Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


quarta-feira, 20 de maio de 2015

Sobre Hitler - Parte I

Amigos e amigas.
Pesquisei um bocado de opiniões acerca da mais controversa personalidade da História. Paralelamente às opiniões impostas pela propaganda sionista desde sempre na oligofrenia coletiva, é surpreendente o tanto de outras que veem o "grande ditador alemão eleito duas vezes pelo povo" de forma quase impecável.
Confiram algumas dessas opiniões de pessoas e veículos imparciais.
FAB29

Harold Sidney Harmsworth, 1st Viscount Rothermere
Até 1933, Visconde Rothermere foi diretor do Ministério britânico para Informação; ele representava alguns dos mais poderosos editores do mundo e após 1945, fazia parte da diretoria da Reuters. Portanto, Rothermere não tinha motivo algum para proferir qualquer elogio a favor de Adolf Hitler e com isso advogar contra si próprio. E a vista disso, sua avaliação sobre Hitler foi positiva e ele destacou o desejo de Hitler pela paz:

“Na Inglaterra, muitas pessoas imaginam Hitler como um canibal. Por isso, eu quero esclarecer como eu o avalio. Ele incorpora a boa camaradagem. Ele é modesto, natural e claramente sério. Não é verdade que, em um encontro individual, ele conversa da mesma forma como discursa para um grande público.

Ele possui uma inteligência altíssima. Eu conheço apenas dois homens com os quais poderia fazer uma comparação: Lord Northcliffe e Lloyd George. Quando alguém pergunta alguma coisa a Hitler, imediatamente este recebe uma resposta clara e brilhante. Não existe qualquer pessoa viva neste mundo, cujas promessas em relação aos grandes acontecimentos eu dispensaria mais credibilidade do que na palavra de Adolf Hitler. Ele acredita que o povo alemão foi incumbido de uma missão divina e que a ele foi determinado proteger a Europa do ataque revolucionário do comunismo. Ele coloca no mais alto pedestal o valor da família, enquanto o comunismo é seu maior inimigo. Ele restabelece os saudáveis preceitos morais e os bons costumes na Alemanha. Ele proíbe livros com conteúdos obscenos, assim como representações discutíveis sobre o palco e em filmes.

Eu conversei com Hitler há um ano e meio, quando eu lhe disse que determinados círculos sociais ingleses o denominavam um aventureiro. Sua resposta foi: aventureiros foram aqueles que construíram o império britânico.
Nenhuma palavra pode descrever seus bons modos; tanto para homens e mulheres, ele está da mesma forma desarmado e conquista ambos os gêneros com seu sorriso conciliador e amigável. Ele é um homem de uma cultura rara. Seu conhecimento em relação à música, arte e arquitetura é completo.
Muitos podem imaginar apenas com muita dificuldade tal homem, que ao mesmo tempo é capaz de tratar com firmeza os mais diversos assuntos.
Caso fossem fazer uma pesquisa de opinião sobre quem teria sido o maior político da história britânica, Cromwell estaria disparado bem no topo da lista. Mas também Cromwell foi um homem de grande determinação e se serviu de métodos e medidas inescrupulosas.” [V. Rothermere, “Warnings and Predictions”, Pág. 180-183]


A política de Hitler baseava-se na conquista de seus objetivos políticos sem derramamento de sangue. Ele conseguiu conquistar a mais alta posição política na Alemanha, um país com 68 milhões de habitantes, sem um considerável derramamento de sangue ou sacrifício de vidas humanas. A Áustria foi anexada sem que um único tiro tenha sido disparado. Na Palestina, nos últimos cinco anos, mais pessoas foram mortas nos distúrbios do que na Alemanha desde a tomada de poder por Hitler.” (Daily Mail – 20/05/1938)


Emrys Hughes
“Quinze anos depois (do término da guerra contra a Alemanha), o ‘cabo e pintor’ conseguiu colocar a Alemanha novamente na posição mais poderosa da Europa. Ele não apenas conseguiu conquistar essa posição para seu país, mas também conseguiu tirar de cena os resultados da Grande Guerra [...] Os vencidos tornaram-se vencedores e os vencedores, os vencidos. [...] Seja como for o pensamento de cada um sobre estas proezas, elas pertencem certamente às mais surpreendentes de toda a história mundial.


