Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


quinta-feira, 24 de julho de 2014

Como assim?!

Amigos e amigas.
Um monte se diz sobre as afamadas "execuções por gaseamento" nos campos de concentração da 2ª Guerra, principalmente da quantidade delas aliadas a uma incrível eficiência em se executar entre 2500 e 3000 judeus diariamente. A maioria desses gaseamentos teria ocorrido com o uso de monóxido de carbono, cuja letalidade é reconhecidamente baixa, principalmente de motor diesel. Um tenente-coronel do corpo de bombeiros, Joilson Santos de Paula, afirma que a vítima não costuma apresentar sintomas físicos por conta da inalação e a morte, geralmente, é lenta. Veja a notícia abaixo:

Um homem de 61 anos morreu na noite desta quinta-feira (10/07/2014), após passar aproximadamente seis horas em um quarto de motel em Xanxerê, no Oeste de Santa Catarina. De acordo com o Corpo de Bombeiros da cidade, o casal foi encontrado na cama e o homem estava desacordado deitado ao lado da mulher.

O casal teria entrado no motel por volta das 13h e foi encontrado no local perto das 19h, no bairro São Romero. Ainda segundo os bombeiros, um funcionário achou estranho o tempo que o casal estava no quarto e o fato do carro continuar ligado. Quando foi verificar, ele encontrou o homem desacordado e acionou o Corpo de Bombeiros.

O casal foi encaminhado ao Hospital Regional São Paulo (HRSP). O homem morreu por volta das 22h, com suspeita de intoxicação por monóxido de carbono. A mulher, de 46 anos, foi atendida na emergência da instituição.

O corpo do homem foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Xanxerê. De acordo com informações do HRSP, a mulher continua em observação na emergência da unidade, sem previsão de alta.

Podemos constatar que o homem demorou a morrer pela intoxicação e a mulher sobreviveu. Nada demais, visto o que se sabe do monóxido de carbono e da resistência de cada um. Vejamos estes exemplos sobre os campos alemães da 2ª Guerra:

"O campo de extermínio de Treblinka foi o maior campo de concentração nazi. (...) O processo de gaseificação (sic) nas câmaras durava aproximadamente 15 minutos.(...) Inicialmente, os cadáveres eram empilhados num fosso, sendo mais tarde queimados. (...)  Franz Stangl, comandante do campo de Treblinka, respondeu: "A respeito da pergunta do número exato de pessoas gaseificadas (sic) num dia, eu posso indicar que, de acordo com a minha estimativa, o conjunto de 3.000 pessoas transportadas em cerca de trinta vagões era liquidado em três horas. Quando o trabalho durava catorze horas, 12.000 a 15.000 prisioneiros eram aniquilados. Havia muitos dias em que o trabalho durava de manhã à noite."(...) Cerca de 850.000 pessoas foram brutalmente assassinadas no campo de Treblinka." (http://holocausto12a-2.webs.com/treblinka.htm

"O gaseamento nem sempre acontecia rapidamente. Porque as vítimas eram empurradas para o quarto com força, não havendo espaço para se mover. Consequentemente, as vítimas podiam ficar por trinta a quarenta minutos antes de realmente morreram. (...) Judeus dos distritos polacos de Varsóvia, Radom, Bialystok e Lublin, bem como de outros campos de concentração de Theresienstadt, Macedônia e do Reich compreenderam quase 750.000 pessoas que morreram nas câmaras de gás de Treblinka, entre julho de 1942 e abril de 1943."
http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2013/11/agora-de-novo-treblinka.html

Nos links acima, constatamos brutais discrepâncias sobre os ditos gaseamentos naqueles campos. E em nenhum das centenas de casos de intoxicação por monóxido de carbono pelo mundo, como o visto na reportagem do início, foi relatado que as mortes tenham ocorrido com a rapidez alegada aos campos alemães (Nem injeção letal é tão rápida quanto às mortes dos campos alemães. Veja aqui:
http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2014/07/1490469-condenado-a-morte-agoniza-por-duas-horas-nos-eua.shtml).

Dizem os "afirmacionistas" que tudo depende da concentração do monóxido. O problema é que os relatos dos 'sobreviventes' afirmam que era um simples motor que não tinha condições de gerar fumaça suficiente para matar dezenas ou até centenas de uma vez em poucos minutos. Além do quê, algumas vezes, ele engripava e atrasava as famigeradas 'execuções'.

Por tudo isso é que perguntei: Como assim?! Como é que só os alemães conseguiram extrair absoluta eficiência no gaseamento por monóxido de carbono, ainda por cima utilizando meros galpões de madeira ou alvenaria como câmaras e tendo tantos atravancos logísticos? Por mistérios como este e vários outros detalhes é que eu apoio a revisão da História, sendo que a do holocausto se mostra uma prioridade.

FAB29

4 comentários:

  1. http://www.youtube.com/watch?v=4nZBgNKHPhc#t=44

    Hamas mata 9 israelenses em Gaza e Israel chora :

    http://item.liveleak.com/2/view?i=c06_1353860831

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se são tão sensíveis assim, por que não exigem de seus líderes verdadeiro empenho em chegar a reais e justos acordos?
      Assim, se evitaria tanta iniquidade pelo mundo.

      Excluir
  2. Será que daqui uns 50 anos, Israel vai dizer que sofreu holocausto em julho de 2014 ?

    Cobalto

    ResponderExcluir