Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


sexta-feira, 7 de março de 2014

Dumb Schindler

Amigos e amigas.
Graças a um bom colega do blog (Peterons), consegui obter a entrevista que Emilie Schindler deu à Folha em 14/10/1993. Nessa antológica (e "meio sumida") entrevista, ela "chuta o balde" do livro, do filme e do meio incompetente e quase nobre marido. Claro que mais tarde, ela foi convencida a amenizar o tom e elogiou o filme, etc.
Resolvi transcrevê-la para simples registro. Comprovem.
FAB29

Folha: Como foi a participação do seu marido na história filmada por Steven Spielberg?
Emilie: Eu conheci Spielberg agora, quando fui a Jerusalém participar do filme. É um moço simpático, me tratou bem. Mas o filme está errado. O livro ("Schindler's Ark", de Kennealy) em que se baseou não é bom. Há muita coisa inventada. Não foi Schindler, fui eu. Schindler não fazia nada, era um pobre coitado.

Folha: Mas ele não salvou 1200 pessoas, 1200 judeus, durante o nazismo?
Emilie: É verdade que ele fez a lista, mas é também verdade que eu arrumava a comida. Schindler só dizia: "Façam isso, façam aquilo!" Schindler não fazia nada, não sabia nada. Era eu quem cuidava deles.

Folha: A senhora os conhecia?
Emilie: Não. Eu só arrumei a comida. Uma vez, Schindler foi comprar farinha. Não havia farinha. Estávamos em 1944, não havia comida nem para os alemães. A comida era racionada e ele tentou trocar diamantes por comida. Não deu certo. Aí, eu fui conversar com uma mulher, uma nobre, que era cona de um moinho, e ela me disse para ir com um caminhão da fábrica buscar farinha. E nós fomos. A fábrica ficava ao lado do moinho. O caminhão saiu de um portão e entrou no outro. Vivemos meses com aquela comida.

Folha: E seu marido.
Emilie: Bom, ele arrumou vodca polonesa e eu troquei aquela vodca por aveia com um funcionário do moinho. Também ajudou. Eu ainda consegui carne. Troquei com um veterinário que arrumava carne de animais mortos, feridos. Ele queria café e nós tínhamos café. Aguentamos.

Folha: Quando os russos chegaram, em maio de 1945, como foi?
Emilie: Terrível! Os nazistas, os SS, fugiram todos. Entraram num caminhão com um monte de secretárias e fugiram. Não sei se algum sobreviveu. Dos operários, sei que sobreviveram muitos, alguns dos quais eu reencontrei em Jerusalém. Na hora, foi cada um para o seu lado. Nós fomos para a Alemanha. Foram tempos bem difíceis; depois, viemos para a Argentina.

Folha: Onde a senhora conheceu Oscar?
Emilie: Schindler e eu éramos da mesma região, dos Sudetos, na época, Império Austríaco. Hoje, é Tcheco-Eslováquia (Na verdade, a Tchecoslováquia foi desmembrada em dois países e Emilie vem de onde fica a República Tcheca). Fica perto de Pilsen. Vivemos sempre lá, até a anexação pelos alemães. Minha família e a dele eram de fala alemã. Em  1939, fomos para a Polônia, para Cracóvia. Eu fiquei vivendo lá e Schindler depois foi para outra cidadezinha, onde ficava a fábrica. Eu nunca fui lá.

Folha: E depois da guerra?
Emilie: Viemos para a Argentina, depois de uma época na Alemanha. Tínhamos uma granja, uma pequena propriedade aqu em San Vicente (uma cidadezinha da periferia de Buenos Aires, cheia de chácaras e pequenos sítios). Schindler era um doido. Queria uma criação de martas para vender a pele. Eu disse que não ia dar certo. Não deu. Um dia, ele disse que iria à Alemanha, buscar o dinheiro da indenização. Nunca voltou. Soube dele muito depois. Morreu e foi enterrado em Jerusalém. Era um homem estranho.

Folha: E a senhora?
Emilie: Eu fiquei por aqui. Em 1962, 1963, vendi a propriedade para pagar as dívidas que Schindler tinha deixado. Se não fosse pela B'Nai Brit (uma organização de ajuda da comunidade judaica), que me arrumou esta casa e o terreno, não sei como estaria.

Folha: Os judeus ajudaram?
Emilie: Foi. Eles sabiam da história. Eu tinha muitos conhecidos judeus. Um deles, Simon Muchnik, era meu médico. Era uma boa pessoa, muito respeitado. Eles me ajudaram. Eu vim para cá, criei bois naquele quintal lá do fundo, criei galinhas, plantei. Sobrevivi.

