Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Pornografia: a Arma Secreta

Amigos e amigas.
Seguem abaixo tradução e adaptação minhas de um artigo sobre pornografia, onde se mostra como o amaldiçoado status quo a utiliza para destruir as civilizações. É o clamor do sexo, algo necessário, natural e divino, sendo pervertido à décima potência por uma corja dantesca.

Trata-se de um complemento de outro post que vocês podem ver AQUI. Os colchetes em vermelho e os sublinhados são meus.
FAB29
Uma droga luxuriante
A ARMA SECRETA

Como pegar uma nação livre e de cidadãos independentes e torná-los escravos? Como fazer isso de forma lenta e imperceptível, sem violência e com a participação voluntária dos futuros escravos?

Muito simples: basta corrompê-los, enfraquecê-los, depravá-los, desmoralizá-los, até que tenham adquirido todas as características de escravos. E existe uma "varinha mágica", uma arma secreta capaz de realizar tal trabalho (transformar humanos em suínos): o SEXO.

Quem são os mais ricos e mais bem sucedidos empresários da indústria pornô, com lucro anual de US $ 100 bilhões? Os vendedores de pornografia pertencem a todas as raças, mas uma etnia está acima de todas, destaca-se como preeminente neste campo. Venda de sexo, assim como o tráfico de escravos e agiotagem, sempre foi uma especialidade judaica.

O historiador acadêmico judeu Dr. Nathan Abrams, talvez a mais renomada autoridade mundial sobre o papel judaico na pornografia, tirou o gato do saco há alguns anos em seu ensaio polêmico, Triple-Exthnics.



Publicado no prestigiado Jewish Quarterly em 2004, este ensaio explica em pormenores a forma como o mundo de dólares da indústria multibilionária pornô foi dominado por judeus.

Dr. Abrams não só admite que os judeus são os pornógrafos mais bem sucedidos do mundo: ele comemora o fato. “Judeus - ele nos diz - têm um rancor contra o cristianismo, um ódio atávico à autoridade cristã enraizado em séculos de humilhação; pornografia é uma das maneiras em que eles obtêm a sua vingança sobre os seus perseguidores cristãos - os opressores de ódio que os expulsaram de 109 países desde o ano 250 dC, sempre sem justificativa”. [É mesmo?!? Então, todos os povos no decorrer da História estavam errados? Foram injustos, covardes, etc, com os inocentes usurários? Haja óleo de peroba!]

O envolvimento judaico na pornografia (Dr. Abrams observa candidamente) tem uma longa história nos Estados Unidos. Embora os judeus representem apenas 2% da população americana, eles têm sido destaque na pornografia."

De acordo com uma fonte anônima da indústria, citada por E. Michael Jones na revista Cultura de Guerras (Maio de 2003), "os principais artistas do sexo masculino através da década de 1980 vieram de educações judaicas seculares e as fêmeas de escolas católicas romanas.

O cenário pornô padrão tornou-se, como resultado, uma fantasia judaica de possuir shiksas católicas (fêmeas não-judias).

O envolvimento judaico na indústria de sexo explícito pode ser visto como um proverbial dois dedos para todo o establishment na América branca.

O envolvimento judaico na pornografia - o Dr. Abrams acredita - almeja enfraquecer a cultura dominante na América pela subversão moral."

"CRISTO SUGA!" - Al Goldstein, pornógrafo judaica
Al Goldstein e seu respeito
à moral cristã
Al Goldstein, o editor judeu da revista Screw, uma vez teria dito (e Dr. Abrams tem o prazer de citá-lo): "A única razão por que os judeus estão na pornografia é que pensamos que Cristo é uma merda!"

Tal atitude indulgente do Dr. Abrams em relação à pornografia é um pouco surpreendente. Aqui está um homem que realmente acredita que a dominação judaica da indústria pornô é um feito incrível. Judeus obtêm estrelas de ouro pela promoção da masturbação.

Diretor Nacional da ADL, Abraham H. Foxman [nada saudoso] concorda com a ideia de "liberal", de que a pornografia é uma coisa boa (se não para as inúmeras vítimas do vício da pornografia, pelo menos para os judeus, que enriquecem em explorar esses viciados). "Os judeus que entram indústria pornográfica" - Foxman registra com aprovação - "o têm feito como indivíduos que perseguem o sonho americano [poético, não?]".

Dr. Abrams, o acadêmico judeu sóbrio, agora levanta a aposta, adicionando um toque sinistro para a controvérsia. "Os judeus são a força motriz por trás da moderna indústria pornográfica" - ele nos diz presunçosamente - "e sua motivação é, em parte, para destruir a moral dos gentios."

Note-se bem a frase. Isso equivale a uma declaração aberta de guerra. Por que os judeus desejam "destruir a moral dos gentios"? A menos que odeiem os gentios - neste caso, os cristãos - e queiram destruir os nossos valores mais queridos.

