Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


terça-feira, 8 de março de 2016

Destruições

Amigos e amigas.
A passividade do gado humano é notória desde muito e muito tempo, tendo sido propalada pela "Admirável Gado Novo", de Zé Ramalho. Vemos isso em cada detalhe da vida. Mais uma vez (não me cansarei tão cedo), discorro sobre o tema:

Para não sujar o dinheiro
A política vigente é a síntese do descaso, da nulidade e do descalabro. Tudo o que se vê, lê e escuta sobre essa classe é digno de desprezo: desvios de verbas, vendas de votos, propinas, enriquecimento ilícito, improdutividade,...! O congresso nacional já deu todas as demonstrações de que não tem razão para existir: seu custo-benefício é abaixo de qualquer crítica. Uma vez eleitos, seus habitantes se encastelam, se isolam daqueles que os colocaram lá e passam a legislar em causa própria ou em função dos que financiaram sua eleição. O que sobra para a população são restos do banquete. Mas, a despeito disso tudo, o povinho jacó e jacu continua a bater no peito e mostrar seu sorriso desdentado ao se orgulhar das "conquistas democráticas das últimas décadas" (das quais ele não faz a menor idéia), acreditando que democracia é a solução, é a melhor forma de governo, indo obediente e sazonalmente ao matadouro (eleições majoritárias) apenas para manter seus feitores parasitas e outros inúteis no trono.

O retorno vem em conta-gotas
A sanha de impostos e encargos no Brasil é a mais brutal e criminosa do mundo. Só a taxa básica de juros (a SELIC), que é a SEGUNDA MENOR do país, oscila nos absurdos 14%. Juros de bancos, cheque especial e cartão de crédito são estratosféricos e todos aqueles que caem na asnice de utilizá-los afundam inexoravelmente numa espiral de dívidas. Em cada produto que se compra, estão embutidos vários impostos (dois exemplos toscos: no preço da cachaça, tem 82% de impostos e no do cigarro, 80%! Em vícios, eles enfiam a faca e a torcem!). Precisamos de cinco meses anualmente só para pagá-los! Quem quer abrir um negócio sente na pele todos os abusos e dificuldades possíveis e imagináveis, o que faz da intenção de se abrir uma pequena empresa uma aventura delirante, quase suicida. A sangria de impostos atingiu a casa dos DOIS TRILHÕES de reais em 2015. Mas a mansidão bovina das massas segue praticamente inalterada. Sempre que uma reportagem entrevista cidadãos sobre este assunto, a "opinião" deles se resume placidamente num sorriso caquético: "Ah, é uma vergonha, né?" (A nulidade Boris Casoy fez escola). Qualquer atitude prática para reagir, mudar esse status quo parece fora de questão! Afinal, dá muito trabalho!...

Cena comum. Não foi um terremoto
Os serviços públicos são propositalmente relegados a terceiro plano para manter o gado humano apascentado, fragilizado, medrado, ignorante. A centralização da saúde no SUS deixa um hospital com um reduzido número de profissionais para atender a um número imenso de cidadãos, o que gera imensas filas e falta de leitos. Qualquer consulta especializada é marcada para dali a vários meses. Uma operação, mais tempo ainda. Transplante, é preciso rezar muito. Na educação, cerne do progresso de uma nação, massacram os professores, sucateiam as escolas, desviam verbas até das merendas, destroem o espírito crítico, banalizam a racionalização e o raciocínio, transformando o aluno num mero simulacro de cidadão, um zumbi, um analfabeto funcional (assista a esta magistral aula do Prof. Pier). Concomitantemente, a cultura é esmagada com a propalação da desculturação: funk, "sertanojo", arte "pós-moderna", nocivos programas de TV,... Tudo contra a sanidade do nosso riquíssimo e maravilhoso Folclore. Já a segurança está se tornando cada vez mais uma piada de humor negro: enquanto os efetivos policiais são cada vez mais alijados de instrumentação e limitados por lei nas suas ações, a bandidagem em geral deita e rola (principalmente os "de menor"), com o tráfico de armas alimentando-a com um arsenal assustador e a proteção do politicamente correto. Ao cidadão, o desarmamento unilateral. Mesmo enfiada nesse contexto de relegação, carências, ignorância, corrupções e padecimento, a massa bovinizada suporta resignada, permanecendo estupidamente estóica nessa vida de privações e achincalhes.

Desobediência civil contra essas destruições em todos os níveis e sentidos! O parasitismo do Estado certamente é a maior vilania que existe, a maior e mais cancerígena das corrupções, a covardia personificada. Porém, ele seria reduzido ao mínimo se a população se desse um choque de hombridade e realidade, se livrando desse torpor da preguiça cevada por seus parasitas através de seus entretenimentos abjetos (BBB, pornografia, futilidades, bebidas, drogas,...). E, enquanto a tônica for a decrepitude que a moderna democracia ensina ("Eu já fiz a minha parte: votei! Agora, eles têm que trabalhar para nós!"), o povinho pode continuar esperando como "Pedro Pedreiro", de Chico Buarque.

E, nessa espera, suas essência e consciência vão irremediavelmente se esboroando. Lutemos, pois, para salvar as novas gerações, as sementes do amanhã.
FAB29

Nenhum comentário:

Postar um comentário