As conquistas de Hitler, as quais são responsáveis por as coisas terem se voltado contra os satisfeitos, inúteis e meios-cegos vencedores, merecem ser reconhecidas como maravilhas da história mundial. E estas maravilhas não podem ser separadas do esforço pessoal de um único homem. [...] Toda pessoa que ficou frente a frente com Hitler, seja em público, em seu local de trabalho ou em eventos sociais, estiveram confrontados com um ser humano extremamente competente, tranquilo e bem informado, com modos agradáveis e um sorriso que desarmava as pessoas. E muito poucos permaneceram intocados pelo seu penetrante magnetismo pessoal. Não se deve acreditar que essas impressões derivam da fachada do poder. Estas características deixaram seu efeito em todos os adversários durante a conquista do poder. Mesmo então quando sua sorte esteve soterrada. [...] Pode-se reprovar o sistema de Hitler, mas é inevitável não admirar seu desempenho patriótico. Caso nosso país venha a ser vencido, então eu espero que apareça um salvador deste mesmo calibre, que nos devolva novamente a coragem e nosso lugar perante as nações.

Em nossa liderança, não deve faltar o espírito do cabo austríaco que, quando tudo ao seu redor estava em ruínas e parecia que a Alemanha estaria afundada no caos para sempre, não hesitou a marchar avante. Ele marchou contra o tremendo despotismo das potências vencedoras e hoje alterou as coisas contra elas de forma decisiva. 
[Winston Churchill, citado por Emrys Hughes, “Churchill – British Bulldog – His Carrer in War and Peace”, Página 140, 141, 144, 167]



Judeus Fiéis à Torah
Para os judeus seguidores e fiéis à Torá, Adolf Hitler foi um enviado (anjo) de Deus que devia punir os judeus por seus pecados:

“É de conhecimento geral que todos os sábios e santos da Europa da época de Hitler explicavam sua subida ao poder, que se tratava de uma mensagem da ira de Deus, que ele foi enviado para conduzir os judeus, devido ao desvio da fé por parte dos sionistas, até a prometida redenção messiânica.” [http://jewsnotzionists.org/tenquestions.htm]


“Com esta política de exílio ateísta, eles (os sionistas) provocaram o aumento do antissemitismo na Europa, que foi o estopim para a 2ª Guerra Mundial (…) O boicote mundial contra a Alemanha em 1933 e a posterior declaração de guerra contra a Alemanha foram iniciadas pelos líderes sionistas e pelo Congresso Mundial Judaico…” Rabino Schwartz, dos Judeus Fiéis à Torah, New York Times, 30/09/1997.

19 comentários:

