Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


sexta-feira, 28 de julho de 2017

Jejum

Amigos e amigas.
Consumismo é a ordem dos supremacistas ao povinho. Porém, consumo essencialmente de porcarias que eles produzem. Daí, o ciclo se fecha com louvor: o dinheiro gira em torno deles mesmos, o povinho se mantém trabalhando para eles e sobrevivendo entre centenas de tipos de males, escravos dos 'remédios' da máfia criada por eles.
A quantidade consumida também é uma arma de submissão em massa, pois mantém sobrecarregado o organismo física, mental e psicologicamente. Nesse nível de saturação, tudo degringola e fica anestesiado, insensível às sutilezas parasíticas de dominação.
Vejam no artigo abaixo a importância e os benefícios que há em se fazer um jejum controlado, informações que os supremacistas se esmeram em ocultar da sua boiada.
FAB29

Resultado de imagem para jejum
Saiu por não ser salutar aos parasitas

Porque a dieta normal é três refeições diárias mais lanches? Não é porque ela seja o padrão mais saudável de comer, isto é a minha opinião, mas eu acho que existe um monte de evidência que mostra isso. Existe uma grande pressão que exista esse padrão de alimentação; existe muito dinheiro envolvido.
A indústria alimentícia – ela vai ganhar dinheiro de pessoas que pularam o café da manhã, como eu fiz hoje? Não, ela vai perder dinheiro. Se as pessoas jejuarem, a indústria alimentícia perde dinheiro. E a indústria farmacêutica?
Se as pessoas fizerem pequenos jejuns, se exercitarem periodicamente e forem muito saudáveis, a indústria farmacêutica vai fazer dinheiro com pessoas saudáveis?


