Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


sexta-feira, 6 de março de 2015

Traidor da humanidade!

Amigos e amigas.
Segue abaixo a introdução de um sítio racista, comandado pelo judeu Noel Ignatiev, que tem como premissa e objetivo exterminar a raça branca, que ele considera ser o vetor de todos os males da humanidade. Sublinhados e colchetes são meus:
Resultado de imagem para Noel Ignatiev
"Professor" Noel Ignatiev
Em que acreditamos

A raça branca é uma formação social historicamente construída. É constituída por todos aqueles que participam dos privilégios da pele branca nesta sociedade. Seus membros mais miseráveis ​​compartilham um status mais elevado, em certos aspectos, do que a das pessoas mais destacadas excluídas dela, em troca de que eles deem o seu apoio a um sistema que os degrada.[Quem degrada o quê, cara-pálida?!]

A chave para resolver os problemas sociais de nossa época é abolir a raça branca, o que significa, nada mais, nada menos do que a abolição dos privilégios da pele branca [e transferi-los para ele e sua súcia, certo?]. Até essa tarefa ser realizada, mesmo a reforma parcial vai se provar ilusória, porque a influência branca permeia cada questão, nacional e estrangeira, na sociedade norte-americana.

A existência da raça branca depende da vontade dos atribuídos a ela colocar seus interesses raciais acima da classe, gênero ou de quaisquer outros interesses que são precípuos. A deserção de um número suficiente de seus membros [vendidos para isso não faltam!] irá torná-la insegura como um preditor de comportamento que levará ao seu colapso.

'RACE TRAITOR' visa servir como um centro intelectual para aqueles que pretendem abolir a raça branca. Ele irá incentivar a dissensão da conformidade que a mantém e popularizar exemplos de deserção das suas fileiras, analisar as forças que a mantém unida e aqueles que prometem acabar com isso. Parte de sua tarefa será a de promover o debate entre os abolicionistas. Quando possível, apoiará medidas práticas, orientadas pelo princípio: "Traição contra a raça branca é lealdade à humanidade".

Fonte: http://racetraitor.org/

Esse parasita e sua súcia se locupletaram com todas as benesses sociais e tecnológicas criadas pela raça branca durante os milênios da História (e continuam a sugar) e, como "agradecimento", criam essa metástase de sua imoralidade e podridão, objetivando destruir a oposição branca aos seus sonhos de dominação e supremacia, visto que os brancos são os únicos verdadeiramente capacitados a derrotá-los. Daí, quando recebem o troco, gritam serem vítimas de preconceito.

Tal sordidez cancerígena precisa ser exposta a todos o tempo todo e, principalmente, precisa ser combatida e obliterada. Tal ser abjeto et caterva são os paus-mandados dos grandes corruptores, reais inimigos da humanidade. Acordemos o quanto antes!

FAB29

24 comentários:

  1. Esse diabólico parasita não recebe muita popularidade nem advertência, nem críticas, nem repúdio da mídia nem dos direitos humanos! Mas imaginem alguém fizesse o mesmo em relação aos judeus, sugerindo abolir os judeus?

    Isso mostra o quão letárgico está o mundo ao permitir sem censura que esse verme prossiga excretando sua gosma venenosa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tal silêncio (imposto pelos interessados e aceito pelos comodistas e alienados) só pode ser combatido com a extensa e intensa exposição de sua sordidez, maledicência e podridão.

      E, obviamente, com atitudes práticas, como repulsa (pra começar).

      Excluir
  2. Bom dia senhor Fabiano,

    muito agradecido pelo seu esforço e insistência em trazer a público a metátese que esta a infestar o tecido social das nações ocidentais. Muito bem colocado, quem representariam a tal metátese e de qual casa tais fazem parte, já identificados, os de sempre, os "escolhidos". Parafraseando, escolhidos "por quem cara pálida". Os povos europeus definam parece que aceleradamente. Tenho que merecíamos muitas, mas muitas mais movimentos "PEGIDA", a semelhança do movimento alemão, porém, muito mais encorpado.
    Meu abraço senhor Fabiano.
    Clovis Eichler

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exposição, sempre, caro Clovis. Só quando nos tornamos conscientes de uma situação é que podemos opinar, fazer juízo, criticar, julgar, etc.

      Por isso é que os grandes corruptores odeiam os holofotes.
      Abraço.

      Excluir
  3. Prezados,
    Visito alguns blogs em que me posiciono contra a discriminação de qualquer povo ou raça.
    Existem pessoas desprezíveis, como este judeu Noel Ignatiev, que não tem relevância ou representatividade social alguma.
    Existem pessoas igualmente desprezíveis que são cristãs, muçulmanas, japonesas, chinesas e em qualquer grupo racial ou sócio-político.
    Mas não se pode extrapolar uma opinião pessoal para milhares de pessoas, pois como o Tannhauser acima disse anteriormente,"Esse boçal do Noel Ignatiev parece que nem credenciais acadêmicas básicas possui... teria recebido elas..." - no que eu concordo.
    Vejam, no entanto, a "indignação" do Tannhauser, :
    - Mas imaginem alguém fizesse o mesmo em relação aos judeus, sugerindo abolir os judeus?
    Não precisa imaginar, veja o que seu colega Clovis Eichler disse em post anterior :"podemos afirmar que ao extinguir a besta judaica, isso sim, é defender a humanidade"
    E agora, Tannhauser, vai criticar o Clóvis ?
    Duvido...
    A capacidade humana para destilar e justificar o ódio nunca deixa de me surpreender.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se formos pensar quem foi mais decisivo no progresso da humanidade no decorrer da História, nem o ignóbil Ignatiev pode negar que foram os brancos, como deixei claro na parte final do meu post.

      Também não penso em exterminar raça, povo ou etnia qualquer que seja. Apenas os corruptores e corruptos de todos os níveis, nacionalidades, classe social, etc. Esse degenerado que joga fora o que tem de melhor quando vai ao banheiro está nesse rol.

      Excluir
    2. Não houve repercussões o que Ignatiev afirmou, enquanto que ao questionar a coesão judaica na política internacional, algo palpável, a crítica da mídia se mobiliza totalmente.

      Se puder passar alguns links de críticas da grande mídia eu agradeço, mas acho difícil, pois nem foi para grande mídia as afirmações do verme Ignatiev! É isso...

      Excluir
  4. Só para completar, este primor de ser humano que parece ser o Sr Clóvis Eichler, não só pretende "extinguir a besta judaica", mas também apoia os movimentos islamofóbicos, como o Pegida - só que aí a briga é bem maior, pois os muçulmanos são um grupo populacional extremamente numeroso.

    ResponderExcluir
  5. Prezado FAB29,
    Concordo com todas as suas considerações.
    Apenas filosofando, sonho com o dia em que a classificação do ser humano em raças, ideologias e religiões não determine conflitos.
    Tenho a utopia de que as pessoas serão apreciadas em quatro simples critérios:
    1- pessoas boas = não prejudicam outras pessoas.
    2- pessoas muito boas = não prejudicam e ajudam outras pessoas
    3 e 4 pessoas más e muito más, o contrário das pessoas boas.
    E que todos vivam de acordo com seu potencial = meritocracia.
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E que as boas e muito boas recebam o que merecem, as más e muito más paguem pelo que fizerem e os parasitas sejam devidamente obliterados.

      Abraço, caro Soldado.

      Excluir
    2. Bom dia senhor Fabiano,

      os conceitos de "humanidade" se moldam conforme conveniências bem particulares. É uma questão de geografia. Se não vejamos senhores:

      - A (suposta) contribuição do prof Noel Ignatiev para o progresso da humanidade,
      - A suposta contribuição do humanista Israel Cohen,
      - Do também, suposto humanista, Theodore N. Kaufman,
      - Da declaração, também, humanista, da deputada judia Ayelet Shaked,
      - Em post do autor deste sitio, datado de 03/fevereiro/2015 acerca das recomendações contidas no famigerado talmud.

      A lista não cessa por aqui, como de conhecimento até do mundo mineral.

      Como pode, certo comentarista que se oculta em pseudônimos, não haver visto e não fazer qualquer comentário acerca disso, e mais dar entender ser normal.

      Isso seria ser normal?

      Abraços

      Clovis Eichler

      Excluir
    3. Bom dia, Sr. Clovis.
      De tudo isso já exposto há tempos por aqui e tantos outros lugares é que nunca deixarei de afirmar que parasitas são uma praga (quase) inútil.

      Sua única serventia é, ao nos vermos acossados por eles, não permitir que nada se acomode, transformando-se numa pasmaceira incapaz de se renovar, evoluir e atingir níveis cada vez mais refinados e poderosos.