  1. Prezado Fab29

    Hitler era um ditador. Dos mais impiedosos que existiram.
    Não admitia contestação, qualquer opositor era preso e/ou morto.
    A oposição política ao seu regime foi esmagada ao custo de milhares de mortos.
    Nem mesmo seu partido escapou a sua ira, vide a noite das facas longas, quando
    oitenta e cinco nazistas, alguns membros ilustres do partido até então, foram cruelmente assassinados a sangue-frio.
    Mesmo no final de sua vida, também demonstrou a sua crueldade e insensibilidade, mesmo com o seu próprio povo.
    Além disso, foi um covarde!
    No final de 1944 e 1945, todos sabiam que a guerra estava perdida, inclusive Hitler.
    Por que continuar lutando ?
    Ele sabia que podia esperar pouquíssima misericórdia se a Alemanha viesse a se render. Sendo assim, ele podia desperdiçar centenas de milhares de vidas, mas elas pertenciam a outras pessoas. Sua própria vida estava perdida e ele sabia disso.
    Este covarde , se suicidando apenas quando os russos estavam a poucos metros do seu esconderijo, foi responsável por incontáveis vítimas de sua própria população.
    Além disso, em 22 março de 1945, ordenou:
    “ a batalha deve ser conduzida sem consideração por nossa própria população[...] todas as
    Estações industriais, todas as obras de eletricidade, redes de água e de gás, todas as lojas de alimentos e de vestuários devem ser destruídas.”
    O então ministro Albert Speer não obedeceu às ordens, poupando outros milhares de alemães da morte.
    Testemunhou ainda Speer o discurso de Hitler: “ se a guerra estiver perdida, o povo alemão estará perdido. Não é necessário se preocupar com que o povo alemão precisará para sobreviver após a guerra. Pelo contrário, é melhor para nós mesmos destruir estas coisas, pois a nação tem provado ser a mais fraca e o futuro pertence a nação oriental mais forte. Deste modo, somente aqueles que são inferiores permanecerão após esta luta, pois os bons já foram mortos”
    Este é o Hitler que você admira ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Soldadinho.
      Para começo de tudo, eu primo pelas três frases que abrem meu blog. As duas primeiras são minhas e a de Buda é a pá de cal.

      E quando foi que eu afirmei admirar Hitler? O que é admirável por todos os que são isentos e imparciais (e é este o cerne deste post, com citações de adversários dele) foi a reconstrução da Alemanha falida na 1ª Guerra Mundial. Um prodígio de execução!

      Toda essa ladainha sobre a imensa malignidade de Hitler é pura literatura talmúdico/sionista, que precisa a qualquer custo esconder seus podres imensuráveis que levaram a humanidade à guerra e à miséria que não só perdura até hoje como aumenta inexoravelmente.

      Nunca direi que Hitler foi um santo (quem mexe com política não tem sequer o direito de sê-lo), mas comparado a quem você tanto defende (seus amaldiçoados heróis aliados), ele merece ser revisto pela História. Outros exemplos de quem conheceu Hitler de perto:

      http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2012/01/mais-polemica.html
      http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2013/10/palavras-de-quem-viu.html

      E, por fim, quem você tanto admira de fato na 2ª Guerra para (ao menos tentar) ser tão incisivo em "suas" opiniões?

      Excluir
  2. Prezado Fab29

    Vamos deixar de ser simplistas, culpar os judeus, a “conspiração talmúdico-sionista” de tudo, é no mínimo ilógico e beira ao fanatismo.
    Hitler realmente era um psicopata, não dava valor a vida humana, colocando suas ambições e convicções acima de tudo. Não quer dizer que não haviam outros líderes com semelhante grau de perversidade, como por exemplo, o ditador Stalin, que também sacrificava seu próprio povo sem pensar duas vezes.
    A base ideológica do regime nazista de Hitler era o racismo e a “superioridade ariana”, fartamente documentada nas leis promulgadas na época e nos discursos dos seus líderes.
    Hitler queria a guerra e a conseguiu, planejou mal e perdeu (ainda bem).
    Como você disse, não existem santos na política, mas não dá para comparar a crueldade do regime nazista com as democracias da época, seja a americana, francesa ou inglesa.
    Quanto a parte econômica, não se pode negar que houve uma recuperação econômica, que no entanto dificilmente se sustentaria a médio e longo prazo, já que dirigida muito para a indústria armamentista e com alto endividamento do estado. Sendo assim, vale tecer algumas considerações:

    O desemprego na Alemanha de 1933 era de aproximadamente 6 milhões. Esse número diminuiu para 300.000 em 1939. Essa diminuição fabulosa, no entanto, ocorreu por diversos motivos, como alterações estatísticas e projetos governamentais:

    - As mulheres deixaram de ser contadas como desempregadas a partir de 1933
    - Judeus, a partir de 1935, perderam a condição de cidadãos do Reich, não contando mais como desempregados
    - Mulheres jovens que se casavam eram excluídas dos cálculos.
    - Ao desempregado eram dadas duas opções: ou trabalhar para o governo sob baixíssimos salários ou permanecer segregado da esfera governamental, longe de todas as suas obrigações, mas também vantagens, como saúde, lazer, etc.
    - As convocações para o exército começaram a se acelerar. Até 1939, 1,4 milhões de alemães haviam sido convocados. Para armar esse contigente, a produção industrial aumentou e a procura por mão-de-obra aumentou também.
    - Criação da Frente Alemã de Trabalho, dirigida por Robert Ley, que pôs em prática programas governamentais de trabalho que absorveram boa parte da mão-de-obra disponível, ora empregando-a no melhoramento da infra-estrutura do país, ora nas indústrias e na produção bélica.

    Essa medidas ocorreram a custa de pesadíssimos investimentos por parte do Estado, comprometendo a longo prazo as finanças. O que se viu, em conseqüência disso, foi um déficit crescente. De 1928 até 1939, a arrecadação do Estado havia subido de 10 bilhões de Reichsmarks para 15 bilhões, no entando os gastos, no mesmo período, subiram de 12 bilhões de Reichsmarks para 30 bilhões. Em 1939, o déficit acumulado era de 40 bilhões de Reichsmarks.

    A inflação, nesse periodo, cresceu tanto que em 1936 foi decretado o congelamento de preços. O governo alemão foi incapaz de lidar com o controle de preços e sua interferência constante apenas engessou a economia e dificultou o aumento gradual e equilibrado da produção. A partir de 1936, o dirigismo econômico passou, gradualmente, a substituir a adaptação automática da produção pelo mercado, de maneira que a regulamentação econômica passou a ser maior.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa história está mal contada. A URSS já tinha invadido vários países e a mídia internacional, em posse judaica já em sua maioria, omitiu tudo.

      O fato de Hitler ser ditador é uma conotação ruim para o marxismo cultural. Se a ditadura dele livrava o povo alemão das organizações judaicas internacionais isso é ruim para tais organizações não para o povo alemão.

      Excluir
    2. Judeus eram 1% da pop alemã

      Na década de 30, eram poucas as mulheres que trabalhavam, e eram em sua maioria trabalhos bem simples.

      ''Ao desempregado eram dadas duas opções: ou trabalhar para o governo sob baixíssimos salários ou permanecer segregado da esfera governamental, longe de todas as suas obrigações, mas também vantagens, como saúde, lazer, etc. '' A qualidade de vida aumentou, logo não tem pq aumentar os salários, o povo alemão adquiriu mais poder de compra com menos!

      https://translate.google.com.br/translate?sl=auto&tl=pt&js=y&prev=_t&hl=pt-BR&ie=UTF-8&u=http%3A%2F%2Fwww.elministerio.org.mx%2Fblog%2F2014%2F03%2Fhitler-bancos-esclavitud-intereses%2F&edit-text=

      Excluir
  3. Continuação
    Os planos ecomômicos alemães, tanto de Schacht quanto de Göring, era de tornar a Alemanha autosuficiente na indústria para que ela pudesse sobreviver à guerra e aos bloqueios britânicos. Essas metas, no entanto, não foram cumpridas e em 1939 a Alemanha não estava plenamente recuperada. Os dados demonstram como a Alemanha estava quando iniciou a guerra:

    * A Alemanha ainda importava 33% de matérias-primas necessárias.
    * O déficit acumulado era de 40 bilhões de Reichsmarks.
    * A Balança Comercial atestava um déficit de 100 milhões de Reichsmarks
    * O desemprego estava virtualmente suprimido
    * Consumo anual de alimentos, em 1937, havia diminuído em pão de trigo, carne, bacin, leite, ovos, peixes, açucar, frutas tropicais e cerveja, comparando-se com os dados de 1927. Só houve aumento de consumo em pão de centeio, queijo e batata.
    * O valor real dos salários, em 1938, era praticamente o mesmo de 1928.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Soldado.
      Eu culpo TAMBÉM os judeus por várias mazelas da História, principalmente pela especialidade deles: a USURA, a maior responsável pela miséria e escravidão da humanidade.

