Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


terça-feira, 5 de agosto de 2014

Dois pesos, quantas medidas?

Amigos e amigas.
Abaixo seguem algumas "provas cabais" do holocausto judeu que grande parte da humanidade, seus 'desgovernos' e entidades (tipo ONU) aceitam olimpicamente e repudiam com absoluta veemência e intransigência qualquer um que as conteste (independente da ausência de provas forenses):

Cena tristemente comum em QUALQUER guerra
Corpos de doentes e desnutridos. Nenhum gaseado.
"Quando as forças americanas e britânicas invadiram as partes ocidental e central da Alemanha na primavera de 1945, eles foram seguidos por soldados encarregados de descobrir e fixar qualquer evidência de crimes de guerra alemães.

Entre eles, estava o Dr. Charles Larson, um dos principais patologistas forenses da América, que foi atribuído ao Departamento do Juiz Advogado-Geral do Exército dos EUA. Como parte de uma Equipe de Investigação de Crimes de Guerra dos EUA, Dr. Larson realizou autópsias em Dachau e em cerca de vinte outros campos alemães, examinando em alguns dias mais de 100 cadáveres. Depois de sua obra sombria em Dachau, ele foi interrogado durante três dias pelo Ministério Público do exército dos EUA.


As descobertas do Dr. Larson? Em uma entrevista ao jornal 1980, ele disse: "O que ouvimos é que foram exterminados seis milhões de judeus. Parte disto é uma farsa." E qual parte foi a farsa? Dr. Larson, que disse ao seu biógrafo que, em seu conhecimento, ele era “o único médico legista de plantão em todo o teatro europeu" das operações militares aliadas, confirmou que "nunca foi descoberto um caso de gás venenoso."
O inexistente homem em pé
Foto verdadeira - revista New York Times de 1945
Imagem adulterada de corpos "sem sombras".
Foto adulterada (criada) pela propaganda sionista.
Idem legenda acima
Agora, seguem abaixo fotos reais (sem adulterações) do holocausto palestino que a mesma humanidade que deplora e condena as imagens acima nada faz além de ver e comentar nos intervalos da novela (se tanto):

Pais chorando suas perdas.
Pais tentando salvar filhos após ataque judeu
E a brutal covardia contra crianças não para.
"Terroristas" mortos pelos "ataques cirúrgicos" de israel
Resultado das armas químicas sionistas
A última imagem é o máximo que consigo expor aqui. Evitei colocar as imagens verdadeiramente brutais da sanguinolenta sordidez dos ataques judeus a Gaza, nas quais milhares de palestinos (centenas de crianças) aparecem cruelmente mutilados, destruídos pelas bombas, tiros, fósforo e tantas outras armas malditas do exército israelense.

Com este post, só quero perguntar: por que a oligofrênica humanidade, seus 'desgovernos' e as "ONU" da vida não fazem um mínimo de esforço contra seu torpor, sua alienação, seu comodismo, seu servilismo, para colocar na mesma medida do até hoje não comprovado holocausto judeu da 2ª guerra esse genocídio contra os palestinos fartamente mostrado ao vivo, presenciado e reportado por milhares de repórteres imparciais e (o pior de tudo) sequer negado pelos seus executores? No máximo, afirmam não se tratar de um "genocídio"; apenas "massacre" dentro do seu "direito de defesa".

De fato, infinitamente pior do que a sordidez sionista é a estupidez do gado humano.
FAB29