Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Rússia Imperial x Bolcheviques

Amigos e amigas.
Um monte de coisas já foi escrito sobre a Revolução Russa de 1917. Entre tantos prós e contras, a História oficial diz que foi mais benéfico à Rússia e ao mundo do que se o regime czarista tivesse se mantido. Seus executores (em especial, Lênin) são idolatrados ou, ao menos, protegidos e defendidos pela maioria dos historiadores ou seguidores da doutrina marxista.

O que levou a revolução a lograr sucesso foi essencialmente a propaganda (não precisaria citar a hipocrisia, a sordidez, a covardia,...) que o supremacismo judaico infligiu ao mundo (a mesma que deflagrou a 1ª Guerra e viria a se repetir na 2ª e ad eternum), de olho no país perigosamente poderoso, potencialmente e de fato riquíssimo e mais extenso do planeta. Os supremacistas sabiam que só poderiam tomar a Rússia se acabasse com o regime czarista (cujo poder "vinha de Deus"). Vejam alguns dados que enchiam os olhos gordos sionistas/talmudistas (fonte: Anuário Humanus V - Valinor):

- Em 1912, as Câmaras de Compensação trabalharam com 31 milhões de rublos; em 1906, foi com 12 milhões. Não havia inflação. O povo russo pagava oito vezes menos impostos que os ingleses, cinco vezes menos que os franceses e quatro vezes menos que os alemães;

- A Rússia Imperial construía cerca de 1500 km de vias férreas e 1500 locomotivas com 45 mil carros anualmente.

- Em 1913, a Rússia produzia 25% dos cereais do mundo (equivalente à Argentina, Canadá e EUA juntos). Ainda neste ano, produziu mais de 2710 milhões de metros de tecido de algodão, 95 milhões de metros de lã e 201 milhões de metros de linho;

Daí, veio a revolução e após ela, a produção decaiu grandemente e só demonstrou alguma recuperação a partir de 1934. Mesmo assim, neste ano (após 17 anos de decrépita produção), se produziu:
Tecido de algodão: 2260 milhões de metros;
Lã: 73 milhões de metros;
Linho: 155 milhões de metros.

E os mais de 20 anos do governo comunista de Stalin só produziram cerca de 1200 locomotivas  com 21 mil carros. Em 1920, a produção industrial em larga escala decaiu incríveis 82%; a de ferro, brutais 97,6%; a de fio de algodão, grotescos 94%; a de carvão, 73%; a de petróleo, 57,3%.

A produtividade do operário russo decaiu 74% e o número de trabalhadores industriais, 51% entre 1918 e 1921. E este próximo dado é a pá de cal para se atestar todos esses dados catastróficos: os CUSTOS DE MANUTENÇÃO DA BUROCRACIA do Conselho Supremo da Economia aumentaram inacreditáveis 9500%! Penso que os amigos do vizinho da tia em 3º grau do aspone responsável pelo cafezinho no Kremlin precisavam de uma teta no novo governo. Devem ter criado até a 3ª sub-secretaria do condado da comarca adjunta à região sul-siberiana.

Daí, quando constatamos que dezenas de milhões de cidadãos russos morreram nos três primeiros anos do regime bolchevique (a grande maioria, de inanição) e que as suas tropas grassaram uma parte do mundo levando sua crueldade, sadismo, estupro e sentença de morte (em especial, na 2ª Guerra), podemos ver o quanto a humanidade é assombrada e amaldiçoada por tantos desmandos e fraudes, não lhe sendo permitido o conhecimento (nem sequer de leve) dos fundamentos dos fatos.

Marx, Engels, Lênin e Trotsky são adorados pelos comunistas e todos os alienados, revolucionários de boutique de shopping, que só conseguiram ler uma centena de páginas de "O Capital" (não entendendo nem a metade) e o resto, ouviram falar de outros imbecis (além dos agentes treinados para incensar os malditos, apodrecer os antagonistas a eles e tergiversar ao máximo, criando todo tipo de confusão para evitar o raciocínio e a racionalidade que levariam o povo à luz).

Por isso tudo e bem mais é que a máxima revisionista me cativa: "NÃO ACREDITE! PENSE!". E também o que, para mim, é o pensamento máximo de Buda:

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu. Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito. Não acredite em algo simplesmente porque esta escrito em seus livros religiosos. Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade. Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração. Mas depois de muita análise e observação, se você vê que algo concorda com a razão e conduz ao bem e beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Faça o mesmo, sempre, a cada instante. Assim é que se constrói a própria felicidade, limpa e isenta de venenos e podridões que regurgitam sobre nós diariamente.

FAB29