Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


segunda-feira, 25 de maio de 2015

Sobre os judeus - I

Amigos e amigas.
No post DEGREDOS, eu expus uma relação de países dos quais os judeus foram sumária e sistematicamente expulsos no decorrer dos séculos. Para complementar, segue abaixo a primeira parte de uma uma lista de frases acerca dos judeus, algumas mostrando os motivos dessas expulsões.
FAB29

Oposição aos judeus não começou na Alemanha, mas remonta antes do nascimento de Cristo, mais de 2.000 anos atrás! Estude as declarações feitas por alguns dos "maiores homens do mundo." Eles revelam o porquê dos "judeus errantes" terem se tornado inimigos de cada país de acolhimento que nunca os aceitaram.

Cícero
CICERO (Marcus Tullius Cicero). Primeiro século a.C. Estadista romano, escritor. "Calma! Calma! Eu quero que ninguém, apenas os juízes, me ouça! Os judeus já me puseram em uma grande confusão, pois eles têm muitos outros cavalheiros. Não tenho nenhum desejo de fornecer outras munições para suas fábricas." (Oração em Defesa de Flaco)

Cícero estava servindo como advogado de defesa no julgamento de Flaco, um oficial romano que interferiu com embarques de ouro dos judeus com a sua sede internacional, em Jerusalém. Próprio Cícero certamente não era ninguém, e por um desse porte ter que "falar baixinho" mostra que ele estava na presença de uma esfera perigosamente poderosa de influência. E em outra ocasião, Cícero escreveu: "Os judeus pertencem a uma força escura e repulsiva e se sabe como esta camarilha é, como elas se unem e que poder exercem através de seus sindicatos. Eles são uma nação de patifes e enganadores."

Resultado de imagem para sêneca
Sêneca

SENECA (Lucius Annaeus Seneca). Primeiro século filósofo romano. "Os costumes daquela nação mais criminosa ganharam tal força que eles já foram recebidos em todas as terras. Os conquistados deram leis aos conquistadores." (De Superstitione)

DIÃO CÁSSIO. Segundo século, historiador romano. Descrevendo a selvagem revolta judaica contra o império romano que foi reconhecido como o ponto de queda dele: "Os judeus estavam destruindo ambos os gregos e os romanos, comiam a carne de suas vítimas, fizeram cintos para si de suas entranhas, e eles próprios rebocaram com o seu sangue (...) Ao todo, 220.000 homens morreram em Cyrene e 240.000 em Chipre e, por este motivo, nenhum judeu pode pôr o pé em Chipre hoje." (História Romana)

DIODORO DA SICÍLIA. Primeiro século, historiador grego. Observou que os judeus tratavam outras pessoas como inimigos e inferiores. "Usura" é a prática de emprestar dinheiro a juros excessivos. Isso existe há séculos e causou grande miséria e pobreza para os gentios. Ele exortou forte condenação dos judeus!

Resultado de imagem para bernardino de feltre

BERNARDINO DE FELTRE. Século 15, padre italiano. Um homem suave que exaltou a paciência e caridade, em circunstâncias normais. Ele se descreveu como um "cachorro latindo" quando se lidava com os judeus: "Usurários judeus sangram os pobres até a morte e engordam com a sua substância e sou eu quem vive de esmolas? Que se alimentam sobre o pão dos pobres e hei de estar mudo, antes de caridade, indignado? Os cães ladram para proteger aqueles que os alimentam e eu, que estou a alimentar os pobres, vou vê-los roubados do que lhes pertence e ficar em silêncio?" (Eugène Flornoy: Le Bienbeureux Bernardin de Feltre)

SÃO THOMAS DE AQUINO. Século 13, filósofo escolástico. Em seu "Sob o governo dos judeus", ele escreveu: "Os judeus não deviam ser autorizados a manter o que obtiveram dos outros por usura. Seria melhor que eles fossem obrigados a trabalhar para que pudessem ganhar a vida, em vez de fazer nada, mas tornando-se avarentos".

HILAIRE BELLOC, no livro 'OS JUDEUS', página 9: "Já existe algo como um monopólio judeu na alta finança (...) Não é o mesmo elemento de monopólio judaico no comércio de prata e no controle de vários outros metais, nomeadamente níquel e mercúrio. O que é mais preocupante de tudo, esta tendência ao monopólio está se espalhando como uma doença."

HENRY HAMILTON BEAMISH, em Nova York, Discurso, 30 de outubro de 1937: "A Guerra dos Bôeres ocorreu há 37 anos. Boer significa agricultor. Muitos criticaram uma grande potência como a Grã-Bretanha por tentar acabar com os Boers. Ao fazer a pergunta, eu encontrei que todo o ouro e minas de diamantes da África do Sul eram de propriedade de judeus; que Rothschild controlava o ouro; Samuels controlava a prata; Baum controlava outra mineração e metais básicos. Qualquer coisa que essas pessoas tocam, inevitavelmente poluem."

WILLIAN MORRIS HUGHES. Premier da Austrália, Saturday Evening Post, 19 de junho de 1919: "The Montefiores tomaram a Austrália por conta própria, e não há um campo de ouro ou uma raça de ovelhas da Tasmânia até New South Wales que não lhes paguem um pesado tributo. Eles são os verdadeiros donos do continente antípoda. Qual é a boa de sermos uma nação rica, se a riqueza está toda nas mãos de judeus alemães?"

Resultado de imagem para PAPA CLEMENTE VIII
Papa Clemente VIII

PAPA CLEMENTE VIII - "Todo o mundo sofre com a usura dos judeus, os seus monopólios e enganos. Eles deixaram muitas pessoas infelizes, em um estado de pobreza, especialmente os agricultores, pessoas da classe trabalhadora e os muito pobres. Então, como agora os judeus têm de ser lembrados de forma intermitente de novo que eles estavam desfrutando de direitos em qualquer país desde que deixaram a Palestina e o deserto da Arábia, e, posteriormente, suas doutrinas morais e éticas, bem como as suas obras. Com razão, merecem ser expostos a críticas em qualquer país em que vierem a viver".


FRANZ LISZT, famoso compositor húngaro: "Chegará o dia em que todas as nações em meio às quais os judeus moram terão que levantar a questão de sua expulsão por atacado; uma questão que será ou de vida ou morte, boa saúde ou doença crônica, existência pacífica ou febres sociais perpétuas".

4 comentários:

  1. Depois falam mal do SAGRADO TALMUD

    muito bom, garoto de jaguariuna

    PS.: Muitos dos citados como os romanos, os gregos, os babilonios, os persas, etc, se foram mas os JUDEUS permanecem...............Muito bom mesmo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro nowhere man, ninguém fala mal do "sagrado talmud". Este fala por si.

      A permanência dos judeus atesta e valida o post. Aguarde a 2ª parte.

      Excluir

  2. Então... Já se perguntaram como uma pequena minoria é capaz de tanta força sobre uma maioria esmagadora? Demérito de nós, gentios...

    Para o ariano, não existe diferença entre um judeu e um gentio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tanto demérito gentio (passividade, alienação, ignorância, comodismo,...) quanto sordidez dos supremacistas.

      Observe na Natureza como um parasita consegue se superar num hospedeiro.

      Excluir