Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


sexta-feira, 22 de abril de 2016

Explicações?

Amigos e amigas.
Após um verão 2015/16  razoavelmente chuvoso, eis que retornamos à seca logo no início do outono. Neste seu primeiro mês, o sul do país continua recebendo muita chuva e o sudeste e o centro-oeste padecem com uma carência de chuvas estranhíssima, no mínimo, além de temperaturas totalmente atípicas. Compilei algumas explicações de "especialistas" para tais fenômenos reaparecerem, após três anos em que uma sequência criminosa de fatores secou o Cantareira. Adivinham o principal motivo? Claro: o El Niño! Mas há vários contorcionismos e informações. Confiram:

Interessante: sempre afeta preferencialmente o sudeste do país
- O canal Climatempo afirmou em 13/04/2016: "Após a chuva volumosa de janeiro sobre o Sudeste, o Nordeste, parte do Norte, do Centro-Oeste e do Sul do Brasil, quando houve a formação de uma Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), a circulação de ventos e o padrão de pressão característicos do El Niño voltaram a predominar sobre o Brasil (...) Um dos efeitos mais importantes foi o de aumentar a atuação sobre o Brasil do sistema ASAS - alta pressão atmosférica do Atlântico Sul. Outro efeito é o de causar bloqueios atmosféricos alterando o caminho das frentes frias e do ar polar associado à elas.
Todo o sistema de alta pressão reduz a umidade do ar e consequentemente a nebulosidade e as condições para chuva. (...) O El Niño antecipou o inicio da estiagem do outono/inverno especialmente no Sudeste, no Centro-Oeste, mas também na Bahia e até no norte do Paraná."

- No site Infoclima, de 24/03/2016, é dito: "Em meados de janeiro, os padrões de circulação atmosférica passaram a ser influenciados por condições de bloqueio e oscilações atmosféricas intrassazonais que contribuíram para a formação de um longo episódio de Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS). Entre o final de fevereiro e meados de março, também se configuraram episódios mais fracos de ZCAS. A formação destes sistemas, em conjunto com a atuação de vórtices ciclônicos em altos níveis da atmosfera, resultou no aumento dos totais pluviométricos em parte das Regiões Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil"

La Niña e sua "língua fria"
- Neste site: "No entanto, em outras áreas, como no sudeste brasileiro, o El Niño tem se mostrado até benéfico, uma vez que aumentou a quantidade de chuvas". E também falam sobre "La Niña": "Sob o fenômeno La Niña, as frentes frias que costumam ficar “estacionadas” no sul do Brasil, no inverno, passam a se deslocar com mais rapidez. O sudeste apresenta então, temperaturas mais baixas que o normal e as frentes frias chegam até o centro-oeste, o nordeste e o norte do país, o que acarreta em uma quantidade maior e mais distribuída de chuvas por todo o território nacional"

- O jornal EPTV Campinas, na sua edição de 19/04/2016, explicou que a origem do calorão e da estiagem trata-se também de um "jato subtropical, uma corrente de vento que ajuda a formar um 'paredão' que bloqueia a passagem das nuvens".

E, neste link, há uma longa e interessante explanação sobre o assunto. Enfim, nesse "Samba do Crioulo Doido" climático, a tônica que há tempos grassa por aí se mantém: fala-se um monte sem se dizer muita coisa coerente entre as fontes informativas. Além de digressionarem a respeito da guerra climática que há muitas décadas é travada pelo mundo, classificando-a como mais uma pífia "teoria da conspiração". Nesta toada, a população mundial aceita mansamente os desmandos dos supremacistas que fazem do trabalho da humanidade seu repasto, além de crer que é tudo "obra de Deus"; "Deus sabe o que faz"; "Fazer o quê, né?"

Amém, né?!...
FAB29

Adendos: Os terroristas são hipócritas no último:
http://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/estado/2016/10/24/concentracao-de-gases-atinge-recorde-e-onu-anuncia-nova-era-climatica.htm

Mas não explicam decentemente coisas assim, próximas do verão tropical:
https://noticias.terra.com.br/climatempo/frio-perto-de-zero-grau-no-sul,e278e5ff2f73df06941a1603f0b1932b62ex66e6.html

Muito menos estas incoerências (outubro/2016):
http://viagem.uol.com.br/noticias/2016/10/22/vai-para-o-hemisferio-norte-no-inverno-saiba-se-vestir-para-nao-congelar.htm

Adendo 1- As fotos abaixo (mesmo com meu celular pré-histórico) comprovam mais uma vez os efeitos dos rastros químicos nas nuvens. Eles ficaram três semanas sem aparecer e, ao darem as caras novamente, as "nuvens de algodão" das primeiras fotos voltaram a dividir o céu com a névoa química (E hoje, 21/06/2016, das 6:45 h até as 8:00 h, vi 10 [DEZ!] rastros químicos):

Rastro químico - Norte/Sul
23/04/16
Rastro químico - Norte/Sul
Continuação - 23/04/16
Efeito do rastro químico
Nuvens ao Sul - 24/04/16
Adendo 2 - Basta um grafiquinho de merda da NASA e a 'verdade' está explicada:
http://g1.globo.com/natureza/noticia/mes-passado-foi-o-setembro-mais-quente-em-136-anos-diz-a-nasa.ghtml

Adendo 3 - Mais um artigo científico mostrando o inverso do pífio aquecimento global e do patético aumento dos oceanos: