez que o vento quente da tempestade jogou as pessoas de volta para as casas em chamas que estavam tentando fugir.

      Eu não posso esquecer esses terríveis detalhes. Eu nunca posso esquecê-los.

      Para quem esse SOBREVIVENTE da CARNIFICINA deveria pedir INDENIZAÇÃO, se bem que VIDAS não podem ser RESSARCIDAS...

      Excluir
    3. Caro Fabiano teria esse anônimo algum parentesco com personagem abaixo descrito:-

      Tato, o desmiolado.

      Tato, por não saber inglês, e também por motivo da nossa amestrada mídia não divulgar determinadas notícias, pois poderiam desgostar seus principais anunciantes, desconhece o que causou a declaração de guerra da Inglaterra e França contra a Alemanha.

      “Tato, há mais de 40 anos, acredita em tudo que os jornais e as revistas comentam…”

      continua...

      Excluir
    4. Como muito bem disse a Fada logo abaixo: O embasamento histórico do anônimo nos deixa banzado.

      Arrepia até as unhas...

      Excluir
  5. Nossa!! E eu que não tenho nenhuma simpatia por Hitler, até fiquei banzada com o embasamento histórico do anónimo.

    É ver como estava o Iraque com Saddam e como está agora. É ver como estava a Líbia com Kadaffi e como está agora.. É ver como estava Angola e Moçambique com Salazar e como está agora, embora eu não simpatize com ditadores. Já o liberal do governo de Tatcher, Jonh Gray, disse no livro O Fim da Utopia:

    "As ideologias utópicas que moldaram grande parte da história mundial do século passado afirmavam basear-se na ciência, rejeitando as fés tradicionais. Apesar disso, este livro poderoso e assustador demonstra que tais ideologias eram devedoras do mito do Apocalipse – a crença de que um evento grandioso poria fim à história e aos seus conflitos. Mas a religião acabou por regressar sob a forma de mitos políticos.

    A morte da utopia não significa necessariamente paz. Pelo contrário, prenuncia a ressurgência de antigos mitos, agora abertamente fundamentalistas. Camufladas no manto obscuro das lutas geopolíticas pelo controlo de recursos naturais, as religiões apocalípticas regressaram em força aos conflitos globais. À entrada no século XXI, o mundo continua a preparar-se para novas guerras santas."
    Santas ou da ciência... a guerra dá muito dinheiro e o jogo é com vidas humanas e não só

    E por aí vai. Enfim, parece que as coisas estão mesmo encaminhadas para o terrorismo e guerra permanente e tudo graças à ONU

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o que não falta, minha querida, é aspone insistindo que todo aquele que contesta os pontos impossíveis do holocausto é neonazista ou congênere.

      Quem segue o talmud até que tem seu motivo (gauche, mas cada um na sua); o duro é aguentar aqueles chamados "baba-ovos" perdidos no espaço e no tempo que servem de escudo, claque e capacho pra esses "líderes". Não fazem a menor ideia de suas idiossincrasias, aceitando bovinamente ser massa de manobra.

      Mas sigamos com a vida.
      Beijo.

      Excluir
  6. FAB,

    Nem de propósito:
    Díli, 14 fev (Lusa) - O Presidente timorense, Taur Matan Ruak, disse hoje que a Pedra da Paz entregue pela Associação Hiroshima a Timor-Leste evoca a "dor profunda", mas também "simboliza a esperança" na construção de um mundo com mais segurança.

    "A Pedra da Paz evoca a dor profunda e a devastação causadas pela guerra, por todas as guerras. Ela recorda-nos a violência extrema que as guerras podem desencadear", afirmou Taur Matan Ruak, durante a cerimónia de entrega da Pedra da Paz da Associação de Hiroshima a Timor-Leste, simbolizando o fim da guerra no mundo.

    A Associação de Hiroshima Pedra da Paz foi criada em 1991, com o objetivo de chamar a atenção das pessoas para a necessidade de existir paz no mundo através de distribuição de pedras.

    As pedras são provenientes dos passeios da cidade japonesa de Hiroshima, atingida em agosto de 1945, no final da II Guerra Mundial, por uma bomba atómica lançada pela Força Aérea dos Estados Unidos."

    Em Fevereiro de 1942, as forças japonesas invadiram Timor-Leste, apesar da neutralidade de Portugal na II Guerra Mundial, provocando entre 50 a 70 mil mortos.

    O que me dá a impressão é que se esqueceram de Nagazaki...

    Um beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Fadinha, o que dizer?
      Dá a impressão de que eles tristemente se "esqueceram" até de Fukushima. Afinal, desde o ano passado que não ouço, leio ou assisto alguma coisa sequer sobre o acidente que ainda não acabou.

      Aliás, não me lembro de ter assistido qualquer coisa também sobre aquecimento global, gripes aviária e suína,...

      Bem... moda é assim mesmo: sazonal.
      Beijo.

      Excluir
    2. Fada, não só se esqueceram de Nagazaki, mas, principalmente, do fato de que nessas duas cidades, Hiroshima e Nagazaki, estavam as maiores comunidades católicas do Japão.

      Excluir
  7. Boa tarde senhor Fabiano,

    tenho observado os insigmes, ladinos, anacrônicos e boçais cometários desse tipo.

    Tenho que esse tipo esta se fazendo de leitão vesgo para mamar em duas tetas.

    Melhor dsconsiderar e não replicar com os nossos diferentes, digo, eles não são nossos iguais.

    Meu abraço ao blogueiro e, aos sinceros buscadores da verdade.

    Clovis Eichler

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo consigo e com o Cobalto, Ragi e Fada.
      Quando me digno a aceitar um comentário de algum boçal é porque ele mais acrescenta contra ele e seus donos do que denigre o ambiente.

      Colocando-os em rédea curta e cutucando-os, a boa causa vai somando bons pontos. É o caso de aceitar o joio para ganhar energia ao bom trigo.

      Abraços.

      Excluir
    2. O joio serve para adubar o solo para que o bom e necessário trigo cresça forte e que possa então, a muitos alimentar com o Pão da Verdade.

      Cobalto

      Excluir
  8. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só estou publicando este 'comentário' por ser o mais feliz que já recebi.

      Feliz pelo quê é outra história...

      Excluir
  9. Fabiano:

    Impressionante o comentário perolesco do anônimo sobre os bombardeios que destruíram a cidade de Dresden. Será o MMF? O estilo é próximo.

    Interessante como certas pessoas apelam para princípios que jamais põem em prática, como a tão propalada imparcialidade.

    Dizer-se não entendido em táticas militares e depois afirmar que a destruição de uma cidade inteira – com a conseqüente matança de sua população civil – foi necessária, é simplesmente patético.

    Como é inevitável, logo se compara o bombardeio de Dresden com o de Londres. Acontece que a primeira foi completamente pulverizada e reduzida a escombros. Na segunda o Big Bem, o Palácio de Buckingham, o Parlamento, a Torre de Londres e a ponte principal ficaram de pé.

    Outros bombardeios do qual pouco se fala foi das forças aliadas sobre a França – que resultou na morte de 65 mil franceses – país que, teoricamente era um país amigo a ser libertado. Lá, como na Alemanha, também ocorreram destruições de aldeias inteiras e pequenas cidades.

    Quanto à guerra contra o Iraque, quem já conhece a famosa entrevista do General Wesley Clack, sabe que ela já estava decidida desde logo após o 11/09. Ela foi o início de um “pacote” visando à invasão de 7 países e a derrubada de seus respectivos governos.

    Os demais eram: Síria, Líbano, Líbia, Somália, Sudão e Irã, conforme as palavras do General a jornalista Amy Goodman no programa DEMOCRACY NOW (2007). Tudo planejado para acontecer num prazo de cinco anos.

    Mas a guerra conta o Iraque e sua conseqüente ocupação, foi mais difícil do que o esperado. Os EUA perderam 119 homens durante a invasão e aproximadamente 4500 durante a ocupação. Pode-se dizer que foi um fiasco militar, que atrasou os planos megalomaníacos.

    A Líbia caiu. A Síria resiste bravamente. Somália e Sudão estão anarquizados e o Irã segue sendo demonizado pela mídia e sofrendo toda a sorte de pressões econômicas.

    Quanto ao Hezbollah, foi à única força militar libanesa capaz de repelir os ataque e ações criminosas do estado sionista. Talvez por esta ousadia inacreditável ele foi e continua sendo demonizado pela mídia ordinária.

    Quanto a recomendação de ler livros de “história universal e não romances escritos por historiadores que tem apenas uma visão muito pessoal” trata-se de uma recomendação por demais contraditória.