Folha: Onde a senhora aprendeu a cuidar de animais?
Emilie: Meus pais eram agricultores. Se não fosse por isso, pela minha habilidade com animais e plantas, não sei como teria sobrevivido.

Folha: A senhora tem filhos, parentes?
Emilie: Não tenho filhos. Só gatos e um cachorro. Tenho uma sobrinha por parte do Schindler, que eu cuidei depois da guerra e que já veio aqui uma vez, me visitar. Fomos juntas a Foz de Iguaçu. Tenho amigos que vivem em Nova York. Fui quatro vezes lá. Devo ir de novo, no final do ano, ver o filme.

Folha: O que a senhora acha do seu marido?
Emilie: Olha, eu não penso nele. Ele era meio louco. Um estúpido.

Fonte: http://acervo.folha.com.br/fsp/1993/10/14/21/

Vejam este relato de um repórter sobre a vida de Emilie:
http://cronopios.com.br/site/artigos.asp?id=1921

Para mais informações:
http://www.causanacional.net/index.php?itemid=108

http://verdadehistorica.wordpress.com/2009/01/04/a-lista-de-schindler-e-goldberg/

27 comentários:

  1. "...Claro que mais tarde, ela foi convencida a amenizar o tom e elogiou o filme, etc...."

    Você é uma figura!!! Vá ter má fim assim lá na Alemanha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Folha avaliza a minha "má fé", cinco meses após a entrevista que postei:

      http://www1.folha.uol.com.br/fsp/1994/3/11/ilustrada/20.html

      Excluir
    2. “FICÇÃO É MAIS EFICAZ QUE DOCUMENTÁRIO” (sic).

      fonte : http://www1.folha.uol.com.br/fsp/1994/3/11/ilustrada/20.html

      Cobalto

      Excluir
  2. Hoje o Mar Vermelho se abriu novamente, uma menção simpática aos judeus no blog...

    MFF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Considerando que Moisés existiu, mostre um post onde eu fale mal do POVO judeu. Da cúpula sionista, não vale.

      Excluir
    2. Mais fácil seria quando falou bem, e desse um prazo de uma semana.
      Você é muito figura!

      Excluir
    3. Quando tu não considera "nada de mais" que crianças e velhos foram arrancadas de casa para andarem em vagões lotados até os campos, tu demonstra certo conformismo com a situação destes.

      MFF

      Excluir
    4. A opinião do ninguém equivale à sua coragem.
      A sua, Mefefê, é risível no pior sentido. O velho esquema de usar o legítimo sofrimento de crianças e velhos como escudo para as falcatruas dos seus donos é digna do seu vazio.

      Vocês sempre tentam isso quando os desafio a mostrar meu preconceito, meu racismo ou qualquer sordidez típica de seus pares. E eu agradeço por isso, visto que é um atestado de idoneidade inabalável.

      Excluir
    5. O revisionista enrustido MFF fala das crianças palestinas ? Pô, legal. Tá mostrando amadurecimento. Parabéns.

      Cobalto

      Excluir
  3. "Se não fosse pela B'Nai Brit** (uma organização de ajuda da comunidade judaica), que me arrumou esta casa e o terreno, não sei como estaria. "

    Logo em seguida, ela diz : "Eles me ajudaram. Eu vim para cá, criei bois naquele quintal lá do fundo, criei galinhas, plantei. Sobrevivi."

    Enquanto eles vivem sem trabalhar, só nos juros e especulação, deram a ela um "quintal" onde "criou galinhas, bois e plantou" para viver ? Não. Sobreviver. E a Alemanha pagou e paga indenizações que superaram a dívida externa do Brasil dos anos 80 umas 10 vezes.

    B'Nai Brit** - a maçonaria da maçonaria. A "pobre" que ajudou a salvadora a "criar bois no quintal." (sic)

    Nem venham me encher o saco, foi ela que disse e os judeus que fizeram. Apenas constatei.

    Cobalto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salvou ou não salvou os judeus? O resto é choro de nazistas desesperados.

      Excluir
    2. Pagando com diamantes, até você.

      Excluir
    3. Se calou totalmente sobre o que comentei dos judeus mão-de-vaca e ainda acha que está sendo um grande debatedor...rs

      Cobalto

      Excluir
  4. ele queria a matéria da folha achei para ele agora cade suas provas sobre o holoconto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele não queria, Peterosn.
      Imagino que ele esteja xingando você até agora pela humilhação.
      Se bem que muito feliz por não ter se identificado.

