Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


terça-feira, 16 de setembro de 2014

Saúde virtual

Amigos e amigas.
Ouvi no rádio uma entrevista de um professor reformado da USP, o engenheiro eletrônico Valdemar Setzer e fiquei maravilhado ao ver seu posicionamento com relação à permissividade da educação moderna, se referindo aos computadores.

Ele se posiciona frontalmente contra a criança e o adolescente terem suas vidas incluídas nesse mundo virtual, que nubla a essência humana e atrapalha de sobremaneira o real desenvolvimento social em todos os sentidos.

Inspirado em sua entrevista, escrevi o artigo a seguir sobre esse assunto. Ele é bastante afinado com o pensamento desse professor.


EDUCAÇÃO ROBÓTICA

Muito se discute a respeito da inclusão digital. Como tudo na vida, há, no mínimo, dois lados.

É bem sabido que o mundo moderno necessita imensamente da informática. Não preciso evidenciar todas as facilidades que ela proporciona. Mas tudo na vida tem seu lado nefasto. Até o amor e o oxigênio. Vejamos: os pais precisam dar eventuais duras lições a seus filhos para que eles se doutrinem a respeitar hierarquias e a se precaver com o dito “mundo cão”, que nunca alivia com ninguém. Amor em excesso desvirtua. No caso do oxigênio, ele é imprescindível à vida, mas é ele a causa dos radicais livres que “enferrujam” o corpo, caso este não esteja bem ajustado.

O problema da informática me parece óbvio: ela é “MUNDO VIRTUAL”! Quando damos às nossas crianças o livre acesso a esse mundo, ela “deixa de viver”. Viver é ter contato FÍSICO com pessoas: olhar, conversar, brincar, discutir, abraçar, trocar idéias, aprender, etc. Pelo mundo virtual, é muito fácil enganar, dissimular, esconder-se, corromper, “ter coragem pra tudo”, etc. Ao vivo, frente a frente, é extremamente mais difícil.  Quase impossível! Exatamente por isto, as pessoas não “queimam etapas”, ou seja, podem amadurecer gradualmente, como a natureza manda!

Além de quê, cada um de nós é um universo! Quem tem contato ao vivo com 10 pessoas aprende muito mais da vida do que alguém que tenha contato com 10 mil pessoas via Facebook ou qualquer outra rede virtual. É evidente: com esses amigos, você desenvolve várias coisas:

- AUTOCRÍTICA, quando eles mostram que você está extrapolando em alguma atitude;

- HUMILDADE, quando você vê que vários deles tem conhecimentos e qualidades superiores;
- BEM QUERER, quando você se preocupa em encontrar soluções para diversos problemas deles;
- ESPERTEZA, quando eles o tentam “sacanear”, no bom sentido;
- TOLERÂNCIA, quando seus amigos estão naqueles dias de “pé-no-saco”;
- PRAZER EM VIVER, quando eles demonstram com gestos e/ou palavras o quanto você é querido e importante;
- SAÚDE EM TODOS OS SENTIDOS, quando vocês se exercitam em todos os níveis e situações possíveis. E muitas coisas mais!

Sou a favor da inclusão digital e de se ter salas de informática nas escolas. Mas as classes à moda antiga são intocáveis! Crianças e adolescentes NÃO PODEM ser tolhidos disto!! Tão importante para o ser humano quanto o aprendizado intelectual, o conhecimento, o raciocínio e a interpretação é a SOCIALIZAÇÃO! Como “ninguém é uma ilha”, TODOS NÓS precisamos aprender a viver em sociedade, a ter limites, a ocupar nosso espaço sem invadir o de ninguém, a nos posicionar de acordo com a situação, etc. E como a escola precisa ser uma extensão de nossa casa, o contato ao vivo e in loco com outras mentalidades e personalidades é essencial e crucial nesse desenvolvimento.

Em tempo: vocês sabiam que os grandes executivos do Vale do Silício, berço e quartel general da Microsoft, colocam seus filhos em escolas que NÃO POSSUEM computadores como parte do material didático? Isso, até a HIGH SCHOOL, o nosso 2º grau! Portanto, eles só terão contato constante com computadores a partir dos 16 ou 17 anos, quando já terão uma formação mental, moral e psicológica já bem estabilizada.

Não é interessante?!
FAB29