Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Salve a libertè de التعبير !!

Amigos e amigas.
Os últimos nebulosos e falsificados acontecimentos ocorridos em Paris com a revista Charlie Hebdo acenderam a controvérsia sobre a liberdade de expressão. Neste momento de revolta mundial cevada, induzida e conduzida pelos parasitas que regem a humanidade, quase todos se horrorizam com o terrorismo, se compadecem com as famílias das "vítimas", repudiam a covardia dos "muçulmanos assassinos", tudo para salvaguardar o direito à liberdade de expressão, defendendo (ao menos neste momento) que ele não pode ser restringido. Ah, é?! Será mesmo?!

Vejamos o quanto estamos livres para saber a verdade: procurei por imagens internas da Charlie com as marcas dos tiros, sangue, etc, mas é tão sigiloso que só encontrei estas:
Bem pouco sangue para tiros de kalashnikov
O que estaria digitalizado? Um corpo? E algum sangue só no chão?
Um cartucho de kalashnikov faz só esse furinho?!
Abaixo, o frame do vídeo do momento do "impacto da bala" no policial:
Terrorista atira em policial desarmado em calçada de Paris! Seria tudo isso uma encenação?
Momento do tiro: tem poeira...
Killing: Leaving the 42-year-old married officer to die, they run off, sparking a massive manhunt which was continuing last night 
... mas, nenhum sangue, nem movimento brusco da cabeça?
 Confira de novo o vídeo do "assassinato":

E aqui, "provas" de que "houve sangue, sim" na calçada:
Note a poça de sangue no local do assassinato! (foto: Reprodução/Twitter)
A "grande poça (?) de sangue" do policial "morto".
À altura das coxas?
Não espirrou nem um pouquinho?!

E por que uma foto de tão longe?
Porém, alguns "espessialistas" afirmam que "a maior parte do sangue foi contida pela roupa do policial" (???) Mas como, se o vídeo e a poeira mostram que o atirador mirou na cabeça? Também disseram que "esse tipo de fuzil não exerce muito impacto no atirador". Nem onde o tiro acerta? Então, eu convido esses "espessialistas" a levarem um simples soco, que é "ligeiramente" mais suave um tiro de kalashnikov. Vamos ver o quanto eles moverão suas cabeças?

Para solapar de vez suas dúvidas quanto ao grotesco fake, confiram:
http://stormcloudsgathering.com/charlie-hebdo-shootings-censored-video

Mais um detalhe: há uns 8 anos, um cartunista da "livre e pluralista" Charlie Hebdo, Maurice Sinet, foi demitido sem justa causa; apenas por ironizar, bem ao estilo da revista, o então presidente Sarkozy. Vejam a história resumida:
"Seus artigo e cartoons na revista Charlie Hebdo, relativos ao casamento de Jean Sarkozy com Jessica Sebaoun- Darty, uma herdeira judia, desencadeou uma controvérsia, depois do jornalista Claude Askolovitch descrevê-los como anti-semitas. O editor da revista, Philippe Val, ordenou que Sinet escrevesse uma carta de desculpas ou encararia a demissão. O cartunista disse que preferia "cortar suas bolas fora" e foi prontamente demitido. Os dois lados posteriormente ajuizaram ações, e em dezembro de 2010, Sinet ganhou 40.000 euros de indenização na sentença judicial contra seu ex-editor por demissão injusta.
Maurice Sinet também relatou uma ameaça de morte postada em um site gerido pela Liga de Defesa Judaica . O texto disse que "20 centímetros de aço inoxidável no intestino, que deve ensinar o filho da puta a parar e pensar".
Traduzido daqui.

Pelo jeito, liberdade só para sacanear o Islã e o Cristianismo:
"Maomé: uma estrela está nascendo!"
Eu "se recuso" a comentar este cartun asqueroso!...
Poderia citar uma infinidade de abusos e covardias perpetradas por todos esses "democráticos" países que ora defendem intransigentemente a liberdade de expressão contra milhares de pessoas que ousaram criticar os "incriticáveis", mas só quero concluir dizendo: liberdade de expressão, sim e sempre para tudo e todos! Porém, ofensa gratuita, desrespeito grotesco e parcialidade nefasta não fazem parte dela. Todos os que se arvoram na liberdade de expressão para insistentemente fazer essas coisas são pessoas imorais, amaldiçoadas, que se expõem a outros da mesma estirpe. Eles que se entendam. Desprezo totalmente ambos os lados!

Só fico pensando o que será dos crédulos quando comprovarem que muito do que a mídia está lhes vendendo como terrorismo e tudo o mais não passa de armação dos parasitas do mundo. Talvez, usarão sua liberdade de expressão para... não dizer nada, como sempre.

FAB29

4 comentários:

  1. Sempre aparecem teorias de conspiração.

    Então voce acha que não houve o atentado no jornal ? Os jornalistas e funcionarios nao morreram ? O jornalista judeu Wolinski nao foi morto ? O policial nao morreu ?

    E no supermercado, aquelas 4 pessoas judias (funcionario e clientes) nao foram mortas ?

    Os acontecimentos foram mesmo " falsificados" ?

    FERNANDA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Atente-se, Fernanda, para a especificação do post: um tiro de um AK-47 que não dá nenhum tranco onde acerta e não espirra sangue. Não lhe parece estranho?

      Mais estranheza: na outra foto (da "poça"), você reparou que o "sangue do policial" está onde estavam seus JOELHOS? No vídeo, o "tiro" pegou perto da cabeça. Reveja-o.

      Isto foi falsificado, mas sinta-se livre para crer nas "explicações". Eu não consigo. Lamento se minha frieza sobre alguns fatos no mínimo bizarros nessa torrente de emoções a horrorize.

      Excluir
  2. Fab29 , não estou horrorizada com o que vc disse . Apenas gostaria de entender melhor .

    E você acabou não respondendo : você acha que essas pessoas não foram mortas ?

    FERNANDA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernanda, o policial não morreu pelo "tiro", como vemos claramente no vídeo. Até mesmo a foto com a "poça de sangue que comprova tudo" é questionável: Por que ela foi feita de tão longe quando era possível se aproximar uns três ou quatro passos, mais um zoom?

      Quanto às outras mortes, meu post não as questiona (se bem que não me surpreenderia se descobrissem uma armação qualquer em tudo isso); apenas a quantidade pífia de informações sobre o interior da Charlie: só DUAS fotos? Se tiver mais, por favor, me passe o link.

      Por que tamanha omissão de provas factuais de um acontecimento tão grandiloquente? Dizerem que "as cenas são fortes" ou "em respeito às vítimas e seus familiares", blá-blá-blá, só convence os alienados, omissos e similares.

      Note bem: não quero fotos das vítimas sangrando, arrebentadas, "Cidade Alerta" puro! Quero detalhes forenses do ambiente e tudo o mais neste quesito para poder analisar, avaliar e opinar livremente. O que a grande podre e vendida mídia nos passa já pronto com pompa e circunstância, eu execro! Não confio nem uma vírgula nela.

      Excluir