      Excluir
  5. o que eu achei estranho foi a parte em que ele a deixou a ver navios com uma mão na frente e outra atrás buscando um dinheirinho de indenização bem tipico mesmo do povo escolhido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu caro.
      Você não deve misturar os termos "estranho" e "típico" nessas atitudes deletérias da cúpula sionista. Causa a confusão que eles tanto desejam.

      Essa turma dá nó górdio em pingo d'água quando se trata de manter a sua supremacia.

      Excluir
  6. E o rosário de desculpas continua:

    http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/34282/alemanha+pede+perdao+a+grecia+por+crimes+nazistas.shtml

    MFF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "O presidente da Alemanha, Joachim Gauck, pediu publicamente nesta sexta-feira (07/03) “perdão em nome da Alemanha” às famílias gregas, vítimas de um massacre cometido pelo exército nazista durante a Segunda Guerra Mundial nas montanhas ao norte da Grécia."

      Quase tão bem adestrado quanto à querida chanceler alemã judia Rebbekah, que é incomparável. Circo must go on!

      Excluir
    2. Finalmente! Os pedidos justos de desculpa se amontoaram. Que continue assim. Antes tarde do que nunca.

      Excluir
    3. Ser anônimo é uma bênção...

      Excluir
    4. Mostram humildade, coisa que não está nem no Talmud "sagrado" nem na constituição de Israhel.

      "Deus resiste aos soberbos", por isso Israhel está falida e a Alemanha prospera apesar de toda a crise européia.

      Cobalto

      Excluir
  7. https://www.facebook.com/Avidanofront/posts/10202904868490160

    Aos poucos, vão se entregando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida, se entregando.
      Nos quesitos credibilidade, contundência, capacidade, conhecimento e outros 20 atributos necessários para se obter respeito à sua idiossincrasia, o "A vida no Front" só perde pro "Projeto Nizkor".

      Excluir
    2. O que o link em questão chama de "neo-nazista" são pessoas e agentes do Mossad e da CIA infiltrados nas manifestações pra tumultuar. Vá se informar.

      Cobalto

      Excluir
    3. Aqui pra silenciar uns sobre a RevoluSião na Ucrânia.

      “Teoria da Conspiração” de Putin for verdade: Divulgação da chamada de telefone Indica Snipers contratado pelo Maidan : Se você não estiver em curto tempo, ouvindo um casal de estrangeiros falar sobre a criação de um novo governo na Ucrânia é interessante.

      http://www.youtube.com/watch?v=ZEgJ0oo3OA8

      (para ler + : http://www.dailystormer.com/putins-conspiracy-theory-proves-true-leaked-phone-call-indicates-snipers-hired-by-maidan/ )

      http://legio-victrix.blogspot.com.br/2014/02/golpe-de-estado-kiev-cai-nas-maos-do.html

      http://rt.com/news/ukraine-oligarch-rule-governors-512/

      http://www.haaretz.com/jewish-world/jewish-world-news/.premium-1.576769

      http://uk.news.yahoo.com/ukraine-protests-israeli-ex-officer-leads-militant-group-094657071.html#JmrcrRD

      Ainda sobre a revoluSião na Ucrânia, a CIA/Mossad matam manifestantes e policiais para acirrar ambos os lados e impossibilitar algum diálogo ou a paz e depois entra a mídia sionista para culpar aqueles que querem se livrar.

      Fizeram o mesmo na Venezuela em 2002, que não deu certo, como mostra este documentário irlandês A Revolução Não Será Televisionada :
      http://www.youtube.com/watch?v=MTui69j4XvQ

      Acaso o povo americano sabe que seus impostos são para financiar franco-atiradores e revoltas “populares” pelo mundo ?

      http://www.elministerio.org.mx/blog/2014/03/amanecer-dorado-pravy-sektor-israel/

      “Obcecada com vitória geopolítica na Europa Oriental, Washington envolveu-se com grupos que defendem “supremacia branca” e atacam comunistas, anarquistas e judeus” PARA LER MAIS : http://gladio.blogspot.com.br/2014/03/ligacoes-entre-extrema-direita.html

      Bem-vindo à ponta do iceberg da Nova Ordem Mundial judaico-maçônica.

      Cobalto

      Excluir
    4. Permita-me, meu caro, postar apenas o link dos seus dois últimos comentários para que todos possam lê-los na íntegra:

      http://inacreditavel.com.br/wp/mentiras-da-midia-massacram-nacionalismo-ucraniano/

      Excluir