Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


sexta-feira, 29 de julho de 2016

Pensamentos talmúdicos

Amigos e amigas.
A empáfia talmúdica e suas consequências permeiam a vida da humanidade. A insistência doentia em fazer valer suas intenções, tradições, determinações, exclusivismo, supremacismo, supera todo e qualquer bom senso, bem querer, decência, respeito,...! Fraturam as nações e se infiltram nas fissuras, alargando-as com muita paciência e tenacidade até predominarem.

Já publiquei vários excertos do Talmud. Abaixo, apenas relembro alguns que mais chamam atenção pela contundente repulsa aos não-judeus, exortando a sua humilhação, enganação, submissão e todo tipo de imoralidades pelos "eleitos".
FAB29

Rabi Menachem
Rabi Menachen, Comentários para o quinto livro
O próprio Jeová no Céu estuda o Talmud, em pé, pelo tanto de respeito por esse livro.

Sinédrio 59a
Comunicar qualquer coisa a um Goy sobre nossas relações religiosas seria igual à morte de todos os judeus, pois se o Goyim souber o que ensinamos sobre eles, eles iriam nos matar abertamente.

Libbre David 37
Um judeu pode e deve fazer um juramento falso quando o Goyim pergunta se os nossos livros contêm qualquer coisa contra eles.

Zohar, Toldoth Noah 63b
Quando o Messias vier, todo judeu terá 2.800 escravos.

Tosefta, Tractate Erubin VIII
Quando um judeu tem um gentio nas suas garras, outro judeu pode ir para o mesmo gentio, emprestar-lhe dinheiro e, por sua vez, enganá-lo, de modo que o gentio seja arruinado. A propriedade de um gentio, de acordo com a nossa lei, não pertence a ninguém, e o primeiro judeu que passar tem pleno direito de aproveitá-la.

Um dos cânones talmúdicos
Zohar, Vayshlah 177b
Que a nação judaica é a única nação selecionada por Deus, enquanto todos os restantes são desprezíveis e detestáveis.

Que toda a propriedade de outras nações pertence à nação judaica, que, consequentemente, tem o direito de apoderar-se sem quaisquer escrúpulos. Um judeu ortodoxo não é obrigado a respeitar os princípios da moral para com as pessoas de outras tribos. Ele pode agir de forma contrária à moral, se rentável para si mesmo ou para os judeus em geral.

Um judeu pode roubar um Goy; ele pode enganá-lo ao longo de um projeto de lei, que não deve ser percebido por ele, caso contrário, o nome de Deus se tornaria desonrado.

Sinédrio 58b
Se um goy matou um goy ou um judeu, ele é responsável, mas se um judeu matou um goy, ele não é responsável.

Sinédrio 57a
[Tradução: Um judeu pode roubar um Goy, mas um Goy não pode roubar um judeu. Se um Goy assassina outro Goy ou um judeu, ele deve ser morto, mas um judeu não será incorrido na pena de morte por matar um não-judeu.]
Mate o Goyim por qualquer meio possível.

Choshen Ha'mishpat 425: 50
Todo aquele que derramar o sangue dos ímpios [não-judeus] é tão aceitável a Deus como Aquele que oferece um sacrifício a Deus.

Yalkut 245c
Extermínio dos cristãos é um sacrifício necessário.

Zohar, Shemoth
Tob shebbe goyyim harog - Mesmo o melhor dos Goyim [gentios] deve ser morto.

Zohar, Shemoth, Toldoth Noah, Lekh-Lekha
Jeová criou o não-judeu em forma humana para que o judeu não tenha de ser servido por animais. O não-judeu é, portanto, um animal em forma humana, e condenado a servir o judeu dia e noite.

Schulchan Oruch, Orach Chaim 14, 20, 32, 33, 39
Um judeu pode fazer com uma não-judia o que ele quiser fazer. Ele pode tratá-la como se trata um pedaço de carne.

Hadarine, 20, B; Schulchan Aruch, Choszen Hamiszpat 348
Um judeu pode violar, mas não se casar com uma moça não-judia.

Gad. Shas. 2: 2
Um menino-goy, depois de nove anos e um dia de idade, e uma menina, depois de três anos e um dia de idade, são considerados imundos.

terça-feira, 26 de julho de 2016

"Minha Vila Olímpica, Minha Vida"

Amigos e amigas.
Vocês sabiam que o programa governamental de casas populares, o "Minha Casa, Minha Vida", foi ampliado para o mundo?! A Olimpíada do Rio consumou esta verdade. Por enquanto, três países já constataram isso oficialmente: Austrália, Suécia e Belarus. Mas a lista aumenta geometricamente.