    Quem escreve os livros de “história universal”? Serão eles tão “imparciais” quanto dizem ser? Alias imparcialidade é um mito, algo absolutamente impossível de existir, mas que constitui um dos grandes trunfos da grã-mídia: vender a todos a ilusão de que ela é “imparcial”, “isenta” e “democrática”

    Por outro lado o estudo da história não é nem nunca será uma ciência exata.

    Por outro lado o estudo da história não é nem nunca será uma ciência exata. Deixo aqui para reflexão estas palavra de Gustavo Barroso:

    "A história não é propriamente uma ciência; é antes uma arte. Muitos espíritos avançados do século XIX se esforçaram para dar a história esse conceito cientifico. Havia a mais generalizada do cientificismo. Seus esforços, porém, como se anularam ante a concepção atual da história. O espírito do século XX é outro e não admite mais esses exageros do cientificismo generalizado (1), querendo impor a todos os departamentos e categorias do pensamento humano seus cânones empíricos ou pragmáticos.

    A investigação dos fatos, a fixação das datas, a interpretação das dúvidas, os confrontos e análises dos documentos, devem certamente obedecer a princípios rigorosamente científicos. Mas a narração dos acontecimentos e sua fixação precisa no tempo e no espaço, não são a verdadeira história, não formam completamente a história. Além disso, há coisa mais importante, substancial, a projeção dos homens e dos acontecimentos no espelho das épocas, as idéias de cada século, seu espírito, seu gênio próprio. São as mudanças nos aspectos intelectuais do mundo que transformam os critérios dos homens."

    Augusto Landini

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. DETALHE :

      NAQUELE BOMBARDEIO
      SOBRE DRESDEN,
      FORAM JOGADAS
      MAIS BOMBAS QUE
      EM LONDRES
      DURANTE A
      GUERRA TODA !!

      Cobalto

      Excluir
  10. Prezado Landini.

    Só um psiquiatra conseguiria explicar a esquizofrenia que assola os aspones que tentam contaminar este blog. A oligofrenia é copyright.

    Sua explanação (diria detonação) ponto a ponto da incapacidade do desinfeliz prova que você tem muita fleugma, aliada à cultura e paciência. Admirável.

    Evoé, Gustavo Barroso!

    Abraço.

    ResponderExcluir
  11. Os aliados rivalizaram em barbárie com o próprio Hitler, Himmler e a patota do mal!

    Não vou entrar em polêmica sobre merecimentos e afins, os civis são sempre os que mais sofrem em qualquer lado da guerra.

    MFF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Os aliados rivalizaram em barbárie com o próprio Hitler, Himmler e a patota do mal!"
      Mesmo assim, os aliados são a patota do bem?

      Excluir
  12. Para muitos são; mas eu condeno os abusos cometidos pelos aliados, em especial em relação a mortandade de fome na Índia, provocadas por um certo ídolo inglês.

    Mas claro que isso não livra a cara de nenhum psicopata nazista.

    MFF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nenhuma covardia pode ficar impune. Uma das maiores é a dos aliados em tentar se eximir da sua culpa pela 2ª guerra imputando-a à Alemanha.

      Outra tão grave quanto é esconder suas atrocidades monumentais apontando e até inventando atrocidades pro lado derrotado. Aí é que entra a fábrica de pesadelos e hipocrisia: 'roliúdi'.

      Excluir
    2. Nem tanto, Dresden não é contestado nem as bombas no Japão (entre as mais famosas)....

      Não existe uma vertente tentando provar que esses massacres não exisitiram, e todos são atos condenáveis perpetuamente.

      MFF

      Excluir
    3. Dresden não é contestado? Os aliados e seus aspones afirmarem que o número de mortos lá não passa de 35 mil (visto que só levaram em conta as "formas reconhecíveis de corpos") é o quê?

      Excluir
    4. Dresden não é contestado ? Quantos filmes, indenizações, memoriais, leis, minutos de silêncio, autoridades deixaram coroas de flores, discuros etc são feitos ?

      Uma cidade que numa sequência de bombardeios foram jogadas mais bombas que Londres durante a guerra toda ! hehe (quer ver um silêncio tumular ?)

      Abraços, Cobalto

      Excluir
    5. Sobre a II GM, estava agora a ler no youtube comentários de americanos:

      Not debunked, just denied.

      I have no ounce of sorry for the mass rape and thuggish Fatfuck churchill and russians committed. I suppose a lot of arrogance and propaganda washed their hands clean.

      Hitler by the way saved Europe before Stalin conspired to overrun it and take on Britain as-well. English were stupid fucks at that time and Americans had no fucking idea what they were getting into.


