Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


sexta-feira, 18 de março de 2016

Estado de Exceção

Amigos e amigas.
O Estado de Direito no Brasil há muito anda no fio da navalha. A elite farisaica parasítica que se refestelou no topo (ou vizinho dele) da pirâmide nacional à custa de todo tipo de hipocrisias e sordidezes, verdadeiros vendilhões do templo que Jesus execrou e contra quem até saiu na porrada, está se mobilizando ao máximo para destruir de vez esse Estado.

Utilizando-se de toda e qualquer atitude soez para manter seus privilégios, tal elite começa a vislumbrar abalos em sua tranquilidade "tão duramente conquistada". O estado de miserabilidade que grassa pela humanidade (cevada pelos supremacistas) é o maior de seus mantenedores: sem miseráveis, não haveria bilionários. Incitando revoltas no seio das massas massacradas, sugadas e vilipendiadas por seus feitores, essa elite age como capataz da boiada que ora toma as ruas do país acreditando que está lá por vontade própria, que é consciente dos fatos, das quadrilhas que verdadeiramente a roubam há séculos, da politicalha que se encastelou no Congresso Nacional, mas que não passa de uma tosca massa de manobra, de um bando de burgueses mesclados com famélicos e oligofrênicos, de uma patética piada de humor negro.

Boiada de desocupados, alienados e coisas piores a mando da elite escravocrata
Imersa nessa estupidez, a boiada segue mansamente os desígnios de seus mestres: protegê-los de toda e qualquer ameaça à sua supremacia e trabalhar como escrava para sustentá-los. Ela não consegue racionalizar que essas atitudes caquéticas como sair às ruas, fazer 'panelaços', 'apitaços', pintar o rosto em sinal de 'patriotismo', gritar palavras de ordem, só têm serventia aos grandes parasitas: elas não apenas causam desordens e, não raro, destruições do erário como colocam pessoas produtivas em situação de vagabundagem e inutilidade, convulsionando ainda mais o delicado organismo social.

Ela se deixa iludir com várias mentiras, como os movimentos "Diretas Já" e "Caras Pintadas". A primeira iniciou uma farsa chamada democracia, que colocou o país numa "democratura" impar: é o que acontece quando se delega o destino de um país às decisões de um povo analfabeto, iletrado e/ou inculto, sem opinião própria, corruptível, comodista, etc. Os donos do poder alisam o povinho jacó e jacu, afirmando que "só o exercício da democracia é que a melhorará". E ele acredita, apesar de estarmos chegando a TRINTA anos de exercício e a coisa só piorou. A segunda mentira quer propalar que as manifestações da população em 1992 foram decisivas para o impeachment do Collor, ou seja, que "o povo, quando quer e se une, pode qualquer coisa!". Daí, vemos cenas como a foto mais acima ilustrando toda essa pobreza e mediocridade mental, psicológica e espiritual do povinho.

A única verdadeira solução atende pelo nome de EDUCAÇÃO! Não aquela das escolas, apesar de ser muito importante e bem vinda quando usada corretamente, como um ensino edificante e socializador. Refiro-me à educação de berço, que só a maior das fortalezas (a Família) pode dar. Pais conscientes e abnegados a doutrinar, orientar e disciplinar seus filhos dentro de todas as virtudes, bem quereres e da distinção do certo e do errado são a panacéia para as iniquidades do mundo. Exatamente por isto ser a essência da Verdade é que os supremacistas bombardeiam sem descanso essa fortaleza. Utilizam-se principalmente de sua mídia, que regurgita podridões a todo instante no seio dos lares, e do envilecimento do ensino, que desvirtua a edificação mental e social das crianças e adolescentes.

No dia em que a sociedade se aperceber dessa Verdade sobre a Família e passar a executá-la com tenacidade e constância, em pouco tempo, nunca mais veremos cenas bufas, como a boiada humana pastando pelas ruas, e nulidades, como as que somos obrigados a vivenciar diuturnamente na política. E o Estado de Exceção que está às nossas portas nunca mais nos assombrará.
FAB29