Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


domingo, 1 de novembro de 2015

Indigências

Amigos e amigas.
Realmente me impressiona as quantidade e nível de alienação, estupidez e "dois pesos e duas medidas" que grassam pelas sociedades. Nunca afirmarei que minha idiossincrasia é a correta; ela só é correta para mim mesmo. Mas creio firmemente que exista uma linha mestra de conduta que abranja as coisas de um jeito que agracie o bem comum. Tal linha é chamada Consciência.
Cada um de nós é um universo.
Ela permite que todas as nossas ações sejam executadas e pautadas no intuito de conseguir tudo de bom para nós mesmos sem a necessidade de pisar, enganar, destruir ninguém. A incompetência de alguém, aliada à uma ambição desmedida, nubla a Consciência e cria os sociopatas: parasitas, covardes, "ixpertos", corruptos e uma leva de outros tipinhos inúteis e sórdidos que vivem de "jeitinhos" para se sobressair sem suar a camisa, tipinhos vendidos facilmente manipulados pelos grandes corruptores. 

Esses citados tipinhos se agrupam em máfias ou na política em todos os níveis. Na primeira, são cruéis, brutais, impiedosos, expropriando o que podem de todo incauto. Na segunda, são hipócritas, silenciosos, arrogantes, desviando recursos públicos, ato este que é o maior câncer político-social porque vai minando e sugando gradualmente as energias de parcelas da humanidade, fazendo-as minguar até seu fim.
Conheçam alguns maus exemplos: http://www.telegraph.co.uk/technology/11106473/The-PayPal-Mafia-Who-are-they-and-where-are-Silicon-Valleys-richest-group-of-men-now.html
Mas com tudo isso acontecendo, como a população reage? De um lado, há uma pequena parcela de teimosos, indignados e contestadores (como eu) que ficam berrando no meio de surdos, mostrando para cegos e explicando para oligofrênicos tudo aquilo que é até ofensivamente errado, em busca de união e soluções. Do outro, uma enorme parcela de vendidos, sujos, dissimulados que servem de escudo e outras coisas para as ações nefastas dos chefões, bagunçando, tergiversando, distorcendo a verdade com algaravias. E no meio de tudo, o povo, também chamado de hospedeiro, saco de pancadas, massa de manobra, placa de Petri, repositor de órgãos e dezenas de outras acepções pouco agradáveis (porém, longe de não serem verdadeiras).

O povo é aparentemente consciente de muitas excrescências contra ele, mas, de tão anestesiado que está nos seus comodismo e alienação (e uma boa dose de imbecilidade), tem como única e resignada reação rezar para a Providência ("Deus sabe o que faz, né? É só deixar nas mãos Dele"). Não tem opinião própria, não consegue argumentar lucidamente, quase não contesta por não ter base cognitiva e psicológica para sustentar o pouco que pensa. Quando instado a se pronunciar, se perde e se contraria em duas situações idênticas, respondendo a uma desdizendo a outra. É muito difícil exigir dele uma coerência, visto que uniformidade de raciocínio não é sua realidade. Um simples exemplo:

Sua feitora (a grande podre mídia) execrou recente, falsa e maldosamente o Iraque, o Afeganistão, a Líbia e outros países (atualmente, a Síria), fazendo vocês verem seus líderes como demônios e até aposto que muitos de vocês (junto com a cortesã reptiliana Hillary Clinton) se mostraram aliviados com as execuções sumárias deles (Saddam, Kadhafi). E as populações desses países (que padeceram horrores com a guerra levada até eles pela máfia khazariana e com suas seqüelas) são tidos como desmerecedores de consideração. Mesma desconsideração ao povo palestino. Mas quando alguém apenas se nega a crer no holocausto da 2ª Guerra, ordenam vocês a se horrorizarem (até com a impossibilidade de um fantasma renascer), gritam aos quatro ventos tal "atitude horrível" e atacam o recalcitrante com tudo e mais um pouco. 
Você acreditou de novo em Hollywood?
http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2014/01/e-da-lhe-ficcao.html
Tudo sob o beneplácito do anestesiamento geral de vocês, tristes simulacros, escravos, marionetes! Com tantas e tamanhas boas opções e condições de saírem desse mainstream amaldiçoado, preferem o hedonismo: pura e simplesmente curtir a vida e seus prazeres. Claro que isto é absolutamente necessário, mas precisa ser nas palavras de Drummond: "A vida necessita de pausas!" Ou seja, a verdadeira vida é constante produção, construção, criação, aprendizado, desenvolvimento em todos os sentidos, evolução, progresso, engrandecimento...! E tudo isso é feito com muito suor, dedicação, boa vontade, perseverança, persistência, gana, curiosidade, altruísmo, bem querer,...! Resumindo: lutar incessantemente contra tudo aquilo que os grandes corruptores imputam à humanidade: o marasmo espiritual, a preguiça mental e a indigência moral.

Enquanto vocês continuarem a dizer "Amém!" a tudo que seus escravagistas vomitam pelas suas mídias, continuarão atolados no lodo, confinados em seus nichos ou alheios no deserto. E que a terra lhes seja leve.
FAB29

2 comentários:

  1. Coincidência! O teu tópico bate certinho com o do Desatracado. Parece que tiveram o mesmo pensamento: a estupidificação massiva da sociedade.

    Boas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entre todos aqueles que raciocinam e racionalizam pelo bem comum sem parcialidades, segundas intenções e hipocrisias (inclua-se), tais coincidências são uma tônica.
      Abraço.

      Excluir