Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


terça-feira, 27 de janeiro de 2015

70 anos de Auschwitz

Amigos e amigas.
Hoje, 27/01/2015, data para se relembrar: comemora-se a "libertação do campo de extermínio de Auschwitz" pelos aliados. Ou daqueles prisioneiros que preferiram ficar lá para serem "salvos" pelos "amigos" bolcheviques. Segundo a testemunha-mor do holocausto, Elie Wiesel, que relatou em seu 'besta seller' "A noite", milhares preferiram fugir com seus "carrascos". Relembrando:

- O que faremos, pai?’ Ele estava perdido em suas meditações. A escolha estava em nossas mãos. Por uma única vez, podíamos decidir por nós mesmos o nosso destino. Ficamos os dois no hospital, onde eu podia fazê-lo entrar como doente ou como enfermeiro, graças ao meu doutor; ou então, seguir os demais (junto com os alemães, que iam fugir dos russos). (...) ‘- Vamos sair com os outros!’ – eu lhe disse.” (...) "Os primeiros blocos puseram-se em marcha. Nós esperávamos. Tínhamos que esperar A SAÍDA DOS CINQUENTA E SETE BLOCOS que nos precediam.” Pág. 113, 114 e 115 (Mais detalhes do livro aqui.)
O 1º livro "revisionista" do holocausto
Hoje, a grande podre mídia está "desenterrando zumbis" para reforçar toda a historiografia dantesca que moldou a aura do holocausto, especialmente a de Auschwitz. Vocês, queiram ou não, se fartarão com dezenas de notícias em todas as mídias. Porém, percebe-se que há sutis diferenças do que sempre foi dito até o início deste século. Exemplos: o número de assassinados em Auschwitz (antigamente, era de 4 milhões) está em "cerca de 1,1 milhão de pessoas" enquanto as placas alusivas no local marcam 1,5 milhão. 400 mil de diferença não é nada pouco. Em outro post, falam que "os nazistas assassinaram cerca de 5,5 milhões de judeus". O mítico número 6 começa a oficialmente se esboroar.

Oficial anterior (até 1993): 4 milhões.
Oficial atual: "cerca de 1,5 milhão".
Daí, precisamos reforçar as discrepâncias notórias e sensíveis entre os depoimentos das "testemunhas fidedignas". Enquanto a maioria afirma que as câmaras de gás movidas a pesticida eram a principal arma para exterminar prisioneiros, Wiesel escreveu que eram verdadeiros 'holocaustos' em valas crematórias:

"Não longe de nós, de uma fossa, subiam chamas, chamas gigantescas! Alguma coisa estava sendo queimada ali. Um caminhão se aproximou do buraco e despejou sua carga: eram criancinhas. Bebês! Sim, eu vi, vi com meus olhos... Crianças nas chamas”. 'A noite' - pág. 52

Câmara de gás de Auschwitz
Nunca sequer citou as câmaras de gás. Outra coisa que causa espécie são os exageros para os quais a Física e a Química torcem o nariz. Vejam os números da "sobrevivente" Olga Lengyel:

"Em seu livro "Five chimneys" ("Cinco chaminés", Londres, 1959), olga lengyel diz ser uma ex-prisioneira de auschwitz e afirma que o campo cremava “720 corpos por hora, ou 17.280 corpos a cada 24 horas”. Ela também afirma que, em adição, 8.000 pessoas eram queimadas todos os dias em “covas coletivas da morte”, portanto, “em números redondos, cerca de 24.000 corpos eram destruídos todos os dias.” (p. 80-81). Isto dá uma taxa anual de mais de 8,5 milhões. Portanto, entre março de 1942 e outubro de 1944, Auschwitz teria finalmente destruído mais de 21 milhões de pessoas."