      Ou seja, desafios são 100% necessários e o que mais me exaspera é ver os comodistas (parasitas "light") deixarem o trabalho e soluções aos abnegados e desejosos de melhorias e bem estar.

      Desprezo-os e execro-os.
      Abraço.

      Excluir
  6. Sr. Clovis Eichler
    Sua resposta confirma o que penso do senhor.
    Pinçou 04 nomes de judeus, os quais também desprezo e que,
    todos, inclusive o senhor, sabem que em nada contribuíram para a humanidade.
    Aliás, talvez o Sr não tenha lido o que escrevi acima sobre minha repulsa quanto ao
    Noel Ignatiev (que descrevi como desprezível).
    Por quê não menciona os 25% dos judeus ganhadores do prêmio nobel ?
    Eu até sei o que gente como o Sr irá dizer, "nenhum deles mereceu" , "foi tudo comprado" , "eles roubaram as idéias dos outros" - por favor, poupe sua energia e não subestime a minha inteligência ou a dos outros leitores.
    Por quê não canaliza seu ódio apenas para as pessoas que merecem ?
    O senhor utiliza exemplos pontuais para generalizar conceitos.
    Falo dos judeus , que parecem ser o alvo principal do seu preconceito,
    mas estas considerações valem também para os negros, amarelos, etc.
    Toda raça tem pessoas boas e más.
    Inclusive a raça branca, a qual me incluo (e também a maioria dos judeus, que por serem judeus não deixaram de ser majoritariamente brancos).
    Eu entendo que combater pontualmente indivíduos é muito mais difícil que fazer generalizações sobre raças. Exige mais esforço conhecer e provar sobre as ações de pessoas.
    Para difamar uma raça, basta fazer como o Sr faz, pinçar 04 ou que fosse 20 nomes, e dizer que toda uma raça é má e que devemos combatê-la e exterminá-la.
    É óbvio que nenhuma argumentação irá mudar a pessoa que o senhor se tornou.
    Escrevo não para lhe convencer, mas para que alguém que leia este blog, tenha um
    contraponto de idéias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo que há muitos casos de generalizações sem procedência, mas há muitos outros casos que a generalização tem, infelizmente, procedência.

      Esse é um caso:

      http://nazismo-verdades-e-mentiras.blogspot.com.br/2015/01/a-alemanha-pos-primeira-guerra-mundial_27.html

      Excluir
  7. Sr Tannhauser,
    Por isso existe a palavra preconceito, de juízo pré-concebido, que se manifesta numa atitude discriminatória, perante pessoas, crenças, sentimentos e tendências de comportamento.É uma ideia formada antecipadamente e que não tem fundamento sério.
    Vamos falar só do Brasil.
    Procurem mil judeus aleatoriamente em cada grande cidade, como São paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre.
    Verifiquem seus antecedentes e suas atividades, bem como de suas crianças.
    Provem que pelo menos 51% são pessoas de má índole, com atitudes condenáveis.
    Com certeza , a proporção de boas e más pessoas estará na média de outros grupos populacionais.
    Lembrando que não tenho procuração para defender os judeus, mas abomino qualquer tipo de discriminação.
    Se alguém não gosta de judeus, negros, muçulmanos ou qualquer outro grupo populacional é seu direito ter este preconceito.
    Já a atitude prática de discriminar, não.
    Uma atitude discriminatória resulta na destruição ou comprometimento dos direitos fundamentais do ser humano, prejudicando um indivíduo no seu contexto social, cultural, político ou econômico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só um rápido pitaco, caro Soldado.
      Político é algo transitório, que precisa se reeleger ou sai em quatro anos (oito, no caso de senador). São eles que determinam os rumos do país (progresso, estagnação ou retrocesso). Eles vêm do povo e quase todos se corrompem quando chegam ao poder.

      Acredito ser esse o X da questão: PODER. Afinal, "o poder corrompe; o poder absoluto corrompe absolutamente". Se queremos conhecer alguém, basta darmos a ele o poder.

      No caso judaico/sionista/talmudista/cabalista, o poder que eles açambarcam os tornam um gerador de N iniquidades, cujo intuito é o de se eternizarem lá.

      Em suma: não condeno o povo judeu, mas sua cúpula é o que enoja. Como qualquer outra, mas proporcional ao poder que detém.