      We thank you Mr. Churchill for starting this unnecessary and brutal war, after Germany went so far as to offer to protect all the holdings of the British Empire, even sending German troops to Asia. Germany even agreed to withdraw all of its troops from Poland. But you wanted war instead. You wanter Germany between the jaws of the U.S. and the Soviet Union. What did it gain you? Nothing. The British Empire was lost, the Cold War came and the Communists dominated Asia — all because of your bungling. FDR was right when he called you a "drunken bum."

      Excluir
    6. Parece que a besta Churchill só sustenta sua fachada de estadista pela necessidade sionista de manter o povinho alheio ao outro lado da guerra.

      Mas já está bem arruinada. Creio que falta pouco pra sua derrocada.

      Excluir
    7. Não se esqueça que o sujeto é bode-preto. Ou, como alguns estudiosos da maçonaria dizem, um judeu-artificial.

      Já percebeu que a Maçonaria nunca é chamada a responder pela sua prole ?

      Abraços, Cobalto

      Excluir
    8. Churchill, criminoso de guerra e maçon em 6 partes (o que é pouco ainda):

      http://desatracado.blogspot.com.br/2014/01/churchill-criminoso-de-guerra-e-macon-16.html

      http://desatracado.blogspot.com.br/2014/01/churchill-criminoso-de-guerra-e-macon-26.html

      http://desatracado.blogspot.com.br/2014/01/churchill-criminoso-de-guerra-e-macon-36.html

      http://desatracado.blogspot.com.br/2014/01/churchill-criminoso-de-guerra-e-macon-46.html

      http://desatracado.blogspot.com.br/2014/01/churchill-criminoso-de-guerra-e-macon-56.html

      http://desatracado.blogspot.com.br/2014/02/churchill-criminoso-de-guerra-e-macon-66.html

      Abraços, Cobalto

      Excluir
    9. No último link, mais um 6 cairia bem.

      Excluir
  13. "Nas primeiras décadas após a guerra, estimativas de mortos chegavam a 250.000, número atualmente considerado absurdo. Uma investigação independente encomendada pelo conselho municipal de Dresden em 2010 chegou a um total mínimo de 22.700 vítimas, com um número máximo de mortos em torno de 25.000 pessoas.

    Em comparação direta com o bombardeio de Hamburgo em 1943, que criou uma das maiores tempestades de fogo provocadas pela RAF e a Força Aérea dos Estados Unidos, matando aproximadamente 50.000 civis e destruíndo praticamente toda a cidade, e o bombardeio de Pforzheim em 1945, que matou aproximadamente
    45.000 pessoas"

    Parece que o comitê Judeu de Dresden manipulou os números para baixo....igualzinho aos nazinegacionistas.

    MFF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando penso que você já chegou ao seu limite negativo,...

      Excluir
    2. Como os afirmacionistas dizem : "não importa se foi um alemão ou 6 milhões de alemães, o que importa que morreu/morreram".

      Cobalto

      Excluir
    3. Soldados eram estes aqui :

      https://www.youtube.com/watch?v=EN0IS-91kIM

      https://www.youtube.com/watch?v=7tvlQgjfuiA

      Lutar numa média de 200 aliados para cada alemão não é pra qualquer um. Eles fizeram milagres.

      Cobalto

      Excluir
  14. Senhora Fada do Bosque, bom dia,

    post de 18 de fevereiro 2014.

    " Mr. Churchill ... "vagabundo bêbado."

    Diria mais, bandido, criminoso, monstro, bárbaro, que todos os seus tenham trilhem o mesmo caminho do outro, seu similar ... Ilya Grigoryevich Ehrenburg .

    Meu Abraço

    Clovis Eichler

    ResponderExcluir
  15. Caríssimo Clovis Eichler.

    Tenho uma série de filmes, especialmente o 1º e o 2º Do último post, que mostra, embora de raspão, de onde vem esse demónio. Quero crer que o povo alemão seria aquele povo destinado e capacitado para libertar a humanidade.

    Uma raça que nos deu um GOETHE, que segundo a ciência, rebenta com as escalas de inteligência mensurável (o que me deixa perplexa esta forma de medir) estando acima de qualquer génio em termos de QI 210 de QI!!

    Saindo do campo da ciência, um Povo que dá origem a um Espírito assim, é um Povo especial! Poderia libertar a Humanidade, se não estivesse da forma que está, prisioneiro das masmorras do inferno!

    Um Grande Abraço.

    ResponderExcluir