Mais exageros e desencontros:

"Havia quatro câmaras de gás subterrâneas; duas grandes cada uma acomodando 2000 pessoas, e duas menores, cada uma acomodando 1600 pessoas. (...) Cremar duas mil pessoas levava cerca de 24 horas nos cinco fornos. Geralmente, só conseguíamos cremar cerca de 1700 a 1800 pessoas". [Rudolf Höss, comandante de Auschwitz, em depoimento a Leon Goldensohn na prisão de Nuremberg em 08/04/1946]
http://www.chabad.org.br/biblioteca/artigos/inferno/home.html

"Em Birkenau, havia três crematórios, cada um com uma câmara de gás. Neles podiam ser cremados até 4.756 cadáveres por diasegundo documentos das SS".
http://educacao.uol.com.br/disciplinas/historia/holocausto-pelo-menos-11-milhao-de-judeus-foram-mortos-em-auschwitz.htm

"Em Auschwitz, os nazistas liquidavam 2 mil pessoas em pouco mais de 15 minutos. Trancavam-se os condenados em câmaras escuras, enquanto o gás começava a penetrar no ambiente vindo do chão."
http://guiadoestudante.abril.com.br/aventuras-historia/holocausto-atrocidades-nazistas-434440.shtml

Temos aqui a palavra do patologista Dr. Charles Larson que realizou milhares de necropsias em vítimas dos campos de concentração da 2ª Guerra. Ele afirma que nenhum dos que ele examinou morreu envenenado por gás. O que mais impressiona é que em Auschwitz havia oficialmente muitas regalias aos prisioneiros: enormes cozinha e refeitório, biblioteca, hospital, dentista, teatro, cinema, aulas de arte, piscina e até um bordel! Veja detalhes aqui. Ah, tinha até ala infantil. Como os alemães conseguiram conciliar o notório 'maior extermínio sistemático da História' com isso tudo? Tão eficientes nos dois extremos a ponto de conseguirem enganar a Cruz Vermelha, cujo relatório sobre o campo não mostrou nada de nada sobre extermínios? Veja aqui  trechos desse relatório.

E pensar que nenhum dos três maiores nomes aliados da 2ª Guerra (Churchill, Roosevelt e DeGaulle) escreveu sequer uma palavra sobre as câmaras de gás alemãs em suas biografias que, somadas, dão mais de 7 mil páginas. Acharam irrelevante?

Enfim, apesar de tantas nebulosidades acerca da historiografia 'holocáustica' e de haver centenas de coisas muito mais prementes para serem resolvidas modernamente, temos que aturar novamente cargas emocionais provindas dessas tantas testemunhas e registros 'oficiais'. No dia em que houver liberdade para se investigar e debater a fundo a 2ª Guerra e o holocausto, estou certo de que todas essas homenagens serão substituídas por novos julgamentos e a reescrita da História.

Bom, ao menos, sonhar é permitido e grátis.
FAB29.

14 comentários:

  1. Hoje, 27 de Janeiro, é o Dia Internacional de Comemoração em Memória das Vítimas do Holocausto . A data foi escolhida por ser o dia da libertação de Auschwitz pelo Exercito Russo - e este ano se completam 70 anos deste fato.

    Apesar dos revisionistas e neonazistas ficarem tentando negar e relativizar tudo o que aconteceu, estão aí os documentos, fotos, filmes, sobreviventes judeus da guerra que ainda estão vivos, sobreviventes que ja morreram mas deixaram seus depoimentos gravados, depoimentos dos proprios alemães que participaram (soldados, oficiais), depoimentos da população europeia nao judia que testemunhou os fatos. E as instalações, muitas ainda intactas, dos campos de concentração e de exterminio na Polonia.

    Enfim, a palavra é NUNCA MAIS ! Por isso, não deixamos esquecer o que passou, informando e mostrando para as novas gerações tudo o que aconteceu - alem de todos (no brasil e no mundo) que conviveram com seus pais e avós que sobreviveram ao holocausto ou que fugiram logo antes da coisa feder.

    NUNCA MAIS !