      Excluir
    2. Mas no caso do artigo que referenciei a constatação não é preconceito no sentido comum e sim apuração dos fatos, e o rótulo serviu para ois judeus como deturpadores dos padrões alemães mesmo não sendo nem 1%. Então deve-se evitar a rotulação de preconceito, pois muitas vezes trata-se de constatação dos fatos mesmo e que devem ser propagados para contrabalancear a vitimização judaica, como no caso do artigo que referenciei. Há outro artigo ainda no mesmo sentido:

      http://nazismo-verdades-e-mentiras.blogspot.com.br/2014/11/o-komintern-em-acao-por-stephane_2.html

      Excluir
  8. Prezado Fab29,
    Sua posição de não condenar o povo judeu, mas sim a sua cúpula,
    certamente não é compartilhada por Tannhauser, Clóvis e companhia
    felizmente muito, muito limitada.
    Brincadeiras à parte, não aguento mais ler e falar de judeus.
    Entendi seu ponto de vista, mas a la Voltaire, não concordo com ele.
    Se a cúpula judaica tem tanta força por centenas de anos, são de uma
    tal Incompetência , que sequer conseguem se defender com eficiência.
    Deveriam ser tão articulados e capazes, que os seus resultados seriam muito diferentes.
    Outra hipótese, é que eles, seres “malignos” por natureza, querem apenas destruir o mundo, mesmo às custas de suas próprias vidas. Mesmo neste caso, e lendo em seu blog e reportagens afins sobre a suposta organização deles, qualquer observador mais atento verifica que eles perderam e desprezaram chances imperdíveis de triunfar – podemos conversar sobre isto em outra oportunidade.
    Reestudamos com a atenção merecida vários novos argumentos, mas não os consideramos críveis.
    Seu blog tem muitos assuntos interessantes,com os quais terei prazer
    em conversar com você.
    Saudações

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não considerar crível o meu argumento não é resposta é apenas fuga, pois não se trata de argumento e sim de exposição nominal endossada por judeus ou filo judeus, é questão de admitir cada ponto do artigo ou REFUTAR CADA PONTO DO ARTIGO, pois se admitir cada ponto do artigo cada vez mais e mais fica colocado á luz a coesão judaica internacional de significante parte da comunidade judaica.

      A ideia é essa tratar cada assunto ponto a ponto e somar as constatações coadunadas e com a admissão dos filo judeus e judeus também de modo que estes admitam o que se afirma após exame.

      Como se fala agora cada vez mais e mais: "Quem tem medo do debate?"

      Excluir
    2. Caro Soldado.
      O poder que o sionismo detém não é imensurável, nem imbatível. Porém, é de impor medo. Eles se defendem, sim, com eficiência tal que faz com que grande parte da humanidade os proteja, obedeça, se apiede ou mesmo lute por eles.

      Só não tomaram conta de tudo ainda porque seus primos semitas não gostam nem um pouco deles e são em enorme número. Além do quê, as variáveis para conseguirem seu intento são tantas e tão cruentas que tenho dúvidas se conseguirão. Uma possibilidade deles terem sucesso é reduzir a humanidade a um terço da atual.

      Enfim, são parasitas supremacistas. Só desejam que seu hospedeiro (a humanidade) os aceite, nutra e realizem todos seus desejos. Não destruí-lo.

      Grasse à vontade pelo blog. Será muito bom o diálogo.
      Abraço.

      Excluir
  9. Sr Tannhauser,
    Não pretendia voltar ao tema , mas...
    Se o artigo a que o senhor se refere é este:
    http://nazismo-verdades-e-mentiras.blogspot.com.br/2014/11/o-komintern-em-acao-por-stephane_2.html
    En passant, já percebi que contém falácias e clichês primários.
    Como todos nós, também trabalho, assim,em aproximadamente uma semana, responderei a este artigo, com referências.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aguardo sua visita lá, e que mostre a falácia dos autores acadêmicos citados então, porque até agora só vi achismos, enrolação, ausência de explicações e promessas, como a sua!

      Excluir
  10. "En passant, já percebi que contém falácias e clichês primários.
    Como todos nós, também trabalho, assim,em aproximadamente uma semana, responderei a este artigo, com referências."

    Aguardo sua visita lá para conversarmos sobre o tópico! Até agora só fuga do assunto e evasão de analisar profundamente a questão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se (ou quando) começar o debate, me dê um toque, sim?
      Assistirei (ou quiçá, participarei) de bom grado.

      Excluir