O primeiro chamou os apartamentos da Vila Olímpica de "inabitáveis"; o segundo reclamou do estado dos banheiros, da limpeza e do acabamento (esta palavra, ao que parece, foi "levemente distorcida" pelos construtores da Vila); e o terceiro não apenas falou ("o apartamento ainda não tem água quente e está recebendo pouca água fria; o sistema de esgoto não funciona; chão, janelas e escadas precisam ser limpas."): postou fotos em seu site oficial:

problemas, Vila Olímpica, Rio 2016 (Foto: GloboEsporte.com)
Pequeno problema não notado pelo COB
Chão com sujeira nos apartamentos de Belarus (Foto: Reprodução / Site oficial do Comitê de Belarus)
Chão 'limpinho' dos apartamentos
Belarus reclama de janelas sujas na Vila dos Atletas (Foto: Reprodução / Site oficial do Comitê de Belarus)
Janelas igualmente 'limpinhas'
Banheiros, segundo delegação de Belarus, estão imundos (Foto: Reprodução / Site oficial do Comitê de Belarus)
Banheiro de primeiro mundo, né?
Relembrando os canais de televendas: "MAS ESPERE!! NÃO É SÓ ISSO!!". Ao menos, um "culpado" já foi encontrado e punido: o síndico da Vila! E a coisa já está mais alastrada do que o jornal nacional mostra: "Durante a segunda-feira, não foram apenas os suecos que deixaram a Vila Olímpica. Taxistas relatam que fizeram viagens em sequência para condomínios no bairro do Recreio, da Barra da Tijuca e de Jacarepaguá, sempre com delegações que estavam hospedadas no local. Durante a viagem, atletas e staff reclamavam dos mesmos problemas: entupimentos, vazamentos, sujeira no piso e paredes, e até problemas nas trancas das fechaduras dos apartamentos."

Um enorme risco será a violência e a insegurança endêmicas do RJ, fatos que, acredito eu, levarão o governo fluminense a "fazer acordos, pactos de não-agressão, uma trégua" com os chefões do tráfico. Não seria a primeira vez. Mas a Baía da Guanabara corre o risco de ser o vexame dos vexames. Lars Grael, ex-velejador e medalhista olímpico, foi contundente em sua ironia às condições da Baía: "Será uma competição com obstáculos!". Já seu irmão, Torben Grael, também velejador e medalhista olímpico com cinco pódios, foi mais nevrálgico. Veja AQUI. E um exemplo da situação dela abaixo:
Baía não foi despoluída para os Jogos
Obstáculos intransponíveis até para velejadores
Não nos esqueçamos de que algumas arenas estão "quase" prontas (tipo o Itaquerão), mas "vão pro pau" do jeito que Deus permitir. E que Ele venha abençoar os Jogos pessoalmente, porque só o Cristo Redentor não dará conta!
FAB29

Fontes (optei pelas fontes do GE para que não me acusem de ser parcial nas minhas críticas ao conglomerado Marinho. Se bem que seria impossível ele se omitir dessas verdades, como faz vergonhosamente com a política nacional, apoiando e sustentando grotescamente o golpe):

domingo, 24 de julho de 2016

Incompetência da Dilma

Amigos e amigas.
Uma grande bandeira dos chamados "coxinhas" contra a Dilma é a alardeada incompetência da presidente afastada: afirmam que ela não fez nada pelo país (exceto os "vale-esmolas"), além de a acusarem de ser a maior responsável (junto com Lula) pelos maiores casos de corrupção que o Brasil já viu.

No quesito "corrupção", já mostrei extensamente AQUI o que é corrupção de fato e seus irresponsáveis perpetradores, comparando-os aos governos petistas. Quanto ao "não ter feito nada pelo país", convido-os a verem algumas obras do governo Dilma (ou iniciadas no governo Lula).

Se os componentes dessa tropa de inúteis-úteis fossem minimamente imparciais e não fossem lobotomizados diariamente pela grande podre mídia, seriam contra o impeachment-golpe e rasgariam o verbo intensamente contra o maior câncer da sociedade: o congresso nacional. Mas sua mestra (consciente da oligofrenia e da passividade do poveco, financiadas a peso de ouro pelo capital mundial apátrida), aliada à Justiça conivente e condescendente, se permite fazer o que bem entende ao seu bel prazer e necessidade.