    Shalom, Salam, Paz !

    PAULISTANO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depoimentos, testemunhas, histórias, lembranças,... Muito tocantes!

      Mas provas forenses para acabar com todas as dúvidas é coisa de neonazista? Você reza bem a cantilena sionista. Deve ser bem querido por lá.

      Excluir
  2. Nao entendi...." cantilena sionista" ? Como assim ? " querido por la " ? La aonde ?

    Sou brasileiro, meu avós paternos fugiram da Polonia e Lituania em 1938, e o avô da minha esposa é sobrevivente, passou por campo de concentração , perdeu pais e irmaos no Holocausto, e tinha numero gravado no braço. Faleceu 9 anos atras.

    Mas com certeza, tudo o que eles contaram e passaram é mentira, né....

    Abraços

    PAULISTANO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É dessa cantilena que falo. Paulistano. Eu nunca questiono os sofrimentos legítimos que aconteceram na guerra em todos os lados.

      Este post e dezenas de outros neste assunto por aqui questionam pontos impossíveis e/ou absurdos da historiografia do holocausto, pontos esses que você olimpicamente ignora, ou por ignorância ou coisa pior.

      Há vários links no post. Óbvio que você não se deu ao trabalho de olhá-los e muito menos considerar as dúvidas expostas no presente post.

      É com essas atitudes que os sionistas contam. Mas tudo que eles contam é verdade, né?...

      Excluir

  3. Era mais seguro estar num campo de concentração alemão do que em um apartamento em Berlin, num hospital em Dresden, numa escola de Hamburgo ou num simples passeio em qualquer rua da Alemanha...

    80% das cidades alemãs com mais de cem mil habitantes foram varridas do mapa pelos bombardeios aliados... Grosso modo, isso significa que 80% da Alemanha foi reduzida a escombros, seus tesouros arquitetônicos inestimáveis roubados da apreciação das gerações futuras.

    A infraestrutura e o tratamento oferecido aos prisioneiros de guerra inimigos nos campos de concentração alemães foi exemplar. Inimigos do estado, traidores, agitadores, toda escumalha, causa da febre crônica social alemã, recebeu abrigo, alimento e TRABALHO. Por este último talvez odiassem os campos.

    E se alguém ainda insistir na tecla da propaganda dos "campos de extermínio", deveria dar uma "googada" nos campos de concentração aliados, e fazer uma comparação com os alemães.

    https://www.youtube.com/watch?v=gzemT14n3eI




    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem contar projetos em todas as áreas e tecnologias superavançadas das quais os "nobres" aliados tomaram posse como "espólio de guerra".

      Preciso relembrar o sistemático estupro das mulheres alemãs pós-guerra?

      Excluir
  4. Além da polêmica em relação as provas forenses há a postura de não admitir os méritos dos acertos dos nazistas em todos os aspectos assim como se nega que a politica judaica internacional tenha influência na guerra e no pós guerra também.

    Tem um texto que o camarada FAB29 já leu mas gostaria de indicar para o camarada paulistano ler:

    http://nazismo-verdades-e-mentiras.blogspot.com.br/2014/02/batalha-sionista-na-internet-para.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu amigo Tannhauser.
      O paulistano nem se deu ao trabalho de questionar as dúvidas do post ou dos links nele. Apenas e tão somente repetiu a cantilena sionista de 'afirmacionismo', vitimismo e auto-adoração.

      Mas vamos lá! Quem sabe, algo estala na cabeça dele e...
      Abraço.

      Excluir
  5. Ontem, os principais Chefes de Estado da Europa (ou representantes dos paises) estiveram em Auschwitz , na cerimonia relembrando a libertacao e relembrando o holocausto. Estavam presentes por exemplo os lideres da Franca, Alemanha, Austria, Polonia. E estiveram presentes 300 sobreviventes do Holocausto.