Principais pontos da palestra e a ciência da qual ela veio
Mark e sua equipe já publicaram vários artigos que discutem como jejuar duas vezes por semana pode diminuir o risco de desenvolver doenças como Parkinson e Alzheimer
Já são bem conhecidas as mudanças que fazemos na dieta afetam nosso cérebro. Crianças que sofrem de epilepsia tem menos episódios quando são colocadas em dietas de restrição calórica ou jejuns.
Acredita-se que o jejum ajuda a iniciar medidas protetivas que ajudam a contrabalancear os sinais superexcitados que os cérebros epiléticos muitas vezes exibem (algumas crianças também se beneficiaram de uma dieta bem especifica com muita gordura e pouco carboidrato).
Cérebros normais, quando superalimentados, podem experimentar outro tipo de excitação descontrolada, impedindo o funcionamento cerebral.
Basicamente, quando você olha para estudos sobre restrição calórica, muitos deles mostram um tempo de vida prolongado assim como uma habilidade aumentada de lutar contra doenças crônicas.
A restrição calórica aumenta o tempo de vida e retarda doenças crônicas relacionadas a idade em muitas espécies, como ratos, camundongos, peixes, moscas, minhocas e leveduras. O mecanismo (ou mecanismos) pelo qual isso ocorre é desconhecido”.
A frase acima é de uma revisão da literatura que tem mais de 10 anos. O trabalho apresentado aqui mostra alguns dos mecanismos que antes eram desconhecidos.
O jejum faz coisas boas ao cérebro, e isso é evidenciado pelas mudanças neuroquímicas benéficas que acontecem no cérebro quando em jejum. Também aumenta a função cognitiva, fatores neurotróficos, resistência ao dano e reduz a inflamação.
O jejum é um desafio para o cérebro e o cérebro responde a esse desafio adaptando vias de resposta ao dano que ajudam o seu cérebro a lidar com o dano e o risco de doenças. As mesmas mudanças que ocorrem no cérebro durante o jejum imitam as mudanças que ocorrem com exercício regular. Ambas aumentam a produção de fatores neurotróficos que promovem o crescimento de neurônios, a conexão entre eles e a força das sinapses.
Desafios para o cérebro, seja por jejum intermitente ou exercício vigoroso, (...) é um desafio cognitivo. Quando isso acontece, circuitos neurais são ativados, níveis de fatores neurotróficos aumentam e isso promove o crescimento de neurônios (e) a formação e fortalecimento das sinapses.
O jejum também pode estimular a produção de novas células nervosas de células-tronco no hipocampo. Ele também menciona a produção de cetonas e que isso poderia aumentar o número de mitocôndrias nos neurônios.
O jejum também aumenta o número de mitocôndrias nas células nervosas; isso é um resultado dos neurônios se adaptando ao dano pelo jejum (pela produção de mais mitocôndrias).
Pelo aumento do número de mitocôndrias nos neurônios, a habilidade dos neurônios de formar e manter as conexões entre eles também aumentam, melhorando assim o aprendizado e a memória.
“O jejum intermitente aumenta a habilidade das células nervosas de repararem DNA.”
Ele também entra no aspecto evolucionário da teoria – como nossos ancestrais adaptaram e foram selecionados para passar longos períodos de tempo sem comer.
Um estudo publicado na revista Cell Stem Cell por pesquisadores da Universidade do Sul da Califórnia mostrou que ciclos de jejum prolongado protegem contra danos no sistema imune e, mais ainda, induz a regeneração do sistema imune.
Eles concluíram que o jejum altera as células-tronco do estado dormente para o estado de auto-renovação. Ele ativa a regeneração baseada em células-tronco de um órgão ou sistema.
Pesquisas clinicas em humanos foram realizadas usando pacientes que recebiam quimioterapia. Por longos períodos de tempo, os pacientes não comiam, o que reduziu as células de defesa. Em camundongos, ciclos de jejum “ligaram a regeneração, mudando as vias de sinalização das células tronco hematopoéticas, que são responsáveis pela geração do sistema sanguíneo e imune.
Isso significa que o jejum mata as células imunes velhas e danificadas e quando o organismo reinicia, ele usa as células-tronco para criar células novinhas, completamente saudáveis.
Nós não poderíamos prever que o jejum prolongado poderia ter um efeito tão impressionante na promoção de regeneração baseada em célula-tronco do sistema hematopoético (...) Quando você passa fome, o sistema tenta poupar energia e uma das coisas que você pode fazer para poupar energia é reciclar muitas células imunes que não são necessárias, especialmente aquelas que estão danificadas. Nós começamos a notar em humanos e animais que as células de defesa diminuem no jejum prolongado. Quando você é realimentado, as células retornam.” – Valter Longo
Uma revisão de vários estudos sobre jejum foi publicada no The American Journal of Clinical Nutrition, em 2007. Ela examinou estudos em humanos e animais e determinou que o jejum é uma maneira efetiva de reduzir o risco de doenças cardiovasculares e câncer. Também mostrou potencial em tratar a diabetes.
Antes de jejuar
Antes de começar a jejuar, tenha certeza que fez seu dever de casa. Pessoalmente, eu venho jejuando por anos e é algo fácil para mim.
Uma maneira recomendada de fazer – que foi testada pelo Michael Mosley, da BBC, para reverter seu diabetes, colesterol alto e outros problemas associados com a obesidade – é a que é conhecida como “Dieta 5:2”.
No plano 5:2, você reduz sua comida para um quarto das suas calorias normais nos dias em jejum (que deve ser algo como 600 calorias para homens e 500 calorias para mulheres nas terças e quintas por exemplo), mas consumindo bastante água. Nos outros cinco dias da semana, você come uma dieta normal (no mesmo exemplo, 2400 para homens e 2000 para mulheres nos outros dias).
Outra maneira de fazer é restringir sua alimentação em algum horário específico, como só comer entre as 11 da manhã e 7 da noite e não comer fora desse horário.
Extraído daqui.

sexta-feira, 21 de julho de 2017

A Europa de quatro.

Amigos e amigas.
O estupro das culturas mundiais (especialmente a caucasiana) prossegue célere e brutal. Todos os valores cultivados e cultuados pelas nações européias e que são a base e o cerne de suas tradições e povos continuam a se deteriorar devido ao investimento dos supremacistas e à anuência oligofrênica da humanidade.

Abaixo, um texto que mostra mais uma punhalada desse apodrecimento financiado e levado a cabo para a total exasperação, prostração e submissão dos povos. Extraído daqui.
FAB29

Resultado de imagem para estupro


A França, Suécia, Alemanha e outras nações europeias estão no caminho para legalizar o estupro cometido por migrantes porque essa é a "cultura deles".


Por mais chocante que isso possa parecer, um recente número de estupradores que escaparam de uma punição severa, sugerem que haja um precedente já estabelecido para descriminalizar estupros por migrantes porque eles não "entendem culturalmente" as leis de estupro do Ocidente, ou até mesmo a palavra "não".



Em suma, os estupros cometidos pelos migrantes são minimamente interpretados como "mal-entendidos culturais" e, portanto, as vítimas nunca recebem justiça, o que significa que a legalização do estupro "de fato" está, em sua maior parte, já em vigor.



Por exemplo, um juiz alemão absolveu recentemente um narcotraficante turco apesar de acreditar em "cada palavra" da acusação da vítima de 23 anos porque, de acordo com o juiz, o que a vítima "tinha experienciado como estupro", incluindo ter sua cabeça enfiada entre duas camas depois dela dizer não, pode ser considerado "culturalmente" como "sexo selvagem" na Turquia.



"O promotor admitiu que a absolvição deve ter sido um duro golpe para a vítima", informou o Märkische Allegemeine, traduzido do alemão. "Por outro lado, não foi possível uma convicção porque não havia intenção comprovada de estupro [pelo acusado]".



Ainda mais, o homem turco alegou que ele não teria cometido um estupro porque ele tinha uma mãe e uma irmã.



"A narrativa de esquerda doutrinou os nativos alemães tão fortemente que seu respeito multicultural inclusivo e seu conformismo burocrático são capazes de enrolar o que é, sem dúvida, estupro em uma questão cultural ofensiva, uma questão que tanto a autoridade legal como a mulher sexualmente abusada responderam afirmativamentecomentou Damian Black ao Return of Kings. "Nada estava escondido, nada oculto; todas as evidências foram confirmadas e compreendidas, apenas para serem ignoradas como um mal-entendido étnico".



Isto não é apenas limitado a Alemanha, no entanto. Como relatei em abril, um muçulmano na Suécia se livrou da prisão por estuprar uma adolescente de forma anormal porque ele "não conseguiu entender a palavra não", de acordo com o Hovrätten (tribunal) da Suécia ocidental.



O tribunal ficou do lado do migrante ainda mais, sugerindo que o "não" repetido pela garota referia-se apenas ao sexo anal forçado, que os juízes de alguma forma não consideravam estupro.



E, como também relatei em fevereiro, um tribunal sueco condenou um migrante muçulmano a apenas dois meses de prisão depois de ter sido condenado por estupro de uma garota de 13 anos.



Ele também foi condenado a pagar o equivalente a apenas 2.800 dólares de indenização à vítima.



Esta é uma verdadeira cultura de estupro na Europa, mas não espere que as feministas americanas deem muita importância.

segunda-feira, 17 de julho de 2017

País imoral e injusto

Amigos e amigas.
Não pretendo, neste momento, vir em defesa de alguém, mas, sim, de algo: a verdade dos fatos. O texto abaixo é do advogado e professor Fernando Hideo, da PUC, SP.

Nele, as arbitrariedades perpetradas pela grotesca parcialidade e, até, imoralidade de Sérgio Moro na condenação de Lula são esmiuçadas tecnicamente, comprovando-se a falta de critérios justos e o único objetivo do referido juiz: cumprir alguma "ordem superior" para manter o estado de exceção em que foi jogado o país com a anuência da oligofrenia paneleira e congêneres.

Independente de qualquer coisa, seu posicionamento, opinião, etc, dê uma conferida na opinião de alguém abalizado para emitir uma opinião sobre o tema.
FAB29

Imagem relacionada

CONDENAÇÃO POLÍTICA DE LULA

1. Não me proponho a exaurir o tema, tampouco entrar num embate próprio das militâncias partidárias. Relatarei apenas as minhas impressões na tentativa de traduzir o juridiquês sem perder a técnica processual penal.

2. OBJETO DA CONDENAÇÃO: a “propriedade de fato” de um apartamento no Guarujá.

Diz a sentença: “O ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua esposa eram PROPRIETÁRIOS DE FATO do apartamento 164-A, triplex, no Condomínio Solaris, no Guarujá”.

Embora se reconheça que o ex-presidente e sua esposa jamais frequentaram esse apartamento, o juiz fala em “propriedade de fato”. O que é propriedade?

Código Civil – Art. 1.228. O proprietário tem a faculdade de usar, gozar e dispor da coisa, e o direito de reavê-la do poder de quem quer que injustamente a possua ou detenha.

Portanto, um “proprietário de fato” (na concepção desse juiz) parece ser alguém que usasse, gozasse e/ou dispusesse do apartamento sem ser oficialmente o seu dono.

Esse conceito “proprietário de fatonão existe em nosso ordenamento jurídico. Justamente porque há um outro conceito para caracterizar essa situação, que se chama POSSE:

Código Civil – Art. 1.196. Considera-se possuidor todo aquele que tem de fato o exercício, pleno ou não, de algum dos poderes inerentes à propriedade.

E não foi mencionado na sentença qualquer elemento que pudesse indicar a posse do ex-presidente ou de sua esposa do tal triplex: tudo o que existe foi UMA visita do casal ao local para conhecer o apartamento que Léo Pinheiro queria lhes vender. Uma visita.

Portanto, a sentença afirma que Lula seria o possuidor do imóvel sem nunca ter tido posse desse imóvel. Difícil entender? Impossível.

3. TIPIFICAÇÕES:

– corrupção (“pelo recebimento de vantagem indevida do Grupo OAS em decorrência do contrato do Consórcio CONEST/RNEST com a Petrobrás”)

– lavagem de dinheiro (“envolvendo a ocultação e dissimulação da titularidade do apartamento 164-A, triplex, e do beneficiário das reformas realizadas”).

4. PROVAS DOCUMENTAIS: um monte de documentos sobre tratativas para compra de um apartamento no condomínio do Guarujá (nenhum registro de propriedade, nada que indique que o casal tenha obtido sequer a posse do tal triplex) e uma matéria do jornal ‘O Globo’ (sim, acreditem se quiser: há NOVE passagens na sentença que fazem remissão a uma matéria do jornal ‘O Globo’ como se prova documental fosse!).

Esse conjunto de “provas documentais” comprovaria que o ex-presidente Lula era o “proprietário de fato” do apartamento.

Mas ainda faltava ligar o caso à Petrobras (a tarefa não era assim tão simples, porque a própria denúncia do Ministério Público do Estado de São Paulo — aquela mesmo que citava Marx e “Hegel” — refutava essa tese)…

5. PROVA TESTEMUNHAL: aí entra a palavra dos projetos de delatores Léo Pinheiro e um ex-diretor da OAS para “comprovar” que o apartamento e a reforma seriam fruto de negociatas envolvendo a Petrobras.

Não há nenhuma prova documental para comprovar essas alegações, apenas as declarações extorquidas mediante constante negociação de acordo de delação premiada (veremos adiante que foi um “acordo informal”).

6. CORRUPÇÃO: Eis o tipo penal de corrupção:

Art. 317 – Solicitar ou receber, para si ou para outrem, direta ou indiretamente, ainda que fora da função ou antes de assumi-la, mas em razão dela, vantagem indevida, ou aceitar promessa de tal vantagem

Portanto, deve-se comprovar basicamente:
– solicitação, aceitação da promessa ou efetivo recebimento de VANTAGEM indevida; e
– CONTRAPARTIDA do funcionário público.

No caso, o ex-presidente foi condenado “pelo recebimento de vantagem indevida do Grupo OAS em decorrência do contrato do Consórcio CONEST/RNEST com a Petrobrás”.

O pressuposto mínimo para essa condenação seria a comprovação:
– do recebimento da vantagem (a tal “propriedade de fato” do apartamento); e
– da contrapartida sobre o contrato do Consórcio CONEST/RNEST com a Petrobrás. Correto? Não.

Como não houve qualquer prova sobre a contrapartida (salvo declarações extorquidas de delatores), o juiz se saiu com essa pérola:

Basta para a configuração que os pagamentos sejam realizadas em razão do cargo, ainda que em troca de atos de ofício indeterminados, a serem praticados assim que as oportunidades apareçam.”

E prossegue, praticamente reconhecendo o equívoco da sua tese: “Na jurisprudência brasileira, a questão é ainda objeto de debates, mas os julgados mais recentes inclinam-se no sentido de que a configuração do crime de corrupção não depende da prática do ato de ofício e que não há necessidade de uma determinação precisa dele”.

Ou seja, como não dá pra saber em troca de quê a OAS teria lhe concedido a “propriedade de fato” do triplex, a gente diz que foi em troca do cargo pra que as vantagens fossem cobradas “assim que as oportunidades apareçam” e está tudo certo pra condenação !

Para coroar, a pérola máxima da sentença sobre o crime de corrupção:

– “Foi, portanto, um crime de corrupção complexo e que envolveu a prática de diversos atos em momentos temporais distintos de outubro de 2009 a junho de 2014, aproximadamente”.

Haja triplex pra tanta vantagem…

– “Não importa que o acerto de corrupção tenha se ultimado somente em 2014, quando Luiz Inácio Lula da Silva já não exercia o mandato presidencial, uma vez que as vantagens lhe foram pagas em decorrência de atos do período em que era Presidente da República”.

Haja crédito pra receber as vantagens até 4 anos depois do fim do mandato…

7. LAVAGEM DE DINHEIRO

A condenação por corrupção se baseia em provas inexistentes, mas a pior parte da sentença é a condenação pelo crime de lavagem de dinheiro.

Hipótese condenatória: lavagem de dinheiro “envolvendo a ocultação e dissimulação da titularidade do apartamento 164-A, triplex, e do beneficiário das reformas realizadas”.

Ou seja, o ex-presidente Lula teria recebido uma grana da OAS na forma de um apartamento reformado e, como não estava no nome dele, então isso seria lavagem pela “dissimulação e ocultação” de patrimônio.

Isso é juridicamente ridículo.

Lavagem é dar aparência de licitude a um capital ilícito com objetivo de reintroduzir um dinheiro sujo no mercado. Isso é “esquentar o dinheiro”. Exemplo clássico: o cara monta um posto de gasolina ou pizzaria e nem se preocupa com lucro, só joga dinheiro sujo ali e esquenta a grana como se fosse lucro do negócio.

Então, não faz o menor sentido falar em lavagem nesses casos de suposta “ocultação” da grana. Do contrário, o exaurimento de qualquer crime que envolva dinheiro seria lavagem, percebem?

Não só corrupção, mas sonegação, roubo a banco, receptação, furto… Nenhum crime patrimonial escaparia da lavagem segundo esse raciocínio, pq obviamente ninguém bota essa grana no banco !

8. DELAÇÃO INFORMAL (OU SEJA, ILEGAL) DE LÉO PINHEIRO

Nesse mesmo processo, Léo Pinheiro foi condenado a 10 anos e 8 meses (só nesse processo, pois há outras condenações que levariam sua pena a mais de 30 anos).

Mas de TODAS AS PENAS a que Léo Pinheiro foi condenado (mais de 30 anos) ele deve cumprir apenas dois anos de cadeia (já descontado o período de prisão preventiva) porque “colaborou informalmente” (ou seja, falou o que queriam ouvir) mesmo SEM TER FEITO DELAÇÃO PREMIADA OFICIALMENTE.

Ou seja, em um INÉDITO acordo de “delação premiada informal”, ganhou o benefício de não reparar o dano e ficar em regime fechado somente dois anos (independentemente das demais condenações).

Detalhes da sentença:

O problema maior em reconhecer a colaboração é a FALTA DE ACORDO de colaboração com o MPF. A celebração de um acordo de colaboração envolve um aspecto discricionário que compete ao MPF, pois não serve à persecução realizar acordos com todos os envolvidos no crime, o que seria sinônimo de impunidade.” –> delação informal

Ainda que tardia e SEM O ACORDO DE COLABORAÇÃO, é forçoso reconhecer que o condenado José Adelmário Pinheiro Filho contribuiu, nesta ação penal, para o esclarecimento da verdade, prestando depoimento e fornecendo documentos” –> benefícios informais

é o caso de não impor ao condenado, como condição para progressão de regime, a completa reparação dos danos decorrentes do crime, e admitir a progressão de regime de cumprimento de pena depois do cumprimento de dois anos e seis meses de reclusão no regime fechado, isso independentemente do total de pena somada, o que exigiria mais tempo de cumprimento de pena” –> vai cumprir apenas dois anos

O período de pena cumprido em prisão cautelar deverá ser considerado para detração” –> desses dois anos vai subtrair o tempo de prisão preventiva

O benefício deverá ser estendido, pelo Juízo de Execução, às penas unificadas nos demais processos julgados por este Juízo” –> ou seja, de todas as penas (mais de 30 anos), ele irá cumprir apenas dois anos em regime fechado…

9. TRAUMAS E PRUDÊNCIA

Cereja do bolo: o juiz diz que “até caberia cogitar a decretação da prisão preventiva do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva”, mas “considerando que a prisão cautelar de um ex-Presidente da República não deixa de envolver certos traumas, a prudência recomenda que se aguarde o julgamento pela Corte de Apelação antes de se extrair as consequências próprias da condenação”.

É a prova (agora sim, uma prova!) de que não se julga mais de acordo com a lei, mas pensando nos traumas e na (im)prudência…
_______

Independentemente da sua simpatia ideológico-partidária, pense bem antes de aplaudir condenações dessa natureza.

Eis o processo penal de exceção: tem a forma de processo judicial, mas o conteúdo é de uma indisfarçável perseguição ao inimigo!

Muito cuidado para que não se cumpra na pele a profecia de Bertolt Brecht e apenas se dê conta quando estiverem lhe levando, mas já seja tarde e como não se importou com ninguém…

*Fernando Hideo é advogado e professor da PUC-SP


quarta-feira, 12 de julho de 2017

Resumo da Deforma

Amigos e amigas.
Segue abaixo uma explicação contundente do que de ruim a "Reforma (Deforma) da Previdência" vai fazer à vida dos trabalhadores brasileiros.

Enquanto a boiada comemora a condenação de Lula pelo pusilânime moroso, todas as suas mínimas conquistas serão gradativamente obliteradas de seu cotidiano. Típica tática parasítica: vai sugando mais e mais, porém com paciência e obstinação para não assustar demais o hospedeiro.

Nada menor que uma guerra civil mudará o destino do gado humano: o abatedouro.
FAB29

Imagem relacionada
Mas tudo com o aval dos patos paneleiros.
O advogado Leonardo Isaac Yarochewsky listou, em 14 pontos, os principais retrocessos da reforma trabalhista aprovada ontem pelo Senado. Confira abaixo:

Reforma Trabalhista conforme aprovada ontem
1) Se você ganha mais de R$ 2.212,52, será obrigado a arcar com as custas processuais. Demitido sem receber salários e rescisão, deverá pagar para acionar a Justiça, ainda que não tenha garantia alguma de que irá receber após anos de litígio, e a escola dos filhos, aluguel e demais contas não serão levadas em conta para avaliação da gratuidade judiciária.

2) Se você realizou horas extras durante um ano e não recebeu em holerite, ou mesmo se as comissões não foram pagas, seu patrão poderá quitar tudo isso pagando metade, 1/4 (dependerá do humor dele) do que te deve, e você não poderá reclamar as diferenças na Justiça do Trabalho, conforme artigo artigo 507-B do projeto de lei;

3) Se você trabalha no chão de fábrica e ganha R$ 2.000,00, caso venha a sofrer um acidente de trabalho (no Brasil, são cerca de 700 mil por ano), fique ciente que sua integridade física valerá menos que a do gerente da fábrica, que ganha seus R$ 10.000,00, pois o artigo 223-G nos informa que "Sua vida vale o quanto você ganha";

4) Se você faltar à sua audiência (por inúmeras razões), será obrigado a pagar custas para o Estado e sairá devendo os honorários do advogado da empresa (artigo 844, parágrafo 2º c/c art. 791-A);

5) Seu empregador poderá contratar você como PJ, sonegando impostos, contribuições sociais, férias, 13º, FGTS, DSR, horas extras, e você não terá para quem reclamar (art. 442-B). Ou seja, autorização de fraude;

6) Se for contratado pela modalidade intermitente (art. 443), poderá ficar sem receber salário mínimo, férias, 13º, se o empregador assim desejar.

7) Dívidas trabalhistas poderão ser integralmente fraudadas através da criação de novas empresas e da transferência dos contratos de trabalho (art. 448-A);

8) Será autorizada a rescisão contratual por mútuo acordo. Ou seja, ninguém mais será mandado embora, mas será gentilmente convidado a se retirar (art. 484-A) e o empregador economizará dinheiro na rescisão;

9) Se você ganha mais de R$ 11.062,62, negociará de igual para igual seus direitos trabalhistas em uma Câmara de Arbitragem (art. 507-A);

10) Você não tem direito a decidir qual sindicato irá te representar (unicidade sindical), mas será obrigado a aceitar os acordos por ele realizados, que prevalecerão sobre a lei, e os acordos serão espúrios: eis que acabará a contribuição sindical obrigatória;

11) Será lícito ao empregador, pela negociação coletiva, eliminar direitos sem estabelecer contrapartidas, o que contraria o atual entendimento dos Tribunais Trabalhistas;

12) Se o seu sindicato, que será enfraquecido, estipular uma norma em prejuízo dos sindicalizados, você não terá direito de contestar o conteúdo dessa norma na Justiça;

