Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Deterioração

Amigos e amigas.
Este vergonhoso país, prenhe de politicalha sem vergonha em todos os níveis e uma grande parte do seu povo tão sem vergonha quanto, está se esfacelando a olhos vistos. Ultimamente, podemos comprovar que ele tem uma "estrutura sonrisal": basta chover para que ela se derreta. É claro que tudo tem a ver com a má conservação e abandono, mas, principalmente, com a subversão dos serviços de construção, que utilizam os piores materiais nas superfaturadas obras (estilo o nada saudoso Sérgio Naya).

Daí, quando ocorrem essas chuvas absolutamente comuns no verão (em condições naturais, sempre abundantes), o desespero toma conta da população, pois os serviços de recuperação estão quase todos sucateados, com quantidade insuficiente de funcionários para as dimensões continentais do Brasil. Confiram a seguir algumas notícias sobre isso:

Dia 28/01/16 - Nem a via Anhanguera, rodovia moderna numa rica região, resistiu. Qual foi a justificativa? "O problema ocorreu após a canalização que passa por baixo não suportar o volume de água após as chuvas."

Em Minas Gerais, vários casos perigosos:


Nestas imagens, fica clara a ruína do país pelas puras faltas de planejamento, conservação e atitude dos governos em todos os níveis, somadas ao comodismo das massas populares que se acostumaram "a caminhar pelas trevas, murmurar entre as pregas, tirar leite das pedras e ver o tempo correr":






Terremoto?!? Maremoto?!?
Não! Miserabilidade brasileira!
Quando olhamos esta última foto ao lado temos a certeza dessa deterioração do país. Afinal, bastou uma sutil reacomodação do terreno em função do excesso de chuvas para que parecesse um terremoto de 4 pontos na escala. Vê-se claramente que a maior parte de nossas estradas não passa de uma fina camada de asfalto, não se fazendo nenhuma base realmente sólida para elas como se fazia antigamente. Assim é que se pode explicar como a Estrada da Graciosa, em Curitiba, que existe desde 1873, só veio a ter problema com deslizamento em 2014.

Além das estradas, milhares de prédios e casarões antigos pelo país (muitos em Salvador, Bahia) estão em situação mais precária ainda e não podem ser demolidos por estarem tombados pelo patrimônio histórico. Só que o poder público não move um centavo para restaurá-los e, nesta queda de braço, a degeneração das cidades prossegue e eles são invadidos por sem-tetos.

Até mesmo as árvores são mal cuidadas, pessimamente protegidas, ficando à mercê de qualquer ventania mais forte para derrubá-las. E nunca nos esqueçamos da cereja do bolo: a "contribuição" do povinho, que abandona seu lixo em qualquer terreno baldio ou mesmo à beira de estradas, gerando o apodrecimento do patrimônio e o fomento de nichos para a proliferação de moscas, baratas, aranhas, escorpiões, ratos,...! Daí, doenças (de dengue à leptospirose) e envenenamentos (picadas e contaminações) tornam-se parte intrínseca do cotidiano das aglomerações populares periféricas.

A despeito disso tudo e muito mais (p. ex., o fato do brasileiro trabalhar cinco meses por ano só para quitar impostos), nada abala a "obrigação" do brasileiro de se divertir:

Aquecimento para o Carnaval (Salvador - 01/02/16)
Resumindo, meus caros, caras e caretas: a deterioração faz parte da vida, mas a maior e pior das deteriorações é a mental; aquela onde a mais poderosa das armas (o cérebro) é cevada e doutrinada ao individualismo, à preguiça, à malícia, ao superficialismo, à desconfiança, ao niilismo, a tudo aquilo que impede a união de forças e objetivos, base primordial do desenvolvimento e da evolução. Uma vez que a mente não foi disciplinada a analisar, raciocinar e racionalizar, todo o resto se esfacela: o moral, o emocional, o espiritual. A pessoa não passará de um escravo, um zumbi, um hospedeiro, uma marionete nas mãos de seus parasitas.

Quem não reagir para se livrar desse cárcere, estará condenado interna e externamente a chafurdar nos restos das ruínas surgidas da própria passividade.
FAB29

11 comentários:

  1. E a furia da natureza em lugares onde nao deveria haver intervencao humana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara! Você estava de tocaia esperando eu publicar? Comentário três minutos após a postagem é recorde!
      Abraço.

      Excluir
    2. 24 horas conectado em assuntos do blogger! Dificil nao ficar desligado.

      Abracos!

      Excluir
  2. "Estrutura Sonrisal" ficou bom -- imediatamente me lembrei dos prédios chineses que, após um dos terremotos que acariciam aquele país, teve seus pedaços esfarelados com as mãos pelos revoltados ding-lings!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qual país não tem seus "Sérgios Nayas"?

      Excluir
  3. Uma pergunta caro FAB, mas que nao tem nada haver com o artigo: Quem e o cidadao a quem chamas de Vapera? Pois o merdum Nelson Silva, onde se apresenta aqui e em outros blogs como Arthur Sionista, citou este nome em um de seus "comerdarios" no meu perfil do G+, o qual eu tive que deletar devido ao desrespeito que este debil boca podre demonstrou para mim e para com minha minha familia! Aguardo a resposta.

    Abracos e boa noite, amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Trata-se de um blogueiro dos mais rascantes que conheço. Por isso que o enrustido sionista tem fissura por ele, bem ao estilo "Me espanca que eu adoro!"

      Na minha lista de blogs à direita tem o link do blog dele. Conheça-o. Vale muito a pena.
      Abraço.

      Excluir
  4. Caros,
    Em primeiro lugar tenho que gargalhar com o comentário do caro FAB, e depois peço desculpas ao Danilo Vasconcelos por conta do descontrolado do "tutuca" que de tão desequilibrado que é ousa respingar em quem não tem nada com a insanidade dele (eu também não tenho, mas ele se "encantou" comigo desde o blog do Gilson Gondim, é algo platônico, sei lá) buscando ser espancado! Já de antemão afirmo que não o espancarei, pois dizem que isso gera paixão! :-D
    Como diriam alguns, perdoe-o, ele sequer sabe se existe!
    Mas vale a informação do nome real dele.
    E a ele, o tutuca, agradeço a propaganda, se é que tal tipo de propaganda é realmente procedente, mas ele será o único sionista a delatar a agenda de roubo patentário perpetrada pela judiaria do INPI e caterva.
    Agora vamos ao post:
    Gostei muito, muito mesmo, foi retratada a imunda, ignara, nauseante e abjeta corja chamada povo brasileiro, claro que temos que deixar de fora uma minoria que não faz parte dessa imunda massa global (entender global de forma ampla sobretudo no tange a TVs globais), mas que não faz diferença nessa agenda maldita que cada vez se solidifica mais pelas plagas brasilis.
    Aos vermes que "a caminhar pelas trevas, murmurar entre as pregas, tirar leite das pedras e ver o tempo correr" desejo sinceramente o EXTERMÍNIO pertinente a uma barata nauseabunda!
    Que o primeiro mandamento das pedras georgianas venham a galope lixiviar a massa ignara que pulula não só aqui, mas em todo o mundo, e evidentemente que os artífices dessa agenda de degeneração humana têm que estar na primeira fila do paredón.
    Não se lastimem, fiquem fortes, meditem, e se alimentem para viver e não vivam para comer.
    Entendo que a amada Mãe Terra como um organismo absoluto saberá dar cabo dos excrementos imbecis, mas as metodologias dela são sempre muito poderosas para nos, assim só muito fortes poderemos escapar do fim que se avizinha e que vai lixiviar a massa fecal que entendemos humanidade.
    Quando um cão busca ficar livre das pulgas, ele sacode e coça, e isso em uma escala planetária significa terremotos, maremotos, hecatombes mil.
    Fortes escapamos, sobretudo se nos abstivermos de sermos pulgas!

    Abraços.

    Vapera

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Buliram muito com o planeta!
      O planeta, como um cachorro, eu vejo:
      Se ele já não 'guenta mais as pulgas,
      se livra delas num sacolejo". (Raul Seixas)

      O dúvida é se será sorte ou azar sobreviver aos sacolejos mundiais. Prefiro a luta incessante e gloriosa de chutar colhões de parasitas pseudo humanos, concomitante a iluminar as cabecinhas ingênuas e potencialmente maravilhosas das novas gerações.
      Abraço.

      Excluir
    2. Grande FAB,
      Não existe sorte ou azar, existem apenas desafios!
      Fortes receberemos todos os desafios de forma altaneira e impávida, e de forma alguma nos molestaremos de termos que repovoar a maravilhaosa Mãe Terra!
      Tento sobreviver para ver o que virá, e desejo sobremaneira pela hecatombe total, pois a cada grito de um lixo menor, meu sorriso será maior!
      Abraço

      Excluir
    3. Meu amigo, eu me refiro à sorte e azar deste tipo:

      Sorte seria se não sobrasse sequer um Big Brother;
      Azar seria se só sobrassem machos.

      Não gostaria de encarar tais "desafios".
      Abraço.

      Excluir