    No Brasil, prefeitos e governadores, e inclusive a presidente, estiveram em homenagens, ou entao deram declaracoes, a respeito desta data (inclusive o Papa deu uma declaracao) , e a respeito da morte de milhoes de judeus no Holocausto .

    Palavras da presidente :

    " Neste dia em que se celebra o Dia Internacional em Memória às Vítimas do Holocausto, somo-me a todos que, pelo mundo afora, rendem homenagens aos seis milhões de judeus vitimados por um dos mais trágicos episódios da história do século XX, o Holocausto. Relembrar os horrores do Holocausto é necessário para que eles jamais sejam esquecidos, para que jamais se repitam."

    Lembrando que uns 4 ou 5 anos atras, estiveram numa mesma cerimonia nesta data em Sao Paulo , FHC, LULA, DILMA, SERRA, ALCKMIN, e o ARCEBISPO DE SAO PAULO.
    _____________________________

    Quanto as duvidas do post ou em relacao aos links, eh o velho discurso revisionista : se aparece alguma inconsistencia ou duvida em um relato ou livro ou testemunho (e isso acontece sim eventualmente ) , entao isso significa que o relato nao tem valor, e a testemunha nao tem valor, e todas as outras milhares de testemunhas e relatos entao tambem nao tem valor. E entao o holocasto judeu nao aconteceu.

    De resto, nada muito novo por aqui : " vitimismo" , " meritos dos acertos dos nazistas em todos os aspectos" , " politica judaica internacional" , " judaismo internacional" , " tratamento exemplar e instalacoes exemplares nos campos de concentracao ", " campos de concentracao tinham piscinas, teatro, aulas de arte, cinema, etc " , " provas forenses" , " povo alemao a maior vitima"

    O discurso desses frustrados e invejosos e mentirosos deve atingir alguns gatos pingados, tambem frustrados e invejosos.

    Mas a vida segue .

    NUNCA MAIS !!

    SHALOM ! PAZ !

    PAULISTANO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. " se aparece alguma (?) inconsistencia ou duvida em um relato ou livro ou testemunho (e isso acontece sim eventualmente (??) )"

      A cantilena também segue. Mundialmente.

      Excluir
    2. Paulistano

      Quero apenas citar a seguinte observação, feita pelo escritor Israelense Boas Evron, no livro "A Industria do Holocausto", de Norman G. Finkelstein:
      "O Holocausto é atualmente uma doutrina oficial de propaganda, um martelar de slogans e uma falsa visão do mundo, cujo objetivo real não é entender o passado, mas manipular o presente"

      Excluir
    3. Criando ao redor do povo judeu uma aura de bondade, serenidade compreensão, amizade, pluralismo, vitimismo, enfim, intocabilidade.

      Como se os defeitos deles fossem melhores que as qualidades dos outros.

      Excluir
    4. Inclusive essa citação do Boas Evron está no final do artigo que deixei o link.

      Quer dizer o que a presença de figuras importantes lembrando sobre o Holocausto?

      Se fosse mesmo para ter preocupação com vítimas, e mesmo se o Holocausto fosse o que dizem o holocausto estaria muito atrás na fila de espera para lembrar os horrores das guerras. Começando pelas vítimas do bolchevismo judaico na Rússia e na Ucrânia.

      Se não fazem isso já perde-se toda credibilidade, pois lembrar isso mostra o comunismo como ferramenta da revolução mundial... conforme o próprio lema marxista e lenista, revolução encabeçada por judeus em sua maioria.

      E ninguém faz então lembrança para mostrar que o nazismo foi a vanguarda do combate ao comunismo? Que antes do nazismo existir já passara com sobras das cifras de um milhão de mortes!

      Excluir

  6. "Vocês alemães estiveram tecnologicamente um século e espiritualmente um milênio à nossa frente".

    Richard Evelin Byrd, almirante da Marinha americana.

    "(...) a nossa frente", leia-se "à frente dos aliados".

    ResponderExcluir