Esbaldem-se! Extraído DAQUI.
FAB29

17 mega-obras do Governo Dilma de que você provavelmente nunca ouviu falar

Quais dessas obras você já conhecia?


1- PONTE RIO NEGRO, AMAZONAS

Ponte Rio Negro, no estado do Amazonas. Com 3,6 km de extensão, é a segunda maior ponte fluvial do mundo e a maior estaiada do Brasil. Conecta Manaus ao município de Iranduba e demorou três anos e 10 meses para ficar pronta. O concreto e o aço utilizados na obra seriam suficientes para construir três estádios do Maracanã.

2- FERROVIA NORTE-SUL, EM CINCO ESTADOS
O trecho de 682 km da Ferrovia Norte-Sul, situado entre as cidades de Ouro Verde (GO) e Estrela do Oeste (SP), está com 70% das obras concluídas. Em outro trajeto da obra, já finalizado entre Tocantins e Goiás, são 855 km de ferrovia já em operação.

3- FERROVIA TRANS-NORDESTINA, CEARÁ, PERNAMBUCO E PIAUÍ
Integrada à Ferrovia Norte-Sul, liga o Porto de Pecém, no Ceará, ao Porto de Suape, em Pernambuco, além do cerrado do Piauí, no município de Eliseu Martins, num total de 1.728 km.

4- PONTE SOBRE O RIO MADEIRA
Obras na ponte sobre o rio Madeira, na divisa do Amazonas e Rondônia, na rodovia BR 319.

5- USINA EÓLICA ARIZONA, RIO GRANDE DO NORTE
Estado atinge 1.163,39 MW de potência instalada por meio de 42 parques eólicos em funcionamento e lidera o ranking eólico no Brasil.

6- BRT TRANS-CARIOCA, RIO DE JANEIRO
A Trans-Carioca tem 39 km de extensão e 45 estações entre o Terminal Alvorada e o Aeroporto do Galeão. Atende 450 mil pessoas por dia.

7- METRÔ DE SALVADOR, BAHIA


Dilma inaugurou, em junho, o primeiro trecho da primeira linha do metrô de Salvador. Com 7,4 km de extensão e 5 estações. O projeto prevê 41 km e 22 estações terminadas até 2017.

8- AMPLIAÇÃO E REFORMA DE 13 AEROPORTOS
Em Salvador, São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Natal, Belo Horizonte, Porto Alegre, Manaus, Fortaleza, Maceió, Cuiabá e Curitiba, os aeroportos foram reformados e ampliados. A capacidade dos aeroportos triplicou e todas as pistas foram reformadas, estacionamentos ampliados e terminais ampliados e modernizados.

9- MEGA PORTO DA BAHIA, O TERCEIRO MAIOR DO BRASIL
Projeto do mega porto baiano
Começam as obras do terceiro maior porto do Brasil, em Ilhéus, Bahia. O investimento será de R$ 2,2 bilhões, neste que será um dos portos mais modernos do mundo.

10- PONTE ANITA GARIBALDI, SANTA CATARINA
A ponte Anita Garibaldi em Laguna (SC) é a primeira ponte estaiada em curva do mundo e a terceira maior ponte do Brasil, com 2.830 metros de extensão. A obra faz parte do PAC-2 e impressiona pela sua magnitude.

11- UM MILHÃO DE CISTERNAS
Em todo o semiárido, foram entregues 545,7 mil cisternas e 54,7 mil tecnologias de apoio à produção agrícola. O governo tem a meta de distribuir, até o final de 2014, 750 mil unidades para consumo familiar e 76 mil de apoio à produção. Com as 350 mil entregues por Lula, são mais de um milhão de cisternas ajudando a combater a seca.

12- SUPER PORTO DO AÇU, RIO DE JANEIRO
Resultado de imagem para super porto açu rio
O super porto do Açu está localizado no município de São João da Barra, norte do Estado do Rio de Janeiro, mais especificamente no distrito de Açu. Sua localização é estratégica para a indústria do petróleo, por ser próximo às bacias de Campos e do Espírito Santo, podendo ser utilizado de base também a operação da Bacia de Santos.

13- PERÍMETRO IRRIGADO DE NILO COELHO, PERNAMBUCO
O perímetro irrigado de Nilo Coelho, localizado na cidade de Petrolina, no semiárido pernambucano, é o maior do Brasil em produção. Em 2013, o valor bruto de produção foi superior a R$ 700 milhões, com destaque para a fruticultura. Com área irrigável de 18.563 hectares, Nilo Coelho beneficia cerca de 2.200 famílias. O perímetro também prevê a geração de 20 mil empregos diretos e 30 mil indiretos.

