Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


quarta-feira, 29 de junho de 2016

E você ainda não acredita?!

Amigos e amigas.
Segue abaixo mais um claro exemplo da regra (que os sionistas tentam burlescamente chamar de "exceção") usada pelos líderes talmudistas com relação aos não-judeus. As declarações "consternadas" do Foxman (condenando as palavras "odiosas" do rabino) são tão bizarramente falsas que até mesmo um débil mental filo-sionista não conseguiria segurar um laivo de vergonha. Basta olhar o tratamento brutal, covarde e verdadeiramente odioso dispensado aos palestinos.

A maior prova de que essas declarações de Yosef publicadas no jornal israelense Haaretz não são exceções está neste post. Por enquanto, fiquem com esta fresquíssima nova pancada talmudista nos otários cristãos et caterva. Sobre essa declaração, veja um pouquinho mais AQUI.
FAB29

Pensar que este adorável ser viveu 93 anos...
Rabino Ovadia Yosef disse no sermão de sábado que "Goyim [não-judeus] não têm lugar no mundo - exceto para servir o povo de Israel'“; chefe da ADL chamou as palavras de Yosef 'cheias de ódio' e 'divisionistas'.

O Anti-Defamation League na terça-feira condenou os comentários sobre os não-judeus feitos neste fim de semana passado pelo líder espiritual do Shas, rabino Ovadia Yosef.

Em um sermão dado no sábado sobre as leis a respeito do que não-judeus estão autorizados a fazer no Shabat [coisas de que os judeus estão proibidos], Yosef disse: "Os goyim [não-judeus] nasceram apenas para nos servir. Sem isso, eles não têm nenhum lugar no mundo - apenas para servir o povo de Israel".

"Por que os gentios são necessários? Eles vão trabalhar, eles vão arar, eles vão colher. Vamos sentar-nos como um effendi  [nobre] e comer."

De acordo com Yosef, a morte "não tem domínio" sobre os não-judeus em Israel.

"Com gentios, será como qualquer pessoa - Eles precisam morrer, mas [Deus] lhes dará longevidade. Por quê? Imagine um burro que iria morrer; eles perderiam o seu dinheiro. Este é seu servo ... É por isso que ele recebe uma vida longa: para trabalhar bem para esse judeu".

Na terça-feira, a ADL, disse que os comentários de Yosef contribuíram "para uma atmosfera de ódio e uma tendência global de intolerância."

"É perturbador ver qualquer líder religioso, e, particularmente, o rabino Ovadia Yosef, usar seu pódio para pregar tais idéias odiosas e divisivas", disse o chefe da ADL Abraham H. Foxman.

"Em um mundo onde a intolerância e o preconceito são predominantes, é especialmente importante para os líderes religiosos para usar sua influência para ensinar o respeito e aceitação." ele continuou.

Em agosto, Yosef provocou polêmica quando ele falou para o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, "ser exterminado deste mundo" e disse que os palestinos eram "maldosos, amargos inimigos de Israel."

...e, quando morreu, quem o adorava foi ao seu enterro.