Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


terça-feira, 4 de agosto de 2015

E o esquema funcionando!...

Amigos e amigas.
Causa-me asco a quantidade de explicações "ofalsiais e téquinicas" para esta estiagem (que é artificial!) que assola o sudeste brasileiro (além de várias outras regiões do mundo, como Califórnia e pontos da Europa). Este exemplo até emociona: "Esta última década está inserida na fase fria da oscilação decadal do Pacífico, que começou em 1999 e tem o efeito de um El Niño ou La Niña de longa duração, até 30 anos." E mais este, nas palavras de um 'professor doutor': "As próximas três ou quatro décadas poderão ter precipitações menores, devido ao ciclo do clima. Ora temos épocas mais chuvosas, ora com chuvas abaixo da média". Super elucidativo! Salvador da humanidade! E também este: "O comportamento se repete. De 1930 a 1970, as precipitações caíram; de 70 até 2003, aumentaram. E, agora, de 2004 para cá, têm caído novamente. Então, temos ainda mais três décadas em que as chuvas devem diminuir e ficar abaixo da média." AAAhh! Tá!...

Causa-me asco porque colocam tantos "ispessialistas" para regurgitar um monte de teorias patéticas (à lá o tosco aquecimento global e metástases), nunca fatos incontestáveis ou cabíveis sobre um monte de assuntos, para desinformar e aterrorizar o gado humano. Quando aparecem vozes de reais especialistas que não se venderam ao status quo, desnudando as mentiras propaladas pela grande podre mídia, são imediatamente postas de lado, silenciadas e desacreditadas. Se forem apenas céticos e revoltados como eu, então,...!

Causa-me ainda mais asco ver que o esquema de cada vez mais cercar o gado humano e exasperá-lo, exauri-lo para melhor parasitá-lo está funcionando nos detalhes. O mais cruel, cotidiano e sensível ponto está na conta de luz que tem aumento em cima de aumento:

"O que explica a conta maior para o mesmo consumo são os recentes aumentos na tarifa de energia elétrica e o sistema de bandeiras tarifárias, que repassa ao consumidor o custo mais alto com a geração de energia.
Desde janeiro, quando foi adotada a bandeira vermelha, o consumidor paga um acréscimo provisório de R$ 5,50 por cada 100 quilowatt-hora.
Com as altas, somente neste ano a conta ficou 42% mais cara, em média, no país todo. Na capital paulista e na região metropolitana de São Paulo, atendidas pela empresa AES Eletropaulo, a alta chega a 75%. (Fonte: http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2015/07/22/parei-de-levar-meu-filho-ao-cinema-para-pagar-conta-de-luz.htm)
Os aumentos obrigam o povinho a reduzir as suas já limitadas ações, forçando-o a economizar ainda mais. Porém, um requinte de crueldade se faz presente: a despeito de mais esse aperto de cinto, a população continua com suas contas altas (há quem denuncie delas estarem até 100% acima do que eram antes). E tal fato tem como consequência anunciada o calote: "No mês passado [maio], o atraso no pagamento das contas de energia elétrica e de telefone cresceu o dobro da variação média da inadimplência em geral do consumidor". Nesta decadência de poder aquisitivo e de compra, constata-se esta desumana realidade, pela qual o povinho culpa a presidente, ignorando o maior dos vilões: o dinossauro branco Congresso Nacional. E nessa dança dantesca, o povinho afunda com a âncora do desamparo firmemente atrelada ao seu tornozelo.

E me causa asco, finalmente, o fato dessa "seca já esperada pelos especialistas" ter se iniciado há três anos, justamente quando os rastros químicos aumentaram exponencialmente sobre o sudeste, causando uma irritante frequência de névoa química no céu, que nada mais são do que nuvens de chuva artificialmente diluídas. Vejam estes exemplos do meu arquivo pessoal:

Na parte inferior, nuvens saudáveis.
Pura névoa
Nuvens se diluindo
"Mistureba" névoa/nuvens
Além de asquerosas e imprestáveis, são nocivas à natureza por inteiro. Palavra de especialistas verdadeiramente preocupados com tudo isso. Tendo tempo, assista a este vídeo super esclarecedor:


Você não está passando ileso (a) por tudo isso que relatei, certo? Nem eu. Por isso tudo é que não me furto de questionar sem medo o que acredito estar errado ou ser criminoso e, na medida do possível, cobrar os (ir)responsáveis. A omissão, sem nenhuma dúvida, é tão culpada quanto o crime em si.
FAB29

Nenhum comentário:

Postar um comentário