Sarah Silverman
Toda a pureza de
Sarah Silverman
Não há nenhuma lei para impedir esta ”comediante judia” ao lado de proferir obscenidades blasfemas contra Jesus Cristo e ofender a 2,1 bilhões de cristãos com seu comentário infame: "Eu espero que os judeus tenham matado Cristo! Eu o ferraria novamente! Em um segundo!"
Basta imaginar um comediante cristão igualmente bem conhecido que saísse com um insulto semelhante contra as notórias “vítimas do Holocausto”: "Espero que os nazistas tenham matado 6 milhões de judeus! Eu os ferraria novamente! Em um segundo!"
E, no entanto, o judeu de hoje, na pessoa de Sarah Silverman, é perfeitamente livre para cuspir na cara de Cristo e ainda é aplaudido por este discurso de ódio. O cristão não pode fazer nada sobre isso. Ele tornou-se um escravo em seu próprio país - um objeto de escárnio e desprezo.

Em um artigo na extinta revista “Jews in Porn“, partes do qual foram publicadas no site de Henry Makow, Luke Ford observou:

Acostumados ao ódio da sociedade, os judeus vão fazer seu trabalho sujo - como o empréstimo usurário de dinheiro na Idade Média ou a pornografia hoje - pela oportunidade de ganhar dinheiro.

Perseguidos por milênios nas diversas sociedades em que viviam [Sempre injustamente, é claro!], muitos judeus desenvolveram uma fidelidade à sua própria sobrevivência como o seu valor mais alto e pouco se preocupam com a sobrevivência da sociedade do perseguidor.

Mesmo quando os judeus vivem em uma sociedade que os acolhe em vez de assediá-los, muitos deles odeiam a cultura da maioria.

Mesmo enraizados em sua própria tradição ou na tradição cristã da maioria, vivem em uma comunidade de rebeldes.

Por causa da ênfase judaica na educação e destreza verbal, os judeus dominam a Academia, entretenimento e mídia em geral. Pornografia flui para fora desta cultura sobre a qual os judeus exercem uma influência desproporcional aos seus 2% da população norte-americana.

O principal estúdio pornô dos EUA é o Vivid Entertainment, talvez, a maior empresa de produção de pornografia no mundo. É propriedade do judeu multi-bilionário Steven Hirsch, conhecido como o "rei da pornografia". O Vivid gera cerca de US$ 100 milhões por ano em receitas, injeta 60 filmes por ano e os vende em lojas de vídeo, quartos de hotel, em sistemas de cabo e na Internet.

Se 55 por cento de pornografia infantil do mundo são produzidos nos EUA - de acordo com a instituição de caridade britânica Lar Nacional da Criança - 23 por cento dela são produzidos na Rússia.

São extremamente unidos, a ponto de não permitirem que um membro de sua tropa seja punido. Em julho de 2000, a polícia brasileira tentou prender o vice-cônsul de Israel no Rio de Janeirio, Arie Scher. Ele era procurado por suspeita de execução de um anel de pornografia infantil a partir da embaixada de Israel. Grandes quantidades de material pornográfico tinha sido encontrado em seu computador. O que aconteceu com Scher? Nada! Alegando imunidade diplomática, ele entrou em um avião para Tel Aviv.

Esses empreendedores do sexo, com a intenção de lucros fáceis, têm procurado avidamente abastecer as massas com o mais barato e mais mortal dos tranquilizantes: oportunidades para orgasmos múltiplos, por meio de um fluxo incessante de imagens pornográficas nos meios de comunicação que controlam.

Os cidadãos-modelo do futuro serão masturbadores felizes. Esta “atividade apaixonante” vai mantê-los ocupados durante todo o dia. Eles irão se tornar dóceis e complacentes, saciados e semi-sonolentos, como estrume drogado. Eles vão estar muito ocupados se desmoralizando para montar revoluções ou planejar ataques de vingança contra a elite sombria que foi a arquiteta de sua escravidão.

Aqui está o que o irmão Nathanael Kapner tem a dizer sobre este assunto. É um somatório puro. O fato de Kapner ser judeu faz suas palavras serem ainda mais atraentes.
"A degradação da vida social cristã ocidental não se limitou a acontecer; foi planejada, deliberadamente promovida e espalhada, conforme delineado em “Os Protocolos dos Sábios de Sião”. Esse enfraquecimento sistemático da cultura do Ocidente continua até hoje.
Os instrumentos desta agressão na cultura e na consciência cristã são as armas de propaganda: a imprensa, televisão, cinema e educação. A fonte chefe da propaganda é o cinema.
A partir de sua capital, em Hollywood, o judeu vomita uma série interminável de filmes pervertidos para rebaixar e degenerar a juventude da América e do mundo ocidental. O divórcio substitui o casamento, o aborto substitui o nascimento, a família torna-se o campo de batalha de luta individual. O judeu atingiu seu objetivo em destruir a cultura ocidental.”