Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Sou um macaco! E você?

Amigos e amigas.
Pensei um bocado para decidir se iria escrever algo sobre o Dia da Consciência Negra. Dificilmente aproveito uma data comemorativa para escrever sobre. Sou a favor da igualdade de tratamento e de direitos e deveres; admiro todas as batalhas para que isso seja uma realidade. Essas estupidezes de "minorias", "povo eleito", "VIPs", etc, me enojam. Com oportunidades iguais, haveria um equilíbrio na sociedade e essas excrescências virariam história.

Aranha, em entrevista no Dia da Consciência Negra
Mas o que me levou a decidir por escrever hoje foi a entrevista/biografia do goleiro Aranha no Globo.com: http://globoesporte.globo.com/futebol/times/santos/noticia/2014/11/alfabetizado-pelo-rap-calejado-pela-vida-como-aranha-reagiu-ao-racismo.html (Já escrevi o que penso de sua recente história aqui: http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2014/09/patetico-e-pouco.html). O que mais se destaca nessa entrevista é o coitadismo: sua vida difícil na infância e adolescência, o quanto sofreu de preconceito, as pessoas que perdeu,... em suma: nada de especial ou diferente da história de milhões de pessoas.

Retornando ao assunto do "racismo" que sofreu, ele afirma que evita usar o futebol como meio de se promover, tanto que recusou convites para falar sobre aquelas "injúrias"; quis evitar os holofotes.

"- Desde criança eu tinha noção, mas não entendia. Tem muita brincadeira, muita piada que você não entende e quando cresce passa a entender na adolescência. Fui amadurecendo com essas situações de as pessoas atravessarem a rua quando você está passando na mesma calçada, de a poltrona ao meu lado no ônibus estar vazia e ninguém sentar" 

"- Serviu para o pessoal ver que existe punição e ela pode ser aplicada. Se deixo passar batido naquele dia, eles estariam se sentindo livres para fazer o mesmo em outras partidas. Criança não tem respeito pelo pai. Primeiro ela tem medo, depois que fica mais velha é que tem respeito. O torcedor também é por aí. Precisa ter medo primeiro."

A Bela (moça) e a Fera (besta)
Se ele não quisesse os holofotes, bastaria desprezar o que as torcidas gritam o tempo todo para TODOS os adversários do seu time. Ou será que o "nobre Aranha" nunca foi chamado N vezes de "corno" a "filho da puta"? São ofensas menores? Eu já falei e não me cansarei de repetir: dentro de um estádio, nas arquibancadas, o torcedor tem ABSOLUTO DIREITO de gritar e extravasar verbalmente qualquer coisa! Só será diferente se ele invadir o campo ou atirar coisas nos jogadores e se FORA DO ESTÁDIO, ele repetir os palavrões! Nestes casos (e apenas neles), processo e cadeia!

Causa-me tristeza e ojeriza ver um homem experiente, independente, pai de família, aparentemente consciente, alguém que venceu tantas batalhas e conseguiu atingir uma situação social que a maioria das pessoas não consegue (afinal, é dito que seu salário é de 150 mil reais por mês) se prestar a tal imbecilidade e ter a pachorra de dizer que não quer se promover com isso.

Caros Aranha e leitores deste blog, repito o título do post: EU SOU UM MACACO! Tenho todo o orgulho de ser um primata; vejo toda a beleza e nobreza de meus ancestrais: gorilas, chimpanzés, babuínos, orangotangos, micos, bonobos, etc; sou muito grato a eles por existirem, pois, sem eles, A ESPÉCIE HUMANA não existiria! Se vocês não gostam de ser chamados assim, meus pêsames! Escolham o que vocês acham mais adequado a suas idiossincrasias (elefante, gato, jacaré, barata,...) e sejam felizes. Eu vou comer minha deliciosa banana!

FAB29