      No caso deste post, os sionistas/talmudistas são os maiores beneficiários da derrocada da Alemanha e da manutenção da demonização de Hitler. Se acontecesse de Hitler ser inocentado apenas de metade da culpa imposta a ele, israel afundaria.

      Só para contrapôr todos esses seus dados sionistas (que você defende fidedignamente), confira estes dados do link e reproduza lá os que você postou aqui (diga-se, já os li algumas vezes em outros sítios politicamente corretos):

      http://inacreditavel.com.br/wp/como-hitler-se-livrou-da-escravidao-dos-juros/

      A menos que você, já bem calejado e instruído, prefira evitar o confronto lá.

      Em tempo: Apesar de tanta sordidez, Hitler recebeu 93% dos votos em sua reeleição em 1936. Obviamente, ele comprou (ou bem pior) todos os votos, certo?

      Em tempo - 2: você ao menos deu uma olhada nos links do meu comentário anterior ou seus autores não merecem crédito?

      Excluir
    2. Gostaria das fontes destes dados fornecido pelo tal soldado.

      Excluir
    3. Comparação com Hitler como um mal social - por Kerry Bolton
      http://nazismo-verdades-e-mentiras.blogspot.com.br/2015/03/comparacao-com-hitler-como-um-mal.html

      Interessante artigo por acadêmico, com formação em psicologia, sobre como uma realização positiva de Hitler é desqualificada apenas por ter envolvido o nome Hitler

      Desnacionalização da Economia - por Salvador Borrego
      http://nazismo-verdades-e-mentiras.blogspot.com.br/2014/05/desnacionalizacao-da-economia-por.html

      Artigo que mostra uma investigação acadêmica de Cambridge sobre os feitos únicos da economia do III Reich

      Excluir
  4. GERSON (Campinas - SP)

    Fabiano, como leitor deste blog...posso entender a sua forma de pensar ? Voce diz que a usura é reponsavel pela miseria e escravidao da humanidade ....e diz que a usura é especialidade dos judeus . Entao os judeus seriam grandes responsaveis pela miséria e escravidao da humanidade ? É isso que voce pensa , ou entendi errado ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você não entendeu o "TAMBÉM"?

      Então, traduzirei: eles não são os únicos, mas pelo fato de centenas de super banqueiros (usurários de primeira) serem judeus, eles TAMBÉM são responsáveis pela miséria da humanidade, escrava dos juros.

      Ficou mais fácil? Tente de novo.

      Excluir
    2. A liderança judaica na Revolução Bolchevique e o início do Regime soviético - por Mark Weber
      http://nazismo-verdades-e-mentiras.blogspot.com.br/2013/04/a-lideranca-judaica-na-revolucao_25.html

      Os judeus de Stalin – por Sever Plocker
      http://nazismo-verdades-e-mentiras.blogspot.com.br/2015/03/os-judeus-de-stalin-por-sever-plocker.html

      Porquê os EUA (capitalistas) se aliaram com a União Soviética (comunistas) na Segunda Guerra Mundial - por Salvador Borrego
      http://nazismo-verdades-e-mentiras.blogspot.com.br/2014/09/porque-os-eua-capitalistas-se-aliaram.html

      Lideranças judaicas almejando a supremacia mundial
      http://nazismo-verdades-e-mentiras.blogspot.com.br/2014/05/guerra-e-objetivos-de-guerra-por-hosrt.html

      Dos dos artigos são de historiadores, minunciosamente referenciando as fontes que se baseiam

      Excluir
    3. Caro Tannhauser.
      Nossos contendores não estão interessados em refutações desse nível. Jamais lerão autores de artigos tão evoluídos, com referências históricas e tudo aquilo que qualquer pessoa sadia e de bem busca.

