Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


quinta-feira, 5 de maio de 2016

Bate e assopra

Amigos e amigas.

Pode confiar!!
Retorno a um tema ao qual já me referi há alguns anos: a obsolescência planejada dos medicamentos. Trata-se de um esquema no qual as máfias médica e farmacêutica se unem para investir no adoecimento crônico da humanidade. Tal esquema remonta de muitas décadas e prima pelas impiedade e sordidez de não permitir que a evolução nos tratamentos e o desenvolvimento de remédios e terapias realmente eficazes contra todos os tipos de males sejam acessíveis à população. A medicina popular é direcionada quase exclusivamente para tratar dos sintomas, mascarando o verdadeiro mal e, na maioria dos casos, agravando-o.

O caso mais criminoso que conheço nesse assunto foi a ocultação de um método de cura para TODAS as doenças causadas por micro-organismos, em especial, o câncer (vejam AQUI). O motivo para tudo isso é óbvio: supremacia. É quase impossível dominar um povo saudável, consciente, forte em todos os sentidos, como ocorre com nosso organismo: enquanto este for bem nutrido, os parasitas são eliminados à medida que surgem. Um povo bem nutrido em qualquer nível não se sujeita a nenhum parasita; logo, precisa ser "enganado", "envenenado", "enfraquecido", "anestesiado", tudo o que for necessário para torná-lo passivo o suficiente para que permaneça vivo e produtivo sem reclamar dos que lhe sugam as forças.

Nos últimos tempos, vocês notaram a "nova" tática desses parasitas? Associam esses "remédios para coisa alguma" com a ação da dupla "HAARP & Chemtrails". Mesmo que você venha a pensar que se trata de mais uma teoria da conspiração furada, siga este raciocínio. Funciona assim:


- Os metais pulverizados através dos rastros químicos têm a precípua função de potencializar as ações e efeitos das antenas HAARP, criando um "forno de micro-ondas a céu aberto". Neste abril de 2016, foram registradas  as maiores temperaturas para o mês dos últimos 73 anos (Você crê que foi natural?). No final dele, foi registrada a mais baixa temperatura dos últimos 45 anos. (Essa frente fria foi, sim, natural)

- Só essa manipulação climática, criando altas temperaturas e choques térmicos, já é suficiente para potencializar doenças respiratórias de grande parte da população já tão depauperada. Daí, têm as más condições de higiene, a poluição, a desassistência crônica do SUS, a falta de dinheiro,...! Pronto: o cenário do desastre está armado!

- Então, entram as máfias citadas com seus "medicamentos e tratamentos especiais" e a boiada humana se apascenta na sua debilidade, incapaz sequer de racionalizar sobre o que está acontecendo, à espera que apareçam "especialistas" no Jornal Nacional "explicando tudo sem esclarecer nada".

Mas o que constatei pessoalmente ontem foi novamente um detalhe na manipulação do acesso a medicamentos eficazes. Após esse choque de temperaturas que adoeceu milhares de pessoas alergizadas por todo tipo de veneno nos alimentos, fui alertado por um farmacêutico que um outro desses medicamentos eficientes não será mais fabricado: um antialérgico associado a um descongestionante (sulfato de pseudo efedrina). Todos os que conheci que fizeram uso dele o elogiaram e essa máfia tem a filosofia de "quanto mais elogios, mais rápido o sumiço".

Associação assassina
Outra vilania é a proibição da automedicação, uma sem vergonhice inaceitável! Que Justiça é essa que concede o direito às pessoas de se destruírem todos os dias com álcool e cigarros (drogas liberadas) e as impede de eventualmente tentarem se curar, ainda que toscamente? Para se comprar um antibiótico (oral ou tópico) ou uma injeção, você precisa de uma receita e, para consegui-la, ou você paga uma consulta, ou fica na dependência do sempre superlotado SUS. Mais despesa ou exasperação.

Já perceberam que estão a nos cercar por todos os lados? O labirinto está se tornando uma via única ao matadouro. Hipócrates decretou: "Fazei de vosso alimento, vosso remédio", mas mesmo isto está sendo transformado num vetor de fraquezas, distúrbios, problemas orgânicos em geral devido às manipulações genéticas (transgênicos da Monsanto), agrotóxicos, anabolizantes ao gado, química (corantes, espessantes, acidulantes,...), tantas transgressões que se torna um milagre quem consiga ter uma alimentação verdadeiramente saudável e protetora.

Nessa toada, os supremacistas vão conduzindo nossas vidas (ou você ainda crê autodeterminar a sua?), coibindo, coagindo, suprimindo, reprimindo, cercando, limitando, dificultando, manipulando,... sempre testando os limites de nossas tolerância e passividade, sempre atentos para não extrapolarem e criarem revoltas populares. Para isto, mantêm sua mídia constantemente abastecida de entretenimentos (essencialmente, os mais deturpadores possível) e notícias (que primam pela desinformação) para, assim, fazer a boiada pensar e agir de acordo com suas vontades e necessidades.

"Olha o campo verde! É todo seu, rapaz!"
FAB29

2 comentários:

  1. Grande FAB,
    Vamos fazer uma análise mais singela da coisa.
    Esqueçamos as farmáfias, mérdicos e toda essa malta de degeneradores.
    Vamos imaginar o seguinte: Um ser nasce e sabe, exatamente por estar vivo, que essa vida é única e não tem como ser substituida.
    Por que maldita carga esse mesmo ser é o infeliz que aceita e SEGUE preceitos idiotas que condenam a saúde e a própria existência em si?
    O infeliz bebe e vai insanamente em busca do perigo!
    O infeliz agoniado e ansioso enche o rabo de "guloseimas" e depois acha que xanax ajudará a arreganhar o toba o máximo para poder tirar as podreiras (que a essa altura está mais podreira do que nunca) de dentro das entranhas.
    A frustrada e o frouxo enchem seus corpos de siliconidades e butolinidades e acham que ficarão mais apresentáveis do que se tomassem vergonha na cara e deixassem a preguiça para o lado.
    O brocha total toma viagra e estufa o peito comendo a santa dos diversos paus ocos que se arreganha ao máximo para mostrar que é poderosa. Nem o viagreiro e nem a santa percebem o quão imundo são!
    O gordo acha que tadinho, tal e qual um judeu, merece respeito e consideração daqueles aos quais ele balofo ocupante invasivo bufante violenta todo tempo com sua imunda porca degenerada massa corporal.
    O lixo frouxo covarde acha que um estado degenerado vai protegê-lo afinal ele frouxo, covarde, preguiçoso merece que os outros faça por ele o que deveria dele fazer por si mesmo.

    Acredite-me caro FAB, se não existisse a farmáfia, o poveco de merda iria descobrir uma forma de inventa-la.
    Qualquer ser que acha que os outros mesmo dependendo de suas desgraças vão ajuda-lo a se livrar das desgraças deveria receber um cangalha e um arado, e deveria ser chibatado até a exaustão (do chibatador) enquanto arasse a Terra dando um sentido mínimo a própria existência maldita.

    Quando um lixo está no poço, no fundo desse, se não lhe dermos uma pá para continuar cavando, ele cavará com a própria boca!

    E a humanidade É ESSE LIXO!
    Batamos e assopremos com um lança chamas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há muito digo insistentemente, caro amigo: o comodismo é o maior dos cânceres. Os seres vivos tendem a permitir que ele se instale em si, mas a sábia Mãe Natureza impõe todas as dificuldades e afazeres para que isso não ocorra.

      Daí, surgiram os especialistas: os famosos parasitas, em todos os níveis, capacidades e intensidades. Entre os humanos, a coisa se aprimorou de tal maneira que ela é ensinada de diversas formas, gerando seres patéticos e asquerosos (alguns, citados por você). É a máxima (ou mínima) do "Quanto menos faz, menos quer fazer".

      Enquanto o comodismo for cevado pelos grandes parasitas no útero da boiada humana, nada prosperará. Resta-nos esperar pelas Pedras da Geórgia?
      Abraço.

      Excluir