13) A mulher gestante poderá trabalhar em ambiente insalubre, sob ruído, sol, poeira, dentre outros agentes, desde que um médico subscreva autorização (art. 394-A);

14) Fim da homologação perante os sindicatos (que já não assegura direitos). A homologação poderá ser feita na própria empresa, ou seja, sem qualquer possibilidade de indagação dos valores consignados (art. 855-B), transformando o Juiz do Trabalho em um carimbador;

Leia mais: https://www.pragmatismopolitico.com.br/2017/07/principais-crueldades-reforma-trabalhista.html

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Kit "Tangendo a Boiada"

Amigos e amigas.
Para se dominar, são necessárias várias brutalidades, como a guerra e a tortura. Porém, a sutileza do parasitismo também é largamente utilizada para tal fim. Dificulta-se de um lado, seduz-se por outro, aterroriza-se por mais outro e, nessa toada, consegue-se fazer da boiada humana, uma massa obediente e servil.
Vejam abaixo um rol de dez tópicos de esquemas utilizados pelos supremacistas para manter a humanidade alienada, perdida e pronta para reagir aos comandos e desmandos de seus feitores.
Tão interessante quanto sórdido e desanimador. Extraído daqui.
FAB29

"Quando todos pensam a mesma coisa
é porque ninguém está pensando!.

1 – “Efeito Forer” 
      O psicólogo B.R. Forer descobriu que em geral as pessoas aceitam descrições de personalidade vagas e genéricas como fossem aplicáveis unicamente a si próprias, sem perceber que poderiam ser encaixadas em qualquer um. Afirmações genéricas como “Você gosta que outras pessoas admirem você”, “Você é muito crítico consigo mesmo”, “Você tem muitas dúvidas”, “Você tem um potencial inexplorado” ou Você quer mudanças” são usadas de astrólogos a seminários motivacionais. Midiaticamente, descrições genéricas sobre pessoas suspeitas por algum crime acabam tornando-se evidências de culpa. Por exemplo, no atual caso do adolescente Marcelo Pesseghini suspeito de ter matado toda a sua família: depoimentos afirmam que gostava de games de computador e andava com um capuz na cabeça para ficar parecido com o protagonista de um determinado game violento... assim como centenas de adolescentes. É o discurso lacunar do “talvez”, “possivelmente”, “pode” ou do “poderá”.

2 – Comandos embutidos 
       Discursos que trazem sugestões que carregam uma forte ênfase que afetam o ouvinte e provocam uma resposta emocional: “Você não está cansado de carregar esse fardo?”, “Tudo isso está me deixando louco!”, ou Estou indignado com tudo que está aí!” são afirmações que pressupõem uma resposta positiva. Dos líderes de autoajuda que induzem o ouvinte à insatisfação consigo mesmo à propaganda midiática de protestos como o “Cansei!” ou todas as mobilizações em redes sociais como o “ProtestosBrasil” ou o “Impostômetro” contra a carga tributária.

3 – A “bomba do amor” 
       Criação de atmosferas de intensa positividade e amor por curtos períodos para criar estados de excitação e boa vontade. Muito usado por líderes religiosos e gurus que estimulam o amor entre os participantes para tornar o grupo atraente ao público externo. Tática que vai de encontro à tendência descrita por Freud do indivíduo se adequar ao grupo pelo medo da solidão.

4 – A tática do “Sim!” 
       Quando o emissor elenca uma série de questões que necessariamente resultarão em resposta positiva, terminando com uma conclusão falsa: Você ama seu País? Sim! Você ama sua família? Sim! Então, vote em fulano de tal para presidente! A tática do “Sim!” possui algumas variações aplicadas, por exemplo, a grandes eventos como concertos de rock que, para criar uma imagem de posicionamento sócio-político, abordam temas que é impossível não dizer “Sim!” O que dizer de eventos como o Rock in Rio, cujo slogan de uma das suas edições era “Por um Mundo Melhor”? O slogan era de fácil adesão: quem pode ser contra esta idéia? O Rock in Rio fez pequenas tentativas de esclarecer às pessoas que compraram os ingressos o objetivo do evento. “Por um mundo melhor” tornou-se mais um slogan, uma imagem de fácil adesão. Mas como atingir um mundo melhor? A resposta a esta pergunta jamais foi ouvida, por suscitar polêmica, discussões ideológicas e políticas.
[Marketing Global: slogans com temas sociais despolitizados que conseguem fácil adesão dos consumidores]

Um idêntico efeito pode ser criado usando a tática do “Não!”.


5 – A manipulação do “Crente Verdadeiro”
       Em um grupo ou multidão uma significativa porcentagem é costuma ser mais susceptível à sugestão. Tais pessoas agem assim por medo ou sentimento de culpa. Elas são as primeiras a chorar, gritar ou concordar com as afirmações ou instruções do emissor. Seu comportamento pode ser o gatilho que dispara o efeito de ressonância no restante do grupo ou multidões. A conferir se o efeito Black Block nas manifestações de rua não se enquadraria nessa estratégia de indução das multidões.


6 – Indução ao Estado Alfa 
       Música, práticas meditativas como mantras, cantigas etc. induzem a um bem conhecido ritmo cerebral chamado estado alfa. Esse estado reduz o pensamento crítico e torna o comportamento aberto a sugestões.


7 – Ritmo vibrato e E.L.F. (Extra Low Frequency) 
        Ondas sonoras de diversas frequências podem afetar o cérebro e a psicologia humana, produzindo ações involuntárias. E.L.F. foram verificados ao produzir sentimentos de depressão ou euforia, dependendo da velocidade das ondas. Alguns solistas de ópera têm conhecimento disso e obtêm inusitados efeitos psicológicos ao cantar certas notas. Dentro do que se chama na atualidade de “neuromarketing”, empresas procurar aplicar comercialmente essas técnicas. Por exemplo, a Muzak, uma subsidiária da Mood Media, é uma empresa norte-americana especializada em produzir “arquiteturas de áudio”: músicas especialmente compostas para elevadores, lojas de departamentos, shopping malls e esperas telefônicas para criar estados emocionais que possam ser colocados a serviço dos negócios: aumento das vendas, acelerar a velocidade da mastigação em lanchonetes para aumentar a rotatividade de clientes, etc.


8 – Espiral do Silêncio 
        Esse dispositivo nos faz seguir a multidão, aquilo que supostamente a maioria pensa e faz. Ou, pelo menos, o que a gente pensa que a maioria pensa e faz. O tema aqui é “Todos estão fazendo isso”. Como ninguém quer ser deixado para trás por temer a solidão, exclusão ou esquecimento, queremos seguir a tendência majoritária. Conceito criado pela pesquisadora alemã Elizabeth Noelle-Neumann onde a criação de um “clima de opinião” pode isolar grupos discordantes até a extinção pela sua autopercepção do isolamento. “Havaianas: todo mundo usa!”. Poderíamos responder: “Todo mundo quem, cara-pálida?!” O slogan quer criar o clima de opinião onde pessoas isoladas, temendo ficarem de fora da “onda”, embarquem em uma mera percepção psicológica sem fundamento real.


9 – Estratégia de “Voice Roll” 
     Muitos discursos são dotados de um ritmo vocal sugerindo a existência de uma batida rítmica imaginária. Isso criaria um fascinante efeito hipnótico, abrindo o receptor à sugestão. Muito usado por religiosos e líderes políticos, como nos gigantescos encontros do Partido Nacional Socialista na Alemanha às vésperas da Segunda Guerra Mundial: os discursos das lideranças do partido eram acompanhas pelas batidas hipnóticas de tambores. Grandes encontros festivos atuais como as raves seriam a atualização desse dispositivo onde o beat da música (com no subgênero trance da música techno) acompanha o ritmo do batimento cardíaco dos participantes.


10 – Técnica da “Vidraça Quebrada” 
     Multidões seriam guiadas por sentimentos contraditórios como medo e esperança. Por isso, apresente fatos supostamente consumados e as massas aceitarão qualquer coisa em nome da esperança da solução. “Acerte uma pedra na vidraça e, então, bata na porta vendendo alarme contra ladrões” ou “Se quer vender a bomba, deve vender em primeiro lugar o medo”. Em nome da esperança de segurança ou paz, as multidões seriam capazes de renunciar a seus próprios direitos. Por exemplo, o medo da criminalidade e terror tornaria aceitável todas as formas de controle, vigilância e renúncia à privacidade. É o sub-texto por trás de celulares entregues pelos pais a adolescentes ou dispositivos de vigilância em banheiros escolares com a anuência paterna.