Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


segunda-feira, 4 de abril de 2016

Testes em animais

Amigos e amigas.
Esses testes em animais feitos pelas indústrias farmacêuticas, cosméticas, etc já deveriam ter sido encerrados há muitas décadas. A única desculpa (pra lá de esfarrapada) que essas indústrias dão para ainda existirem é o fato deles serem menos custosos. Se usassem outros métodos, o preço final dos medicamentos (já bem caros) aumentaria bastante.

Balela grotesca! Tantas coisas bem mais simples (alimentos, por exemplo) têm seus preços majorados o tempo todo ao bel prazer e conveniência dos grandes parasitas e seus vassalos especuladores. Bastaria um mínimo de justiça e bem querer que tudo se resolveria ou melhoraria de sobremaneira.

Segue abaixo um resumo deste sítio: www.animalliberationfront. com onde é colocado o porquê de não serem mais necessários testes em animais. Muito bom! Leiam e entrem na luta contra essa abominação, que é destruir vidas tão bonitas e indefesas inutilmente. Em azul, meus comentários.
FAB29

RAZÕES PARA SE ACABAREM OS TESTES EM ANIMAIS
Se aguentar ver imagens dantescas, clique aqui.


1- Menos de 2% das doenças humanas são observadas em animais [Mostra o quanto os animais são mais resistentes a doenças e drogas];

2- Testes em animais e os resultados nos humanos concordam somente de 5 a 25% das vezes 
[Mostra que a fisiologia humana é muito diferente];

3- 95% das drogas homologadas por testes em animais são imediatamente descartadas como desnecessárias ou perigosas aos humanos 
[Mostra que o metabolismo dos animais funciona de outro jeito];

4- Pelo menos 50 drogas no mercado causam câncer em animais de laboratório. Por exemplo: a P&G usou um almíscar artificial, apesar de ter causado câncer em ratos. Eles alegaram que os resultados nos testes dos animais eram "de pouca relevância para os humanos". [Então, nenhum dos efeitos é relevante? Nem os bons, nem os colaterais?];

5- Mais de 90% dos resultados dos testes em animais são descartados por serem inaplicáveis aos homens [E os bichinhos são descartáveis, também?];

6- Testes em ratos são apenas 37% eficazes na identificação da causa de câncer em humanos. Jogar uma moeda para o alto (cara ou coroa) tem mais chances de acerto [Algumas loterias, também];

7- Roedores são animais quase sempre utilizados na pesquisa do câncer. Eles nunca pegam carcinomas, a forma humana de câncer, que afeta as membranas (por exemplo, câncer de pulmão). Seus sarcomas afetam ossos e tecidos conjuntivos: os dois não podem ser comparados [O verdadeiro câncer está na moral desses seres nefastos que insistem com os testes];

8- Quando perguntados se concordam que experimentos em animais podem ser enganosos "por conta das diferenças anatômicas e fisiológicas entre os animais e os humanos", 88% dos médicos concordaram [Significa que 12% ainda são bem hipócritas e sórdidos pra continuarem com os testes];

9- Estimativa de 83% de substâncias são metabolizadas por ratos de forma diferente do que é nos humanos [Se bobear, até o queijo!];

10- De acordo com testes em animais, o suco de limão é um veneno mortal, mas arsênico, cicuta e toxina botulínica são seguros [Resultados confiabilíssimos, não?];

11- 88% dos fetos natimortos são causados por medicamentos que são considerados seguros através dos testes em animais [Resultados confiabilíssimos, não? - 2, a missão];

12- Um em cada seis pacientes hospitalizados estão lá por causa de um tratamento que tenham feito. Nos EUA, 100 mil mortes por ano são atribuídas a tratamentos médicos. Em um ano, 1,5 milhão de pessoas foram hospitalizadas devido a tratamentos médicos. 40% dos pacientes sofrem de efeitos colaterais como resultado de prescrição médica [Calculem esses números em países do terceiro mundo, que são laboratórios dos grandes impérios!];

13- Mais de 200 mil medicamentos já foram lançados. A maioria deles já foi retirada do mercado. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), apenas 240 são "essenciais" [Além do quê vemos dezenas de tipos de antigripais e anti-inflamatórios cuja composição é idêntica e a eficiência, duvidosa];

14- Um congresso de medicina na Alemanha concluiu que 6% das doenças fatais e 25% das doenças orgânicas são causadas por medicamentos. Todos foram testados em animais [São simples "defeitos" colaterais?];

15- Aspirina falhou em testes com animais assim como cardioglicosideos (remédio para o coração), tratamentos de câncer, insulina, penicilina e outros medicamentos seguros. Eles teriam sido banidos se fossem baseados nos teste com animais [Mas a besta humana resiste...!];

16- Trinta e três animais morrem em laboratórios pelo mundo a cada segundo [Será a mesma proporção de humanos que morrem ou "se ferram" com esses medicamentos 'confiáveis'?];

17– Crueldade: Para testar drogas e insumos para a indústria, bilhões de animais – principalmente roedores, cães, gatos e primatas – são trancados em laboratórios anualmente e submetidos a práticas dolorosas. Inserção de substâncias tóxicas em seus olhos, inalação forçada de fumaça e implantação de eletrodos em seu cérebro são apenas algumas destas práticas. Via de regra, são utilizados animais de pequeno porte e dóceis, para facilitar o manejo dentro dos institutos de pesquisa. Neste cenário, a raça Beagle, infelizmente, se encaixa perfeitamente e são eles os preferidos dos vivisseccionistas ["Preferidos" já é um acinte!];

18– Atraso no desenvolvimento da ciência: O médico norte-americano Ray Greek – um dos entusiastas de que a vivissecção é um atraso ao desenvolvimento da Ciência – disse, em 2010, à Revista Veja:
As drogas deveriam ser testadas em computadores, depois em tecido humano e daí sim, em seres humanos. Empresas farmacêuticas já admitiram que essa será a forma de testar remédios no futuro.
Ray afirma que os testes são uma falácia e que atrasam a Ciência. Ele é voluntário para testes em humanos, desde que observados todos os pré-requisitos de segurança [Antes dele, tem um monte de outros 'voluntários', tipo assassinos, sequestradores, pedófilos, corruptores,...];


19– Ineficiência dos testes: O médico Ray Greek, ainda em entrevista à Revista Veja, em 2010, afirmou: “A indústria farmacêutica já divulgou que os remédios normalmente funcionam em 50% da população. É uma média. Algumas drogas funcionam em 10% da população, outras 80%. Mas isso tem a ver com a diferença entre os seres humanos. Então, nesse momento, não temos milhares de remédios que funcionam em todas as pessoas e são seguros. Na verdade, você tem remédios que não funcionam para algumas pessoas e ao mesmo tempo não são seguros para outras. A grande maioria dos remédios que existe no mercado são cópias de drogas que já existem, por isso já sabemos os efeitos sem precisar testar em animais. Outras drogas que foram descobertas na natureza e já são usadas por muitos anos foram testadas em animais apenas como um adendo. Além disso, muitos remédios que temos hoje foram testados em animais, falharam nos testes, mas as empresas decidiram comercializar assim mesmo e o remédio foi um sucesso. Então, a noção de que os remédios funcionam por causa de testes com animais é uma falácia.” [Matou a pau! Sem comentários!]

Em tempo: vejam AQUI mais uma excrescência sobre teste de medicamentos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário