Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


domingo, 3 de agosto de 2014

Manipular é preciso!

Amigos e amigas.
Manipulação de resultados eleitorais está longe de ser exclusividade brasileira (ou terceiro mundista). As guerras travadas pelos grandes corruptores com a lisura que uma democracia verdadeira (que não existe) precisaria engloba TODAS as "democraturas" existentes. Países poderosos como Alemanha e EUA são tão fraudados que, quando laivos da verdade afloram, nos arrepiamos até a alma.

É público e notório o caso da primeira eleição do 'Bushinho' em 2000, quando ele foi homologado presidente mesmo tendo recebido mais de meio milhão de votos a menos que Al Gore (prova cabal que a opinião popular não decide nada nem no "maior paradigma de democracia moderna"). Vejam abaixo sobre um esquema para reeleger Obama:

OBAMA PERDE A AMÉRICA BRANCA

"- Somente 39% dos eleitores brancos votaram em Obama, abaixo dos 43% em 2008. Os brancos eram 87% dos eleitores em 1992. Em 2012, eles eram 72%;

-  Obama venceu com 93% dos eleitores negros e 71% dos hispânicos. Obama perdeu em todos os segmentos etários de eleitores brancos, incluindo aqueles entre 18 e 29, nos quais ele ganhou por 10 pontos em 2008;

-- Em 1988, W.H. Bush foi capaz de conseguir 288 assentos no colégio eleitoral com 60% do voto branco. Em 2012, Romney pôde reunir somente 206 assentos no colégio eleitoral com os mesmos 60% dos brancos;

-- De acordo com o censo de 2011, 63% da população Americana era branca, 17% hispânica e 13% negra.  A população hispânica nos EUA subiu perto de 43% desde 2001, ultrapassando 50 milhões e contabilizando 1 para cada 6 Americanos. Na próxima eleição, Texas e Georgia não serão mais Republicanos;

-- Hispânicos agora são um em 10 eleitores nacionais e atingindo níveis mais altos em estados tais como Colorado, Florida, Nevada e Novo México, os quais se tornaram um terreno confortável para Democratas nas políticas presidenciais. Obama levou o Colorado vencendo com ¾ dos Hispânicos, acima dos 61% em 2008

Obama, cuja mãe (Ann Dunham) foi uma Judia branca Comunista, é o canto da sereia dessa engenharia social desenhada para fazer dos EUA tão heterogêneo quanto uma caixa de chocolate: 

"Eu não me importo se você é negro, ou branco, ou hispânico, ou asiático, ou indígena, ou jovem, ou velho, ou rico, ou pobre, apto, deficiente, gay ou hétero; você pode construir aqui na América se você estiver querendo tentar", disse Obama em seu Discurso de Vitória.

Os Judeus liberais estão anunciando uma nova era de saciar os caprichos de suas minorias controladas.

"Essa eleição afirma que há uma nova política, uma nova realidade demográfica na América, e que os Democratas estão mais além em adaptar suas políticas a essas novas realidades que os Republicanos", declarou Simon Rosenberg, esquerdista, cujo grupo de pensadores liberal NDN tem monitorado a mudança do eleitorado Hispânico.

O sucesso de Obama seguiu intensos esforços mediante sua campanha e grupos exteriores para recrutar e registrar eleitores de minorias.  A campanha registrou centenas de milhares de negros e hispânicos só na Florida, ultrapassando seus esforços de 2008. Nacionalmente, o NAACP aspirava trazer 1 milhão de novos afro-americanos ao eleitorado, e o Serviço da União Internacional de Empregados dedicou mais do que um esforço de $75 milhões para registrar minorias em oito estados em áreas de conflito."


Conclusão: após sua primeira eleição, passado o elan da novidade e estampada sua subserviência aos grandes corruptores, Obama e sua trupe viram que precisavam engendrar um esquema para compensar os votos que a decepção que ele se mostrou ser o fez perder. Nada melhor do que estimular a entrada de desesperados imigrantes e investir no desespero, apedeutismo e alienação dessas minorias, ampliando-as ao máximo, garantindo a elas migalhas de esperança e sobrevivência menos indigna (ainda que fugaz). Já vi tal esquema até na minha cidade.

Como podemos constatar em muitos países e épocas, fatalmente, tal excrescência dá bons frutos (aos parasitas, óbvio!).
FAB29