14- 2,75 MILHÕES DE MORADIAS ENTREGUES PELO "MINHA CASA MINHA VIDA"
Lula entregou 1 milhão de moradias na primeira etapa do programa Minha Casa Minha Vida. Na segunda etapa, Dilma já entregou 2,75 milhões de casas e o projeto da terceira etapa prevê mais 3 milhões a partir de 2015. Na foto, o Residencial Viver Melhor, em Manaus.

15- 23 UNIVERSIDADES E 152 CAMPI CRIADOS
Na foto, a Universidade Federal do ABC, criada por Lula e ampliada por Dilma, considerada a melhor do Brasil.

16- USINA HIDRELÉTRICA DE BELO MONTE, PARÁ

Terceira maior hidrelétrica do mundo, a Usina de Belo Monte terá capacidade energética para atender a 60 milhões de pessoas.

17- USINA HIDRELÉTRICA DE ESTREITO, MARANHÃO
Resultado de imagem para USINA HIDRELÉTRICA DE ESTREITO, MARANHÃO

Com capacidade de geração energética de 1.077 MW, a usina de Estreito foi inaugurada em 17/12/2012, por Dilma Rousseff.

Além dessas obras, mais 22 usinas eólicas e 3 hidrelétricas foram construídas. Ainda há em andamento as obras de dez hidrelétricas (que agregarão mais 18.340 MW ao sistema), 14 termelétricas (3.871 MW), 95 eólicas (2.472 MW) e seis pequenas centrais elétricas (118 MW).

Adendo: Querem saber o que é, de fato, incompetência? Na verdade, no caso do Moro, é muito pior:
http://www.redebrasilatual.com.br/politica/2016/08/de-novo-moro-nao-intima-claudia-cruz-porque-nao-sabe-onde-ela-mora-3017.html

sexta-feira, 22 de julho de 2016

DATAFAKE!!

Glenn Greenwald

Amigos e amigas.
Não sou nenhum fã de Winston Churchill (como podem ver AQUI), mas que ele tinha uma grande capacidade intelectual e visão dos fatos, sem dúvidas (moralidade é outra história). Uma de suas grandes frases é esta: "Existem três tipos de mentiras: as mentiras em si, as mentiras sujas e as estatísticas".

No artigo abaixo, vemos a prova de como isso é uma verdade absoluta! Trata-se de uma traulitada na moral (inexistente) do DATAFOLHA, aplicada pelo jornalista ESTADUNIDENSE (já que por aqui, todos os que são do mesmo naipe dele não tem voz ativa e abrangência) Glenn Greenwald. Simplesmente leiam e, espero que como eu, vocês se deliciem com essa cueca apertada debaixo da saia justa que a "poderosa" Folha de São Paulo vestiu. Mais AQUI

Apenas tenham a certeza de que tal corrupção não se resume a ela e passem a, definitivamente, não mais aceitar passivamente o que esses "jornaleiros" regurgitam em suas cabecinhas (Atentem-se à frase contundente do editor da Folha, Sérgio D'ávila, que é mundialmente utilizada). Mais uma vez, meus agradecimentos ao caro amigo Carlos "Dé Réal" Cobalto pelo compartilhamento. Os sublinhados e negritos são meus.
FAB29

Enfim, um fiscal para a imprensa brasileira:
Greenwald e o escândalo Datafolha
Por Paulo Nogueira

A imprensa brasileira viveu sempre sem qualquer tipo de fiscalização, ao contrário do que acontece em sociedades avançadas.

Nelas, órgãos reguladores zelam firmemente pelo interesse público. Na Dinamarca, para ficar num caso, se um jornal publica na primeira página uma denúncia sem fundamento contra alguém, é forçado a publicar também na primeira página, em espaço equivalente, a correção.

A Justiça, que poderia fiscalizar aplicando penas severas a delinquências jornalísticas, é aliada das companhias de mídia. Gilmar Mendes já foi flagrado conversando com Bonner para combinar pauta no Jornal Nacional.

Essa ausência irrestrita de fiscalização explica, em boa parte, a tranquilidade com que Globo, Veja, Folha, etc moveram um jornalismo de guerra contra Dilma, Lula e o PT.

Mas há uma novidade.

Acabou a farra! Acabou a festa! Acabou a moleza!

Surgiu, como que do nada, mas espetacularmente, um fiscalizador. Não é um órgão, não é alguém togado: é uma pessoa física.

