Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Há muito se fala disso...

Amigos e amigas.
O economista Marco Antonio Campos Martins 
Transcrevo abaixo um trecho de um artigo do economista Marco Antonio Campos Martins chamado "O Brasil entrou no 'conto da dívida externa"', publicado no caderno de Economia da Folha de São Paulo em 31/10/1982. Verão que o esquema sórdido (hoje, bem conhecido) de endividar o mundo vem de antanho.
FAB29

"Basicamente, o atual sistema financeiro mundial está alicerçado no poder que alguns poucos países - especialmente os EUA - têm de emitir papel-moeda fiduciário, de circulação internacional, sem qualquer lastro. Ou seja, esses países têm a capacidade de gerar poder de compra a nível mundial, unilateralmente e em benefício próprio.

Sem maiores delongas, a colocação em marcha do atual mecanismo de empréstimos internacionais envolve as seguintes fases:

1- Os países emissores imprimem moeda-reserva, como o dólar e o eurodólar, sem qualquer esforço econômico, e emprestam essas moedas aos demais parceiros do comércio mundial;

2- Estes trocam o crédito assim obtido por produtos fabricados pela economia dos primeiros (países não emissores não transacionam muito entre si). Como se observa, nesta fase, os países emissores voltam a ficar com suas caixas repletas dos próprios papéis que emitiram, enquanto os não emissores ficam com os produtos comprados;

3- Os países emissores empregam estes saldos financeiros para adquirir bens e serviços produzidos pelos formadores de empréstimos. Nesta fase, os primeiros ficam com os recursos econômicos reais produzidos pelos segundos e estes aumentam novamente o seu saldo de reservas internacionais;

4- O ciclo monetário recomeça.

Pode-se notar que, ao término da terceira fase, ocorre um importante cancelamento: bens produzidos pelos países emissores foram cedidos em contrapartida a produtos originários dos não emissores. Se os efeitos das operações de empréstimos externos em moeda-reserva parassem aí, tudo estaria muito bem; recursos produtivos teriam sido trocados por recursos produtivos de igual valor.

Contudo, não é isto que acontece. Ao final da terceira fase, os tomadores de empréstimos, apesar de já terem cedido recursos reais em troca de recursos reais, isto é, apesar de já terem literalmente pago esses empréstimos, ainda ficam com uma dívida. Por isso, pagarão juros até que ela seja amortizada, remeterão mais mercadorias e serviços e nunca obterão qualquer tipo de compensação, em termos reais, a não ser que decidam "virar a mesa".

Em outras palavras, a emissão de papel-moeda de circulação internacional para a aquisição direta de bens e serviços produzidos pelos países não emissores não passa de artifício financeiro destinado a expropriar, à vista, os recursos reais desses países. Quando a emissão se destina à concessão de empréstimos, é expediente para levar a cabo a desapropriação a prazo.

No primeiro caso, a expropriação é determinada pelas condições de preço vigentes no mercado internacional de bens e serviços, no instante da emissão. No segundo, esse valor não é fixo; depende das possibilidades que estão abertas para influenciar os preços no futuro, e por ser substancialmente alterado por manifestação das taxas nominais de juros contratados em moeda-reserva."

2 comentários:

  1. Oi...

    O link que te mando não tem nada a ver com o tema da postagem... Mando aqui porque é muito bom e não sabia por onde te enviar.

    http://www.europeanknightsproject.com/one-cowardly-vainglorious-megalomaniacal-pole-triggered-wwii/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um belo achado caro, Saturnino. Vale a postagem. Grato.

      Excluir