Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


domingo, 19 de fevereiro de 2017

Então, é Natal.

Amigos e amigas.
Recebi por e-mail mais uma versão da origem da "Arvore de Natal". Achei interessante e resolvi compartilhar com vocês. Não a tenho como a verdade; apenas vejo a necessidade de conhecermos os possíveis meandros da origem de algo tão significativo a todos os que têm o Mestre Maior como sua estrela-guia.
Continuo com o espírito plenamente aberto à vida, ao amor e ao bem querer que a data preconiza, independente da história abaixo ser correta. A influência da Palavra do Sábio dos sábios não será facilmente deturpada por uma versão de um detalhe.
Um eterno e constante Feliz Natal a todos os que amam a Vida e o Amor, com toda a saúde em todos os sentidos!
FAB29

Resultado de imagem para nimrod
A Trindade Babilônica
Sabe-se bastante de muitos documentos antigos que falam que Nimrod se afastou de Deus. O homem que começou a grande apostasia profana e bem organizada, que tem dominado o mundo até hoje. Nimrod era tão perverso que se diz que casou-se com sua mãe, cujo nome era Semíramis.

Depois de sua morte prematura, sua mãe-esposa propagou a doutrina maligna da sobrevivência de Nimrod como um ente espiritual. Ela alegava que um grande pinheiro havia crescido da noite para o dia, de um pedaço de árvore morta, que simbolizava o desabrochar da morte de Nimrod para uma nova vida.

Todo ano, no dia de seu aniversário de nascimento, ela alegava que Nimrod visitava a árvore "sempre viva" e deixava presentes nela.

O dia de aniversário de Nimrod era 25 de dezembro. Esta é uma versão da verdadeira origem da "Árvore de Natal"!

4 comentários:

  1. Muito interessante!

    Também é sempre fundamental considerar que, nas tradições humanas em geral, as divindades masculinas são símbolos da expressão ativa do universo enquanto as divindades femininas da expressão passiva do universo.

    O simbolismo é indispensável para compreender a antropologia devidamente!

    Bom artigo!

    Abraço camarada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daí, junta-se outros simbolismos como o Papai Noel, que também tem várias origens, e ficamos num emaranhado de pedaços de outras tradições que formaram nossa cultura atual.

      Nisso tudo, que a fé, o amor e o bem querer se sobreponham.
      Abraço.

      Excluir
  2. Também é importante considerar a celebração relativa ao dia 25 de dezembro (próxima ao Solstício de inverno, 22 de dezembro no hemisfério norte - aqui talvez seja algum ajuste no calendário -, que é noite mais longa do ano) que em várias tradições, a de Roma por exemplo, na qual ocorre a tradição do Sol Invicto, simbolizando a eterna vitória do sol sobre as trevas, ou da força criadora sobre a matéria, e tantos outros símbolos.

    Há relação com tal analogia na Babilônia no presente artigo e com uma data equivalente na China também, entre outras tradições...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tantas e tantas tradições, culturas, detalhes ocultados, outros adaptados,...! Celebremos a vida e o bem estar. Isto já garantirá distância segura dos parasitas.

      Claro que nunca nos furtemos de exterminá-los sempre que possível.

      Excluir