Estamos falando de Glenn Greenwald, jornalista americano radicado no Brasil e mundialmente respeitado. É detentor do prêmio jornalístico mais importante do universo, o Pulitzer, pela sua participação nas revelações no caso Snowden.

Com seu talento extraordinário, com seu espírito combativo voltado contra as injustiças cometidas pelos poderosos, e também com seu inglês que faz suas mensagens viajarem pelo mundo, Greenwald ganhou rapidamente a estatura de um fiscal gigante da mídia nacional.

Isso ficou brutalmente claro na forma como ele desmascarou uma das mais descaradas canalhices do que ele chama de mídia plutocrática: a manipulação da Folha no último Datafolha com o objetivo de favorecer Temer e o golpe.

Greenwald, com seu site The Intercept, investigou o Datafolha, e percebeu fraudes que acabaram viralizando nestes dias nas redes sociais, chegando a correspondentes internacionais e desmoralizando por completo os resultados apresentados pelo jornal.

Ficou evidente a farsa da manchete da Folha, segundo a qual 50% dos brasileiros querem Temer, fruto de uma trapaça disfarçada de pesquisa. Esta manchete, altamente conveniente para Temer, foi seguida pela mídia e seus comentaristas, e transmitiu uma falsa sensação de que o interino melhorou na avaliação das pessoas.

Mentira!

A Folha escondeu que 60% dos entrevistados ambicionam eleições. Escondeu literalmente: o jornal não deu este quadro da pesquisa Datafolha.

A Folha também escondeu que quase 40% dos ouvidos entendem que existe má fé na forma como o impeachment é conduzido.

Seria um número portentoso em qualquer circunstância, os 40% — e é ainda mais quando se sabe que a imprensa vem defendendo apaixonadamente a lisura do impeachment.

Greenwald forçou a Folha a dar uma matéria tentando explicar, pateticamente, o que fez. Circulou na internet uma frase autoincriminadora do editor Sérgio Dávila, segundo a qual é prerrogativa do jornal escolher o que publicar do material coletado pelo Datafolha.

É certo que o Datafolha jamais será visto da mesma forma depois deste escândalo, e é igualmente verdade que a imagem da Folha como golpista ficou ainda mais forte do que já era.

Greenwald já irrompera como fiscal da imprensa quando denunciou para a comunidade internacional o golpe, numa entrevista à CNN. Ele acabou com a versão “constitucional” que Globo, Folha e Veja tentavam passar para o mundo.

Virou imediatamente inimigo dos barões da mídia — e, ao mesmo tempo, seu fiscal.

Não poderia haver fiscal mais indigesto. Greenwald é amplamente mais capacitado que todos os colunistas e editores recrutados pelas companhias de jornalismo brasileiras. Sozinho, dá um baile em todos eles.

Contra ele, Marinhos, Frias e Civitas não podem colocar o rótulo de petista — como fazem cinicamente diante de críticas de sites independentes como o DCM.

E é um polemista apaixonado. A Folha tentou responder e Greenwald logo saiu para demonstrar a resposta “enganosa”. É um duelo entre mirins da Folha e um profissional.

É um fiscal por acaso. Greenwald acabou por se estabelecer no Brasil por razões amorosas. Apaixonou-se, numas férias, pelo brasileiro David Miranda, no Rio, e decidiu morar no Rio mesmo.

Para a sociedade brasileira, foi uma imensa sorte. Para os barões da mídia, o oposto.

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Decadência planejada

Amigos e amigas.
A islamização da Europa via imigração forçada está gerando todo tipo de violência, em especial, os estupros. Se assim quiserem (e afirmo categoricamente que é nossa obrigação) se inteirar melhor, acessem os links abaixo e detenham-se nos detalhes que seus blogueiros compartilharam:





E para coroar os nefastos efeitos dessa islamização, vejam (ou revejam. Nunca é demais!) o vídeo abaixo onde uma jornalista dinamarquesa que demonstra com total clareza, inteligência e imparcialidade seus pontos de vista sobre as consequências do fraquejamento do homem europeu.
FAB29



Como bônus, um vídeo em homenagem às mulheres de verdade:

sábado, 16 de julho de 2016

Jornalistas e jornaleiros

Udo Ulfkotte

Amigos e amigas.
Segue abaixo uma entrevista de um jornalista alemão (onde confessa ter sido muitas vezes um jornaleiro) ao jornal Russia Today. Nela, ele revela, escancara coisas que todo mundo "sabe", mas deixa quieto. Ou seja, comprova que a humanidade professa o mais abjeto comodismo quando se trata de se conscientizar das torpezas e iniquidades que grassam em seu seio.