      Mas é ótimo que exponha o patético deles.
      Abraço.

      Excluir
  5. Fabiano :

    Como eu disse , sou leitor seu , e agora fiquei mais confuso .

    Você falou em banqueiros . Os maiores bancos do nosso país são Bradesco , Itaú , Banco do Brasil , Caixa Econômica Federal ( e estaduais ) , HSBC , Santander . Unibanco foi incorporado pelo Itaú , e Bamerindus foi comprado pelo HSBC . Dezenas de milhões de brasileiros têm conta nesses bancos . TODOS ( 100%) desses bancos citados tem donos ou controladores cristãos ( no caso do banco do Brasil e caixa , são ligados ao governo do Brasil , que Eh um país majoritariamente cristão )

    Então como fica isso ? Cristãos são usurários também ? Então os bens dos cristãos devem ser confiscados , como Hitler fez com os judeus ? Cristãos devem ser deportados ?

    Estou confuso , Fabiano

    Gérson ( Campinas )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem razão!
      Não existem super banqueiros judeus.

      Excluir
    2. Esta confusão fabiano, é porquê não ensinam na escola que o sistema financeiro mundial, o banco mundial, o Fundo Monetário Internacional (FMI) saíram da canete de dois judeus em especial: Harry Dexter White e Henry Morgenthau.

      Também não ensinam que desde 1987 o Banco Central americano, o FED está em gerência de três judeus sucessivamente, (Greenspan, Bernanke e e a judia Janet Yelen, atualmente).

      Também não falam que no século XIX os Rothschild se orgulhavam de ter quase todo o Ocidente devendo para eles, pois emprestavam dinheiro para os dois lados das várias guerras mundo afora, agitadas por "revoluções", principalmente através de empréstimos via AGENTES INTERMEDIÁRIOS destes Rothschild, e inclusive em uma obra judaica capital, A Enciclopédia Judaica, publicaram a tabela desta dívida para mostrar como os Rothschlild estavam por cima.

      Também não ensinam no colégio, nem na mídia, que mais importante que Wall Street na história das especulações e "investimentos" é a City, bairro AUTÔNOMO inglês, dentro de Londres, cujas principais casas bancárias estendiam seus tentáculos mundo afora:

      Os Mocattas
      Os Montagu
      Os Cohen
      Os Salomons
      Os Sterns
      Os Erlangers
      Os Speyers
      Os Seligmans
      Casa bancária Japhet
      Ernest Joseph Cassel (esse não é uma dinastia nem uma casa bancária, mas sim um só homem, o Geroge Soros da época)
      Carl Ferdinand Meyer (outro homem negócio)
      Ernest Oppenheimer (outro homem negócio)
      Os Barnatos
      Os Goldsmids
      Os Montefiores
      Os Rothschilds
      Os Sassoons
      Os Kadoories

      Eis os expoentes do núcleo financeiro do mundo, esta lista, composta exclusivamente de judeus, mas que não se ensina no colégio...

      Tive que me esforçar um pouco mais que assistir televisão para conhecer tão intrigante assunto...

      Mas dá para ir beeeeeem além é claro...

      Excluir
    3. Vai dessa pequena lista, Tannhauser, que os judeus conseguiram um poderio financeiro exemplificado abaixo. Atenção aos 12 primeiros:

      http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2013/11/pensam-que-e-so-isto.html

      Abraço.

      Excluir
  6. Tem aí um "Soldadinho" panaca Subdesenvolvido e totalmente holocau$tizado, lambendo o rabo dos racistas judeus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obedientes e subservientes que são, não poderíamos esperar outra coisa.

      Excluir