Tais revelações nuas e cruas nos deixam ainda mais horrorizados quanto à manipulação imputada ao gado humano, onde a grande podre e vendida mídia nos remete a um labirinto de mentiras bovinamente aceitas sem questionar.

Leiam mais essa traulitada na cabeça dos oligofrênicos. Agradecimentos ao caro amigo Carlos Cobalto, que compartilhou essa pérola abaixo.
FAB29

Udo Ulfkotte, que trabalhou no Frankfurter Allgemeine Zeitung, fala ao Russia Today

Sou jornalista há 25 anos, e fui criado para mentir, trair, e não dizer a verdade ao público. Mas vendo agora, e nos últimos meses, o quanto … como alemão, a mídia dos EUA tentar trazer a guerra para os europeus, para trazer a guerra à Rússia. Este é um ponto de não retorno, e eu vou me levantar e dizer … que o que eu fiz no passado, não é correto, manipular as pessoas, para fazer propaganda contra a Rússia e o que os meus colegas fizeram no passado, porque eles são subornados para trair o povo, não só na Alemanha, mas de toda a Europa.

A razão para este livro é que estou muito preocupado com uma nova guerra na Europa, e eu não quero de novo a situação, porque a guerra nunca vem de si mesmo, há sempre pessoas por trás que levam à guerra, e não são só políticos; jornalistas também.

Eu só escrevi no livro sobre como traímos no passado nossos leitores apenas para levar à guerra, e porque eu não quero isso, eu estou cansado dessa propaganda. Nós vivemos em uma república de bananas; não é um país democrático, onde teríamos a liberdade de imprensa, direitos humanos.
[…]
Se você olhar para a mídia alemã, especialmente os meus colegas que, dia após dia, escrevem contra os russos, que estão em organizações transatlânticas, que são apoiados pelos Estados Unidos para fazer isso, pessoas como eu. Eu me tornei um cidadão honorário do Estado de Oklahoma. Por que exatamente? Só porque eu escrevia pró-Estados Unidos. Eu escrevia pró-Estados Unidos e fui apoiado pela Agência Central de Inteligência, a CIA. Por quê? Porque eu tinha que ser pró-americano.

Estou cansado disso. Eu não quero! E assim que eu acabei de escrever o livro — não para ganhar dinheiro, não; ele vai me custar um monte de problemas — só para dar às pessoas, neste país, a Alemanha, na Europa e em todo o mundo, apenas para dar-lhes um vislumbre do que se passa por trás das portas fechadas.
[…]
Sim, existem muitos exemplos disso: se você voltar na história, em 1988, se você for ao seu arquivo, você encontrará em março de 1988 que os curdos do Iraque foram atacados com gás tóxico, o que se tornou conhecido em todo o mundo. Mas em julho de 1988, eles [o jornal alemão] me mandaram para uma cidade chamada Zubadat, que fica na fronteira entre Iraque e Irã.

Foi na guerra entre iranianos e iraquianos, e eu fui enviado para lá para fotografar como os iranianos tinham sido atacados com gases venenosos, gás venenoso alemão. Sarin, gás mostarda, fabricado pela Alemanha. Eles foram mortos e eu estava lá para tirar fotos de como essas pessoas foram atacadas com gás venenoso da Alemanha. Quando voltei para a Alemanha, só saiu uma pequena foto no jornal, o Frankfurter Allgemeine, e saiu apenas uma pequena seção sem descrever como era impressionante, brutal, desumano e terrível, matar … matar, décadas após a Segunda Guerra Mundial, o povo com gás venenoso alemão.

Foi uma situação em que eu me senti abusado por estar lá apenas para fazer um documentário sobre o que tinha acontecido, mas não estar autorizado a revelar ao mundo o que tínhamos feito atrás das portas fechadas. Até hoje, não é bem conhecido do público alemão que havia gás alemão, houve centenas de milhares de pessoas atingidas só nesta cidade de Zubadat.

Agora, você me perguntou o que eu fiz para as agências de inteligência. Então, por favor, entenda que a maioria dos jornalistas que você vê em outros países afirmam ser jornalistas, e eles poderiam ser jornalistas, jornalistas europeus ou americanos … mas muitos deles, como eu no passado, são supostamente chamado de “informantes não-oficiais”. É assim que os americanos chamam. Eu era um “informante não-oficial”. A cobertura extra-oficial, o que isso significa?

Isso significa que você trabalha para uma agência de inteligência; você os ajuda se eles querem que você para ajude, mas nunca, nunca […] quando você for pego, se descobrem que você não é só um jornalista, mas também um espião, eles nunca dirão “era um dos nossos.”

Isso é o que significa uma cobertura extra-oficial. Então, eu ajudei-os várias vezes, e agora eu me sinto envergonhado por isso também. Da mesma forma que eu sinto vergonha de ter trabalhado para jornais como o Frankfurter Allgemeine, porque eu fui subornado por bilionários, subornado pelos norte-americanos para não refletir com precisão a verdade.
[…]
Eu só imaginava, quando eu estava no meu carro para vir a esta entrevista, tentei perguntar o que teria acontecido se eu tivesse escrito um artigo pró-russo no Frankfurter Allgemeine. Bem, eu não sei o que teria acontecido. Mas todos nós fomos ensinados a escrever artigos pró-europeus, pró-americanos, mas, por favor, não pró-russos. Portanto, estou muito triste por isso … Mas não é assim que eu entendo a democracia, a liberdade de imprensa, e eu realmente sinto muito por isso.
[…]
Sim, eu entendi a pergunta. A Alemanha ainda é uma espécie de colônia dos EUA, você verá em muitos aspectos; como [o fato de que] a maioria dos alemães não querem ter armas nucleares em nosso país, mas ainda temos armas nucleares americanas.

Então, sim, nós ainda somos uma espécie de colônia americana e, por ser uma colônia, é muito fácil de se aproximar de jovens jornalistas através de (e isso é muito importante) organizações transatlânticasTodos os jornalistas de jornais alemães altamente respeitados e recomendados, revistas, estações de rádio, canais de TV, são todos membros ou convidados destas grandes organizações transatlânticas. E nestas organizações transatlânticas, você é abordado por ser pró-americano. Não há ninguém que vem a você e diz: “Nós somos a CIA. Gostaria de trabalhar para nós?“. Não! Esta não é a maneira que acontece.

O que essas organizações transatlânticas fazem é convidá-lo para ver os Estados Unidos, pagam por isso, pagam todas as suas despesas, tudo. Assim, você é subornado, você se torna mais e mais corrupto, porque eles fazem de você um bom contato. Então, você não vai saber que esses bons contatos, digamos, não-oficiais, são de pessoas que trabalham para a CIA ou outras agências dos EUA.

Então, você faz amigos, você acha que você é amigo e você vai cooperar com eles. E se perguntam: “Você poderia me fazer um favor?”. Em seguida, seu cérebro passa por uma lavagem cerebral. A pergunta: é apenas o caso com jornalistas alemães? Não! Eu acho que este é particularmente o caso com jornalistas britânicos, porque eles têm uma relação muito mais próxima. Também é particularmente o caso com jornalistas israelenses. É claro que com jornalistas franceses, mas não tanto como com os jornalistas alemães ou britânicos.

Este é o caso para os australianos, os jornalistas da Nova Zelândia, de Taiwan e de muitos países. Os países do mundo árabe, como a Jordânia, por exemplo, como Omã. Há muitos países onde você encontra pessoas que se dizem jornalistas respeitáveis, mas se você olhar para trás, você vai descobrir que eles são fantoches manipulados pela CIA.
[…]
Desculpe-me por interrompê-lo; dou-lhe um exemplo. Às vezes, as agências de inteligência vêm para o seu escritório e sugerem que você escreva um artigo. Dou-lhe um exemplo, não de um jornalista estranho, mas de mim mesmo. Eu só esqueci o ano. Só me lembro que o serviço de inteligência alemão no exterior, o Serviço Federal de Inteligência da Alemanha (isto é apenas uma organização irmã da Agência Central de Inteligência) veio ao meu escritório no Frankfurter Allgemeine em Frankfurt. Eles queriam que eu escrevesse um artigo sobre a Líbia e o coronel Kadafi. Eu não tinha absolutamente nenhuma informação secreta sobre Kadafi e Líbia. Mas eles me deram toda a informação em segredo, só queriam que eu assinasse o meu nome.

Eu fiz isso. Mas foi um artigo que foi publicado no Frankfurter Allgemeine, que originalmente veio do Serviço Federal de Inteligência da Alemanha, a agência de inteligência no exterior. Então, você realmente acha que isso é jornalismo? As agências de inteligência escreverem artigos?
[…]
Oh, sim. Este artigo é parcialmente reproduzido no meu livro; este artigo foi “Como a Líbia e o coronel Kadafi secretamente tentam construir uma usina de gás tóxico em Rabta”. Acho que foi Rabta, sim. E eu tenho toda essa informação… foi uma história que foi impressa em todo o mundo, alguns dias depois. Mas eu não tinha nenhuma informação sobre o assunto e foi a agência de inteligência que me sugeriu escrever o artigo. Então, isso não é como o jornalismo deve funcionar, as agências de inteligência decidirem o que é publicado ou não.
[…]
Eu tive uma, duas, três … seis vezes a minha casa foi revistada, porque eu tenho sido acusado pelo procurador-geral alemão pela divulgação de segredos de Estado. Seis vezes invadiram a minha casa! Bem, eles esperavam que eu nunca iria me recuperar. Mas eu acho que é pior, porque a verdade virá à tona um dia. A verdade não vai morrer. E eu não me importo com o que acontecer. Eu tive três ataques cardíacos, não tenho filhos. Então, se eles querem me processar ou me jogar na cadeia… é pior para a verdade.
PS do Viomundo: Quem serão as fontes não oficiais da CIA no Brasil?

quinta-feira, 14 de julho de 2016

RIO 2016 na mira

Amigos e amigas.
Segue abaixo mais uma "teoria da conspiração", desta feita, referente à ocorrência de um possível atentado "terrorista" durante a Olimpíada 2016. Independente de vocês já de cara tacharem a notícia abaixo como "coisa de quem não tem o que fazer" ou pior, não custa nada "deixarem as barbas de molho" para não ficarem impressionados, aterrorizados e se deixarem levar mais uma vez pela grande podre mídia, da mesma maneira que no 11 de setembro. Os factóides já começaram.

Após lerem, poderão ver (racionalizando imparcialmente) que há uma boa dose de lógica e possibilidades de ocorrer algo bombástico (perdão pelo trocadilho meio infame) durante esse evento nevrálgico de visibilidade mundial. Começou com o golpe de estado "branco" parlamentar e midiático. Convido-os a se precaverem.
FAB29


América do Sul, a próxima vítima.

Um atentado terrorista durante a Olimpíada no Rio de Janeiro é possível e justificaria que o governo fantoche brasileiro aceite a presença de militares de Israel e EUA na região da Tríplice Fronteira. Quando ocorreu o atentado no aeroporto de Bruxelas, a empresa que cuidava da segurança era a israelense ICTS cujos membros pertencem ao Shin Bet. O supervisor-chefe era ninguém menos que Menachem J. Atzmon, ligado ao partido Likud do sociopata Benjamin Netanyahu. A empresa que cuida da “segurança” da Olimpíada no Rio também é israelense, para completar o gerente de tudo é um agente do Mossad. Acaso a capa da revista The Economist de 2016 anunciou um atentado terrorista de falsa bandeira durante a Olimpíada no Rio?

Mauricio Macri e Obama acabam de formalizar há poucas semanas o recebimento por parte da Argentina de 3 mil “refugiados sírios”. O interessante é que esta transferência não foi feita entre o presidente sírio Bashar al-Assad e Macri, mas por Obama e Macri e quem agradece são os EUA. Portanto, tudo indica que não se trata de refugiados, mas de mercenários terroristas com um destino traçado: infiltrar-se na Tríplice Fronteira, aliar-se com facções criminosas, começar a perpetrar atentados e assim justificar uma intervenção sionista de Israel e EUA na região do aquífero Guaraní.

Seguindo o lema do Mossad israelense “através do engano farás a guerra“, usarão estes terroristas que estavam na Síria e Iraque, como ferramenta de promoção do terrorismo na Tríplice Fronteira. Na mídia, vão dizer ao público que são “terroristas do Hezbollah e Irã”. Precisam convencer a população argentina e brasileira de que Israel e EUA devem intervir para “combater o narco-terrorismo”.

O maçom sionista Michel Temer foi colocado no poder através de um golpe de Estado para dar o respaldo a toda esta operação e faz dupla conspirativa e traidora com Mauricio Macri, que aceitou duas bases militares dos EUA na Argentina, uma em Ushuaia e outra em Misiones, justamente na região do aquífero Guaraní.

O esquema envolve a mídia internacional e local, Maçonaria, lobbies sionistas, ONG’s, think tanks, políticos corruptos e governos fantoches.

Fonte: http://noticia-final.blogspot.com.br/2016/06/a-estrategia-dos-eua-e-israel-para.html